Clero

Área Geral da Igreja
Uma ação judicial e contra-processo entre a Conferência da Geórgia do Norte e a Igreja Metodista Unida Mt. Bethel em Marietta, Geórgia, foi concluída com a megaigreja concordando em pagar cerca de US$ 13,1 milhões para deixar a denominação com propriedades. Imagem cortesia do Google Maps.

Conferência e megaigreja chegam a acordo legal

A Igreja Mount Bethel concordou em pagar US $ 13,1 milhões à Conferência Anual da Geórgia do Norte para deixar a Igreja Metodista Unida e manter a propriedade.
Conferência Anual
Cadeiras drapeadas simbolizam que os candidatos da Conferência da Flórida para membros provisórios - um passo importante para a ordenação como presbítero ou diácono - não foram aprovados pela sessão do clero da conferência. A decisão controversa, tomada durante a reunião da conferência em Lakeland, Flórida, ilustrou a divisão denominacional sobre a inclusão LGBTQ. A decisão também alterou o serviço de conclusão de 11 de junho, onde os 16 deveriam ser comissionados. Foto de Esther Rodriguez via Facebook.

Votação da sessão do clero destaca divisão LGBTQ

A controvérsia tomou conta da Conferência Anual da Flórida quando sua sessão do clero votou por pouco para não aprovar o avanço de 16 pessoas, algumas abertamente gays, em seu processo de ordenação clerical.
Violência
A Revda. Marita Harrell, pastora de Conexões na Igreja Metodista Unida Metropolitan em Atlanta, foi fatalmente esfaqueada em ou antes de 18 de maio, de acordo com a polícia do condado de DeKalb (Ga.). Uma estação de TV de Atlanta informou que ela estava aconselhando o suspeito, que foi preso e acusado de assassinato e incêndio criminoso. Foto cortesia da Conferência da Geórgia do Norte.

Polícia prende suspeito de matar pastora

A Revda. Marita Y. Harrell, uma pastora Metodista Unida em Atlanta, foi esfaqueada até a morte no início desta semana, e a polícia prendeu um suspeito obtendo mandados de assassinato e incêndio criminoso.
Igreja Local
Um estudo encomendado pela Comissão Metodista Unida sobre o Estatuto e Papel da Mulher mostra que embora algum progresso tenha sido feito para tornar os salários do clero equivalentes para homens e mulheres, ainda há um longo caminho a percorrer. Foto de Kathleen Barry, Comunicações Metodistas Unidas.

Mulheres clérigas ainda recebem menores pagamentos

Um novo estudo encomendado pela Comissão Metodista Unida sobre o Estatuto e Papel da Mulher segue-se a um estudo semelhante em 2017 e mostra que embora algum progresso tenha sido feito, as mulheres no clero ainda são mal pagas em comparação com os seus homólogos masculinos.
Loading