Encontrando força na família da igreja mundial

Other Manual Translations: English español

Quando Thomas Kemper se tornou o primeiro executivo-chefe não americano da Junta Metodista Unida de Ministérios Globais, ele disse que queria que a agência missionária ajudasse as igrejas locais em todos os lugares "a se sentirem e se verem como parte de uma família mundial".

Agora, uma década depois, o alemão nativo deixou essa posição após supervisionar a expansão da presença internacional da agência e a colaboração com parceiros de missão global.

Em 1º de setembro, ele foi sucedido no cargo por Roland Fernandes, diretor de operações e tesoureiro geral dos Ministérios Globais.

Thomas Kemper served as top executive of the United Methodist Board of Global Ministries from March 2010 through August 2020. Roland Fernandes, chief operating officer and general treasurer, is his successor. Photo by Jennifer Silver, Global Ministries.

Thomas Kemper serviu como alto executivo da Junta Metodista Unida de Ministérios Globais de março de 2010 a agosto de 2020. Roland Fernandes, diretor de operações e tesoureiro geral, é seu sucessor. Foto de Jennifer Silver, Ministérios Globais.

Kemper permaneceu um missionário de coração muito depois de seu próprio serviço no Brasil de 1985 a 1994, e de 11 anos de mandato no escritório missionário da Igreja Metodista Unida Alemã.

Manter um núcleo sólido de missionários - que testemunham e servem em diferentes locais e culturas e se envolvem em uma variedade de profissões e atividades - também continuou a ser uma prioridade para a agência. Ministérios Globais tem cerca de 350 missionários no serviço internacional e doméstico dos Estados Unidos em qualquer momento.

“O missionário meio que incorpora a natureza global da igreja”, disse ele à Notícias MU em uma entrevista em agosto. “Eles representam que o evangelho é mais do que uma cultura, um idioma, uma nação. Isso é tão essencial para a igreja”.

Não é de surpreender que essa mentalidade tenha ajudado Kemper a formar um relacionamento íntimo com a comunidade missionária, observou ele. “Eles confiaram em mim como companheiro missionário”, disse ele.

Cerca de 200 missionários ativos e aposentados ou famílias de missionários participaram de uma reunião de despedida do Zoom com Kemper em 11 de agosto, que incluiu um vídeo de declarações de agradecimento em várias línguas e uma música destacando a frase que se tornou o mantra de Kemper sobre missão e missionários: “De todos os lugares para todos os lugares.”

“Sentimo-nos apoiados e incluídos na abordagem colegial à liderança que vocês fomentaram”, disse Katherine Parker, presidente da Associação Missionária Metodista Unida, na apresentação do vídeo. Ela o creditou por trazer os Ministérios Globais “para uma nova onda de missão que se move do centro para as margens e das margens para o centro”.

Global Ministries holds the 2017 Global Missionary Commissioning Service in the sanctuary of Grace United Methodist Church in Atlanta. The Rev. Judy Chung, Thomas Kemper, Bishop Hee-Soo Jung and Bishop Pete Torio lay hands on Temba Darlington Nkomozepi, commissioning him into service. File photo by Cynthia Mack, Global Ministries.

Os Ministérios Globais realizam o Serviço de Comissionamento Missionário Global 2017 no santuário da Igreja Metodista Unida Grace em Atlanta. O reverendo Judy Chung, Thomas Kemper, o bispo Hee-Soo Jung e o bispo Pete Torio impõem as mãos sobre Temba Darlington Nkomozepi, comissionando-o para o serviço. Foto de arquivo: Cynthia Mack, Ministérios Globais.

Kemper disse à Notícias MU que estava particularmente animado com o crescimento do programa Global Mission Fellows (Companheiros da Missão Global) para jovens adultos. O que começou com um punhado de pessoas designadas agora inclui dezenas comissionadas em novos termos de serviço plurianuais anualmente.

Em julho de 2019, por exemplo, 50 jovens adultos de 26 países foram comissionados em Phnom Penh, Camboja, para servir em 33 países para a Igreja Metodista Unida.

Global Mission Fellows (Companheiros da Missão Global) está criando os jovens líderes transculturais de que o mundo precisa, declarou Kemper. “Eu sonhava em ter 500 (bolsistas) no final do meu mandato, mas a situação financeira não permitia”, acrescentou. “Também requer uma boa orientação e acompanhamento, o que custa dinheiro.”

Um dos destaques do tempo de Kemper como alto executivo, disse ele, foi ajudar a orquestrar a saída bem-sucedida de três jovens bolsistas das Filipinas em 2018, depois que enfrentaram falsas acusações políticas do governo. Kemper lembrou-se de ter visitado Tawanda Chandiwana, do Zimbábue, no centro de detenção em Manila, onde a curiosidade sobre a cruz de âncora que Chandiwana estava usando permitiu que ele testemunhasse aos presos que estava ancorado em Cristo.

Essa visita e o apoio mundial para uma campanha dos Ministérios Globais para libertar o trio foram inspiradores, disse ele. “De repente, você sente que faz parte de um movimento real, defendendo a solidariedade e os direitos humanos.”

Kemper disse que sua experiência anterior como diretor da Junta de Ministérios Globais também moldou sua convicção de que o papel da agência missionária é o de facilitador da missão, e não de dono da missão.

No início, disse ele, ele decidiu que a equipe precisava ser contratada internacionalmente para alcançar não apenas a diversidade nos Estados Unidos, mas também a diversidade global.

The Rev. Paul Kong, Thomas Kemper, Joy Eva Bohol, the Rev. Myungim Kim and Rebecca Asedillo cut the ribbon signifying the opening of the Asia Regional Office in Seoul, South Korea, in March 2017. File photo by Jennifer Silver, Global Ministries.

