Grupo africano chave apoia Plano do Protocolo

Other Manual Translations: English 한국어 español

Apesar das reservas, os líderes da Iniciativa África - um grupo de defesa dos Metodistas Unidos - endossaram uma proposta de separação da denominação.

O endosso potencialmente abre um obstáculo à aprovação da legislação quando a Conferência Geral, o órgão legislativo internacional da denominação, se reunirá de 5 a 15 de maio, em Minneapolis.

"Após vigorosas discussões e críticas, os líderes da UMC Africa Initiative decidiram apoiar a aprovação da legislação de implementação do Protocolo de Reconciliação e Graça Através da Separação", disseram os líderes do grupo em um comunicado de 27 de fevereiro.

A liderança do grupo está pedindo emendas à proposta de protocolo. No entanto, as mudanças que o grupo busca são mais modestas do que as buscadas em uma resolução aprovada pela Conferência da Libéria da denominação no início deste mês.
 
O Rev. Jerry Kulah, coordenador geral da Africa Initiative, apresentou a resolução da Libéria, e também foi o primeiro signatário da declaração da iniciativa. 

Ele e outros 15 líderes da Africa Initiative assinaram a declaração, divulgada após o encontro entre os dias 24 e 27 de fevereiro em Joanesburgo. Kulah, um veterano delegado da Conferência Geral, disse à Notícias MU que acredita que a declaração representa uma visão ampla da África.
 
"Além dos principais líderes presentes na reunião consultiva, recebemos as opiniões de milhares de líderes e membros comuns nos bancos das igrejas na África que os delegados representam", disse Kulah. "Esta declaração pertence a quase todos nós".

Endossos do grupo de advocacia

Além da liderança da UMC Africa Initiative, o protocolo foi endossado pelos conselhos de administração de grupos de advocacy sob perspectivas tradicionalista, centrista e progressista.

Os membros da equipe do protocolo disseram que esses grupos são: o Movimento Confessante da Igreja Metodista Unida, Boas Novas, UMC Mainstream, Uniting Methodists, Rede de Ministérios de Reconciliação, UMCNext e a Associação do Pacto Wesleyano..

A Africa Initiative agora se junta a sete grupos de advocacia sediados nos EUA, cujos conselhos de administração endossaram o plano. 

"Sou grato pelo endosso do protocolo e reconheço as preocupações que eles compartilharam", disse o Rev. Junius Dotson, um dos negociadores do protocolo e o principal executivo dos Ministérios de Discipulado da denominação.

“Acredito que o endosso aumenta muito as chances de aprovação do protocolo. Ele envia um sinal claro de que o protocolo continua a contar com amplo apoio de pessoas em todo o espectro teológico global. ”

Randall Miller, outro negociador de protocolos, ecoou a gratidão de Dotson.

"A ação corajosa deles significa que a igreja se aproxima de superar as profundas divisões que nos polarizam há tanto tempo", disse Miller. "Espero que o apoio continue a aumentar entre indivíduos e igrejas na África".

O protocolo foi desenvolvido depois que o bispo de Serra Leoa, John Yambasu, reuniu bispos metodistas unidos e líderes de grupos de defesa de direitos com perspectivas divergentes sobre a homossexualidade. 

A equipe concordou que divisões de longa data sobre casamentos entre pessoas do mesmo sexo e ordenação LGBTQ estavam destruindo a Igreja Metodista Unida, exigindo uma separação de caminhos. Trabalhando com o renomado mediador Kenneth Feinberg, 16 líderes desenvolveram um compromisso que esperam evitar ações judiciais. 

A proposta permite que congregações e conferências tradicionalistas - que se opõem em bases bíblicas à uniões entre pessoas do mesmo sexo e à ordenação de clérigos gays "praticantes" - forme uma nova denominação, mantendo suas propriedades e recebendo US $ 25 milhões em fundos metodistas unidos. Outros US $ 2 milhões estariam disponíveis para outros grupos de igrejas que possam sair.

Os Metodistas Unidos que negociaram o compromisso fazem parte de grupos que frequentemente tomam lados opostos na Conferência Geral, apoiando recentemente planos rivais na sessão especial de 2019 da Conferência Geral.
  
No entanto, Yambasu era o único africano na equipe de negociação, e a África é uma parte crescente dos membros da denominação. Dos 862 delegados eleitos da Conferência Geral de 2020, cerca de 32% virão do continente africano.

Em sua declaração, os líderes da Africa Initiative disseram: "nos sentimos profundamente decepcionados pela a África não estar adequadamente representada na mesa de negociações para apresentar as preocupações da igreja africana".

Eles também disseram que o protocolo é injusto porque os africanos deixam de fazer parte da igreja Metodista Unida pós-separação e priva aqueles que deixam de usar o nome Metodista Unido e o logotipo da cruz e da chama. Eles também discordam da distribuição de recursos do protocolo.

“Apesar dessas preocupações, no interesse comum da igreja global e na necessidade da igreja de uma separação amigável, decidimos apoiar a aprovação da legislação de implementação", disseram os líderes.

O grupo acrescentou que pede emendas que:

• Permitam que os africanos tradicionalistas usem o nome Metodista Unido e mantenham a Cruz e Chama, com modificações.

• Reduza o limite de votos de dois terços para 57% para as conferências centrais - regiões da igreja na África, Filipinas e Europa - para ingressar na nova igreja metodista tradicionalista. Um voto de 57% é o que a legislação do protocolo exige para conferências anuais - sub-regiões em conferências centrais e jurisdições dos EUA - para decidir sua afiliação denominacional.

