Editora muda plano de previdência e vende campus

Other Manual Translations: English Español

Pontos chave:

• A Editora Metodista Unida continua a fazer mudanças enquanto lida com o efeito negativo da pandemia nas vendas.

• A agência autossustentável transferiu para a Wespath os ativos e a administração de um plano de previdência.

• Uma imobiliária de Chicago comprou a propriedade de Nashville da Editora por US $ 24,5 milhões.

• A Editora espera registrar um déficit de quase US $ 3 milhões no ano fiscal de 2021.


A Editora Metodista Unida continua a fazer grandes mudanças, uma vez que lida com os desafios financeiros exacerbados pela pandemia COVID-19.

A Editora, uma agência autossustentável, transferiu os ativos e as operações de um plano de pensão para a Wespath Benefícios e Investimentos, a agência de pensão da denominação.

No mesmo comunicado à imprensa de 4 de outubro, a Editora anunciou que a venda de sua propriedade em Nashville foi concluída, a um preço de US $ 24,5 milhões.

A Editora é a entidade contínua mais antiga da denominação, datando de 1789. No entanto, nas últimas décadas viu-se contrair junto com a membresia da Igreja Metodista Unida nos Estados Unidos.

Quando a pandemia de COVID-19 fechou igrejas em março de 2020, as vendas da Editora despencaram - inclusive para a escola bíblica de férias e os materiais da escola dominical. A agência teve demissões, mas também mudou para operações remotas.

Muito antes da pandemia, a Editora - que inclui a editora Abingdon Press e a operação de varejo Cokesbury - teve a preocupação de administrar um plano de pensão de benefícios definidos.

Em 4 de outubro, a Editora transferiu para Wespath $ 84 milhões para garantir o passivo do plano de $ 81 milhões. Wespath agora está no comando do plano, o que incluí fazer pagamentos para cerca de 500 participantes.

“A transferência dedica fundos suficientes para garantir os benefícios prometidos a todos os participantes nos próximos 30 anos e coloca a supervisão da política e a administração contínua sob a supervisão de especialistas em gestão de fundos de pensão”, disse o Rev. Brian Milford, presidente e editor da Editora, em uma entrevista por e-mail.

Os participantes do plano foram notificados sobre a transferência e podem obter mais informações ligando para Wespath no telefone 1-800-851-2201.

Wespath administra planos de benefícios para mais de 100.000 Metodistas Unidos, clérigos e leigos.

“Estamos satisfeitos por poder apoiar o UMPH e seus muitos funcionários, atuais e aposentados, que contam com esses importantes benefícios de pensão”, disse Barbara Boigegrain, a principal executiva da Wespath, em um comunicado à imprensa separado.

Enfrentando a queda nas vendas e um ambiente de venda de livros em constante mudança, a Editora anunciou em 2012 que fecharia todas as suas livrarias Cokesbury físicas. 

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

The Rev. Brian Milford is president and publisher of the United Methodist Publishing House in Nashville, Tenn. 2015 file photo by Kathleen Barry, UM News. 
O Rev. Brian Milford é presidente e editor da United Methodist Publishing House (Editora Metodista Unida) em Nashville, Tennessee. Foto de arquivo de 2015 por Kathleen Barry, Notícias MU.

A agência já foi uma grande proprietária em Nashville, mas como terceirizava o trabalho de produção, a necessidade de espaço para construção caiu.

Em 2013, a agência vendeu sua propriedade no centro de Nashville e logo transferiu as operações para um campus que havia comprado e batizado de New House Commons (Nova Casa Comum). O espaço à beira do lago foi equipado com tecnologia digital de última geração.

Mas as vendas de materiais da Editora continuaram caindo e, com a pandemia, caíram rapidamente. Em abril de 2020, as vendas foram de apenas 64% do que eram no ano anterior, e os meses seguintes não foram muito melhores. A Editora teve uma grande rodada de demissões, seguida por ainda mais cortes.

Milford e outros líderes concluíram que fazer com que os funcionários restantes trabalhassem remotamente - um movimento feito por segurança - economizou significativamente nas despesas operacionais e funcionou bem o suficiente para justificar a exploração da venda do New House Commons.

