Ucranianos podem ser removidos da área do bispo russo

Other Manual Translations: English 한국어 Español

Pontos chave:

  • Com a Rússia e a Ucrânia em guerra, alguns metodistas unidos europeus importantes querem que a Conferência Anual Provisória Ucrânia-Moldávia da denominação seja transferida temporariamente da área episcopal supervisionada pelo bispo Eduard Khegay, baseado em Moscou.
  • Khegay protesta fortemente contra esse esforço do Conselho da Conferência Central do Norte da Europa e da Eurásia.
  • O bispo da região nórdica e báltica, Christian Alsted, convocou uma sessão extra da Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia para 30 de abril para considerar a mudança temporária da Conferência Ucrânia-Moldávia para sua área.

Um bispo russo pode efetivamente supervisionar os Metodistas Unidos ucranianos, dada a recente invasão russa na Ucrânia e as hostilidades entre os países que remontam anos?

Alguns metodistas unidos europeus importantes acreditam que a resposta é “não” e tomaram medidas para mover a Conferência Anual Provisória Ucraniana-Moldávia da área supervisionada pelo Bispo Eduard Khegay, baseado em Moscou.

Mas Khegay expressou sua “mais profunda decepção” com o esforço – e usou uma linguagem mais forte para questionar os motivos dos envolvidos.

Bishop Eduard Khegay speaks to the opening session of the 2019 Special Session of the General Conference of The United Methodist Church. File photo by Paul Jeffrey, UM News. 

O Bispo Eduard Khegay fala na sessão de abertura da Sessão Especial de 2019 da Conferência Geral da Igreja Metodista Unida. Foto de arquivo por Paul Jeffrey, Notícias MU.

As relações entre a Ucrânia e a Rússia são tensas há muito tempo, e os Metodistas Unidos ucranianos procuram desde 2020 sair da supervisão de Khegay. 

Os ucranianos dizem que começaram a operar mais ou menos por conta própria depois de votar naquele ano para se distanciar de seu bispo russo. Mas eles não conseguiram se mudar oficialmente para outra área episcopal.

Então veio a invasão russa na Ucrânia em 24 de fevereiro deste ano.

Exatamente um mês depois, o Conselho da Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia aprovou uma resolução declarando que é “impossível por razões emocionais e práticas para um bispo russo dar cuidados relevantes e liderança espiritual (aos ucranianos) sob as circunstâncias”.

O bispo Christian Alsted convocou uma sessão extra da Conferência Central da Europa do Norte e da Eurásia para 30 de abril, com o objetivo de considerar o pedido do conselho de que a Conferência Anual Provisória Ucrânia-Moldávia seja temporariamente transferida da Área Episcopal da Eurásia de Khegay para a Área Episcopal Nórdica e Báltica, que Alsted lidera.

United Methodist Bishop Christian Alsted of the Nordic and Baltic Area presides over a May 11 session of the 2016 United Methodist General Conference in Portland, Ore. File photo by Paul Jeffrey, UM News. 

O Bispo Metodista Unido Christian Alsted da Área Nórdica e Báltica preside uma sessão de 11 de maio da Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Foto de arquivo de Paul Jeffrey, Notícias MU.

Khegay ganhou pontos por bravura com muitos Metodistas Unidos, dada a sua crítica pública à invasão da Ucrânia pelo seu país.

Mas ele também critica abertamente o esforço para mover a Conferência Ucrânia-Moldávia, sugerindo que é uma conquista territorial e mais sobre política do que construção de consenso cristão.

“Estou chocado com o quão insensível e míope (foi) esta decisão tomada pelos membros nórdicos e bálticos do Conselho, apesar da posição dos membros russos do Conselho e de mim”, disse ele em uma carta ao Norte da Europa e Conferência Central da Eurásia.

Mas o Rev. Ole Birch, secretário do Conselho da Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia, disse que a escalada do conflito entre a Rússia e a Ucrânia, e o desejo relacionado dos Metodistas Unidos Ucranianos de uma mudança na supervisão episcopal, levaram o conselho a agir – nada mais.

“Infelizmente, o bispo russo Eduard Khegay não reconhece isso e não está disposto a abrir mão desta parte de sua área episcopal”, disse Birch por e-mail.

Os Metodistas Unidos fora dos Estados Unidos são organizados em conferências centrais, e a Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia consiste em duas áreas episcopais — Nórdica e Báltica, com um escritório episcopal em Copenhague; e Eurásia, com escritório episcopal em Moscou.

Embora as conferências europeias possam ser grandes geograficamente, elas são pequenas em número de membros, e a Conferência Anual Provisória Ucrânia-Moldávia teve menos de 400 membros em 2017, de acordo com o Conselho Geral de Finanças e Administração da denominação. 

