Denominação planificada recebe nome

Other Manual Translations: English français 한국어 español

Os tradicionalistas empenhados em deixar a Igreja Metodista Unida escolheram “Igreja Metodista Global” como o nome da denominação que pretendem lançar.

O grupo também revelou no dia 1º de Março um logotipo e um site. O trabalho para uma nova denominação é dirigido por um conselho de liderança de transição, que inclui alguns bispos Metodistas Unidos reformados.

“A missão principal da Igreja Metodista Global será fazer discípulos de Jesus Cristo que adorem apaixonadamente, amem extravagantemente e testemunhem com ousadia”, disse o Rev. Keith Boyette, presidente do conselho de liderança de transição.

Mas o início oficial e a organização legal da Igreja Metodista Global podem muito bem acontecer daqui a mais de um ano e meio de tempo.

O Rev. Keith Boyette discursa no resumo da Pré-Conferência Geral de 2020 em Nashville, Tennessee. Boyette é presidente do conselho de liderança de transição para a Igreja Metodista Global, uma denominação planificada para os tradicionalistas que planificam se separar da Igreja Metodista Unida. Foto de arquivo por Mike DuBose, Noticias da MU. 
O Rev. Keith Boyette discursa no resumo da Pré-Conferência Geral de 2020 em Nashville, Tennessee. Boyette é presidente do conselho de liderança de transição para a Igreja Metodista Global, uma denominação planificada para os tradicionalistas que planificam se separar da Igreja Metodista Unida. Foto de arquivo por Mike DuBose, Noticias da MU.

Boyette e outros líderes estão contando com a aprovação do Protocolo de Reconciliação e Graça através da Separação, um plano negociado por líderes centristas, progressistas e tradicionalistas Metodistas Unidos para encerrar o conflito de longa data da denominação sobre como aceitar ser homossexual.

O protocolo permitiria que igrejas tradicionalistas e até conferências anuais votassem para sair e formar outra denominação, com $ 25 milhões para começar.

No entanto, o protocolo requer a aprovação da Conferência Geral, a assembleia legislativa global da Igreja Metodista Unida.

A Conferência Geral de 2020 foi adiada por um ano por causa da pandemia COVID-19 e foi adiada novamente - até 29 de Agosto-06 de Setembro de 2022 - porque a emergência de saúde pública continua.

Uma Conferência Geral virtual especial de um dia foi convocada pelo Conselho dos Bispos para 8 de Maio, mas é apenas para lidar com 12 itens legislativos cuja aprovação ajudará a denominação a continuar administrativamente até que uma Conferência Geral completa possa ter lugar.

O protocolo não está na agenda limitada para 8 de Maio.

“Estamos procedendo de acordo com o plano, que consiste em formar e operacionalizar legalmente a Igreja Metodista Global após a adopção da legislação de implementação do protocolo”, disse Boyette por telefone.

Ele acrescentou que se, nesse período, houver redução do apoio ao protocolo entre aqueles que o negociaram, a Igreja Metodista Global irá considerar a possibilidade de um lançamento oficial.

Boyette disse que não viu tal hesitação. Ele observou que a Rede de Ministérios de Reconciliação - que defende a inclusão total de pessoas LGBTQ na Igreja Metodista Unida, e cujo director executivo, Jan Lawrence, estava na equipe de negociação do protocolo - reiterou o apoio ao protocolo numa declaração recente.

A declaração da RMN também expressou apoio a Aliança de Natal, um plano de reestruturação da Igreja Metodista Unida que permite mais formulação de políticas regionais.

Durante décadas, a Igreja Metodista Unida enfrentou conflitos sobre casamentos do mesmo sexo e a ordenação de clérigos homossexuais “praticantes declarados”. A lei da igreja proíbe ambas as práticas, mas tem havido desafio generalizado em igrejas e conferências nos EUA e na Europa Ocidental.

Igreja Metodista Global

O novo site da denominação em andamento inclui uma secção de perguntas frequentes, uma declaração de missão e o “Livro de Transição de Doutrinas e Disciplina”.

Clique aqui para ir ao site.

A Conferência Geral especial de 2019 em St. Louis viu um grande esforço para aprovar legislação permitindo mais controle da igreja local sobre a inclusão de LGBTQ, mas os delegados reforçaram as actuais proibições numa reunião cujos níveis de conflito, protesto e emoção atraíram cobertura da imprensa nacional.

Os tradicionalistas há muito sustentam que a divisão da sexualidade da denominação não pode ser superada.

A Associação da Aliança Wesleyana, liderada por Boyette, criada em 2016 já tem planificado uma nova denominação.

Boyette disse que a WCA continuará a existir, embora a Igreja Metodista Global tenha um nome, logotipo e conselho de liderança de transição.

“Eu sempre descrevi (a WCA) como uma parteira que faz nascer uma nova denominação. Continuaremos a seguir esse objectivo ”, disse Boyette. “Nossa expectativa é que uma vez a Igreja Metodista Global esteja funcionando e tenha sua conferência convocada, a Associação da Aliança Wesleyana terá cumprido sua missão.”

