Bispos e delegados chamados para o foco da missão

Other Manual Translations: English español
United Methodist Bishop Cynthia Fierro Harvey gives the presidential address during an online meeting of the denomination’s Council of Bishops. Harvey challenged both bishops and General Conference delegates to focus on shared mission, not frustrations. UM News screenshot via Zoom.

A Bispa Metodista Unida Cynthia Fierro Harvey dá o discurso presidencial durante uma reunião online do Conselho de Bispos da denominação. Harvey desafiou tanto os bispos quanto os delegados da Conferência Geral a se concentrarem na missão compartilhada, não nas frustrações. Captura de tela do Notícias MU via Zoom.

Face a uma potencial divisão denominacional colocada em espera pela pandemia, muitos Metodistas Unidos sentem-se emperrados.

Isso não parou as disputas acaloradas sobre a vida da igreja entre os Metodistas Unidos, especialmente nos canais de mídia social.

Em seu segundo discurso público como presidente do Conselho dos Bispos, a Bispa Cynthia Fierro Harvey encorajou os líderes da igreja a usar este tempo de espera para se concentrar na missão externa da igreja - não em sua turbulência interna.

“Precisamos parar de mexer nos potes e criar nosso próprio caos”, disse Harvey, que também lidera a Conferência da Louisiana. “Temos o poder dentro de nós, pelo Espírito Santo, de falar a verdade, de agir sobre as injustiças em nosso mundo. Devemos falar a verdade com amor e em amor.”

Harvey falou aos Metodistas Unidos espalhados por quatro continentes - bispos reunidos por Zoom e a igreja em geral assistindo na página dos bispos no Facebook. Ela falou no início de uma reunião de uma semana na qual os bispos discutirão o trabalho que a denominação já está fazendo para enfrentar a injustiça - começando com seus esforços antirracismo.

Harvey usou seu discurso para falar aos colegas bispos e delegados eleitos para a Conferência Geral, a principal assembleia legislativa da denominação. 

A pandemia de COVID-19 adiou duas vezes a Conferência Geral de suas datas originais em maio de 2020, e a reunião internacional agora está marcada para acontecer de 29 de agosto a 6 de setembro de 2022, em Minneapolis.

Após décadas de intensificação do debate sobre o status dos cristãos LGBTQ, a assembleia legislativa enfrenta várias propostas de divisão ao longo de linhas teológicas. Uma das propostas, se adotada, permitiria a retirada das conferências anuais - órgãos regionais da denominação liderada pelos bispos. Os bispos presidem, mas não votam na Conferência Geral.

Neste momento de incerteza, os bispos planejam usar sua reunião de primavera também para discutir a mudança do papel do episcopado.

Mais de uma dúzia de bispos americanos esperam se aposentar este ano. Mas o Conselho dos Bispos está pedindo a suspensão da eleição de seus sucessores, citando preocupações financeiras e o fato de que ainda não se sabe quem ficará e quem sairá.

Nesse ínterim, um grupo de delegados dos Estados Unidos está exortando os bispos a convocarem sessões de conferências jurisdicionais especiais nos Estados Unidos para eleger bispos e membros do conselho da agência.

Em seu discurso, Harvey disse aos delegados que a legislação e a eleição de bispos são apenas uma parte de seu trabalho.

“Você tem arbítrio para ajudar a focar nossa narrativa na missão da igreja, focar nossa narrativa no amor em ação”, disse ela.

Enquanto a igreja aguarda o trabalho da Conferência Geral, os bispos usaram o primeiro dia de sua reunião para falar sobre como é parte dessa ação.

Em meio às mortes de negros e pardos desarmados nas mãos das autoridades policiais e de ataques a asiático-americanos nos EUA, os bispos iniciaram esforços para desmantelar o racismo.

Os bispos deram exemplos de como são esses esforços em suas conferências. Vários bispos nomearam líderes em suas conferências para supervisionar o trabalho de reconciliação racial. Eles também iniciaram estudos e conversas dentro das igrejas locais.

A Bispa Tracy S. Malone, da Conferência de East Ohio, observou que todos os clérigos da conferência tinham que participar do “Conversas Críticas”, um treinamento de um dia inteiro sobre como se posicionar contra o racismo.

Ela disse que a decisão de exigir o treinamento trouxe resistência, mas também resultados. “Adivinhem, amigos”, disse ela a outros bispos. “Tivemos 100 por cento de comparecimento.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O bispo L. Jonathan Holston da Conferência da Carolina do Sul observou que a história do Estado de Palmetto “grita racismo”, desde Charleston tendo sido um grande mercado de escravos até o tiroteio em massa de 2015 na Igreja Episcopal Metodista Africana Emanuel daquela cidade, com muitos episódios entre eles. 