A Ucrânia e a Rússia compartilham uma fronteira e têm uma história complexa e entrelaçada. A mudança da Rússia em 2014 para anexar a Crimeia na Ucrânia deu início ao conflito armado em curso entre os países, ocorrido principalmente no leste da Ucrânia.

As tensões da Ucrânia com a Rússia há muito afetam os Metodistas Unidos Ucranianos em seu ministério, disse o Rev. Oleg Starodubets. Ele é o superintendente da Igreja Metodista Unida Ucraniana e lembrou como no início de seu mandato viajou para conhecer o clero.

“Todos os pastores me fizeram uma pergunta: por que nossa Igreja Metodista Unida Ucraniana está sob o governo de Moscou?” ele disse em uma entrevista no Zoom.

Em junho de 2020, os membros da Conferência Ucrânia-Moldávia se reuniram em sua sessão anual e votaram por 16 a 0 pela retirada da Área Episcopal da Eurásia, de acordo com um registro da ata da reunião.

Starodubets disse que os pedidos para que os líderes Metodistas Unidos transferissem a conferência para outra área episcopal ficaram essencialmente sem resposta até a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Mas em 24 de março, o Conselho da Conferência Central da Europa do Norte e da Eurásia aprovou por uma margem de mais de dois terços uma resolução pedindo aos bispos que convoquem uma sessão extra da conferência central, apenas para considerar a mudança temporária da Ucrânia-Moldávia para a Área Nórdica e Báltica.

A resolução enfatizou o desejo dos Metodistas Unidos Ucranianos de mudar as áreas episcopais, mas também o estado de conflito armado entre a Rússia e a Ucrânia desde 2014 e a devastação que a Ucrânia experimentou desde a invasão da Rússia no início deste ano. 

“As igrejas locais da Igreja Metodista Unida na Ucrânia precisam urgentemente de liderança enquanto lutam para estar no ministério com os refugiados (ucranianos)”, diz a resolução. 

O pedido de uma sessão extra foi feito ao abrigo do Parágrafo 542.2 do Livro de Disciplina Metodista Unido. Ele cita em parte: “Os bispos residentes em uma conferência central ou a maioria deles, com a concordância do comitê executivo ou outro comitê autorizado, terão autoridade para convocar uma sessão extra da conferência central a ser realizada no momento e local por eles designado”.

A Conferência Central da Europa do Norte e Eurásia tem apenas dois bispos residentes: Alsted e Khegay. Khegay se opôs a convocar a sessão extra.

Alsted agiu sozinho.

“Com base no apoio significativo do conselho ao pedido feito aos bispos para convocar uma sessão extra, decidi, como um dos dois bispos residentes na conferência central, convocar uma sessão extra da conferência central para possibilitar que a conferência discutisse o assunto e tomasse uma decisão”, disse ele por e-mail. “Acredito que é importante notar que a moção está pedindo uma mudança temporária.”

Khegay, em sua carta à Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia, criticou a maioria do conselho por tentar mover a Ucrânia-Moldávia.

“Enquanto tantos metodistas na Rússia e na Ucrânia sofrem com o conflito entre nossos países, enquanto tentamos construir cuidadosamente pequenas pontes de unidade e reconciliação, enquanto aprendemos a amar e perdoar em meio à guerra, os países nórdicos e bálticos membros do Conselho da Conferência Central decidem construir (uma) cortina de ferro entre nós”, escreveu ele.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

En una entrevista por correo electrónico, Khegay dijo: “Estoy decepcionado de cómo miembros nórdicos y bálticos del Concilio de la Conferencia Central han orquestado esto, ignorando las voces de los/as miembros de Eurasia. Era obvio para mí que decidieron todo antes de la reunión”.

Alsted defendió el Concilio y dijo que después de que la Conferencia Ucrania-Moldavia realizó su votación de 2020, el Concilio informó a los/as ucranianos/as sobre los procesos para solicitar un traslado a otra área episcopal o a otra conferencia central.

El Concilio también reafirmó por escrito la supervisión episcopal de Khegay y no tomó medidas para iniciar un cambio en la supervisión de Ucrania-Moldavia, dijo Alsted: “Tengo entendido que la invasión de Rusia a Ucrania ha cambiado la comprensión del Concilio y la necesidad de iniciar un cambio, lo que se refleja en su acción y en la justificación de su moción”.

