Delegados pedem adiamento da Conferência Geral

Other Manual Translations: English 한국어 Español

Pontos chave:

  • Uma carta assinada por 170 delegados da Conferência Geral – incluindo 32 na África – insta os organizadores a adiar a assembleia legislativa para 2024.
  • A carta também pede uma investigação de uma iniciativa de vacina lançada pela Wesleyan Covenant Association (Associação do Pacto Wesleyano).
  • Enquanto isso, um grupo de advocacia africano que trabalha com a WCA está pedindo que a Conferência Geral avance este ano.

Apontando para as preocupações contínuas em torno do COVID-19, um grupo de delegados da Conferência Geral está pedindo um terceiro adiamento da principal assembleia legislativa da denominação – desta vez para 2024.

“Pedimos fortemente à Comissão da Conferência Geral que adie a Conferência Geral até 2024, quando parece mais provável que possamos garantir adequadamente a saúde, segurança e participação de todos os participantes”, disse uma carta à comissão assinada por 170 delegados de todo o globo.

A carta também expressou preocupação com a iniciativa de um grupo de defesa de cobrir as viagens de alguns delegados para receber vacinas.

Em janeiro, a Wesleyan Covenant Association (Associação do Pacto Wesleyano) anunciou que estava trabalhando com outros grupos teologicamente conservadores para pagar aos delegados da Conferência Geral na África, Eurásia e Filipinas os custos de viagem para obter suas vacinas.

A WCA argumenta que alguns delegados precisam de assistência financeira para chegar às cidades onde os governos estão distribuindo vacinas gratuitamente. Viajantes internacionais para os EUA são obrigados a ter comprovante de vacinação.

No entanto, a carta dos delegados instou a comissão da Conferência Geral a nomear uma força-tarefa “para investigar os esforços da WCA para exercer influência indevida, oferecendo pagamentos diretos em dinheiro aos delegados da Conferência Geral fora dos EUA”.

Enquanto isso, a Africa Initiative (Iniciativa da África) – um grupo de defesa de líderes da igreja africana alinhados com a WCA – divulgou uma declaração pedindo que a Conferência Geral avance.

“Mais atrasos nesta reunião global fariam muito mal a progressistas e conservadores que estão profundamente convencidos de seguir em frente para exercer o ministério como o conhecem e o entendem com base em suas convicções”, disse o grupo. Dezenove líderes da Iniciativa África, muitos dos quais são delegados, assinaram a declaração.

Mais de 30 delegados da Conferência Geral da África assinaram a carta pedindo adiamento. Outro grupo de defesa africano, o Africa Voice of Unity (Vozes da África para Unidade), também enviou uma declaração à comissão da Conferência Geral pedindo adiamento e observando que os delegados estão tendo problemas para obter vistos. 

A comissão recebeu a correspondência, pois considera se a principal reunião legislativa da Igreja Metodista Unida - já duas vezes adiada pela pandemia do COVID-19 - pode prosseguir conforme agendado para acontecer de 29 de agosto 6 de setembro em Mineápolis. A comissão se reúne em 24 de fevereiro e planeja tomar uma decisão até o final de março.

O principal entre os critérios da comissão para avançar é que um limite razoável de delegados de todo o mundo possa participar. A comissão identificou anteriormente barreiras para realizar o encontro online.

A próxima Conferência Geral tem 862 delegados votantes – 55,9% dos EUA, 32% da África, 6% das Filipinas, 4,6% da Europa e o restante de igrejas concordatas que têm laços estreitos com a Igreja Metodista Unida.

A carta dos delegados pede à comissão que tome sua decisão “o mais rápido possível para dar aos delegados, bispos e funcionários denominacionais tempo suficiente para fazer preparativos e planos …”

Muitos esperam que esta Conferência Geral seja crucial. Após décadas de intenso debate sobre o status das pessoas LGBTQ na igreja, a próxima Conferência Geral enfrenta várias propostas para dividir a denominação em linhas teológicas.

