Metodistas unidos em Harrison iniciam programa de atenção à mulher

A Igreja Metodista Unida de Harrison, New Jersey, tomou um passo à  frente para trazer o amor e a esperança de Jesus Cristo para a sua comunidade, através do projeto "Oasis Women’s Lounge" se inicia no próximo 24 de abril de 2015.

O Rev. Lourdes Magalhães, de origem brasileiro, é o pastora da igreja e líder deste projeto. Ela desenvolveu um trabalho pastoral com comunidades brasileiras, hispanas e de outras culturais nesta área. Por algum tempo, a igreja tem se envolvido em ações contra a violência doméstica e tem promovido atividades e programas para ajudar, principalmente, as mulheres que são vítimas desta situação nas comunidades de Harrison.

Be sure to add the alt. text

A Rev. Lourdes Magalhaes, pastora da Igreja Metodista Unida "Davis Memorial", lidera o projecto "Oásis"

A partir dessa experiência, a igreja foi se movendo e trabalhando em um programa mais vasto e estruturado para fornecer atenção integral. Em entrevista com o Rev. Magalhães, ela pode fornecer mais detalhes sobre este novo programa.

- Quando e como este programa surgiu?. E este programa tem um pouco de história?

- Oasis Women’s Lounge é um projeto que nasceu a partir do projeto que a igreja Davis Memorial UMC de Harrison NJ realizou em 2014 sobre Violência Doméstica contra mulheres brasileiras imigrantes.

Quando eu pastora Lourdes Magalhães cheguei aqui como Missionária, uma das necessidades gritante que tinhamos na comunidade era a necessidade de cura emocional. Fizemos uma pesquisa de Analize de necessidades que comprovou que minha observação era real.

Diante desta realidade, encontrei duas psicólogas que embarcaram em meu sonho de missão e iniciamos dois grupos de terapia com aconselhamento pastoral. Uma experiência inusitada e inovadora nesta comunidade que deu um grande resultado.

As psicólogas Mis. V. Wilkens coordenou o grupo de homens e Mis A. Ferrari coordenou o grupo de mulheres e eu acompanhei os dois grupos.

Tinhamos os encontros aos sábados. Iniciavamos com um café da manhã seguido de uma devocional e depois dividíamos em grupos. Nesse trabalho o processo de identificação de problemas em comum, com personagens biblicos, experiências pessoais, e interação das psicologas, foram passos importantes que ajudaram no crescimento de todas e todos. Quando encerramos o projeto terapeutico, ficou a necessidade  de continuarmos, mas a realidade impossibilitou-nos que o fizessemos de imediato. 

Pudemos contar com um grande apoio da GNJC em 2013, que ofereceu-nos uma psicologa que fala portugues para atender duas vezes por semana a comunidade de brasileiros. Esse apoio veio com uma balsamo à comunidade tão carente.

Em 2014 retomarmos nosso trabalho terapeutico mas agora com uma ênfase em Violência Doméstica. Detectamos essa necessidade em nosso ministério de visita aos centros de detenção do ‘ICI’ em Elizabeth e Newark e percebemos que muitos casos eram resultados de Violência Doméstica. Visitavamos às famílias e verificamos que elas precisavam de ajuda financeira, psicologica, social, legal e espiritual. Assim preparamos em 2014 cinco encontros quinzenais para oferecer as vítimas de violência Doméstica  informações legais, com advogadas e asistentes sociais, psicologas e ajuda espirituais. Nesse evento tivemos o apoio do Consulado Brasileiro atraves de Mr. Diogo Raeder e Glaucia Araujo que explicaram o apoio que o Consulado Oferece a comunidade de brasileiros.   

Quem executa o programa?

Esse programa é executado pelos membros da Davis Memorial  UMC e voluntários profissionais que oferecem gratuitamente seus servicos.

Quem apoia financeiramente este programa?

