Igrejas Metodistas Unidas oferecem ajuda após tiroteios

Other Manual Translations: English español

As igrejas Metodistas Unidas de St. Luke's e St. Andrew, abriram suas portas e forneceram espaços seguros após o mortal tiroteio em 7 de maio no STEM School Highlands Ranch, perto de Denver.

As igrejas estão perto da escola e muitos membros de suas congregações fazem parte do corpo estudantil, são professores ou administradores, disse o reverendo Mark Feldmeir, pastor sênior de St. Luke.

Ambas as igrejas realizaram vigílias de oração em 8 de maio para oferecer conforto ao mundo ferido que orbita ao redor deles.

Notícias informam que dois estudantes entraram na escola com armas escondidas em um violão. Três estudantes atacaram o atirador, e um desses alunos, Kendrick Castillo, de 18 anos, foi morto. Outro estudante que confrontou o atirador é um membro de St. Andrew. Ele foi baleado, mas está de volta em casa. Sete outros ficaram feridos.

Feldmeir disse que mais de 2.000 pessoas assistiram à vigília em St. Andrew, incluindo o senador Michael Bennet e o representante americano Jason Crow.

"Foi um momento de cura para a comunidade, mas estamos todos emocionalmente sobrecarregados", disse Feldmeir.

Ele disse ainda que a família Castillo e o jovem membro da congregação que havia sido baleado participaram da vigília.

A bispa Karen Oliveto escreveu uma carta aos seus “irmãos na Conferência Mountain Sky”.

“Dou graças a Deus pelo testemunho das igrejas Metodistas Unidas de St. Luke's e St. Andrew e pelas formas como se tornaram pontos de conforto para o luto e alívio para os que vieram. As equipes pastorais e os membros leigos eram os braços de Cristo quando abraçavam jovens assustados e pais frenéticos. Eles eram abrigo da presença permanente e firme de Deus ao longo do dia e da noite, e continuam a ser um local de oração, consolo e segurança hoje”.

No dia seguinte ao tiroteio, a Rev. Jessica Rooks, de St. Luke's, falou sobre as conexões entre a igreja e a escola.

"O tempo está nublado, chuvoso e cinzento, e é provavelmente uma boa metáfora para o que está acontecendo na igreja e na comunidade", disse ela. “Há muitas perguntas, todas as perguntas normais que acompanham esses eventos. Existem conexões em todos os sentidos para professores e alunos (na igreja)”.

Bishop Karen Oliveto leads the Council of Bishops in prayer following the deadly school shooting in Denver suburb. Oliveto leads the Mountain Sky Conference, where the attack occurred. Photo by the Rev. Todd Rossnagel, Louisiana Conference.

Bispo Karen Oliveto lidera o Conselho dos Bispos em oração após o tiroteio letal na escola no subúrbio de Denver. Oliveto lidera a Conferência Mountain Sky, onde ocorreu o ataque. Foto pelo Rev. Todd Rossnagel, Conferência de Louisiana.

O estacionamento em St. Luke's tornou-se um palco para pais frenéticos tentando descobrir o que havia acontecido. St. Andrew foi usado como centro de crise do condado no dia seguinte ao tiroteio.

Feldmeir disse que passou terça e quarta-feira tentando chegar a todas as famílias que ele sabia que estão ligadas à escola. Ele disse que havia centenas de pessoas no campus da igreja oferecendo aconselhamento para estudantes e administradores, bem como policiais que estavam usando algumas das salas para realizar entrevistas.

“Tem sido uma daquelas experiências em que tudo está acontecendo de uma só vez. Durante o planejamento (da vigília), nós simplesmente não sabíamos quais dos nossos filhos estavam envolvidos - se nós estaríamos fazendo funerais ao invés de vigílias”.

Outro dos garotos que atacou o atirador é um membro de St. Andrew, disse Feldmeir. Ele foi ferido, mas espera-se que ele esteja bem.

Feldmeir também disse que uma das famílias da igreja era amiga íntima de Castillo. "Há uma dor muito profunda lá", disse ele.

O primeiro passo é dar às pessoas espaço para expressar suas emoções, disse ele. "Muitas lágrimas e abraços nos corredores e quartos aqui", disse ele na quarta-feira à tarde.

Mas Feldmeir disse que encontrou conforto dos Metodistas Unidos em todo o país.

“Tem sido encorajador ouvir pessoas de todo o país, colegas e metodistas unidos que estão enviando o seu amor, apoio e oração. É um lembrete do valor da nossa conexão. Dados esses tempos frágeis em nossa denominação, (é) apenas mais um lembrete de como é importante estar conectado e permanecer conectado”.

 

* Gilbert é jornalista da Notícias Metodistas Unidas. Entre em contato com ela pelo telefone (615) 742-5470 ou [email protected].

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina @umcom.org 

Evangelismo
O Rev. Thomas Kim. Foto de Kathleen Barry, Notícias MU.

Uma lamentação com esperança para o Afeganistão

Assistir às notícias da retirada dos Estados Unidos do Afeganistão lembra o reverendo Thomas Kim do tempo que passou com os missionários lá depois que seu cunhado foi morto em um bombardeio.
Human Rights
Um aviador dos EUA com a Força Tarefa Conjunta de Resposta à Crise, abraça uma mãe depois de ajudar a reunir sua família no Aeroporto Internacional Hamid Karzai em Cabul, Afeganistão, em 20 de agosto. Igrejas Metodistas Unidas, conferências, agências e organizações sem fins lucrativos parceiras estão trabalhando para ajudar os refugiados a terem um bom começo nos EUA. Foto por Cpl. Davis Harris, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.

Metodistas Unidos contribuem com reassentamento afegão

Igrejas locais, conferências, agências e organizações sem fins lucrativos parceiras trabalham para ajudar os refugiados a ter um bom começo nos Estados Unidos.
Missão
O Rev. Jisu Jang mergulha uma concha na água durante uma renovação do batismo e serviço de Shell (concha) no Seminário Teológico Wesley em Washington em 24 de agosto. O serviço usa conchas como um símbolo da jornada de fé e ministério dos alunos. Wesley está retomando as reuniões no campus, embora com mandato de vacinação e máscara, após um longo período de aprendizado remoto devido à pandemia. Foto de Lisa Helfert Photography para o Seminário Teológico Wesley, 2021.

Faculdades e Seminários lidam com mandatos sobre vacinas e máscaras

No início do semestre letivo, as escolas Metodistas Unidas tentam tornar a vida no campus o mais normal possível enquanto implementam políticas de vacinação e uso de máscaras.