Mega igreja de Indiana deixa denominação

Other Manual Translations: English 한국어 español
A view of the Granger, Ind., campus of Granger Community Church, which has left The United Methodist Church. It has been one of the denomination’s largest and best-attended churches, but leaders wanted to control who would be the next pastor. Photo courtesy of Granger Community Church.

Vista do campus da Granger Community Church, em Granger, Indiana, que deixou a Igreja Metodista Unida. Foi uma das maiores e mais frequentadas igrejas da denominação, mas os líderes queriam controlar quem seria o próximo pastor. Foto cedida por Granger Community Church.

A Granger Community Church (Igreja Comunidade Granger) uma congregação de 3.300 membros no centro de Indiana, deixou a Igreja Metodista Unida depois de concordar em pagar à Conferência de Indiana cerca de US $ 2,6 milhões.

A conferência confirmou a partida em uma declaração de 13 de julho, descrevendo as negociações como "governadas pelo respeito mútuo e um compromisso de oração para espalhar o amor de Jesus Cristo".

O presidente do conselho administrativo da igreja, Barry Hall, disse que uma das principais razões para sair era manter o controle sobre quem sucederia ao Rev. Mark Beeson, pastor fundador e líder da Comunidade Granger por mais de três décadas.

"Sabíamos que a GCC precisaria de um novo líder e queríamos escolher nosso próprio líder, e não um nomeado para nós", disse Hall durante um culto em 5 de julho.

Hall também descreveu negociações amigáveis, dizendo que "a mão de Deus era evidente em todas as nossas discussões".

The Rev. Mark Beeson is now pastor emeritus of Granger Community Church, with campuses in Granger and Elkhart, Ind. In 1986, Beeson and his wife, Sheila, started the church in their living room with just a few other people. Under Mark Beeson, the church would become one of the largest in The United Methodist Church, but it has left the denomination after reaching an agreement with the Indiana Conference. Photo courtesy of Granger Community Church.
O Rev. Mark Beeson agora é pastor emérito da Granger Community Church, com campus em Granger e Elkhart, Ind. Em 1986, Beeson e sua esposa, Sheila, começaram a igreja na sala de estar com apenas algumas outras pessoas. Sob a direção de Mark Beeson, a igreja se tornaria uma das maiores da Igreja Metodista Unida, mas deixou a denominação depois de chegar a um acordo com a Conferência de Indiana. Foto cedida por Granger Community Church.

A declaração da conferência abordou alguns dos detalhes da partida da Comunidade Granger.

"Porque a Igreja Comunidade Granger, como todas as igrejas Metodistas Unidas, mantinha sua propriedade em confiança para o benefício de toda a denominação Metodista Unida, as partes tiveram negociações significativas que levaram a essa resolução", afirmou o comunicado.

O acordo não envolveu uma desfiliação nos termos do novo parágrafo 2553 do Livro de Disciplina Metodista Unido. Esse parágrafo, acrescentado pela Conferência Geral de 2019, permite que as igrejas desassociarem por "questões relacionadas à sexualidade humana".

Em vez disso, a partida ocorreu sob outro parágrafo disciplinar, que permite o fechamento da Comunidade Granger como uma Igreja Metodista Unida. A conferência chegou a um acordo de compra de US $ 2,6 milhões com a Comunidade Granger, como uma congregação local e não afiliada, para os ativos.

"Desse montante, US $ 524.000 serão depositados na Wespath (agência de pensões da denominação) pela parcela de passivos de pensões não financiados da Granger, e outros US $ 617.000 serão depositados no fundo de subsídio de saúde para aposentados da conferência na Wespath como participação justa proporcional da Granger", disse a declaração da conferência. "Os fundos restantes representam dois anos de dízimos líquidos não pagos (dividendos) da Granger."

Fundada em 1986 por Beeson, sua esposa, Sheila, e algumas outras pessoas na sala de estar dos Beesons, a Comunidade Granger cresceu e se tornou uma das mega igrejas da denominação em filiação, com estatísticas ainda mais impressionantes na frequência média de cultos.

A Comunidade Granger ficou em 10º lugar entre as igrejas Metodistas Unidas nos EUA, de acordo com as estatísticas de 2018 mantidas pelo Conselho Geral de Finanças e Administração da denominação.

A igreja tem campi nas comunidades Granger e Elkhart, no centro de Indiana, e atrai muitos para cultos e reuniões de pequenos grupos que não fazem parte da lista de membros.

Beeson, vencedor do prêmio Foundation for Evangelism Distinguished Evangelist em 2013, continuou a liderar a Comunidade Granger até dezembro passado.