Em uma entrevista por e-mail, Khegay disse: “Estou desapontado como os membros nórdicos e bálticos do Conselho da Conferência Central orquestraram isso, ignorando as vozes dos membros da Eurásia. Era óbvio para mim que eles decidiram tudo antes da reunião.”

Alsted defendeu o conselho. 

Ele disse que, após a Conferência Ucrânia-Moldávia ter votado em 2020, o conselho informou os ucranianos sobre os processos para solicitar uma mudança para outra área episcopal ou para outra conferência central.

O conselho também afirmou por escrito a supervisão episcopal de Khegay e não tomou medidas para iniciar uma mudança na supervisão da Ucrânia-Moldávia, disse Alsted.

“É meu entendimento que a invasão da Ucrânia pela Rússia mudou o entendimento do conselho e sobre a necessidade de iniciar uma mudança, o que se reflete em sua ação e na lógica de sua moção”, disse Alsted.

Khegay foi perguntado pela Notícias MU se ele achava que poderia fornecer liderança efetiva aos Metodistas Unidos Ucranianos, dada a invasão da Ucrânia pela Rússia.

“Estou fazendo o meu melhor, dada a complexidade da situação”, disse ele. “O risco para alguns pastores ucranianos é que, se forem muito amigáveis comigo, estarão sob fogo de seus próprios membros nacionalistas ou Oleg Starodubets”.

Khegay disse que Starodubets “alimentava ideias nacionalistas entre os pastores ucranianos” antes da votação de 2020 pela Conferência Ucrânia-Moldávia.

Starodubets contestou, ressaltando que a votação foi unânime. Ele disse que seu ministério na Ucrânia tem sido deliberadamente internacional, não nacionalista – acolhendo imigrantes africanos e pessoas de outros continentes e países.

Ele também observou que atualmente ele e sua esposa, a Revda. Yulia Starodubets, estão trabalhando longas horas para cuidar de pessoas deslocadas internamente pela invasão russa. 

“Muitas histórias sobre casas destruídas, parentes mortos”, disse Oleg Starodubets. “É muito difícil para mim. Emocional."

A sessão extra de 30 de abril da Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia será realizada online, com a participação de 64 clérigos e leigos das várias conferências anuais.

Alsted disse acreditar que a resolução para mover a Ucrânia-Moldávia pode, de acordo com o parágrafo 543.5 do Livro da Disciplina, ser aprovada por maioria simples.

A próxima sessão regular da Conferência Central do Norte da Europa e Eurásia será na primavera de 2025 – local e data ainda a serem determinados, disse Alsted.

 

*Hodges é um escritor baseado em Dallas para o Notícias Metodista Unida. Entre em contato com Hodges e Kim pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected].  

 

Conselho Judicial
Os bispos metodistas unidos processam o culto de abertura da Conferência Geral especial de 2019 em St. Louis. O Conselho Judicial, o principal tribunal da Igreja Metodista Unida, divulgou um memorando que esclarece uma decisão anterior sobre as eleições de bispos. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Tribunal da Igreja modifica decisão sobre eleições de bispos

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida estabeleceu o dia 1º de janeiro de 2023 como a data em que os bispos dos EUA que enfrentam a aposentadoria compulsória devem deixar o cargo, e seus sucessores recém-eleitos tomarem posse.
Conselho Judicial
A Bispa Mary Virginia Taylor da Conferência de Holston abraça o Rev. David Graves após sua eleição como bispo Metodista Unido na Conferência Jurisdicional do Sudeste de 2016. Taylor está entre os 11 bispos norte-americanos que se aposentaram no ano passado, e Graves está entre os bispos que agora assumem trabalho extra por causa das aposentadorias. O Conselho Judicial emitiu uma decisão em 20 de maio, abordando a questão de saber se a conferência jurisdicional pode se reunir para eleger novos bispos. Foto de arquivo de Annette Spence, Conferência de Holston.

Decisão abre portas para eleições de bispos em 2022

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida decidiu que o Conselho dos Bispos tem autoridade para convocar conferências jurisdicionais para eleger e designar novos líderes episcopais nos EUA, mas não tem autoridade para alterar a data em que esses novos bispos assumem o cargo.
Área Geral da Igreja
O novo Presidente do Conselho de Bispos, Bispo Thomas J. Bickerton, recebe o martelo da Presidente cessante, Bispa Cynthia Fierro Harvey, durante a reunião da primavera, sexta-feira, 29 de abril de 2022. Foto cortesia do Conselho de Bispos da Igreja Metodista Unida.

Bickerton torna-se presidente do Conselho dos Bispos e pede unidade

O Bispo Bickerton pediu ao povo Metodista Unido que se comprometa com o novo momento que aguarda a denominação no futuro próximo.