O mais endossado deles é o Protocolo de Reconciliação e Graça por Separação. Se adotado, o protocolo permitiria que igrejas e conferências anuais que apoiam restrições ao casamento gay e ordenação, saíssem com propriedades da igreja e US $ 25 milhões em fundos Metodistas Unidos para formar uma nova denominação. A WCA está liderando a formação dessa nova denominação, a Igreja Metodista Global.

Com tanto em jogo, a próxima Conferência Geral precisa ter integridade, disse o Rev. Jeffrey Kuan. Ele é um dos signatários da carta e um delegado veterano da Conferência California-Nevada da denominação.

“Se não pudermos ter um número significativo de delegados das conferências centrais, esta será uma Conferência Geral comprometida, seja qual for o resultado”, disse ele.

As conferências centrais são regiões da igreja na África, Europa e Filipinas. A carta observa que muitos delegados dessas regiões podem não conseguir vistos a tempo de participar da Conferência Geral devido a atrasos relacionados ao COVID.

De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, o tempo de espera atual para uma consulta de visto é de 850 dias em Abuja, Nigéria; 448 dias em Kinshasa, República Democrática do Congo; 370 dias em Manila, Filipinas; e 250 dias em Abidjan, Costa do Marfim.

Também não está claro o que a invasão da Ucrânia pela Rússia significará para as viagens. A embaixada dos EUA em Moscou está concedendo vistos apenas em caráter de emergência, e a embaixada em Kiev, na Ucrânia, está fechada. A Conferência Geral tem delegados da Rússia e da Conferência Ucrânia-Moldávia.

Dos signatários da carta, 43 vivem em conferências centrais Metodistas Unidas. Os outros signatários vêm de todo os EUA.

A Revda. Betty Kazadi Musau, uma delegada veterana da Conferência de Katanga do Norte no Congo, é um dos 32 signatários que vivem na África. Ela também é uma dos 19 signatários da declaração da Voz da Unidade da África. 

Ela normalmente viaja para a embaixada dos EUA em Lusaka, Zâmbia, para obter um visto. Kazadi disse que tentou garantir uma data de entrevista, mas nenhuma está disponível pelo menos até abril. Mesmo com hora marcada, disse ela, a viagem pode levar três ou quatro dias para chegar à embaixada e mais alguns dias após a entrevista para obter o visto. Ela acrescentou que os testes COVID-19 são necessários para viajar entre as regiões.

Embora ela não veja necessidade de uma força-tarefa para investigar a WCA, ela concorda com a carta de que a associação está agindo de forma inadequada ao enviar fundos aos delegados.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

“É uma maneira de criar desordem dentro de uma respectiva conferência anual”, disse ela. “E tal atitude não é aceitável. Não é uma maneira apropriada de fazer lobby para que a agenda seja aprovada”.

Ela disse que a Conferência do Norte Katanga realizou treinamento para mobilizar as pessoas para serem vacinadas. “Este é o trabalho da igreja.”

Dave Nuckols, um dos signatários da carta e co-chefe da delegação da Conferência de Minnesota, apoia a formação de uma força-tarefa para investigar o esforço de vacina da WCA. Ele critica especialmente o grupo de defesa que continua o esforço, apesar dos alarmes levantados pelos bispos Metodistas Unidos e por alguns líderes da comissão da Conferência Geral.

Nuckols disse que o esforço da WCA “prejudicou tanto (1) a integridade legislativa percebida do órgão da Conferência Geral quanto (2) a atual prioridade missional da UMC para combater a hesitação e a desconfiança nas vacinas”.

Ele é membro da Mesa Conexional, um órgão de liderança denominacional que, ao lado do Conselho Metodista Unido de Bispos, está trabalhando para promover a equidade global na distribuição de vacinas.

A Igreja Metodista Unida também tem o Love Beyond Borders (Amor para além das fronteiras) Advance, um fundo designado que ajuda a adquirir e fornecer vacinas em todo o mundo.

A WCA, por sua vez, insiste que a Conferência Geral pode avançar, e seu esforço de vacina é parte disso.

