Conferência e distrito pedem à Nebraska maior proteção contra coronavírus para fábricas de embalagem

Other Manual Translations: español

A Conferência Great Plains e o Distrito Gateway estão entre as 25 organizações que pedem maior proteção ao coronavírus para os trabalhadores das fábricas de carne e aves de Nebraska. 

"Vimos mais de três meses de ação lenta e insuficiente das fábricas de carnes e aves para instituir proativamente as proteções de segurança COVID-19", diz a carta, datada de 23 de julho. "Como os casos continuam aumentando, não podemos nos dar ao luxo de navegar nos próximos seis meses sem proteções claras".

A carta, creditada ao Heartland Worker Center, uma organização de direitos dos trabalhadores de Omaha, e o Nebraska Appleseed, um grupo de igualdade racial de Lincoln, afirma que mais de 4.700 funcionários da fábrica de embalagens ficaram doentes, mais de 200 hospitalizados e pelo menos 19 morreram. Também afirma que 60% dos casos do COVID-19 envolvem hispânicos, quando representam apenas 11% da população do estado. 

A Revda. Cindy Karges, superintendente dos distritos de Gateway e Great West, disse que tomou conhecimento da carta pela Revda. Anne Gahn, pastora de Igreja Metodista Unida Lexington, cuja cidade abriga duas fábricas. 

"Só é preciso fazer mais, porque as pessoas são realmente vulneráveis", disse Karges. "Eles precisam de proteção para seu próprio benefício, bem como para a comunidade." 

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

A carta solicita ao Legislativo de Nebraska que imponha proteções, incluindo um distanciamento constante de 1,5 metro entre os trabalhadores na área de processamento; benefícios, incluindo licença médica paga; e práticas eficazes de triagem e quarentena. 

Andrea Paret, coordenadora da Conferência de Paz com a Justiça, disse que tem trabalhado com várias organizações para reforçar as condições. 

"Temos tentado trabalhar com o governador (Pete) Ricketts, porque em todas as fábricas de embalagem de carne e aves, não houve proteções consistentes", disse ela. 

Paret disse que a fábrica de empacotamento de carne no condado de Dakota, onde ela mora, só disponibilizou máscaras faciais para os trabalhadores em meados e no final de abril. 

Os trabalhadores, disse ela, têm medo de reclamar com a gerência porque temem que isso resulte na perda de seus empregos. 

"Não é contra o setor de frigoríficos porque eles fazem muito bem para muitas comunidades em que estão", disse Paret. "Há pessoas trabalhando lá há décadas e elas precisam de proteção." 

Ela disse que, embora as condições em algumas fábricas tenham melhorado, uma distância de 1,5 metros não pode ser mantida em áreas como banheiros e vestiários. 

O reverendo Mike Evans, pastor da Igreja Metodista Unida Gibbon Faith, disse que a fábrica de embalagem de carne tem respondido à necessidade de mudanças. 

"A fábrica local aqui tem sido bastante proativa na tentativa de fazer o que pode por aspectos de segurança", disse Evans, que é amigo de vários gerentes. "Sempre há preocupação, é claro, por causa dos trimestres em que trabalham, mas eles realmente contrataram pessoas para aconselhar sobre diferentes maneiras de melhorar a segurança em meio a isso". 

Paret e Karges disseram que defender os trabalhadores é uma tradição de longa data da Igreja Metodista Unida e de suas denominações predecessoras. 

"Faz parte da nossa história", disse Paret. “(John) Wesley sempre esteve tão preocupado com as condições de trabalho. Você pensa no credo social de 1908, é tudo sobre segurança e proteção do trabalhador. É algo que tem estado muito próximo do nosso coração como metodistas."

"Em nossa herança metodista unida, estamos do lado dos fracos e vulneráveis", acrescentou. "E esses são os trabalhadores." 

Karges acrescentou: "Realmente é quem somos como Metodistas Unidos, ser um defensor das pessoas". 

*Entre em contato com David Burke, especialista em conteúdo de comunicações, em [email protected] .

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]
Missão
Bispo Scott Jones visita o aluno da 3ª série, Dondren Wilson, no primeiro dia do programa Santuários de Aprendizagem na Igreja Metodista Unida Trinity em Houston. O programa, iniciado pela Conferência do Texas da Igreja Metodista Unida, oferece um espaço seguro, acesso à Internet e outros recursos nas igrejas da área, permitindo que os pais retornem ao trabalho e seus filhos continuem seus estudos durante a pandemia COVID-19. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

As igrejas de Houston tornam-se santuários de aprendizagem para estudantes

O programa “Santuários da Aprendizagem” da Conferência Anual do Texas foi lançado em 8 de setembro para alunos que não precisavam mais ir à escola após as férias de verão.
Missão
Incêndios florestais queimam durante uma noite de meados de agosto perto de Susanville, Califórnia. Uma série de incêndios florestais destruiu mais de 30.000 acres de terra ao redor de Susanville. Foto de Doug Magill, Exército dos EUA.

Incêndios e coronavírus complicam a ajuda humanitária no Ocidente

Depois de um furacão ou tornado, equipes de ajuda humanitária e voluntários da igreja freqüentemente entram em ação. Tal resposta não foi possível diante do grande número de incêndios florestais.
Human Rights
Membros e apoiadores da Coalition of Immokalee (Fla.) Workers (Aliança dos Trabalhadores de Immokalee, Flórida) oram em Nashville, Tennessee, na conclusão de um protesto contra a recusa da rede de supermercados Publix em aderir a um programa de direitos trabalhistas dos trabalhadores agrícolas. O Livro de Resoluções da Igreja Metodista Unida exige que os empregadores "tratem os trabalhadores agrícolas e suas famílias com dignidade e respeito". Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

A Questão Metodista: A Igreja Metodista Unida apoia os direitos dos trabalhadores?

A Igreja Metodista Unida, através dos seus Princípios Sociais, reconhece e apoia o direito dos trabalhadores de se organizarem em sindicatos.