O nome "Igreja Metodista Global" está no espírito da declaração do fundador do Metodismo, João Wesley, "O mundo é a minha paróquia", disse um comunicado à imprensa.

O logotipo reúne círculos que representam a Trindade, com a cruz no centro.

“Como um todo, o logotipo comunica o envio de Deus da igreja ao mundo”, disse o comunicado à imprensa. “A cor azul celeste nos lembra que, embora os Metodistas Globais vivam em todo o mundo, eles estão unidos na grande criação de Deus.”

O conselho de liderança de transição inclui os bispos aposentados Lindsey Davis e Robert Hayes dos EUA, e o bispo aposentado John Innis, que liderou a Conferência da Libéria.

“Estou convencido de que a Igreja Metodista Global será uma expressão vibrante e vital do Metodismo em termos de ensino e ética”, disse Hayes num comunicado à imprensa.

O Bispo John Innis da Libéria falaa na Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Innis, que se aposentou em 2016, servirá no conselho de liderança de transição para a Igreja Metodista Global. Foto de arquivo por Mike DuBose, Noticias da MU. 
O Bispo John Innis da Libéria falaa na Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Innis, que se aposentou em 2016, servirá no conselho de liderança de transição para a Igreja Metodista Global. Foto de arquivo por Mike DuBose, Noticias da MU.

O Rev. Philippe Adjobi, superintendente distrital na Conferência da Costa do Marfim, e o Rev. Andrei Kim, superintendente distrital na Conferência Noroeste da Rússia e Bielo-Rússia, estão entre os outros membros.

“Acredito que a Igreja Metodista Global atenderá às expectativas e aspirações das igrejas locais em toda a África”, disse Adjobi acerca dos materiais fornecidos pelo grupo tradicionalista.

Mas alguns Metodistas Unidos na África opõem-se fortemente à dissolução da Igreja Metodista Unida, e uma variedade de vozes continua a ecoar sobre o futuro da denominação.

Boyette disse que grupos de defesa tradicionalistas na Igreja Metodista Unida, incluindo a Good News, enviaram candidatos para o conselho de transição.

Outro grupo de líderes tradicionais se reuniu em Atlanta há cerca de um ano para lançar uma visão para a nova denominação, e o grupo recentemente se reuniu virtualmente, pedindo a aprovação do protocolo o mais rápido possível.

Esse grupo inclui bispos activos, mas Boyette disse que "não pode falar por eles" sobre se eles iriam deixar a Igreja Metodista Unida e passarem para a Igreja Metodista Global.

Nem estimaria Boyette quantas igrejas farão parte da Igreja Metodista Global no seu lançamento.

O grupo tem um “Livro de Transição de Doutrinas e Disciplina”, disponível em inglês, francês, coreano, português e espanhol, mas vários detalhes organizacionais e operacionais ainda precisam ser resolvidos.

“Fiéis às nossas raízes, somos um povo paciente e metódico”, disse Boyette.

No final do ano passado, um grupo de Metodistas Unidos progressistas lançou uma nova denominação chamada Conexão Metodista de Libertação, ou LMX.

Hodges é redactor das Noticias Metodistas Unidas em Dallas.

Contacte-lhe através do 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, subscreva para os resumos diários ou semanais gratuitos.  

Igreja Local
O Rev. Derek Kubilus serve como pastor da Igreja Metodista Unida Uniontown em Uniontown, Ohio, embora “vigário” seja seu título preferido. No início deste ano, ele estreou "Cross Over Q", um podcast que oferece uma resposta cristã ao movimento de conspiração QAnon. Foto de Brian Koch.

Clérigo enfrenta QAnon por meio de podcast

A mensagem de Kubilus é que QAnon é uma mentira, mas também uma força perniciosa que a igreja precisa enfrentar.
Teologia
Um grupo diverso de líderes metodistas teologicamente conservadores de todo o mundo que se reuniram em março de 2020 emitiu uma declaração em apoio à Graça de Separação e Protocolo de Reconciliação. Ilustração cedida pela Asociação Pacto Wesleyano, versão em português do Rev. Gustavo Vasquez.

Coalizão de líderes tradicionais pede decisão sobre o protocolo o mais cedo possível

A declaração reitera a intenção do grupo de formar um movimento Wesleyano global com uma base teológica conservadora que defende os valores tradicionais.
Sexualidade humana
O Comitê Executivo da Igreja Metodista Unida na Alemanha concordou em se tornar mais aberto e inclusivo em questões relacionadas à sexualidade humana durante uma videoconferência de 20 a 21 de novembro. A decisão busca preservar a unidade por meio de uma perspectiva de convivência respeitosa como caminho a seguir. Foto de Klaus Ulrich Ruof, Comunicações Metodista Unida Alemanha.

Noruega e Alemanha se movem para mais inclusão

O principal comitê da Igreja alemã concorda em ser mais aberto nas questões da sexualidade humana, enquanto a Conferência Norueguesa planeja emitir um pedido público de desculpas às pessoas LGBTQ.