Opções da igreja local sob planos de separação

Other Manual Translations: English 한국어 español

Os delegados deram as mãos e cantaram “Blest Be the Tie That Binds” (Bendito seja o laço que nos une), concordando esmagadoramente em permanecer juntos após tumultuados 10 dias de debates e demonstrações na Conferência Geral Metodista Unida de 2004.

Unidade era a palavra no final da assembleia legislativa da denominação em Pittsburgh, Pensilvânia. Mas toda a conversa antes da Conferência Geral de 2020 em Minneapolis, que acontecerá de 5 a 15 de maio, é sobre a divisão da igreja.

Os delegados analisarão várias propostas que dividem a igreja segundo linhas tradicionais, progressistas e centristas, com políticas diferentes sobre o clero LGBTQ e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

Os Metodistas Unidos estão falando sobre uma divisão depois que a Conferência Geral de 2019 não resolveu o longo e fervilhante debate da igreja sobre a homossexualidade. Os delegados, por uma votação de 53%, adotaram o Plano Tradicional que fortaleceu as restrições LGBTQ, mas esse plano enfrentou crescente resistência em muitas partes da igreja nos Estados Unidos e na Europa Ocidental.
  
O que significa para as igrejas locais se a denominação se separar após maio de 2020?

Sob qualquer um dos planos antes da assembleia, as igrejas locais precisariam votar apenas se discordassem do alinhamento escolhido por sua conferência anual. Portanto, se uma conferência optar por deixar a Igreja Metodista Unida e uma igreja local quiser ficar, essa igreja terá que votar.

Três dos planos - o Protocolo de Reconciliação e Graça através da Separação ; Novas Denominações do Metodismo Unido (Plano de Indianápolis) ; e UMC da próxima geração (plano UMCNEXT) - todos têm procedimentos semelhantes para as igrejas locais, embora os planos variem em detalhes, como se é necessária uma maioria simples ou uma maioria de dois terços para que a igreja saia. Os desenvolvedores do Novas Denominações e da UMC da próxima geração disseram que agora apoiam o protocolo.

Novas expressões em todo o mundo (UM Forward) dissolve a Igreja Metodista Unida e forma quatro novas denominações globais, depois cria um Conselho de Transição que elabora os detalhes da separação. Mas, novamente, as igrejas locais teriam que votar apenas se quisessem escolher uma denominação diferente de sua conferência anual.
  
"É um momento super triste", disse o reverendo James Howell, pastor sênior da Igreja Metodista Unida de Myers Park, em Charlotte, Carolina do Norte, e delegado da Conferência Geral de 2020.

Um cálice de comunhão, quebrado em protesto à posição da Igreja Metodista Unida sobre a homossexualidade foi consertado e devolvido ao altar como um símbolo de cura para o encerramento da adoração na Conferência Geral Metodista Unida de 2004 em Pittsburgh. Gráfico de Laurens Glass, versão em português Ver. Gustavo Vasquez. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU. 
Um cálice de comunhão, quebrado em protesto à posição da Igreja Metodista Unida sobre a homossexualidade foi consertado e devolvido ao altar como um símbolo de cura para o encerramento da adoração na Conferência Geral Metodista Unida de 2004 em Pittsburgh. Gráfico de Laurens Glass, versão em português Rev. Gustavo Vasquez. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU. 

Howell descreve sua igreja como uma igreja Metodista Unida de grandes tendas que tem pessoas de todos os lados da questão que adoram juntas. Howell inicialmente pensou que sua igreja não precisaria votar se o protocolo fosse aprovado.
 
"Eu disse ao nosso pessoal, a beleza disso é que não precisamos escolher", disse ele. No entanto, se a conferência decidir ir com a denominação tradicionalista, Howell disse que sua igreja votaria em deixar a conferência.
 
Algumas igrejas dos EUA já explicaram seus planos.
 
A Igreja Metodista Unida de Oak Hill, em Austin, Texas, realizou uma votação com resultado de 24 votos a 1, por uma resolução afirmando que eles permanecerão na Igreja Metodista Unida e trabalharão pela inclusão total de pessoas LGBTQ.

