Quer dar sua opinião? Igrejas incentivam votação

Other Manual Translations: English 한국어 español

A reverenda Amanda McMurtrey espera passar 16 horas no dia da eleição verificando os eleitores, emitindo cédulas e garantindo que as pessoas possam ter uma palavra a dizer sobre sua governança.

Mas nos meses anteriores a 3 de novembro, quando ela assumiu as responsabilidades de juiza eleitoral, a pastora Metodista Unida já ajudou mais de uma dúzia de igrejas a hospedar eventos de registro de eleitores.

“Vivemos em um país que diz que todo cidadão tem o direito de votar e eleger seus líderes”, disse McMurtrey, pastora da Igreja Metodista Unida Mayo em Edgewater, Maryland. “Se cada voz conta, então todas as pessoas, incluindo as igrejas, devem ajudar a garantir que cada voz seja ouvida.”

A Conferência Baltimore-Washington de McMurtrey não é a única a colocar ênfase na votação este ano. Bem fora da capital dos EUA, as igrejas e conferências Metodistas Unidas estão a ajudar os eleitores a registarem-se e a exortar aqueles que podem não ter votado há algum tempo para que verifiquem se continuam nas listas eleitorais.

Os Metodistas Unidos veem uma urgência especial nesta época do COVID-19 para garantir que os cidadãos americanos adultos tenham um plano de voto que atenda aos requisitos do seu estado e às suas necessidades de saúde. Com os prazos de registro eleitoral em muitos estados se aproximando rapidamente nos dias 4 e 5 de outubro, o tempo é essencial.

Esses líderes da igreja estão continuando uma tradição metodista de encorajar as pessoas a exercerem sua franquia, que remonta a John Wesley. Em 1774, Wesley aconselhou os membros da Sociedade Metodista a "votar, sem honorários ou recompensas, na pessoa que julgassem mais digna".

Na época de Wesley, votar na Grã-Bretanha e em suas colônias era estritamente uma questão de homens brancos, proprietários de terras. No entanto, nos últimos dois séculos, várias pessoas chamadas metodistas trabalharam para expandir os direitos de voto como ativistas no movimento pelo sufrágio feminino e no movimento pelos direitos civis dos Estados Unidos.

Esse compromisso de votar é hoje parte dos ensinamentos oficiais Metodistas Unidos. Os princípios sociais da denominação afirmam, “A força de um sistema político depende da participação plena e voluntária de seus cidadãos.”

A Igreja Metodista Unida de Columbia Drive em Decatur, Geórgia, realizou uma campanha para o registro de eleitores ao mesmo tempo que encorajou as pessoas a serem contadas no censo dos EUA. A resposta foi entusiasmada na congregação de mais de 450 membros, disse o Rev. Ralph Thompson Jr., pastor titular.

“Em nossa congregação, enfatizamos o dever cívico como um componente vital de nossa herança Wesleyana”, disse Thompson. “A santidade social é um princípio chave da nossa fé e nós a vivemos de maneiras práticas. Votar é uma das principais maneiras de vivermos nossa fé.”

McMurtrey disse que sabe que muitas pessoas ficam nervosas em misturar Igreja e Estado. No entanto, ela vê o compromisso com o direito de voto como parte do chamado mais amplo de Cristo.

“Empoderar as pessoas para participarem do processo não é, e não deve ser, uma questão partidária”, disse ela. “Parte de amar meu próximo como a mim mesmo é garantir que sua personalidade seja honrada e valorizada da mesma forma que a minha. Isso nunca será possível se houver falta de acesso ao voto”.

Não se engane: a luta pelo acesso pacífico às urnas teve um grande sacrifício.

Em 18 de fevereiro de 1965, cerca de 400 pessoas se reuniram no que hoje é a Igreja Metodista Unida da Capela de Zion em Marion, Alabama, para iniciar uma marcha em apoio a um homem preso por registrar eleitores negros. As tropas estaduais e outras autoridades policiais atacaram aqueles que saíam da igreja.

Uma das vítimas naquela noite foi Jimmie Lee Jackson, um diácono batista de 26 anos baleado duas vezes por um policial estadual enquanto tentava proteger sua mãe de um ataque. Ele morreu de seus ferimentos oito dias depois. Ele já havia tentado cinco vezes se registrar para votar, sem sucesso.

O martírio de Jackson intensificou os esforços pelos direitos de voto - particularmente a Marcha dos Direitos de Voto que se seguiu de Selma à capital do estado de Montgomery, Alabama, e a aprovação da histórica Lei dos Direitos de Voto dos EUA de 1965.

A Revda. Sharon Austin, uma Metodista Unida, serviu anteriormente como pastora da Igreja Batista Ebenezer em Atlanta, onde ministrou com a família do falecido Rev. Martin Luther King Jr. e muitos veteranos da marcha de Selma. Esses veteranos incluíam o falecido Rep. John Lewis, que sofreu uma fratura no crânio depois que uma multidão atacou manifestantes que tentavam cruzar a ponte Edmund Pettus de Selma.

Austin disse que suas experiências ao se juntar a Lewis na Marcha Comemorativa de 1985 de Selma a Montgomery e testemunhar sua eleição para o Congresso, forneceram "um aviso eterno" de que ela não pode considerar o direito de voto garantido.

