Igreja no Quênia luta contra mutilação genital feminina

Other Manual Translations: English español

A Igreja Metodista Unida no Quênia está oferecendo acampamentos e aconselhamento para meninas, em um esforço para combater a mutilação genital feminina.

Embora contra a lei queniana, a mutilação genital feminina, também conhecida como corte genital feminino ou circuncisão feminina, continua desenfreada, especialmente em áreas rurais onde as meninas são forçadas a sofrer o corte ou remoção de parte ou de toda área externa das genitais femininas, como um ritual alternativo de passagem. Às vezes, as meninas também são pressionadas a se casar

No entanto, a Igreja Metodista Unida da Trindade, em Gilgil, criou uma nova maneira de permitir que as meninas se movam cerimoniosamente da infância para a vida adulta, sem sofrer o corte.

Em um acampamento anual para jovens organizado pelo Distrito Central da Conferência do Quênia, as meninas recebem certificados e presentes durante uma cerimônia especial de formatura.

O Rev. Josam Kariuki, superintendente do Distrito Central, disse que tem trabalhado com pastores e conselheiros locais para conversar com meninas sobre questões que afetam sua transição da infância para a vida adulta.

A mutilação genital feminina foi um dos tópicos do acampamento, que reuniu 350 jovens de 9 a 20 anos de idade, das quais mais de 200 eram meninas. Os participantes eram de igrejas do Distrito Central.

"Nós as treinamos para que elas ainda sejam mulheres o suficiente, mesmo sem o corte, e que ninguém as force a se submeter a esse ritual, quando crianças ou mesmo na idade adulta", diz Virginia Nyokabi, voluntária em saúde comunitária e membro da Igreja Metodista Unida Sogonoi, no Condado de Nakuru.

As meninas também foram ensinadas sobre as seções da lei queniana que tornam esse ritual ilegal.

Outros tópicos que as crianças aprenderam no acampamento incluem higiene, crescimento espiritual, feminilidade e masculinidade, autoconsciência e auto-estima.

O acampamento foi realizado em dezembro, noo feriado escolar mais longo do ano, quando as crianças ficam em casa por cerca de dois meses.

"Durante esse período, muitas crianças são influenciadas por seus pares e atraídas por vícios como sexo, abuso de drogas e alcoolismo", disse a Rev. Ruth Mwangi, da Igreja Metodista Unida de Ngorika.

Os pré-adolescentes e os adolescentes costumam sofrer mudanças em seus corpos, disse ela, e, portanto, precisam de orientação sobre como lidar com essas mudanças. Ela explicou que o campo Metodista Unido marca um cruzamento para as meninas, mas também as adverte contra práticas que podem arruinar suas vidas.

Girls and boys attend an annual youth camp at Trinity United Methodist Church in Gilgil, Kenya. Older girls at the camp are issued certificates and gifts during a special graduation ceremony to mark their move from childhood to adulthood. Photo by Faith Wanjiru, UM News.

Meninas e meninos participam de um acampamento anual de jovens na Igreja Metodista Unida Trinity, em Gilgil, Quênia. As meninas mais velhas do campo recebem certificados e presentes durante uma cerimônia especial de formatura para marcar sua mudança da infância para a idade adulta. Foto de Faith Wanjiru, Notícias MU.

O acampamento oferece uma oportunidade para nutrição e desenvolvimento espiritual. As crianças são treinadas para serem embaixadoras de Cristo e da igreja em casa, na escola e com seus colegas.

Os campistas aprendem sobre sexualidade, seu papel como homens, respeito por meninas e mulheres, e sobre como evitar a violência baseada em gênero e culturas retrógradas.

"Também trazemos especialistas que conversam com eles sobre saúde mental e a necessidade de estar ciente e controlar seus sentimentos", disse o Rev. Simon Kimani, da Igreja Metodista Unida Miti Mingi, no Condado de Narok.

Embora os meninos sofram a circuncisão como uma maneira de passar da infância para a vida adulta, eles ainda precisam de muita orientação em questões da vida e do cristianismo, disse Kimani.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

De acordo com o Rev. Stephen Maina, da Igreja Metodista Unida de Olkalou, no Condado de Nyandarua, muitos jovens confundem a circuncisão com a maturidade.

