O que é necessário para financiar os bispos?

Other Manual Translations: English español

O financiamento dos bispos Metodistas Unidos está prestes a ser analisado.

Na sua reunião online de 2 a 5 de novembro, o Conselho dos Bispos planeja examinar o papel do episcopado e os desafios financeiros que a Igreja Metodista Unida enfrenta enquanto lida com a pandemia COVID-19 e uma possível divisão denominacional.

“Em meio à incerteza e aos muitos desafios que o mundo e a Igreja enfrentam, nos reunimos como líderes temporais e espirituais da Igreja focados principalmente na fidelidade de Deus, mesmo em tempos como estes”, disse a Bispa Cynthia Fierro Harvey, presidente do Conselho dos Bispos, em uma declaração antes da reunião. Ela também lidera a Conferência da Louisiana, que luta para se recuperar de três furacões este ano.

Os bispos têm uma série de ideias para estabilizar suas finanças, incluindo a redução do número de bispos dos Estados Unidos ou possivelmente colocar algumas eleições episcopais em espera.

Cinco bispos, incluindo Harvey, também serviram na Comissão de Estudo Jurisdicional que apresentou à próxima Conferência Geral propostas relacionadas aos bispos dos EUA. Os membros do grupo não querem que seu trabalho seja esquecido no exame detalhado das finanças pelos bispos.

Mas a maioria dos líderes da igreja vê a necessidade de mudança.

Mesmo antes da crise econômica causada pela pandemia, os líderes financeiros da denominação alertaram que o Fundo Episcopal corria o risco de ficar sem dinheiro nos próximos quatro anos.

Então, em maio, os bispos decidiram criar sua própria força-tarefa para desenvolver estratégias para mover o fundo em direção à sustentabilidade financeira.

Essa força-tarefa planeja apresentar suas recomendações ao Conselho dos Bispos em sua reunião de novembro. No final do mês, os bispos levarão suas recomendações ao conselho da agência de finanças da denominação, o General Council on Finance and Administration (Conselho Geral de Finanças e Administração).

O GCFA, que administra o Fundo Episcopal, planeja considerar tudo o que os bispos recomendam em seus preparativos orçamentários para 2021 e em suas propostas orçamentárias para a próxima Conferência Geral. A principal assembleia legislativa da denominação, agora marcada para acontecer de 29 de agosto a 7 de setembro de 2021 , tem a palavra final sobre quantos bispos os Metodistas Unidos podem eleger.

O Fundo Episcopal cobre os custos não apenas da compensação, viagens e reuniões dos bispos, mas também da equipe ecumênica da denominação e pelo menos uma parte da equipe do escritório dos bispos.

Sua receita vem principalmente das conferências anuais da denominação, órgãos regionais da igreja em que cada uma paga cotas - ou parcelas de doações - para apoiar os ministérios de toda a denominação. As conferências, por sua vez, pedem contribuições de suas igrejas locais.

De acordo com o orçamento atual da denominação de 2017-2020, o Fundo Episcopal é o terceiro maior dos sete fundos gerais da igreja apoiados por contribuições da conferência. Tem um orçamento de quatro anos de cerca de US $ 92 milhões.

Atualmente, são 66 bispos apoiados pelo fundo - 46 nos Estados Unidos, 13 na África, quatro na Europa e três nas Filipinas.

Bispos aposentados às vezes desempenham funções provisórias, como o Bispo Warner Brown está fazendo para a Conferência de Serra Leoa após a morte do Bispo John Yambasu neste verão. Quando isso acontece, o Fundo Episcopal paga a diferença entre o valor da pensão do bispo aposentado e o nível de salário atual do bispo.

Os salários dos bispos variam por região. Em 2020, os bispos dos EUA ganham cada um $ 162.345. Na África e nas Filipinas, os bispos ganham cada um $ 79.788. Os salários dos bispos europeus variam de $ 61.824 na Alemanha a $ 127.491 na Europa Central e Meridional, onde o escritório do bispo está baseado na Suíça.

A quarentena trouxe algumas economias de custo com viagens do bispo e despesas com reuniões. Nos primeiros meses da pandemia, o Conselho Geral de Finanças e Administração também obteve um empréstimo de US $ 1,2 milhão para o Fundo Episcopal por meio do Programa de Proteção ao Cheque de Pagamentos dos Estados Unidos. A agência espera que o empréstimo seja perdoado, essencialmente se tornando uma doação.

No entanto, o GCFA está investindo nas reservas do Fundo Episcopal para cobrir as despesas dos bispos. Neste ponto, a agência projeta que, com base nas tendências de doação, o Fundo Episcopal terá $ 12,5 milhões em reservas até o final de 2020. Isso é cerca de $ 1,3 milhão a menos do que os níveis de reserva no final de 2019.

Quando o fundo fica sem dinheiro, depende de vários fatores, incluindo taxas de coleta de repartição, contribuições da conferência para despesas do escritório do bispo e, mais significativamente, o impacto de uma divisão potencial nas repartições.

Uma das propostas de separação é o Protocolo para Reconciliação e Graça através da Separação, um acordo mediado que, se aceito, permitiria que igrejas e conferências se separassem para formar uma nova denominação tradicionalista.

