Faleceu o Bispo Emérito Federico Pagura

O falecimento foi anunciado hoje em nota da Igreja Metodista na Argentina. O Bispo Emérito estava com 93 anos, e havia adoecido no último final de semana.

Sua biografia foi publicada em 2012 com o selo do Conselho Latino Americano de Igrejas (CLAI). “Escrever sobre Federico Pagura foi uma experiência muito gratificante, uma tarefa absorvente, uma bela aventura espiritual”, disse o cubado Manuel Quintero Pérez, um dos autores, para Prensa Ecumênica na ocasião do lançamento da obra intitulada “Alvorada de Esperança – Vida e testemunho de um profeta latino-americano”. Leia mais sobre o material no site oficial da Universidade Metodista.

Pagura foi uma grande personalidade do ecumenismo Latino-americano e mundial, e também atuou nas Igrejas da Costa Rica e Panamá. Confira em seguida a nota da IM da Argentina na íntegra.

Lamentamos comunicar o falecimento do nosso irmão, o Bispo Emérito Federico Pagura.

Este fim de semana, o Bispo Emérito Federico José Natalio Pagura (93 anos) adoeceu na cidade de Rosário onde vivia. Nas redes sociais se multiplicaram os pedidos de oração por sua saúde. Hoje, no meio do dia, tomamos conhecimento de seu falecimento.

Pagura nasceu em 9 de fevereiro de 1923 em Arroyo Seco, Santa Fé (Argentina). Ele concluiu seu mestrado, e logo depois de ser licenciado em teologia, foi ordenado pastor da Igreja Evangélica Metodista na Argentina (IEMA), em 1950.

Realizou estudos de pós-graduação na Union Theological Seminary, de Nova York entre 1948 e 1949, e na Escola Teológica de Claremont, Califórnia. Ambas instituições ecumênicas o influenciaram no que Pagura chama de "sua afirmação e vocação ecumênica, que é característica de todo seu ministério".

Sua esposa Rita, com quem teve dois filhos, foi sua secretária e encarregada de relações públicas. Com pai Basco-Espanhol e mãe Valdense, acompanhou seu ministério e sua vida de tal modo, que Federico Pagura sempre falava no plural ao mencionar seu ministério: "Estávamos predestinados ao ecumenismo".

Exerceu seu ministério na Costa Rica e Panamá, e foi eleito Bispo, a máxima autoridade da IEMA, em 1977. Foi uma voz inestimável que denunciou e atuou contra a última ditadura militar no país, e um dos integrantes da comissão nacional que investigou os desaparecimentos de pessoas ocorridos durante a Ditadura. O movimento Ecumênico pelos Direitos Humanos da Argentina foi outro dos espaços onde exerceu seu compromisso.

Como Bispo, atuou durante doze anos. Já emérito, se estabeleceu em Rosário, onde o Conselho Deliberante o declarou cidadão ilustre. Um livro com o selo da CLAI reflete sua biografia.

Foi figura relevante do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), e do Conselho Latino-americano de Igrejas (CLAI). Pagura foi nomeado Doutor Honoris Causa pela Universidade de Toronto, Canadá, em humanidade, e pela Universidade de Paul, Indiana, em divindades. Recebeu também o Prêmio Mauricio López, pelo Conselho Nacional de Igrejas nos EUA em 1997.

* Este artigo foi publicado originalmente pelo Expositor Cristão. Para ver o documento original pressione aqui.

Concilio de Obispos
John Yambasu Jr. (izquierda) y otros dolientes llevan el ataúd con los restos del obispo de Sierra Leona, John K. Yambasu, quien fue sepultado el 6 de septiembre después de un servicio funeral en Freetown. El obispo murió en un accidente automovilístico el pasado 16 de agosto. Foto de Phileas Jusu, Noticias MU.

Arrestan al coductor envuelto en accidente faltal del Obispo Yambasu

El conductor de la camioneta que chocó y mató al obispo del área de Sierra Leona, John K. Yambasu, ha sido acusado de siete cargos, incluido el exceso de velocidad.
Entidades de la Iglesia
Familiares y amigos/as del Obispo John K. Yambasu, de izquierda a derecha: Elizabeth Yambasu, Emmanuel Yambasu, la viuda Millicent Yambasu y Alfred Lansana, llegan al lugar del sepelio en el campus de la Universidad Metodista Unida en Freetown, Sierra Leona. Foto de E Julu Swen, Noticias MU.

Obispo Yambasu recordado como constructor de puentes de entendimiento y fraternidad

El obispo del Área de Sierra Leona fue recordado como un constructor de puentes de unidad entre las personas dentro y fuera de la iglesia.
Temas Sociales
Jovita Idár alrededor de 1905. Formó su visión de la justicia cuando era niña y pasó su vida luchando por los derechos de su comunidad. Foto colección de fotografías generales y  especiales de bibliotecas de UTSA.

Educada en escuelas metodistas Jovita Idár promovió los derechos de las mujeres y los/as mexico-americanos/as

Jovita Idár fue educada en escuelas metodistas y recibió un certificado de maestra del Seminario de Laredo.