Igreja começa a contar membros não binários

Other Manual Translations: English 한국어 español

Pontos chave:

 •  O conselho da agência de finanças da Igreja Metodista Unida aprovou a adição do termo “não binário” ao lado de “masculino” e “feminino” nos formulários estatísticos da igreja.
 •  A mudança afeta apenas as congregações dos EUA.
 •  A votação do conselho não foi unânime.


As congregações Metodistas Unidas nos Estados Unidos em breve terão uma nova maneira de discriminar o gênero de seus membros.

Por votação verbal em 25 de junho, o Conselho Geral de Finanças e Administração aprovou a revisão dos formulários estatísticos da igreja local para incluir "não binários" ao lado das categorias de "masculino" e "feminino".

A mudança entrará em vigor com os formulários para o ano de coleta de 2021 e afetará apenas a coleta de dados da denominação nos EUA.

“Atualmente, coletamos apenas estatísticas da igreja local nos Estados Unidos”, explicou Rick King, o diretor financeiro da agência.

O GCFA também planeja pedir às conferências anuais dos EUA - órgãos governantes regionais da igreja - que incluam o número de clérigos não binários em seus registros de Negócios da Conferência Anual. A agência de finanças espera enviar informações sobre essas adições aos coletores de dados da igreja em julho.

Os dados do GCFA incluem informações totais - não nomes de indivíduos.

“Não binário” é um termo comumente usado para pessoas cuja identidade de gênero está fora do binário homem-mulher. Um estudo publicado este mês pelo Instituto Williams na Faculdade de Direito UCLA descobriu que cerca de 11% dos adultos LGBTQ, com idades entre 18 e 60 anos, se identificam como não binários. Isso se traduz em cerca de 1,2 milhão de adultos nos Estados Unidos.

Os actuais formulários estatísticos da Metodista Unida pedem aos pastores que calculem o número de membros femininos e masculinos e, em seguida, deem um total de membros para os dois. No entanto, essas categorias de gênero deixaram alguns membros se sentindo excluídos.

O conselho fez a mudança depois de ouvir os tesoureiros da conferência anual dos EUA que têm a responsabilidade de coletar dados de membros das igrejas locais. 

“Estamos tendo problemas para relatar pessoas com pastores ligando para nosso escritório e dizendo: 'O que eu faço aqui?'” disse Christine Dodson, tesoureira da Associação da Carolina do Norte e vice-presidente do conselho do GCFA.  

“Francamente, tive um pastor que me disse: 'Não vou forçar uma pessoa a escolher um ou outro quando me disserem como se identificam.'”

Sharon Dean, chefe de comunicações do GCFA, disse que a agência recebe pedidos de informação de vários grupos Metodistas Unidos sobre a distribuição do gênero.

“Também ouvimos sobre a conexão que algumas conferências anuais e algumas outras organizações já estão usando uma terceira opção”, disse Dean. “E para ser consistente com as solicitações recebidas, podemos incluir essa seleção adicional.”

Dos 18 membros do conselho do GCFA presentes, apenas um membro do conselho votou não à mudança.

“Agradeço o reconhecimento de todo o povo de Deus, mas também sou cauteloso por estarmos tomando uma decisão que parece afetar menos da metade de nosso grupo constituinte global”, disse o reverendo Steve Wood, que também é pastor chefe da Igreja Metodista Unida Mount Pisgah em Johns Creek, Geórgia.

“Só estou me perguntando se estamos criando mais angústia do que criando benefícios, então tenho que falar contra isso.”

Per-Endre Bjørnevik, membro do conselho da Noruega, é presidente do Comitê Conexional de Extensão que recomendou a revisão. Ele, assim como membros do conselho da Costa do Marfim e das Filipinas, votaram a favor da mudança.

A revisão da forma estatística ocorre no momento em que a Igreja Metodista Unida enfrenta uma possível divisão após décadas de intensificação do debate sobre os casamentos entre pessoas do mesmo sexo e a ordenação de clérigos homossexuais “auto-declarados praticantes”.

O Livro da Disciplina, o livro de políticas da denominação, diz que todas as pessoas têm um valor sagrado, mas afirma que "a prática da homossexualidade" é "incompatível com o ensino cristão".

