Fazendo um balanço após uma temporada de desfiliações

Translate Page

Pontos chave:

  • A Igreja Metodista Unida está completando sua primeira grande onda de saídas de igrejas sob uma lei da igreja que permite que as igrejas saiam com propriedade se atenderem a certas condições.
  • Mais retiradas de igrejas da denominação ocorrerão antes que a cláusula de desfiliação expire no final de 2023.
  • Mas em meio a essas perdas, os membros da igreja veem sinais de esperança, incluindo esforços liderados por leigos para “Permanecer UMC”.

Muito está em transformação na Igreja Metodista Unida à medida que 2022 chega ao fim. O que está claro é que o longo e gradual declínio numérico da denominação nos Estados Unidos se acelerou devido à desfiliação das igrejas locais.

No entanto, mesmo lamentando essas partidas, vários metodistas unidos também veem sinais de esperança e oportunidades de crescimento naquela que ainda é a segunda maior denominação protestante dos Estados Unidos e uma igreja global com membros espalhados por quatro continentes.

Segundo o presidente do Conselho dos Bispos, Thomas J. Bickerton, assim como o fogo tempera o aço, ele vê as lutas atuais refinando a Igreja Metodista Unida para ser mais forte na fé e mais afiada na missão e no ministério.

“Seremos menos do que éramos antes? Sim”, disse Bickerton, que também lidera a Conferência de Nova York. “Mas isso não é uma coisa ruim. Acredito que estamos começando a descobrir o que significa reformular e redefinir essa denominação”.

Sem dúvida, a denominação já está passando por mudanças significativas. Como outras denominações protestantes nos EUA fizeram anteriormente, a Igreja Metodista Unida está passando por sua própria separação após décadas de divisão interna sobre o papel das pessoas LGBTQ na vida da igreja.

O gráfico mostra por jurisdição a contagem da Notícias MU de quantas desfiliações de igrejas locais receberam aprovação da conferência anual desde 2019, quando a provisão de desfiliação do Livro de Disciplina entrou em vigor. Não mostra o número de igrejas que fecharam porque não eram mais sustentáveis ou quaisquer igrejas atualmente envolvidas em ações legais relacionadas à desfiliação.
O gráfico mostra por jurisdição a contagem da Notícias MU de quantas desfiliações de igrejas locais receberam aprovação da conferência anual desde 2019, quando a provisão de desfiliação do Livro de Disciplina entrou em vigor. Não mostra o número de igrejas que fecharam porque não eram mais sustentáveis ou quaisquer igrejas atualmente envolvidas em ações legais relacionadas à desfiliação.

Até agora, uma revisão da Notícias MU constatou que 2.003 igrejas nos EUA superaram os obstáculos necessários sob a lei da igreja para deixar a denominação com propriedade.

Isso se traduz em cerca de 6,6% das congregações dos EUA se retirando desde 2019, quando a disposição de desfiliação da igreja entrou em vigor. Muitas das congregações que saíram são pequenas, mas a denominação também viu a saída de algumas megaigrejas. As retiradas ainda deixam mais de 28.500 congregações metodistas unidas nos EUA.

Basta dizer que a grande maioria das congregações está aderindo à Igreja Metodista Unida neste ponto.

Quanto às desfiliações, ainda não se sabe quanta perda de filiação representam. Isso ocorre em parte porque alguns membros de congregações que estão saindo estão optando por permanecer metodistas unidos, transferindo-se para outras igrejas ou, em alguns casos, plantando novas comunidades religiosas metodistas unidas.

Pat Luna, metodista unida ao longo da vida e líder em esforços de base para persuadir as pessoas a ficar, disse que já está vendo leigos mais comprometidos, ansiosos para compartilhar por que eles querem ser metodistas unidos.

“Vamos ver algumas perdas e, em alguns lugares, perdas significativas”, disse Luna. “Mas há esforços novos e empolgantes surgindo em todos os lugares para criar igrejas centradas em ser discípulos de Jesus Cristo para a transformação do mundo.”

As pessoas chamadas metodistas já passaram por separações antes.

“É uma daquelas coisas que têm sido caracteristicamente metodistas”, disse o reverendo Russell Richey, notável historiador do metodismo e membro do corpo docente consultor da Duke Divinity School. “De tempos em tempos, encontramos a necessidade de nos distanciarmos uns dos outros.”

O exemplo mais notável ocorreu em 1844, quando os metodistas do norte e do sul se dividiram em diferentes denominações sobre a questão de saber se um bispo poderia possuir escravos. Muitos historiadores citam isso e outras grandes divisões denominacionais na mesma época como sinais de que os EUA estavam caminhando para uma guerra civil.

