IMU Epworth revela instalação de arte em homenagem às afro-americanos mortos pela polícia

Other Manual Translations: Español

À medida que o aniversário de um ano do assassinato de George Floyd se aproxima, uma instalação artística homenageando as vidas de afro-americanos mortos durante suas interações com a polícia foi revelada na Igreja Metodista Unida Epworth, localizada na Hopkins Street 1953 em Berkeley, CA.

Estimulada por protestos em todo o país contra a brutalidade policial e o racismo sistêmico, a Igreja Metodista Unida Epworth embarcou em um compromisso de um ano de oração intencional, estudo e ação em direção à mudança sistêmica para a justiça racial.

“O título da instalação, 'Além de Fevereiro', é uma referência ao ato de estender nossa observância do Mês da História Negra”, disse a Revda. Dra. Kristin Stoneking, pastora de Epworth. “Muitas vezes os espaços em branco limitam o envolvimento com a realidade da vida negra ao mês de fevereiro. 'Além de fevereiro' ressalta nosso compromisso com a verdade e o cálculo racial todos os dias em um compromisso contínuo e que de ano inteiro com a justiça racial e o trabalho antirracista”.

A arte em exibição é o culminar do mergulho profundo dos membros da igreja e da pesquisa sobre a vida de 18 pessoas mortas em suas interações com a polícia. Ao criar essas peças de arte, colagem, poesia e escultura, os membros da igreja se inspiraram em palavras e homenagens de pais, pastores, filhos e amigos para descrever e abordar a vida, o amor, a comunidade e a família dos que partiram.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Esta instalação está exposta ao público nas janelas do átrio da igreja e permanecerá em vigor durante todo o verão. Ao utilizar as janelas da igreja como molduras para essas peças de arte, a facilitadora do projeto e PhD Dianne Rush Woods, explica que a instalação reflete o compromisso e a alma da igreja: “Como uma colcha de retalhos, essas molduras envolvem nossa percepção desses indivíduos em um contexto diferente. Não no contexto da tragédia e da morte, mas da comunidade e da vida. É importante que as janelas desta igreja testemunhem a interação entre a polícia e os policiados. O direito de viver é o que esta instalação aborda.”

De acordo com Stoneking, “os princípios sociais da Igreja Metodista Unida apelam aos membros para 'reconhecer o racismo como pecado e afirmar o valor final e temporal de todas as pessoas... [e] comprometer-se como Igreja a ir além das expressões simbólicas e modelos representativos que não desafiam sistemas injustos de poder e acesso'”. No entanto, Epworth, como muitas organizações nos Estados Unidos que estão conectadas a estruturas que datam de centenas de anos, tem um histórico misto de justiça racial. Ao descobrir a história, contar a verdade, estudar, lamentar, promover ritual e orar, estamos calculando nosso passado para forjar um futuro antirracista.”

 

**Merrie Blunt atua como Diretora de Comunicações da Igreja Metodista Unida Epworth e é membro Leiga para a Sessão da Conferência Anual.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected].Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

Racismo
O Rev. Giovanni Arroyo atua como alto executivo da Comissão Metodista Unida sobre Religião e Raça, a agência formada para responsabilizar a denominação pelo seu compromisso de rejeitar o racismo na vida da igreja. Foto por Mike DuBose, Notícias MU.

Fazendo as perguntas difíceis sobre raça

Nascido em Porto Rico, o Rev. Giovanni Arroyo sabe em primeira mão o que é ser uma minoria nos EUA, e essa experiência interfere na maneira como ele persegue sua missão como a principal responsável pela inclusão da Igreja Metodista Unida.
Missão
O Bispo Mande Muyombo fala durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2019 em St. Louis. Muyombo foi o orador principal da reunião de 28 de abril a 1º de maio dos Black Methodists for Church Renewal (Metodistas Negros para a Renovação da Igreja), que foi realizada online. Foto de arquivo por Paul Jeffrey, Notícias MU.

Líderes negros discutem o futuro da Igreja

Os oradores da 55ª Assembleia Geral de Metodistas Negros para a Renovação da Igreja estavam desconfiados do que uma possível fragmentação da Igreja Metodista Unida significaria para as igrejas negras, se baseando parcialmente nos resultados de fusões e divisões anteriores.
Racismo
Até o momento, eles haviam acabado de participar de um comício no Statehouse (Casa do Estado) da Carolina do Sul em 23 de abril, com a National Association for the Advancement of Colored People (Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor) para denunciar a pena de morte e estavam se preparando para uma entrevista coletiva em 27 de abril com a South Carolina Black Activist Coalition (Coalizão de Ativistas Negros da Carolina do Sul), também na Casa do Estado, para continuar a conversa. Foto por Jackie Jackson, Conferência Anual da Carolina do Sul.

Metodistas se reúnem para acabar com a pena de morte após anúncio de execuções

Em março, funcionários de correções estaduais revelaram que as reformas foram concluídas na câmara da morte do estado para acomodar o pelotão de fuzilamento, e a data de execução de Moore foi marcada para 29 de abril.