“Nas minhas duas décadas como anciã Metodista Unida, tive o privilégio e incentivo de aplicar este aprendizado, por meio de defesa e ação”, disse Austin, a diretora de Ministérios Conexionais e de Justiça da Associação da Flórida. “Sou grata às vozes da Conferência da Flórida por sua disposição de se envolver e falar inequivocamente sobre o mandato de votação.”

Na Conferência da Flórida, a Força-Tarefa do Bispo sobre o Antirracismo lançou um vídeo em 30 de setembro explicando por que as pessoas devem se registrar para votar e oferecendo dicas para garantir que as pessoas possam exercer seus direitos.

O reverendo Anil Singh, membro da força-tarefa e pastor da Igreja Metodista Unida Trinity em Jensen Beach, Flórida, disse que os americanos não podem permitir que uma pandemia os impeça de votar mais do que os tempos de guerra e conflito impediram as gerações anteriores de votar.

“Honestamente, podemos marchar através das pontes, podemos segurar cartazes, podemos entoar slogans, podemos postar memes nas redes sociais”, disse ele. “Mas se não aparecermos no dia da eleição, não teremos dito nada.”

Certificando-se de que você pode votar

A reverenda Stacey Cole Wilson, ministra executiva da Justiça e Serviço da Conferência de Baltimore-Washington, vê o trabalho de registro de eleitores como não partidário e bíblico.

“Honramos João 10:10 quando entendemos que Deus espera que tenhamos vida abundante; honramos Miquéias 6: 8 que fala sobre nossa obrigação bíblica e moral de sermos justos e garantir justiça para os outros, e honramos o capítulo 12 de Marcos, onde temos o maior mandamento de amar nosso próximo como a nós mesmos.”

Várias conferências Metodistas Unidas têm recursos para votar nos estados e jurisdições onde servem.

Eles incluem:

• A Conferência Baltimore-Washington
• A Conferência da Flórida
• A Conferência do Norte da Geórgia

Conferência do Missouri convida as pessoas a 30 dias de oração antes das eleições nos Estados Unidos.

A Associação Nacional de Secretários de Estado permite que você verifique se está registrado para votar.

Na Conferência Greater New Jersey, jovens de segundo grau e faculdade estão registrando eleitores enquanto distribuem alimentos aos necessitados. Donny Reyes, um membro de 17 anos da Igreja Metodista Unida de St. John em Bridgeton, New Jersey, teve a ideia.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

“Registrar membros da comunidade para votar durante a distribuição de alimentos é uma ótima maneira de garantir o sucesso de nosso sistema democrático”, disse Reyes a Heather Mistretta da Conferência Greater New Jersey.

McMurtrey, a pastora de Maryland, tornou-se juíza eleitoral por seis anos porque estava frustrada com o processo político e queria encontrar uma maneira de ajudar.

“É um longo dia (ou dias), mas há uma alegria interior em ver as pessoas participarem de nosso próprio governo”, disse ela.

“Não preciso concordar ou até mesmo gostar da opinião de outra pessoa para valorizar o direito dela, e o meu, de votar”.

 

 

 

*Hahn é uma repórter de notícias multimídia do Notícias Metodista Unida. Contate-a pelo telefone (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

 

 

 

Área Geral da Igreja
Mais de sete meses após o início da pandemia COVID-19, as perspectivas financeiras para conferências são decididamente místicas. Além da redução de doações, os tesouros da conferência afirmam que a situação não é terrível como parecia na primavera. Foto de Kathryn Price, Comunicações Metodistas Unidas. Gráfico de Laurens Glass, versão em português Rev. Gustavo Vasquez. Notícias MU.

Conferências perseveram sob pressão financeira

As conferências Metodistas Unidas estão oferecendo alívio às igrejas e encontrando maneiras de continuar a ministrar em meio às dificuldades causadas pela pandemia.
Missão
Rev. Boaventura Alfredo Mazive (o primeiro à esquerda), superintendente da Área de Maputo Cidade, na Liberdade, Província do Maputo. Mais de 15 igrejas reabriram em Maputo desde o fim do estado de emergência em Agosto, no entanto as medidas de segurança para protecção contra COVID-19 ainda devem ser observadas. Foto do arquivo, por João Sambo, UM News.

Métodos de biossegurança dão esperança para a reabertura de igrejas

No início de Agosto de 2020, quando o chefe de estado moçambicano anunciou a reabertura das escolas do ensino superior e os locais de cultos, muitos moçambicanos agradeceram a medida, porém conscientes de que os métodos de biossegurança são a esperança e o que garante a protecção do povo de Moçambique.
Missão
Bispo Scott Jones visita o aluno da 3ª série, Dondren Wilson, no primeiro dia do programa Santuários de Aprendizagem na Igreja Metodista Unida Trinity em Houston. O programa, iniciado pela Conferência do Texas da Igreja Metodista Unida, oferece um espaço seguro, acesso à Internet e outros recursos nas igrejas da área, permitindo que os pais retornem ao trabalho e seus filhos continuem seus estudos durante a pandemia COVID-19. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

As igrejas de Houston tornam-se santuários de aprendizagem para estudantes

O programa “Santuários da Aprendizagem” da Conferência Anual do Texas foi lançado em 8 de setembro para alunos que não precisavam mais ir à escola após as férias de verão.