Em um ensaio de 11 de fevereiro intitulado “Where There’s a Will There’s a Way” (Onde há vontade, há um caminho), o Rev. Keith Boyette escreveu que a WCA e seus parceiros têm o prazer de informar que mais da metade dos delegados no Congo, Tanzânia e Zâmbia já estão vacinados.

“Antecipamos que os delegados restantes que optarem por ser vacinados terão completado seu regime de vacinas até o final de fevereiro”, escreveu Boyette, presidente da WCA. “Mais de US$ 119.000 foram generosamente doados à Iniciativa de Acesso à Vacinação.”

A declaração da Iniciativa para a África que defende a Conferência Geral deste ano diz que o grupo tentou entrevistar 286 delegados eleitos da África. O grupo disse que estima que apenas 10% não estão vacinados e que o restante pode receber as vacinas necessárias antes de maio. A iniciativa também diz que os agendamentos para vistos começaram a se abrir.

Nuckols e outros signatários de cartas reconheceram que a comissão da Conferência Geral enfrenta muitos desafios no planejamento desta reunião de definição da igreja durante uma pandemia. 

“Os membros da comissão estão em uma posição difícil e solitária, por isso estou feliz por podermos apoiá-los na tomada da melhor e oportuna decisão”, disse Nuckols.

Os signatários da carta também reconheceram que, após décadas de debate na igreja, muitos delegados estão ansiosos para seguir em frente com uma separação formal.

Molly McEntire, uma signatária de cartas da Conferência da Flórida, disse que sabe que os membros da comissão estão enfrentando muita pressão para realizar a Conferência Geral em 2022.

“Eu adoraria ter a Conferência Geral”, disse ela. “Mas, nos últimos dois anos, tenho pensado em como posso proteger e cuidar de meus vizinhos.”

Ela disse que esses vizinhos incluem delegados de quatro continentes.

“Acho que temos que ouvir a Deus para descobrir uma maneira de podermos ter plena participação presencial de todas as pessoas ao redor do mundo.”

 

*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU. Entre em contato com ela em (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected].

Faith Sharing
Kayla Alexander (à esquerda), que frequentou a Primeira Igreja Metodista Unida de Baton Rouge quando criança, frequentou a igreja virtualmente enquanto sua família estava trancada por causa do COVID-19 na Austrália, onde agora moram. Alexander e Jamie (à direita dela) trouxeram seu terceiro filho Brady Alexander para Louisiana para ser batizado pelo Rev. Brady Whitton na Primeira Igreja Metodista Unida. Foto cortesia de Kayla Alexander.

Igreja virtual continuará após o COVID-19

Realizar a igreja na internet não vai desaparecer mesmo que o COVID-19 desapareça, de acordo com um pastor Metodista Unido em Louisiana.
Conselho Judicial
Os bispos metodistas unidos processam o culto de abertura da Conferência Geral especial de 2019 em St. Louis. O Conselho Judicial, o principal tribunal da Igreja Metodista Unida, divulgou um memorando que esclarece uma decisão anterior sobre as eleições de bispos. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Tribunal da Igreja modifica decisão sobre eleições de bispos

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida estabeleceu o dia 1º de janeiro de 2023 como a data em que os bispos dos EUA que enfrentam a aposentadoria compulsória devem deixar o cargo, e seus sucessores recém-eleitos tomarem posse.
Conselho Judicial
A Decisão 1444 do Conselho Judicial divulgou em 10 de maio regras sobre a conferência anual dos EUA não poder se separar da Igreja Metodista Unida sob a lei atual da igreja. A decisão e outras decisões recentes do tribunal superior da Igreja Metodista Unida estão afetando a atual temporada da conferência anual. Gráfico por Laurens Glass, Notícias MU.

Decisões recentes moldam a temporada da conferência anual

À medida que a temporada da conferência anual dos EUA começa, os órgãos regionais da igreja lidam com decisões do principal tribunal da Igreja Metodista Unida sobre desfiliações.