Igrejas discernem se devem ficar ou partir

Translate Page

Pontos chave:

  • Os Metodistas Unidos estão abordando a questão de deixar a Igreja Metodista Unida por causa de diferenças na teologia e na participação LGBTQ na vida da igreja.
  • Algumas igrejas conservadoras podem partir para serem independentes, enquanto outras estão considerando ingressar na Igreja Metodista Global, formada em maio.
  • Reuniões informativas, estudos, notas de pastores, vídeos e encontros individuais estão entre os meios de comunicação.

Os pastores de duas fiéis igrejas Metodistas Unidas da Carolina do Norte têm pelo menos um objetivo em comum quando se trata de deixar a denominação por questões de sexualidade e teologia.

Myers Park em Charlotte e Wesley Memorial em High Point podem estar indo em direções diferentes, mas ambas querem seguir a diretriz do fundador do Metodismo, John Wesley, de “não causar dano”.

“Decidi há muito tempo que precisamos ajudar uns aos outros a terminar bem neste processo”, disse o reverendo Jeff Patterson, pastor do Wesley Memorial, uma congregação conservadora que provavelmente deixará a Igreja Metodista Unida. “Se não tivermos esse compromisso de ajudar uns aos outros a terminar bem e descobrir quem eles são em Cristo, o que teremos é uma tendência a controlar, manipular e intimidar. 

“Estou me esforçando muito para ficar longe dessa parte do espectro.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Em Myers Park, que deverá permanecer na Igreja Metodista Unida, o Rev. James Howell disse que está procurando consenso em vez de vencedores e perdedores. 

“Pela graça de Deus, não tivemos que votar.” disse Howell. “Nós não pensamos um nanossegundo em sair. (…) Conversamos muito ao longo do tempo sobre ser uma igreja de grandes tendas, o que é difícil”.

Em Myers Park, a congregação está mais preocupada em fazer a diferença onde está, do que em questões sobre sexualidade, acrescentou.

“(A congregação) meio que se estabeleceu em quem voltamos”, disse ele.

Após décadas de debate sobre o status das pessoas LGBTQ na igreja, a Conferência Geral foi marcada para votar um plano de separação denominacional em maio de 2020. Depois de ser remarcado três vezes devido ao COVID-19, o principal órgão legislativo da denominação agora está programado para se reunir em 2024. 

O atraso levou ao lançamento antecipado da Igreja Metodista Global, uma nova denominação tradicionalista que tem incentivado as igrejas Metodistas Unidas a se desfiliarem. 

Uma revisão da United Methodist News (Comunicações Metodista Unida) dos relatórios da conferência anual dos EUA  mostrou cerca de 600 desfiliações de igrejas desde 2019 – uma fração das mais de 30.000 igrejas Metodistas Unidas nos EUA. Outras mais estão em vários estágios trabalhando para isso. O General Council on Finance and Administration (Conselho Geral de Finanças e Administração) começou a relatar desfiliações, mas sua contagem fica atrás dos dados da Notícias UM devido à maneira como as informações são coletadas. 

Depois de votar para se desfiliar, algumas igrejas – incluindo  grandes igrejas do Texas  – estão discernindo mais sobre se devem ingressar em outra denominação ou permanecer independentes. 

A retórica em torno da separação esquentou nos últimos meses. Houve alegações de que a Igreja Metodista Unida está se movendo para negar o nascimento virginal e a divindade e ressurreição de Jesus Cristo.

Vários bispos se apresentaram para negar tais acusações, principalmente o presidente do Conselho de Bispos, Thomas J. Bickerton, durante um discurso em 22 de agosto a seus colegas bispos. Bickerton também lidera a Conferência de Nova York. 

Bickerton denunciou o que chamou de “uma enxurrada constante de retórica negativa cheia de falsidade e imprecisões” vinda de apoiadores da Igreja Metodista Global.

Como na Carolina do Norte, muitas igrejas Metodistas Unidas em todo o país estão trabalhando para abordar a questão da desfiliação de maneiras menos divisivas. Reuniões informativas, notas de pastores, pesquisas e estudos, vídeos e encontros individuais estão entre os meios de comunicação.

“Sabíamos que algumas igrejas iriam querer se desfiliar, e queríamos tornar esse processo o mais cheio de graça possível”, disse a Revda. Jessica Rooks, superintendente distrital do Distrito Mile High Metro na Conferência Mountain Sky. “Queríamos que o pertencimento e a conexão fossem nosso foco, por isso lançamos a campanha 'Belong' (Pertencer).

“Colocamos nosso foco na missão e no ministério de quem somos, e não nas conversas sobre fragmentação”.

Até agora, apenas algumas igrejas estão passando pelo processo de desfiliação na Conferência Mountain Sky, disse Rooks.

Juntamente com os esforços localizados, a conferência distribuiu amplamente um vídeo com o tema “Pertencer”. 

"Nós cobrimos todos os lugares", disse Rooks. “Tentamos enviá-lo para igrejas locais, para diferentes órgãos de liderança, para líderes leigos, para o clero. … Está nas redes sociais. Está no nosso site.”

Rooks também fez pessoalmente um sermão sobre o tema “Pertencer” a muitas igrejas sob sua alçada.