“A Igreja Metodista Unida de Oak Hill acredita que a aprovação do Plano Tradicional causou danos a uma parte da nossa comunidade cujo único desejo é adorar a Deus. (…) Afirmamos que todas as pessoas são filhos amados de Deus”, disse a igreja em um comunicado de imprensa de 18 de fevereiro.
 
Margie Briggs, ministra leiga de duas pequenas congregações rurais no Missouri, disse que suas igrejas se dedicam a continuar a servir a comunidade.

"Nunca pedimos informações a pessoas da comunidade ou convidados", disse ela. “Nós os recebemos como filhos de Deus, e eles continuarão a fazer o mesmo depois da Conferência Geral.”

Se a Conferência Geral aprovar o protocolo, as igrejas locais dos EUA que desejam se realinhar podem começar a votar no final do verão deste ano. Eles não precisam esperar a conferência anual votar, embora uma igreja possa evitar uma votação esperando para ver o que a conferência anual faz. Se a conferência se alinhar com a denominação metodista que a igreja deseja, não será necessária votação.
 
O que a igreja faz para convocar uma votação?

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Sob o protocolo, o conselho da igreja decidia se deveria pedir uma votação e, em seguida, faria essa solicitação ao superintendente distrital. O superintendente seria obrigado a convocar essa reunião dentro de 60 dias após a solicitação. A decisão seria tomada pelo voto de todos os membros que estão na reunião.

A liderança da igreja decidirá se é necessária uma maioria simples ou dois terços dos votos. A igreja local pode escolher uma denominação diferente daquela de sua conferência anual e reter propriedades, ativos e passivos. Se uma igreja local votar para se alinhar com uma nova denominação, ela deverá manter responsabilidades de conexão até a separação - continuar pagando repartições, pensões, benefícios de saúde e outros custos.

Se uma igreja local se alinhar com uma nova denominação metodista, a primeira mudança seria em 1º de janeiro de 2021. No entanto, as igrejas locais têm até 24 de dezembro de 2024 para votar no alinhamento com uma nova denominação.

Sob o Plano de novas denominações, as igrejas locais que não concordarem com o alinhamento de sua conferência anual podem - por um simples voto da maioria dos membros professos presentes em uma conferência regular, conferência de carga convocada ou conferência da igreja - escolher se alinhar de maneira diferente. Ou uma igreja pode se juntar a 50 ou mais outras igrejas locais na formação de outra denominação de Metodismo. As igrejas que não votam permanecem em sua conferência anual, independentemente do alinhamento escolhido pela conferência.

A UMC de próxima geração declara que, se o conselho de uma igreja local determinar que, se uma igreja deseja considerar o fim de seu relacionamento com a Igreja Metodista Unida, o conselho deve enviar uma solicitação ao superintendente distrital. Dentro de 30 dias após o recebimento do pedido, o superintendente deve convocar uma conferência da igreja.

 

Delegates Burnham A. Robinson (left) and Judith A. Sands embrace following a vote affirming unity in the United Methodist Church at the close of the denomination's 2004 General Conference in Pittsburgh. Talk before the upcoming 2020 General Conference in Minneapolis is about dividing the church. File photo by John C. Goodwin, UM News.
Os delegados Burnham A. Robinson (à esquerda) e Judith A. Sands se abraçam após uma votação afirmando a unidade na Igreja Metodista Unida no final da Conferência Geral da denominação em 2004 em Pittsburgh. Conversas antes da próxima Conferência Geral de 2020 em Minneapolis é sobre a divisão a igreja. Foto de arquivo de John C. Goodwin, Notícias MU. 

A decisão de encerrar o relacionamento da igreja local com a Igreja Metodista Unida deve ser aprovada por maioria de dois terços dos votos dos membros professos da igreja local presentes e votando na conferência da igreja. A igreja local mantém sua propriedade e não pode ser obrigada a pagar mais de 12 meses de repartição.