Ele compartilhou abertamente sobre o câncer de pâncreas e se aposentou oficialmente da Igreja Metodista Unida em 1º de julho. Ele continua sendo pastor emérito da Comunidade Granger.

Os líderes da igreja nomearam o Rev. Ted Bryant, que ocupou vários cargos na equipe, como sucessor de Beeson.

The Elkhart, Ind., campus is a second site for Granger Community Church. The church has been one of The United Methodist Church’s largest, but recently reached an agreement to leave the denomination. Photo courtesy of Granger Community Church.

O campus de Elkhart, Indiana, é um segundo local para a Igreja da Comunidade Granger. A igreja tem sido uma das maiores da Igreja Metodista Unida, mas recentemente chegou a um acordo para deixar a denominação. Foto cedida por Granger Community Church.

A Igreja Metodista Unida há muito intensifica conflitos sobre a inclusão de pessoas LGBTQ, e a próxima Conferência Geral enfrenta vários planos de separação propostos, incluindo um negociado com a ajuda de um mediador profissional. A Conferência Geral agora está adiada para 2021 por causa da pandemia do COVID-19.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Nem Granger nem a Conferência de Indiana fizeram referência à possibilidade de separação ou à política denominacional ao abordar a decisão de Granger de sair.

A Comunidade Granger, durante anos, dirigiu um curso um tanto independente para uma igreja dentro de uma denominação de conexão, incluindo o pagamento de uma baixa porcentagem de repartições.

Mas o Rev. Kent Millard, presidente do Seminário Teológico Unido e ex-pastor da Igreja Metodista Unida de St. Luke em Indianápolis, disse que a Beeson e a Comunidade Granger ajudaram igrejas Metodistas Unidas e outras em todo o estado há anos, empreendendo uma batalha legal cara para proteger isenções de impostos imobiliários a propriedades da igreja.

"Apreciei e contei a Mark (Beeson) isso várias vezes", disse ele.

Millard também creditou a Comunidade Granger, sob a direção de Beeson, como pioneira no culto contemporâneo e na criação de programas inovadores e atraentes nas escolas dominicais.

Ele disse que o estilo de pregação picture-painting (pintura de figuras) de Beeson ajudou a atrair pessoas que tinham pouco ou nenhum histórico na igreja.

"Ele tem uma paixão por espalhar as boas novas da incrível graça de Deus para todas as pessoas", disse Millard. "A igreja começou a crescer sob sua liderança inspiradora."

A declaração da conferência expressou gratidão, inclusive do Bispo da Conferência de Indiana, Julius Trimble, pelos “muitos ministérios da Comunidade Granger que moldaram muitas comunidades” e pelo “serviço fiel” de Beeson ao longo dos anos.

 

*Hodges é um escritor de Dallas para o Notícias Metodista Unida. Heather Hahn, da Notícias MU, contribuiu. Entre em contato com Hodges pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
Os delegados dão as mãos e oram em 23 de fevereiro de 2019, no plenário de abertura da sessão extraordinária da Conferência Geral realizada em St. Louis. Foto de arquivo de Paul Jeffrey, Notícias MU.

Perguntas e Respostas: O que significa o atraso para a Conferência Geral

Os organizadores respondem a perguntas sobre o que o adiamento para 2021 significa para a assembléia legislativa da Igreja Metodista Unida.
Área Geral da Igreja
Os Bispos Metodistas Unidos Tracy S. Malone (à esquerda) LaTrelle Easterling (centro) e Gregory V. Palmer participam de um painel de discussão sobre as principais mudanças estruturais propostas à Conferência Geral e as opiniões dos líderes metodistas unidos negros durante o Black Methodists for Church Renewal (Metodistas Negros para Renovação da Igreja), reunião em Kansas City, Missouri. Foto de John W. Coleman.

Caucus afro-americano foca em planos de separação, e visões de liderança

Caucus afro-americano da Igreja Metodista Unida determinou o plano de protocolo para a separação amigável da denominação.
Área Geral da Igreja
Um delegado lida com contas de oração durante a oração na Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Com o Coronavírus adiando a Conferência Geral de 2020, os líderes da igreja esperam que os Metodistas Unidos possam ter mais tempo para orar e ser a igreja. Foto de arquivo de Paul Jeffrey, Notícias MU.

No adiamento do GC2020, os líderes veem a pausa necessária

Delegados e bispos da Conferência Geral consideram necessário adiamento. Agora, a prioridade é responder à pandemia do COVID-19.