O Rev. Lovett H. Weems, professor emérito de liderança da igreja e observador de longa data dos números cada vez menores da igreja nos Estados Unidos, disse que a divisão atual não chega nem perto dessa escala. 

“A divisão de 1844 sobre a escravidão tem sido o manual para os separatistas”, disse ele. “Por esse padrão, esse movimento é uma imitação pobre, embora igualmente equivocada.”

Uma coisa é certa: a onda crescente de desfiliações ainda tem pelo menos mais um ano pela frente.

A Conferência do Texas realiza uma votação durante uma sessão especial de 3 de dezembro em Houston. Os membros da conferência aprovaram a desfiliação de 294 das 598 igrejas da conferência. Foto cortesia da Conferência do Texas.
A Conferência do Texas realiza uma votação durante uma sessão especial de 3 de dezembro em Houston. Os membros da conferência aprovaram a desfiliação de 294 das 598 igrejas da conferência. Foto cortesia da Conferência do Texas.

As tensões atingiram um ponto de ruptura na Conferência Geral especial de 2019, que por uma margem relativamente estreita de 438 contra 384 votou para reforçar as proibições já existentes da igreja sobre casamentos entre pessoas do mesmo sexo e clérigos gays “praticantes autodeclarados”.

A mesma assembleia legislativa aprovou uma nova lei da igreja – o Parágrafo 2553 do Livro de Disciplina – que oferece um caminho para as igrejas saírem com propriedade. A provisão está prevista para expirar no final de 2023.

A Conferência Geral especial não acabou com o rancor. No início de 2020, um grupo diversificado de líderes da igreja apresentou uma proposta de separação amigável que faria com que os conservadores teológicos que apoiam as restrições LGBTQ saíssem com propriedades e fundos da igreja para iniciar sua própria denominação. Mas os atrasos da Conferência Geral causados pelo COVID de 2020, até o momento para 2024, impediram que o plano fosse considerado e mantiveram as proibições atuais na Disciplina

Mais dados de desfiliação

De Notícias MU:

A Notícias Metodista Unida elaborou um gráfico mostrando, por conferência, quantas desfiliações de igrejas foram aprovadas pelas conferências anuais. Esta contagem não oficial é baseada em uma revisão da Notícias MU dos relatórios da conferência anual dos EUA, informativos disponíveis ao público e relatórios das 17 sessões especiais da conferência anual deste ano. Não inclui igrejas que foram desativadas porque não são mais sustentáveis financeiramente; nem o gráfico inclui igrejas que buscam se desfiliar por meio de ação legal.

Veja o gráfico.

Do Conselho Geral de Finanças e Administração:

O Conselho Geral de Finanças e Administração, a agência de finanças e dados da denominação, está coletando os dados oficiais sobre desfiliações e fechamento de igrejas.

Mas a contagem de desfiliações da agência financeira fica atrás dos dados da Notícias UM porque ela deve esperar pelas conferências anuais para enviar relatórios oficiais assim que as desfiliações forem concluídas.

Enquanto isso, a agência começa a oferecer informações mais amplas sobre as desfiliações e fechamentos relatados. Isso inclui estatísticas relacionadas a igrejas desfiliadas e descontinuadas em comparação com a conferência anual como um todo.

Leia o comunicado de imprensa.

Consulte o relatório sobre desfiliações e descontinuidades relatado ao GCFA - General Council on Finance and Administration (Conselho Geral de Finanças e Administração) em 2 de dezembro. Os relatórios financeiros do GCFA também estão disponíveis em www.gcfa.org/reports.

Mais sessões especiais planejadas:

Os bispos estão começando a fazer planos para sessões especiais em suas conferências no próximo ano para lidar com as desfiliações.

Veja a programação até agora.

As Read Conferences (Ler Conferências) alcançam aqueles que sofrem com a desfiliação.

Nesse ínterim, os organizadores lançaram a separatista teologicamente conservadora Igreja Metodista Global em maio. Os apoiadores da nova denominação têm recrutado igrejas metodistas unidas para se juntarem desde então.

Isso deixou muitas igrejas tradicionalistas recorrendo ao Parágrafo 2553 para sair. A disposição tem uma série de requisitos, incluindo pelo menos dois terços dos votos para desfiliação pela congregação e aprovação da maioria por sua conferência anual - um órgão regional com membros votantes de várias congregações.

Uma igreja que sai também deve pagar uma parte justa do passivo de pensão de sua conferência anual, bem como dois anos de repartições - ações da igreja que dão esse ministério de apoio além da igreja local. O parágrafo 2553 também permite que as conferências adicionem requisitos.

Ainda assim, a maioria das conferências procura fazer o que pode para acomodar as saídas da igreja. Desde o final do verão, 17 conferências anuais realizaram sessões especiais para votar nas saídas da igreja e outras agendaram sessões especiais para o próximo ano. Até agora, a maioria aprovou todas as desfiliações em pauta.