Holston descreveu para seus colegas como a Conferência da Carolina do Sul lançou um recurso de seis partes chamado “Nossa Resposta ao Racismo”.

“Estamos fazendo isso passo a passo, distrito por distrito, igreja por igreja”, disse ele.

Mesmo assim, o trabalho não é fácil. O bispo Gary Mueller, que lidera a Conferência de Arkansas, disse que ele e outros líderes da Igreja sempre tentam descrever o problema do racismo em termos de pecado humano.

“O maior desafio que enfrentamos é que os brancos só querem lidar com o racismo por tempo suficiente para que nossa culpa vá embora ou pelo menos diminua seriamente”, disse Mueller. “Temos um desafio a cumprir depois disso.”

Mueller também falou sobre as conversas em que as igrejas estão se envolvendo.

Ao longo de seu sermão, Harvey teceu a imagem da mesa familiar que une as pessoas na conversa. Ela descreveu a mesa como representando o melhor da teologia Metodista Unida.

“Não estou ameaçado pelo desacordo”, disse o presidente do Conselho dos Bispos. “Na verdade, acho que é bom para nós estarmos juntos como se estivéssemos em uma mesa para concordar, discordar, criar, usar nosso melhor raciocínio para criar uma coisa nova. Eu humildemente peço que façamos isso no espírito de amor pela igreja e uns pelos outros.”

Jessica Vittorio, uma delegada da Conferência North Texas que está entre os que pedem conferências jurisdicionais especiais, disse que as imagens do bispo ressoaram.

“Apreciei profundamente a metáfora da Bispa Harvey sobre a união de uma família e a importância e poder de partilhar as nossas experiências e vidas em redor da mesa”, disse ela ao Notícias Metodista Unida.

“Mas o poder da mesa pode ser inclusivo e exclusivo, como vimos com frequência na UMC. Minha esperança é que o conselho aja mais intencionalmente ao convidar o resto da igreja para se juntar ao episcopado em sua mesa.”

Harvey também usou seu discurso para refletir sobre o amado Salmo 23, que promete que Deus guia as pessoas para o que precisam e prepara uma mesa para elas. 

Isso ressoou com o Bispo Lawson Bryan da Conferência South Georgia.

“Agradeço o enfoque da bispa Harvey no Salmo 23 como um recurso importante para liderar em tempos caóticos”, disse ele. “Seu discurso se conecta diretamente ao nosso tema aqui na Geórgia do Sul: Vivos Juntos na Mesa. Parafraseando NT Wright, não chegar à mesa primeiro já é dar a resposta errada. Vamos viver juntos na mesa.”


*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU. Sam Hodges, um repórter da Notícias MU em Dallas, contribuiu para esta história. Contate-os em (615) 742-5470 ou [email protected] . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
Os participantes se levantam para cantar e orar no Encontro Global da Wesleyan Covenant Association, realizado na Igreja Metodista Uniad Frazer Memorial em Montgomery, Alabama. Foto por Sam Hodges, Notícias MU.

WCA planeja nova denominação

A Associação do Pacto Wesleyano, um grupo de igreja tradicionalista reuniu-se pessoalmente e online para moldar a Igreja Metodista Global e criticar os bispos metodistas unidos que fizeram nomeações.
Área Geral da Igreja
Um grupo diverso de bispos e outros líderes Metodistas Unidos se reúnem para uma foto de grupo em Washington depois de chegar a um acordo sobre uma proposta que manteria a Igreja Metodista Unida, mas permitiria que as congregações tradicionalistas se separassem em uma nova denominação. Alguns membros dessa equipe estão frustrados depois que o Conselho Judicial se recusou a decidir sobre a proposta antes da Conferência Geral. Foto cortesia da Equipe de Mediação de Protocolo.

A falta de decisão aumenta as preocupações sobre o protocolo

Uma vez que o alto tribunal da Igreja Metodista Unida se recusou a decidir com antecedência sobre o plano de separação proposto, alguns estão preocupados com o que isso significa para a futura legislação.
Preocupações Sociais
Uma pessoa reage do lado de fora do Centro Governamental do Condado de Hennepin, em Minneapolis, após o veredicto de culpado proferido em 20 de abril no julgamento do ex-policial de Minneapolis Derek Chauvin pelo assassinato de George Floyd. Embora expressando a sensação de que o veredicto foi justo, os líderes Metodistas Unidos apelaram à continuação do trabalho para desmantelar oracismo generalizado e a injustiça sistémica contra as pessoas de cor. Foto de Carlos Barria, Reuters.

Metodistas Unidos reagem ao veredicto de Chauvin

Os líderes Metodistas Unidos elogiaram o veredicto contra o ex-oficial da polícia de Minneapolis, Derek Chauvin, no assassinato de George Floyd, mas advertiram que há muito trabalho pela frente para superar o racismo sistêmico.