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

No entanto, a equipe do GCFA confirmou que adicionar "não binários" aos formulários não entra em conflito com nenhum parágrafo da Disciplina. Os membros do conselho também concluíram que a mudança não está em conflito com nenhuma legislação relacionada à sexualidade que se encaminha para a Conferência Geral atrasada pela pandemia, agora marcada para 2022.

A Disciplina não toma posição sobre a ordenação de pessoas não binárias ou transgêneros. Em 2019, o Rev. M Barclay tornou-se a primeira “pessoa trans não binária” abertamente a ser ordenado diácono Metodista Unido, de acordo com a Rede de Ministérios de Reconciliação. A rede defende a inclusão total das pessoas LGBTQ na vida da igreja.

“Embora seja necessária uma mudança muito mais substancial nas políticas e práticas para que a UMC seja uma força positiva na vida das pessoas queer e / ou trans, eu celebro o esforço daqueles que se esforçam para honrar a existência de pessoas não binárias em suas comunidades”, disse Barclay por e-mail. “Vidas dependem dessa semente de mudança sendo nutrida em todos os contextos.”

A identidade não binária ainda é um conceito novo para muitas pessoas, reconheceu a bispa da Conferência Califórnia-Nevada, Minerva G. Carcaño. No espírito de aprender juntos, ela sugeriu adicionar uma definição comum do que significa não binário para formas estatísticas.

“Eu sei que tem sido uma jornada de aprendizado para mim”, disse ela.

Dean disse que trabalharia com o departamento de serviços de dados da agência para adicionar a definição.

Dean e outros alertaram que sempre que ocorre uma mudança de forma, os líderes da igreja demoram um pouco para enviar dados adicionais.

Ken Ow, membro do conselho da Conferência de Baltimore-Washington, também advertiu que os pastores não devem tentar adivinhar como as pessoas se identificam ao relatar os dados da igreja local.

Os membros da diretoria falaram amplamente com apoio à mudança.

“Acho que isso reflete que a igreja está ciente de que é uma realidade”, disse a Revda. Sandra Olewine, que começa em 1º de julho como superintendente distrital na Conferência Califórnia-Pacífico. “E é uma maneira de a igreja, mesmo em suas formas, começar a reconhecer mais da plenitude de quem somos como seres humanos.”

 

*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU. Contate-a em (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
Enquanto os organizadores da Conferência Geral Metodista Unida olham para a possibilidade de uma sessão presencial em 2022, a nova variante apresenta novos desafios. Cortesia da imagem do coronavírus do Centers for Disease Control and Prevention (Centro para Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA. Gráfico por Laurens Glass, Notícias MU.

Vírus atormenta Planejamento da Conferência Geral

Após dois adiamentos, os organizadores continuam a trabalhar para realizar a Assembleia Legislativa Metodista Unida no próximo ano. No entanto, a variante delta apresenta novos desafios.
Área Geral da Igreja
O coro da Igreja Metodista Unida Red Mountain em Mesa, Arizona, canta "Jesus no Centro" durante o culto de abertura da sessão especial online da Jurisdição Ocidental em 17 de julho. Tanto a Jurisdição Ocidental quanto a Jurisdição Sudeste realizaram sessões especiais recentemente e respondem a questões que afetam o futuro da igreja. Captura de tela cortesia da Jurisdição Ocidental via Zoom da Notícias MU.

2 jurisdições planejam para o futuro da igreja

A Jurisdição Metodista Unida do Sudeste aprovou a adesão de duas conferências anuais, e a Jurisdição Ocidental discutiu o papel dos bispos.
Missão
“Os Ministérios de Discipulado são gratos por servir a Igreja Metodista Unida, oferecendo apoio às igrejas locais étnicas e outras entidades que desenvolvem discípulos e promovem a reconciliação racial”, disse Naomi Hope Annandale, diretora de pesquisa e avaliação estratégica dos Ministérios de Discipulado. Foto cortesia da Conferência Anual da Carolina do Sul.

Subsídios disponíveis para Ministérios Raciais e Étnicos da igreja local

O prazo de inscrição para subsídios Racial Ethnic Local Church Concerns (RELCC) é 1º de setembro.