A única exceção foi a Conferência de Arkansas, onde a maioria dos eleitores da conferência aprovou 35 igrejas para desfiliação, mas bloqueou outras três. O Arkansas Democrat-Gazette relata que o pastor, líderes leigos e muitos dos membros de uma congregação negada – Igreja Metodista Unida Cabot - decidiram se afastar e começar uma nova igreja.

O número de desfiliações tem variado muito por região, com as conferências no sul dos Estados Unidos, até agora, tendo o maior número de saídas de igrejas. Talvez não seja surpreendente em uma denominação cuja história se alinha tão intimamente com a dos Estados Unidos, o mapa de desfiliação é semelhante aos mapas em vermelho e azul no dia da eleição - com as áreas vermelhas mais conservadoras vendo mais desfiliações de igrejas em comparação com as mais progressistas áreas azuis.

A Conferência do Texas, que se estende desde a área de Houston até a parte leste do estado, aprovou em 4 de dezembro o maior número de desfiliações - 294, ou quase metade de suas 598 igrejas

A Conferência Northwest Texas, votando no mesmo dia, ratificou a maior porcentagem de desfiliações - 74%, ou 145 de suas 196 igrejas. Apenas 51 congregações permanecem e algumas estão em discernimento para potencialmente sair mais tarde. Os ministérios do campus na conferência, que abrange o Texas Panhandle, incluindo a Universidade Texas Tech, também se desfiliaram.

No entanto, o Rev. Jeff Fisher – o diretor de ministérios de transição da conferência – disse que está vendo novas comunidades religiosas metodistas unidas começarem a se formar. Ele está otimista de que a Igreja Metodista Unida ainda pode ter um forte testemunho no oeste do Texas.

“Estamos confiantes de que as pessoas não terão que dirigir uma hora para chegar ao culto Metodista Unido”, disse ele. “Esse é o nosso objetivo. Ainda não temos tudo mapeado, mas estamos confiantes de que é facilmente administrável.”

A Conferência do Texas também tem novas comunidades de fé começando em áreas onde a presença Metodista Unida é repentinamente diminuída ou inexistente.

“Alguns podem chamar isso de redefinição. Alguns podem chamar de reinício”, disse o Rev. Morris Matthis, superintendente distrital, durante a sessão especial da conferência. “Eu escolho chamar isso de avivamento.”

Os membros da Conferência Central do Texas votam em uma sessão especial realizada em 17 de setembro na Igreja Metodista Unida de Arborlawn em Fort Worth, Texas. Naquele dia, a conferência aprovou a desfiliação de 81 congregações da Igreja Metodista Unida. Foto de J. Vance Morton, para a Conferência Central Texas.
Os membros da Conferência Central do Texas votam em uma sessão especial realizada em 17 de setembro na Igreja Metodista Unida de Arborlawn em Fort Worth, Texas. Naquele dia, a conferência aprovou a desfiliação de 81 congregações da Igreja Metodista Unida. Foto de J. Vance Morton, para a Conferência Central Texas.

Entretanto, as saídas têm claramente implicações financeiras. A diretoria do Conselho Geral de Finanças e Administração, a agência financeira da denominação, já começou a trabalhar no que será o menor orçamento da denominação enviado à Conferência Geral em quase 40 anos.

Christine Dodson, vice-presidente do conselho e tesoureira da Conferência da Carolina do Norte, também está lidando com ajustes orçamentários mais perto de casa.

A Conferência da Carolina do Norte em 19 de novembro aprovou 249 desfiliações, representando 32% das congregações da conferência e cerca de 22% de seus membros.

“A liderança da conferência está ciente do impacto desse processo nas igrejas, com alguns membros optando por sair mesmo que a igreja não o faça”, disse ela. “Ao mesmo tempo, algumas igrejas estão relatando a entrada de novos membros que estão entusiasmados com a direção da igreja em sua área. Discussões sobre orçamentos e alocações de conferências incluem essas preocupações e oportunidades multifacetadas”.

Mas mesmo em meio a essas novas realidades, Dodson pode testemunhar como a denominação ainda pode atender às necessidades do ministério de maneira rápida e eficaz. Quando um ato intencional de vandalismo deixou mais de 40.000 pessoas sem energia elétrica na Carolina do Norte, os ministérios de desastres da conferência imediatamente se prontificaram a fornecer geradores e trailers de resposta a desastres movidos a energia solar onde as pessoas pudessem se conectar.