O Rev. Paul Kong, Thomas Kemper, Joy Eva Bohol, o Rev. Myungim Kim e Rebecca Asedillo cortaram a fita significando a abertura do Escritório Regional da Ásia em Seul, Coreia do Sul, em março de 2017. Foto de arquivo: Jennifer Silver, Ministérios Globais.

Mudar a sede da agência de Nova York para Atlanta em 2016 foi “por motivos missionários”, explicou Kemper, parte do redirecionamento maior para uma escala global que incluiu um plano para estabelecer pequenos escritórios regionais na América Latina, Ásia e África.

Ele reconheceu que a presença de longa data do conselho no Interchurch Center - em 475 Riverside Drive em Manhattan - era vantajosa quando várias denominações importantes e grupos ecumênicos tinham escritórios lá. “Deve ter sido um momento incrível”, disse ele. “Mas era um mito quando cheguei lá.”

A agência missionária está mais enxuta do que era em Nova York. Nem todos os funcionários foram convidados a fazer a mudança e, nos últimos anos, cerca de 60 cargos foram eliminados devido a restrições orçamentárias. Cerca de 40 pessoas que trabalham para os Ministérios Globais e a United Methodist Committee on Relief (Comissão Metodista Unida de Socorro) foram despedidas entre 2019 e a primeira metade de 2020. A contagem atual de funcionários em Atlanta é de cerca de 115.

A nova direção de uma sede dos EUA simplificada emparelhada com escritórios regionais reforçou a ideia de uma "abordagem de mesa redonda" para a missão, criando relacionamentos multilaterais com parceiros de missão onde todos têm voz, disse Kemper.

Reflexões sobre uma década de trabalho missionário

Thomas Kemper foi entrevistado em Atlanta pela equipe dos Ministérios Globais pouco antes de retornar à Alemanha.

Assistir entrevista em vídeo 

“Se formos apenas para as relações bilaterais, criamos uma dinâmica de poder muito prejudicial às nossas relações”, explicou. “É realmente o que queremos teologicamente para nosso ponto de vista missional e relacional.”

Um exemplo de relações multilaterais é a participação dos Ministérios Globais em uma reunião anual iniciada por órgãos Metodistas na Ásia para discutir como eles podem ser mais eficazes juntos na missão. “As pessoas nos consideram iguais como parceiros, não como pessoas que querem dominar”, disse Kemper.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O escritório regional da agência em Seul, na Coreia, que atualmente tem nove funcionários, “realmente fez a diferença no contexto asiático”, observou ele. Outros membros da diretoria baseados na Ásia incluem três escritórios em Manila, Filipinas, e um na China.

Em Atlanta, Ministérios Globais também sediou uma Mesa Redonda para a Paz em novembro de 2018 na Península Coreana em nome da Igreja Metodista Unida, Igreja Metodista Coreana e Conselho Metodista Mundial, com contribuições do Conselho Mundial de Igrejas.

Outras conquistas que Kemper conta como marcos durante o seu mandato incluem:

• Desenvolver uma nova relação com as Mulheres Metodistas Unidas depois que essa organização de filiação se tornou independente dos Ministérios Globais em 2012 de uma forma que teve “um efeito libertador em ambos”.
 
• Devolução de terras mantidas em custódia para a tribo Wyandotte durante uma cerimônia de 21 de setembro de 2019 em Upper Sandusky, Ohio, “cumprindo promessas como igreja e como amigos em missão”.

• Dar continuidade a uma ênfase de longa data para oferecer solidariedade e apoio aos cristãos perseguidos em todo o mundo, incluindo Paquistão, Nigéria e Palestina.

• Comemoração de 200 anos de missão metodista em uma conferência em abril de 2019 na Universidade Emory, co-patrocinada pela Escola de Teologia Candler em Emory.

Kemper e sua esposa, Barbara, moram agora em Bonn, na Alemanha. Ele servirá como consultor em tempo parcial para Wespath em apoio às pensões e relacionamentos da conferência central.

“É uma ótima maneira de manter a conexão”, disse ele.

 

*Bloom é editora assistente de notícias do Serviço Metodista Unido de Notícias e mora em Nova York. Siga-a em https://twitter.com/umcscribe ou entre em contato com ela pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Missão
Superintendente Agostinho Nhampossa de Niassa, com a comissão de construção mostrando o local onde vai ser construído o novo centro orfanato em Lichinga, Moçambique. Foto de Eurico Gustavo.

Orfanato de Dondo recebe apoio das mulheres da Conferência do Norte

Dada a demanda dos serviços sociais para atender os petizes de palmo e meio, está em processo a construção de um outro centro orfanato no campo missionário de Lichinga, província de Niassa.
Missão
Grace Choi, atual missionária dos Ministérios Globais em residência e ex-aluna de Yonsei, posa ao lado de uma pilha de máscaras doadas. Choi trabalhou no Hospital Yonsei Severance antes de se tornar uma missionária. Foto cedida por Grace Choi, Ministérios Globais.

Hospital coreano envia 10.000 máscaras para missionários

A doação para a Junta Metodista Unida de Ministérios Globais reconhece as contribuições de missionários em todo o mundo, incluindo a Coréia.
Missão
No Centro Médico de Quessua, voluntários e missionários se preparam para visitar as comunidades vizinhas e atender às necessidades existentes. Foto de arquivo do Rev. Gustavo Vasquez, Notícias MU.

Prevenção ao COVID-19 no Leste de Angola

Leonardo e Cleivy são pastores e doctores de diferentes especialidades médicas e lideram o projeto de educação e ação preventiva contra a expansão do COVID -19 em Quessua e nas cidades próximas ao leste de Angola.