Tomando medidas concretas para lutar contra o racismo

Other Manual Translations: English español

Em 26 de outubro, Walter Wallace Jr. se tornou uma estatística - outro nome a ser adicionado a uma longa lista de negros alvejados e mortos pela polícia.

Wallace, um residente da Filadélfia, estava tendo uma crise de saúde mental e sua família pediu ajuda da emergência. Sua mãe, implorando à polícia para não atirar, viu seu filho ser baleado na rua. Os disparos provocaram protestos em um ano já pontuado por lágrimas e gritos por justiça.

Após o tiroteio, a Bispa da Área da Filadélfia, Peggy A. Johnson, pediu ao povo de Deus que orasse por justiça, paz e conforto para a família. Mas ela também agiu, organizando uma convocação da Zoom com pastores e leigos para propor medidas concretas para movê-los a desmantelar o racismo.

As conferências Metodistas Unidas em todo o mundo estão respondendo aos apelos por antirracismo e justiça através de orações, formação, educação sobre a supremacia branca e investimento na vida das pessoas de cor.

Os Metodistas Unidos na Grande Nova Jersey estão embarcando em uma “Jornada de Esperança” com o objetivo de acabar com o pecado do racismo em sua conferência.

Bishop John R. Schol (center) helps recognize the Community of Shalom program during the 2012 United Methodist General Conference in Tampa, Fla. As a pastor and a director for the United Methodist Board of Global Ministries, Schol was present at the 1992 General Conference when the body stopped the planned business and took a day out for prayer, fasting and conversation over the sin of racism. File photo by Mike DuBose, UM News.

O Bispo John R. Schol (centro) ajuda a reconhecer o programa da Comunidade de Shalom durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2012 em Tampa, Flórida. Como pastor e diretor da Junta Metodista Unida de Ministérios Globais, Schol esteve presente na Conferência Geral de 1992 quando o corpo parou a agenda planejada e tirou um dia para orar, jejuar e conversar sobre o pecado do racismo. Foto de arquivo por Mike DuBose, UM News.

É um plano detalhado com medidas essenciais, incluindo um aumento de presidentes de conferências negros, dobrando o número de membros do clero negros e investindo $ 4,1 milhões na saúde da conferência por meio do perdão de dívidas, salário justo e distribuição de missão compartilhada em pessoas de baixa renda comunidades.

“Nosso sistema continua o racismo de maneiras que não imaginamos”, disse o Bispo da Grande Nova Jersey, John Schol, ao Notícias Metodista Unida. “Nosso sistema de rateio tem vieses sistêmicos; pensamos que estamos sendo justos quando distribuímos todos da mesma forma e, ainda assim, existem comunidades de baixa renda que não têm tantos recursos”.

Schol tem um longo histórico de trabalho para acabar com os preconceitos sistémicos na Igreja Metodista Unida.

Como pastor e diretor da Junta Metodista Unida de Ministérios Globais, ele esteve presente na Conferência Geral de 1992, quando o corpo interrompeu o negócio planejado e tirou um dia para orar, jejuar e conversar sobre o pecado do racismo. Naquele dia, os incêndios ainda estavam queimando em Los Angeles após a absolvição de policiais no espancamento brutal de Rodney King, Schol lembrou.

A partir daquele dia de oração, a Conferência Geral de 1992 estabeleceu as Zonas de Shalom. O objetivo das zonas era ir para áreas geográficas que sofrem de problemas sistêmicos de pobreza com esperança e cura. Os Metodistas Unidos fizeram isso em parceria com as comunidades para enfrentar os seus desafios.

Schol foi nomeado diretor nacional das zonas de Shalom.

“Muito do trabalho inicialmente era de assistência - comida e água”, disse ele.

Em seguida, as pessoas foram treinadas para entrar nas comunidades e ajudar a alavancar os ativos. “Em quatro anos, treinamos mais de 1.000 pessoas para alavancar dezenas de milhares de dólares em suas comunidades nas zonas de Shalom”, explicou ele.

Muitos desses projetos ainda estão em andamento hoje, geralmente com outros nomes. E novos projetos estão começando.

Por exemplo, a Conferência da Grande Nova Jersey aprovou o Journey of Hope (Jornada na Esperança) em sua reunião anual de 2020. “A jornada de esperança é um plano Shalom”, disse Schol. “O presente de Los Angeles são as novas gerações usando as mesmas ferramentas para enfrentar os desafios de nossos dias.”

A Conferência Baltimore-Washington está empreendendo uma jornada abrangente para transformar cada igreja em uma igreja antirracista em uma campanha, “We Rise United” (Nós subiremos unidos).

Parte do compromisso da campanha em se tornar uma igreja antirracista significa que os brancos reconhecem e confessam sua participação em sistemas de racismo e privilégio branco.

Delegates consider legislation during the 1992 United Methodist General Conference in Louisville, Ky., which established Shalom Zones as a way to partner with communities suffering from systemic issues of poverty. File photo by John C. Goodwin, GBGM. 

Os delegados consideram a legislação durante a Conferência Geral Metodista Unida de 1992 em Louisville, Ky., que estabeleceu as Zonas de Shalom como uma forma de parceria com comunidades que sofrem de problemas sistémicos de pobreza. Foto de arquivo: John C. Goodwin, GBGM.

A bispa LaTrelle Easterling, líder episcopal da conferência, liderou uma Marcha de junho pelas Demandas de Liberdade e Justiça para chamar os cristãos a abordar o pecado do racismo e para que os políticos locais, estaduais e nacionais defendam a justiça para todas as pessoas.