“A equipe estava pronta e implantada rapidamente para ajudar a aliviar o sofrimento e mostrar a bondade e o amor de Jesus Cristo aos afetados”, disse Dodson. “Esse tipo de resposta está disponível por meio de nossos ministérios conexionais compartilhados e é um exemplo interminável de como alcançamos mais pessoas por meio de nossos relacionamentos conexionais.”

Nem todas as igrejas que estão saindo estão optando por ir com a Igreja Metodista Global. Alguns estão se tornando independentes ou se juntando a outra denominação no movimento metodista.

Os principais funcionários da Igreja Metodista Global recusaram um pedido da Notícias UM para o número atual de membros da igreja.

Em uma mensagem do Dia de Ação de Graças, o Rev. Keith Boyette - oficial de transição para a Igreja Metodista Global - escreveu: “Centenas de igrejas já se uniram e outras centenas estão se preparando para ingressar na Igreja Metodista Global antes do final do ano”.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Um número muito menor de igrejas desfiliadas juntou-se à Igreja Metodista Livre dos EUA,  estabelecida há muito tempo, ou tornou-se parte de um novo grupo chamado The Foundry Network (A rede de fundição).

Uma das maiores congregações metodistas unidas, a White's Chapel em Southlake, Texas, perto de Fort Worth, recentemente votou pela desfiliação e anunciou planos para criar uma cooperativa de “congregações e ministérios com mentalidade semelhante e coração comum” chamada Igreja Metodista Colegiada. A Capela de White ainda deve ser aprovada para desfiliação pela Conferência Central do Texas.

A Primeira Igreja Metodista Unida de 3.500 membros em Pensacola, Flórida, é um exemplo de igreja que planeja ficar. A congregação, que é a igreja mãe do Metodismo na Flórida e recentemente celebrou seu bicentenário, já resistiu a divisões denominacionais antes.

O reverendo Geoffrey Lentz, pastor sênior da igreja, disse que a congregação discutiu um pouco a desfiliação. Alguns de seus vizinhos na Conferência Alabama-Oeste da Flórida estão saindo. Ainda assim, ninguém acha que a congregação de Pensacola da "tenda grande" tem os dois terços de apoio necessários para se retirar.

“Estamos tendo uma conversa diferente,” disse Lentz, que também está presidindo a nova força-tarefa da Conferência Alabama-Oeste da Flórida sobre plantação e revitalização de igrejas. “Nosso tema é 'Praticar a Ressurreição'. Nossa igreja está experimentando um novo crescimento durante esta temporada, e acreditamos que fomos chamados para voltar a este tipo de trabalho de Páscoa. Nossa congregação está orando e trabalhando para o reavivamento e renovação na Igreja Metodista Unida.”

*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU, Hodges é repórter da Notícias MU em Dallas. Contate-os em (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias Metodistas Unidas, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
Os membros da conferência ratificaram os acordos de desfiliação e oraram pelas igrejas que partiram durante a Conferência Anual da North Georgia de 2022, que ocorreu de 2 a 4 de junho. Em um e-mail enviado em 28 de dezembro de 2022, os líderes da Conferência da Geórgia do Norte anunciaram que estavam fazendo uma pausa na aprovação de mais desfiliações. Foto de arquivo cortesia da Conferência North Georgia.

Conferência da North Georgia faz pausa nas desfiliações

A conferência anual da maior Igreja Metodista Unida dos EUA anunciou que está impedindo a saída de igrejas devido a “declarações e materiais enganosos, difamatórios e falsos compartilhados com membros de igrejas locais”.
Área Geral da Igreja
O Rev. David Kassos, pastor da Igreja Metodista Unida Amity em Amity, Ark., fala na sessão especial de 19 de novembro da Conferência de Arkansas. Foto de Rodney Steele, cortesia da Conferência de Arkansas.

3 desfiliações de igrejas bloqueadas

A Conferência Anual de Arkansas aprovou a saída de 35 igrejas, mas não três outras que pretendiam deixar a Igreja Metodista Unida.
Conferência Anual
O Rev. Andrew C. Kjorlaug, um ancião da Conferência do Arkansas e capelão do Exército dos EUA, apresenta uma resolução na Conferência Anual do Arkansas que convida a delegação do Congresso do estado a agir sobre a “legislação responsável sobre armas de fogo”. Em um ano que viu vários tiroteios em massa, o Arkansas estava entre várias conferências Metodistas Unidas pedindo aos líderes eleitos que fizessem mais para regular as armas. Captura de tela cortesia da Conferência do Arkansas via YouTube pela Notícias MU.

Conferências agem a respeito da violência armada

Mesmo que as conferências anuais se encontrem no meio de discussões sobre desfiliações da igreja local e desacordos sobre a inclusão LGBTQ, elas estão pedindo ação e aprovando resoluções, além da retórica e dos chamados necessários à oração, sobre o grave problema da violência armada na sociedade americana.