A Revda. Laura Brantley, ex-pastora da Igreja Metodista Unida de Brentwood, ao sul de Nashville, que era membro de sua equipe de discernimento, aconselhou pastores do Tennessee, Alabama e Geórgia sobre o processo. 

“A primeira coisa que faço é tentar ajudá-los a ampliar o escopo do que estão tentando discernir”, disse ela. “Geralmente acaba sendo algo mais parecido com 'Quem Deus está nos chamando para ser como igreja neste momento específico, neste contexto específico em que nos encontramos?'”

Em Brentwood, o processo de discernimento começou em 2015 com “um ano de estudo focado na interpretação das escrituras, buscando a orientação do Espírito Santo através da oração e conversa com especialistas no assunto, incluindo teólogos, bispos, médicos, psicólogos, gays e lésbicas, indivíduos e outros”, de acordo com um documento intitulado “Discernment Team Proposal & FAQ” (Proposta e perguntas frequentes da equipe de discernimento), que está disponível no site da igreja.

Outras etapas do processo incluíram:

  • Oferecer um curso de quatro semanas para membros da igreja interessados sobre homossexualidade, casamento e ordenação;
  • Ter a equipe de discernimento participando da Conferência Geral Especial de 2019 em St. Louis, da reunião da UMCNext em Kansas City na primavera de 2019 e da reunião da Wesley Covenant Association (Associação do Pacto Wesleyano) em Oklahoma em novembro de 2019;
  • Estabelecer uma equipe de discernimento maior composta por líderes leigos e clérigos para fazer uma recomendação sobre a desfiliação ao conselho da igreja.

“A equipe de discernimento se envolveu em nove meses de trabalho intensivo que incluiu estudo, oração, sessões de escuta e conversas sagradas”, dizia o relatório. “Nossa intenção desde o início e acima de tudo foi ouvir o movimento do Espírito. Quando começamos nosso trabalho, parecia haver incerteza sobre o melhor caminho a seguir, mas quando terminamos nosso trabalho, chegamos ao que parecia ser um alinhamento liderado pelo Espírito em nossas recomendações.”

No final do processo, a equipa de discernimento recomendou que Brentwood continuasse a ser uma congregação Metodista Unida.

“Dentro de nossa própria comunidade, tínhamos pessoas que estavam nos dois extremos do espectro”, disse Brantley. “E estávamos constantemente nos certificando de que eles não estavam estereotipando um ao outro de maneiras inúteis ou imprecisas.”

Brantley disse que uma chave para o processo de Brentwood era “pensar o melhor das pessoas, mesmo que elas não concordem com você”.

“Se não concordamos um com o outro, temos que estar bem com isso, mas ainda nos amamos e ainda respeitamos um ao outro e não demonizamos (ninguém).”

 

*Patterson é repórter da Notícias MU em Nashville, Tennessee. Entre em contato com ele pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected].

Área Geral da Igreja
Greater Nhiwatiwa (de vestido roxo), esposa do bispo Eben K. Nhiwatiwa (à esquerda), explica a história e o significado da montanha de oração Chin'ando aos bispos que participam do retiro do Colégio dos Bispos da África, realizado de 5 a 8 de setembro na Universidade da África em Mutare, Zimbábue. Os bispos divulgaram uma declaração no final do retiro pedindo unidade na Igreja Metodista Unida enquanto condenavam os grupos de defesa tradicionalistas que procuram separar a denominação. Foto por Eveline Chikwanah, Notícias MU.

Bispos africanos pedem unidade e condenam grupos de defesa

Os bispos emitiram uma declaração em 8 de setembro denunciando o grupo "Iniciativa África" e a "Associação Pasto Wesleyano" por estarem "influenciando erroneamente o povo de Deus em nossas áreas".
Área Geral da Igreja
Durante o seu primeiro discurso como presidente do Conselho dos Bispos, o Bispo Thomas J. Bickerton exortou os colegas Metodistas Unidos a começarem a girar em direção ao que esperam que a Igreja Metodista Unida seja no futuro. O discurso de Bickerton foi transmitido ao vivo no dia de abertura da reunião virtual do Conselho dos Bispos, que estará em sessão aberta novamente em 26 de agosto. Captura de tela cortesia do Conselho dos Bispos via Zoom por Notícias MU.

Bispo pede fim de falsidades e giro para o futuro

No seu primeiro discurso como presidente do Conselho dos Bispos, Thomas J. Bickerton apelou aos apoiantes de uma denominação separatista para que parem de descaracterizar a Igreja Metodista Unida.
Área Geral da Igreja
Uma ação judicial e contra-processo entre a Conferência da Geórgia do Norte e a Igreja Metodista Unida Mt. Bethel em Marietta, Geórgia, foi concluída com a megaigreja concordando em pagar cerca de US$ 13,1 milhões para deixar a denominação com propriedades. Imagem cortesia do Google Maps.

Conferência e megaigreja chegam a acordo legal

A Igreja Mount Bethel concordou em pagar US $ 13,1 milhões à Conferência Anual da Geórgia do Norte para deixar a Igreja Metodista Unida e manter a propriedade.