O site da Conferência de Baltimore-Washington oferece recursos de campanha, incluindo um kit de ferramentas digitais para testemunhas, kit de mídia social, história dos documentos da denominação sobre racismo, ferramentas de conversação, listas de leitura, vídeos, recursos de ação pública e recursos de adoração.

No início da Conferência do Arkansas de 2020, o Bispo Gary Mueller pediu um momento de silêncio em homenagem à memória de George Floyd, o homem negro morto por um policial de Minneapolis que manteve seu joelho no Floyd por 8 minutos e 46 segundos.

Mueller anunciou novas iniciativas que a conferência irá tomar para melhor apoiar e trabalhar com os membros da comunidade negra, incluindo uma parceria com a Faculdade Philander Smith, historicamente relacionado com a Metodista Unida Negra, em Little Rock, Arkansas. A iniciativa será um evento de treinamento obrigatório para o clero com o Centro de Justiça Social de Philander Smith.

Em resposta às mortes públicas de muitos negros e em apoio aos movimentos de conversação e ação, o Bispo da Conferência da Flórida, Kenneth Carter, anunciou a formação de uma Bishop’s Task Force on Anti-Racism (Força-Tarefa do Bispo sobre Antirracismo). A força-tarefa incluirá três equipes: treinamento e prestação de contas, políticas públicas e testemunha e comunidade amada.

Por mais de 20 anos, a Grande Área do Noroeste tem trabalhado na “teoria da mudança”, disse Kristina Gonzalez, diretora de inovação para uma igreja inclusiva. Gonzalez é uma treinadora e consultora intercultural.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

A teoria da mudança afirma que congregações prósperas praticarão inclusão, inovação e multiplicação, explicou ela. “Essas congregações estarão dispostas a envolver seus vizinhos como parceiros que lutam juntos para criar comunidades mais justas e equitativas que sustentam a vida em abundância (João 10:10).

“A conferência foi uma das primeiras, senão a primeira, a dedicar pessoal a este trabalho”, disse ela. A equipe é financiada pelas conferências do Noroeste do Pacífico, Oregon-Idaho e Alasca.

A Bispa Tracy S. Malone e o gabinete ampliado da Conferência do Leste de Ohio assinaram um compromisso antirracismo em “arrependimento pelo silêncio em face da brutalidade racialmente motivada que é generalizada em todo o país”.

O compromisso inclui o desenvolvimento de treinamento em justiça racial, revisão da política da conferência sobre assédio racial, capacitação de leigos da igreja para abordar o problema do racismo e engajar aqueles que procuram cargos públicos em torno da questão: “Como você garantirá que todas as pessoas desfrutem dos mesmos direitos humanos básicos, das proteções que nossas leis garantem à todas as pessoas?”

Mais de 700 leigos e clérigos da Conferência Leste de Ohio assinaram um pacto para resistir ao racismo para mostrar seu apoio ao compromisso antirracismo assinado pelo bispo e pelo gabinete ampliado.

Na Conferência de Nova York, a Revda. Doris Dalton foi convidada pelo Bispo Thomas J. Bickerton para desenvolver um novo processo para nomeações inter-raciais / interculturais. Dalton leva o clero designado para essas nomeações por meio de uma introdução ao treinamento de competência intercultural. O treinamento inclui um pequeno grupo da equipe de liderança da igreja.

“Isso significa que abordo conceitos como 'O que é cultura?' e peça-lhes que falem sobre a cultura de sua igreja e a cultura do novo pastor”, explicou Dalton. Juntos, o grupo redige um plano de resolução de conflitos que inclui o que aprenderam sobre diferenças culturais e semelhanças.

“Este é um trabalho essencial porque a competência intercultural dá às pessoas uma base para a análise do antirracismo”, disse ela.

 

*Gilbert é um repórter do Notícias Metodista Unida em Nashville, Tennessee. Contate-a pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected] Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

 

Preocupações Sociais
Rev. David Maldonado. Imagem retirada da reportagem em vídeo "La Iglesia Etnica", publicada no canal IMULATINA no Youtube da Notícias MU.

A igreja deve ouvir vozes hispânicas / latinas

A falta de vozes da América Latina representa uma grande lacuna nas conversas globais que ocorrem na Igreja Metodista Unida.
Área Geral da Igreja
Os delegados consideram a legislação durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Em meio à pandemia COVID-19, a Comissão da Conferência Geral nomeou uma equipe de estudo de tecnologia para explorar como acomodar a participação.  Foto de arquivo de Mike DuBose, Notícias MU.

Novo grupo explora as opções da Conferência Geral

Os organizadores da principal assembleia legislativa da Igreja Metodista Unida nomearam uma equipa de estudo de tecnologia, para procurar formas de acomodar a participação total do COVID-19 neste momento.
Área Geral da Igreja
Uma visão da sala de controle de vídeo do GNTV Media Ministry durante a reunião anual da Conferência Baltimore-Washington mostra várias telas de computador, equipamento de áudio e técnicos ocupados. Foto cortesia do GNTV Media Ministry.

As sessões da conferência tornam-se virtuais, com resultados mistos

As reuniões online, impulsionadas pela pandemia, oferecem melhorias e eficiência notáveis ​​em alguns aspectos. Mas, houve falhas tecnológicas e os delegados se ressentem por não poderem ficar juntos.