Para esse primeiro evento que acontecerá dia 24 de abril, a Davis Memorial UMC através de seus membros, esta investindo neste projeto. E orando que Deus nos envie  ajuda financeira para darmos continuidade ao projeto Oasis Women’s Lounge que será realizado toda última sexta feira de cada mês, atendendo assim a demanda da população de imigrantes nessa area.

 Qual é o relacionamento do evento com a igreja, "Davis Memorial"?

Davis Memorial UMC é uma igreja com visão missionária. Ela é a mantenedora do projeto por deparar-se com a necessidade da comunidade, oferece um ministerio holístico.

Os membros da igreja estão trabalhando no programa?

Sim os membros da Igreja voluntariamente tem ajudado a realizar esse projeto

Algumas pessoas devem se beneficiar deste programa

A comunidade de imigrantes das cidades de Harrison, Newark, Kearny e Elizabeth serão beneficiados.

Quais são as maiores necessidades das mulheres daquela comunidade?

As maiores necessidades são: informação jurídica, assitência social na questão de Violência Doméstica e filhos - principalmente menores, e terapia de grupo ou individual. A necessidade espiritual também é muito presente.

Que conselho você daria para as outras igrejas que podem estar na mesma situação?

Que não hesitem em abrir as portas de suas igrejas à comunidade. As pessoas estão precisando do sinal da grace de Deus Deus. E  Tiago 2:14-18 diz: ‘De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo?  Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: "Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se", sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta. Mas alguém dirá: "Você tem fé; eu tenho obras". Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras.’


E Jesus disse em Mateus 25:34-40: "Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo. Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram’. "Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?
Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar? ’ "O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: o que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’.”

 

* Para saber mais do programa pode llemar no (973) 484-9818.

** O Rev. Gustavo Vasquez é o Diretor de Comunicações Hispânico/Latina do IMU. Você pode entrar em contato com ele pelo telefone (615)742-5155 ou pelo [email protected] .

Temas Sociales
Madre migrantes en un campamento improvisado cerca del cruce fronterizo en Tijuana, reciben alimentos y otros suministros de ayuda de la Iglesia Metodista Nuevo Pacto y la Iglesia Evangélica San Pablo en Tijuana. Unos 1.500 inmigrantes se han establecido allí, muchos/as de ellos/as con la esperanza de presentar solicitudes de asilo ante las autoridades de inmigración de Estados Unidos. Foto de Mike DuBose, Noticias MU.

Las madres de la frontera cuentan sus historias

Las madres migrantes en la frontera mantienen su lucha por buscar un futuro más esperanzador para ellas y sus familias.
Iglesia Local
La Pastora Cassandra “Cassy” Nuñez nació en el norte de México y emigró con su familia a EE.UU. cuando tenía 9 años. Actualmente es beneficiaria de DACA, por lo que se denomina así misma como una “pastora DACAmentada". Foto cortesía de la Conferencia Anual Baltimore - Washington.

Una pastora hispana que sueña en voz alta

Núñez fue designada, como pastora local, a la IMU Hispana de Salem en julio pasado y ha venido trabajando en el desarrollo de relaciones frescas, genuinas y amistosas con su comunidad.
Entidades de la Iglesia
La Comisión General sobre Religión y Raza (GCORR por sus siglas en inglés) y la Comisión General de Estatus y Rol de Mujeres (GCSRW por sus siglas en inglés) de La Iglesia Metodista Unida (IMU) han recibido una solicitud del Caucus hispano-latino para observar el proceso que se le sigue a la Obispa Minerva Carcaño. Fotocomposicion cortesía de MARCHA.

MARCHA solicita a comisiones de raza y mujer supervisar proceso contra la Obispa Carcaño

Desde el anuncio de la suspensión de la Obispa Carcaño, MARCHA ha planteado cuestionamientos al proceso enviando dos cartas abiertas al Colegio de Obispos/as de la Jurisdicción Oeste y la Comisión Episcopal