No entanto, o GCFA não sabe quantas igrejas ou associações votariam para partir se tal plano obtivesse a aprovação da Conferência Geral; nem está claro quantos bispos se mudariam para uma nova denominação se tivessem a oportunidade.

Outra grande questão é quantas áreas episcopais a Conferência Geral aprovará na próxima reunião. A Conferência Geral de 2016 instruiu o GCFA a fazer um orçamento para cinco bispos adicionais na África, de modo que esses novos bispos façam parte das projeções da agência de finanças.

As propostas da Comissão de Estudo Jurisdicional para a Conferência Geral oferecem uma alternativa para simplesmente reduzir o número de bispos.

A Conferência Geral de 2016 autorizou a formação do comitê para examinar “o melhor número e limites de jurisdições e áreas episcopais nos Estados Unidos”. Além de cinco bispos, a equipe de 16 membros incluía cinco leigos e cinco clérigos e uma cadeira leiga.

As cinco jurisdições, cada uma compreendendo várias conferências anuais, são as estruturas organizacionais intermediárias da denominação nos EUA. De acordo com o Livro da Disciplina, o livro de políticas da denominação, cada jurisdição tem atualmente um mínimo de cinco bispos com o número adicional de bispos determinado por uma fórmula de adesão.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

A comissão propõe que o Fundo Episcopal continue a cobrir os custos de um mínimo de cinco bispos em cada jurisdição, e que as conferências anuais assumam os custos de quaisquer bispos adicionais, bem como de todos os funcionários do escritório dos bispos.

A maioria das conferências cobre pelo menos algumas das despesas do escritório dos bispos. Lonnie Chafin, membro do comitê e tesoureiro da Conferência do Norte de Illinois, estima que ter as conferências dos EUA assumindo todos os custos de seu escritório economizaria cerca de US $ 3,9 milhões a cada ano em despesas do Fundo Episcopal.

Ele acrescentou que a legislação do comitê também requer que cada jurisdição avalie os custos de adicionar uma área episcopal antes de decidir por uma.

“No centro de nosso plano está que o número de bispos em cada jurisdição deve ser definido apenas após uma análise completa das necessidades missionais”, disse Chafin. “Ter a decisão por uma fórmula, como na Disciplina atual, sempre fará com que haja um descompasso do número financiado com o número necessário.”

O conselho do CGFA não se pronunciou sobre a legislação do Comitê de Estudos Jurisdicionais.

No entanto, o conselho tem opções se parecer que o Fundo Episcopal está prestes a se esgotar completamente, disse Sharon Dean, o diretor de comunicações da agência.

A diretoria pode pedir que todas as reuniões do Conselho dos Bispos sejam realizadas virtualmente. Também poderia ajustar a quantidade de apoio administrativo e subsídios de alojamento fornecidos nas conferências anuais. Isso atualmente equivale a cerca de US $ 5,7 milhões a cada ano. Isso poderia alterar a remuneração e os benefícios do bispo, que atualmente totalizam cerca de US $ 11,4 milhões por ano.

Finalmente, ela disse, o CGFA poderia pedir à Conferência Geral que aprove distribuições mais altas para apoiar os bispos e seu trabalho.

 

* Hahn é uma repórter de notícias multimídia do Notícias Metodistas Unida. Contate-a pelo telefone (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Conselho de Bispos
John Yambasu Jr. (à esquerda) e outros enlutados carregam o caixão com os restos mortais do Bispo de Serra Leoa John K. Yambasu, que foi sepultado em 6 de setembro após um serviço de Lembrança e Ritos de Passagem em Freetown. O bispo morreu em um acidente de carro em 16 de agosto. Foto: Phileas Jusu, Notícias MU.

Preso motorista de acidente que matou bispo

O motorista da van que bateu e matou o bispo da região de Serra Leoa, John K. Yambasu, foi acusado de sete acusações, incluindo excesso de velocidade.
Área Geral da Igreja
Família e amigos do Bispo John K. Yambasu, (a partir da esquerda) Elizabeth Yambasu, Emmanuel Yambasu, a viúva Millicent Yambasu e Alfred Lansana, chegam ao cemitério no campus da Universidade Metodista Unida em Freetown, Serra Leoa. Foto de E Julu Swen, Notícias MU.

Bispo Yambasu lembrado como construtor de pontes

O bispo da área de Serra Leoa foi lembrado como um construtor de pontes de unidade entre as pessoas dentro e fora da igreja.
Preocupações Sociais
David Idikwu, à esquerda, e Phil Slicker carregam mantimentos no carro de um cliente no The Shepherd's Market, um ministério da Igreja Metodista Unida de St. John em Baton Rouge, La. Idikwu e Slicker, membros da igreja, são voluntários na despensa semanal de alimentos. Foto da Revda. Lane Cotton Winn.

O coronavírus exacerba disparidades econômicas e raciais

Os efeitos econômicos do coronavírus, que estão em pleno andamento, são desastrosos para as pessoas que já lutam contra as adversidades, principalmente em comunidades de minorias raciais e étnicas. As igrejas estão ajudando a atender algumas das necessidades predominantes, mesmo enquanto elas próprias lutam por sua sobrevivência.