• Oferecer garantias de que toda conferência central, conferência anual e igreja local possa votar sem nenhuma forma de supressão ou coerção por ninguém.

A Africa Initiative difere da resolução da Libéria, que afirma que apenas uma maioria simples deve ser a margem pela qual conferências ou igrejas decidem sua afiliação denominacional. Em vez de um grupo tradicionalista de partida receber US $ 25 milhões, a resolução da Libéria também exige que US $ 120 milhões em ativos metodistas unidos sejam divididos igualmente entre as cinco jurisdições dos EUA e sete conferências centrais. 

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

A declaração Africa Initiative não especifica nenhuma realocação de ativos. De acordo com um relatório da agência financeira da denominação, os fundos gerais Metodistas Unidos foram projetados para ter US $ 108,9 milhões em ativos líquidos irrestritos no final de 2019 . Isso representa todas as reservas líquidas da igreja geral.
 
"A Conferência Anual da Libéria falou, e agora a UMC Africa Initiative, que representa as vozes das três conferências centrais da África, falou", disse Kulah à Notícias MU. 

“A mensagem da Iniciativa África é clara. Se alguém pensa que podemos ser resgatados por causa de nossos desafios financeiros, isso é um erro triste. Nossa mensagem é simples: 'Você pode ter o mundo inteiro, mas nos dê Jesus!'”

Os delegados têm o direito de fazer emendas a qualquer legislação antes da Conferência Geral. No entanto, Dotson disse que há risco de alterar essa proposta mediada.

 
"Gostaria de lembrar que o protocolo representa compromissos delicados que anteriormente não conseguimos alcançar em uma assembleia legislativa completa", disse ele. "Acredito que todos os membros da equipe de mediação recomendariam a aprovação da legislação de implementação do protocolo sem emendas".

Por sua parte, Yambasu está se preparando para a Conferência de Serra Leoa, que está programada para votar na submissão do protocolo à Conferência Geral durante a reunião de 4 a 8 de março. 

O protocolo foi desenvolvido após o prazo oficial para petições da Associação Geral. No entanto, uma parte pouco usada do Livro de Disciplina - o livro de políticas da denominação - permite que as conferências anuais submetam a legislação posteriormente, se elas se reunirem entre 230 e 45 dias antes da Conferência Geral.

A Conferência de Cavite das Filipinas já votou pela submissão da legislação em sua reunião de 12 a 14 de fevereiro na cidade de Tagaytay, Filipinas, e a Conferência de Michigan agendou uma sessão especial em 7 de março para considerar o envio da legislação do protocolo. 

Yambasu disse à Notícias MU que espera que todos na Conferência de Serra Leoa apoiem a legislação do protocolo.

Ele acrescentou que a Africa Initiative é apenas um grupo de advocacia na igreja. 

"A Africa Initiative não fala pela África", disse ele à Notícias MU. "Eles não têm autoridade para falar em nome da África."

No entanto, a iniciativa - que recebe apoio financeiro dos grupos de renovação do Good News e de outros grupos tradicionalistas - tem influência. O grupo normalmente organiza uma reunião antes de cada Conferência Geral para discutir a estratégia legislativa com os delegados africanos e planeja fazê-lo novamente nesta primavera.
 
Kulah disse que acredita que os africanos estão comprometidos em fazer parte de uma igreja metodista tradicionalista global.

"As três conferências centrais da África são intransigentes quanto ao seu compromisso de sustentar o cristianismo bíblico na África", disse ele.

 
*Hahn é uma repórter multimídia da Notícias Metodista Unida. Entre em contato com ela pelo telefone (615) 742-5470 ou [email protected] . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumo quinzenal gratuito.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
A bispa Sally Dyck preside uma discussão sobre o orçamento da igreja durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Com a próxima Conferência Geral adiada até 2021, o conselho da agência financeira da denominação decidiu que não tinha outra escolha senão continuar com a fórmula de rateio aprovada em 2016. Foto de arquivo de Maile Bradfield, Notícias MU.

A luta com o orçamento após o adiamento do GC2020

Os líderes financeiros decidiram que não tinham escolha a não ser estender as diretrizes orçamentárias da Conferência Geral de 2016. Mas também reconhecem os desafios financeiros causados ​​pelo COVID-19.
Área Geral da Igreja
A Comissão decidiu continuar com a sede no Centro de Convenções de Minneapolis para a reunião do próximo ano. Fotocomposição em português UMCOM.

Conferência Geral muda para 2021

Embora uma data específica ainda não tenha sido determinada, a Comissão decidiu continuar com Minneapolis como local da reunião.
Área Geral da Igreja
Os Bispos Metodistas Unidos Tracy S. Malone (à esquerda) LaTrelle Easterling (centro) e Gregory V. Palmer participam de um painel de discussão sobre as principais mudanças estruturais propostas à Conferência Geral e as opiniões dos líderes metodistas unidos negros durante o Black Methodists for Church Renewal (Metodistas Negros para Renovação da Igreja), reunião em Kansas City, Missouri. Foto de John W. Coleman.

Caucus afro-americano foca em planos de separação, e visões de liderança

Caucus afro-americano da Igreja Metodista Unida determinou o plano de protocolo para a separação amigável da denominação.