Em maio, a Editora anunciou que um acordo provisório havia sido alcançado. A venda para a R2, uma empresa de investimento imobiliário com sede em Chicago, foi concluída em 23 de setembro.

Parte da receita de $ 24,5 milhões foi usada na transferência de ativos para a Wespath.

Embora a maioria dos funcionários continue a trabalhar remotamente, a Editora está alugando espaço no prédio das Comunicações Metodistas Unidas, na 12th Avenue South de Nashville, para serviços financeiros e tecnologia de informação essenciais. Outras agências denominacionais também estão consolidando espaço em resposta às mudanças provocadas pela pandemia COVID-19.

Na primavera, as vendas da Editora haviam voltado um pouco. Mas Milford disse que quando a cepa delta causou um novo aumento nas taxas de infecção de COVID, a participação na igreja e as vendas da Editora enfrentaram reveses.

“As vendas estão diretamente ligadas à taxa e magnitude de retorno ao culto presencial, escola dominical e outras atividades congregacionais”, acrescentou.

Para o ano fiscal encerrado em julho, as vendas preliminares da Editora foram de US $ 27,1 milhões. A agência espera que a contabilidade final do ano fiscal mostre um déficit de quase US $ 3 milhões.

Milford disse que o plano de orçamento “projeta caixa líquido positivo das operações” até o final do próximo ano fiscal.

O conselho da Editora se reunirá em 18 de outubro e um comunicado à imprensa de acompanhamento compartilhará relatórios sobre o desempenho da linha de produtos, disse Milford.

A juíza da Suprema Corte do Tennessee, Cornelia “Connie” Clark, havia sido presidente do conselho da Editora. Com sua morte no mês passado, o vice-presidente, Rev. Thomas Salsgiver, está liderando o conselho.

Milford disse que a Editora tem atualmente 142 funcionários, contra quase 300 antes da pandemia.

 

*Hodges é redatora da Notícias Metodista Unida em Dallas. Contate-a em 615-742-5470 ou [email protected]org . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Faith Sharing
Kayla Alexander (à esquerda), que frequentou a Primeira Igreja Metodista Unida de Baton Rouge quando criança, frequentou a igreja virtualmente enquanto sua família estava trancada por causa do COVID-19 na Austrália, onde agora moram. Alexander e Jamie (à direita dela) trouxeram seu terceiro filho Brady Alexander para Louisiana para ser batizado pelo Rev. Brady Whitton na Primeira Igreja Metodista Unida. Foto cortesia de Kayla Alexander.

Igreja virtual continuará após o COVID-19

Realizar a igreja na internet não vai desaparecer mesmo que o COVID-19 desapareça, de acordo com um pastor Metodista Unido em Louisiana.
Área Geral da Igreja
O Rev. Gary Graves dá instruções aos delegados durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2019 em St. Louis. Os organizadores da Conferência Geral estão formando duas equipes para analisar vistos e logística na esperança de evitar mais atrasos na assembleia legislativa da denominação após seu adiamento para 2024. Graves é secretário da Conferência Geral. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Esforço visa impedir atrasos na Conferência Geral

Os organizadores da principal assembleia legislativa da Igreja Metodista Unida procuram abordar as principais questões que os levaram a adiar a Conferência Geral pela terceira vez.
Área Geral da Igreja
Nesta foto de arquivo, os delegados consideram a legislação durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Citando preocupações em torno do COVID-19 e da disponibilidade de vistos, um grupo de 170 delegados enviou uma carta aos organizadores pedindo que a próxima Conferência Geral seja adiada para 2024. Um grupo de advocacia africano está pedindo que a Conferência Geral avance este ano. Foto por Mike DuBose, Notícias MU.

Delegados pedem adiamento da Conferência Geral

Uma carta assinada por 170 delegados à Conferência Geral pediu à comissão organizadora que adiasse a assembleia legislativa até 2024. Entretanto, outro grupo em África apela a que se realize este ano conforme previsto.