A Novas Expressões em todo o mundo, cria igrejas metodistas tradicionalistas, moderadas, progressistas e de libertação. Se esse plano for aprovado, um plano de separação será apresentado a uma Conferência Geral especial ocorrendo antes de 2024.

Segundo esse plano, as igrejas locais que não concordarem com a decisão da conferência anual podem decidir por maioria de dois terços dos votos de uma conferência da igreja para se alinharem com uma denominação diferente. Todos os ativos e passivos da igreja local seriam retidos por essa igreja local.
 
processo de separação nas conferências centrais na África, Europa e Filipinas é diferente do dos Estados Unidos sob o protocolo. As igrejas locais nas conferências centrais não podem votar até que o corpo da conferência central, por exemplo, a Conferência Central da África e a conferência anual tenham votado em que nova denominação se alinhar.
 
Uma igreja local permanece automaticamente com a conferência anual, a menos que ela discorde do alinhamento da conferência. Nesse caso, a igreja pode votar para se alinhar com um corpo diferente, e o processo é semelhante ao dos EUA, com a liderança da igreja decidindo se deve exigir uma votação majoritária simples ou uma votação de dois terços para se alinhar diferentemente da conferência anual .

O UMC da Próxima Geração, as Novas Expressões em todo o mundo e as Novas Denominações teriam igrejas locais na África, Europa e Filipinas, seguindo os mesmos procedimentos que as igrejas dos EUA se discordarem da escolha de sua conferência anual. 

A Conferência Geral de 2019 adicionou um novo parágrafo ao livro de leis da denominação sobre "Desassociação de igrejas locais por questões relacionadas à sexualidade humana". A legislação permite que as congregações, com limitações, deixem a denominação enquanto mantêm as propriedades da igreja.
 
Algumas igrejas já deixaram a denominação de acordo com essa legislação, mesmo que a legislação seja revisada pelo Conselho Judicial, a principal corte da denominação, em sua reunião de 29 de abril a 2 de maio. O Conselho dos Bispos pediu ao tribunal para determinar se perguntas sobre votação imprópria invalidaram essa petição.
 
A moral da história é que ninguém quer ser o desistente, disse Howell.

"Parece um fracasso, terminar com algumas pessoas que eu amo e queria estar na igreja", disse Howell.

 

*Gilbert é um repórter multimídia da Notícias MU. Entre em contato com ela pelo telefone (615) 742-5470 ou [email protected] . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
A bispa Sally Dyck preside uma discussão sobre o orçamento da igreja durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Com a próxima Conferência Geral adiada até 2021, o conselho da agência financeira da denominação decidiu que não tinha outra escolha senão continuar com a fórmula de rateio aprovada em 2016. Foto de arquivo de Maile Bradfield, Notícias MU.

A luta com o orçamento após o adiamento do GC2020

Os líderes financeiros decidiram que não tinham escolha a não ser estender as diretrizes orçamentárias da Conferência Geral de 2016. Mas também reconhecem os desafios financeiros causados ​​pelo COVID-19.
Área Geral da Igreja
A Comissão decidiu continuar com a sede no Centro de Convenções de Minneapolis para a reunião do próximo ano. Fotocomposição em português UMCOM.

Conferência Geral muda para 2021

Embora uma data específica ainda não tenha sido determinada, a Comissão decidiu continuar com Minneapolis como local da reunião.
Área Geral da Igreja
Os Bispos Metodistas Unidos Tracy S. Malone (à esquerda) LaTrelle Easterling (centro) e Gregory V. Palmer participam de um painel de discussão sobre as principais mudanças estruturais propostas à Conferência Geral e as opiniões dos líderes metodistas unidos negros durante o Black Methodists for Church Renewal (Metodistas Negros para Renovação da Igreja), reunião em Kansas City, Missouri. Foto de John W. Coleman.

Caucus afro-americano foca em planos de separação, e visões de liderança

Caucus afro-americano da Igreja Metodista Unida determinou o plano de protocolo para a separação amigável da denominação.