"A maioria dos meninos é circuncidada entre 12 e 14 anos, e a sociedade assume que eles estão prontos para enfrentar o mundo, sem necessariamente prepará-los para os desafios e oportunidades à frente", disse Maina.

Os jovens enfrentam um conjunto único de desafios, acrescentou, inclusive sendo alvo de mulheres mais velhas que os introduzem no sexo antes do casamento e, às vezes, em compromissos comerciais ilícitos.

Ele disse que os meninos são frequentemente rejeitados pela sociedade, especialmente se eles são de famílias pobres, têm um desempenho ruim na escola ou são criados por pais adotivos.

"Alguns dos jovens que frequentam este acampamento chegaram à igreja como último recurso, depois de desistirem de encontrar a paz em suas famílias", disse Maina.

No acampamento, os meninos são ensinados sobre os desafios que estão pela frente na vida adulta e como superá-los e tornar-se um cristão frutífero.

Embora o número de jovens que frequentam os acampamentos anuais tenha aumentado constantemente, Kariuki disse que ainda é necessário alcançar mais crianças, especialmente meninas.

"As meninas correm o risco de serem levadas (para mutilação genital feminina) ... Como igreja, estamos comprometidos em garantir que as direcionemos contra práticas culturais proibidas e as tornemos firmes na fé cristã", disse ele.

Kariuki disse que a igreja produziu um manual de treinamento, com assistência de pessoas da área médica, pastores e líderes locais, intitulado "Jornada à masculinidade e Jornada à feminilidade". Eles usam o livro durante os acampamentos da juventude, seminários e reuniões.

A Igreja Metodista Unida da Trinity, em parceria com a comunidade local, também administra uma escola secundária, onde são registradas as vítimas de mutilação genital feminina, e resgatadas da prática. Atualmente, a escola possui 250 meninas e 182 meninos, principalmente da comunidade Maasai.

A escola oferece abrigo, educação, assistência médica, roupas, aconselhamento e orientação para crianças carentes, disse Janet Komen, diretora da escola.

 

*Wanjiru é diretor de comunicações do Distrito Central / Narok da Conferência do Quênia na Etiópia.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina @umcom.org. Para ler mais notícias, ideias e inspiração dos Metodistas Unidos,  assine gratuitamente o UMCOMtigo.

Preocupações Sociais
O bispo John K. Yambasu preside uma sessão da conferência da Serra Leoa na cidade de Koidu, Serra Leoa. Os delegados endossaram um plano de separação amigável para a Igreja Metodista Unida e votaram em enviá-lo à Conferência Geral em maio. Foto de Kathy L. Gilbert, Notícias MU.

Conferência da Serra Leoa aprova protocolo

Na Conferência Anual da Serra Leoa, os membros votaram pela aprovação do Protocolo de Reconciliação e Graça através da Separação.
Área Geral da Igreja
O Rev. Jerry Kulah apresenta uma resolução pedindo mudanças no Protocolo de Reconciliação e Graça através da Separação durante a Conferência Anual da Libéria, em meados de fevereiro. A Africa Initiative (Iniciativa África), um grupo de defesa em que Kulah atua como coordenador geral, anunciou em 27 de fevereiro que está endossando a legislação do protocolo. Foto de arquivo de E Julu Swen, Notícias MU.

Grupo africano chave apoia Plano do Protocolo

A organização Metodista Unida "Africa Initiative" está solicitando algumas reformas no protocolo que são mais modestas do que as exigidas pela conferência na Libéria.
Missão
O dispositivo de ponto de acesso portátil "UMC Cyber ​​Campus Offline" fornece materiais educacionais digitalizados para áreas sem acesso à Internet. Foto do Rev. HiRho Park, Conselho Metodista Unido de Ensino Superior e Ministério.

Educar líderes da igreja sem acesso à Internet

Os líderes da Igreja Metodista Unida (IMU) em regiões remotas das Filipinas sem conexão à Internet agora podem acessar o material educacional da igreja