Incêndios e coronavírus complicam a ajuda humanitária no Ocidente

Other Manual Translations: English 한국어 español

A crise do incêndio que assolou a Califórnia por semanas deu uma guinada dramática e se espalhou pelo noroeste do Pacífico, alimentando-se de condições secas e ventos fortes.

Os incêndios causaram pelo menos 35 mortes relatadas, consumiram mais de 3 milhões de acres na Califórnia, quase 1 milhão de acres no Oregon e destruíram cidades inteiras em Washington. 

Após um furacão ou tornado, a resposta natural para as equipes de ajuda humanitária da igreja e voluntários é entrar em ação imediatamente, descendo sobre a área afetada com o que for necessário - motosserras, geradores, água engarrafada e alimentos.

Tal resposta não é possível em um incêndio florestal. Espera-se que muitos queimem por mais várias semanas antes da contenção. Assim que os incêndios forem extintos, a Agência de Proteção Ambiental deve inspecionar a área em busca de toxinas antes de declarar que é segura para os proprietários ou equipes de trabalho, uma vez que muitas casas mais antigas podem ter tinta com chumbo ou amianto.

“Essa é a grande diferença entre fogo e tornados ou furacões: você não pode entrar imediatamente”, disse Judy Lewis, coordenadora de ajuda humanitária da Conferência California-Pacific. “Para um incêndio que está acontecendo hoje, podemos conseguir entrar nesses bairros em novembro.”

Essa é uma das razões pelas quais Sonja Edd-Bennett, coordenadora de ajuda humanitária da Conferência California-Nevada, disse que não está pronta para receber voluntários não locais agora. 

A conferência dela está trabalhando com a National Voluntary Organizations Active in Disaster (Organizações Voluntárias Nacionais Ativas em Desastres), uma associação sem fins lucrativos de organizações de socorro em desastres, para ajudar os sobreviventes do incêndio do Complexo Elétrico CZU na área de Santa Cruz e San Mateo. Esse incêndio, iniciado em agosto por quedas de raios, queimou mais de 80.000 acres, destruiu mais de 1.400 edifícios e levou a uma morte.

U.S. Army soldiers from the California Army National Guard’s Task Force Rattlesnake out of Redding, Calif., put out a fire Sept. 1, near Scott’s Valley during the CZU (Cal Fire designation for its San Mateo–Santa Cruz Unit) Lightning Complex Fire in Santa Cruz and San Mateo counties. Photo by Staff Sgt. Eddie Siguenza, U.S. Army National Guard.

Soldados do Exército dos EUA da Força-Tarefa Rattlesnake da Guarda Nacional do Exército da Califórnia em Redding, Califórnia, apagaram um incêndio no dia 1º de setembro, perto do Vale de Scott, durante o incêndio no complexo de relâmpagos CZU nos condados de Santa Cruz e San Mateo. Foto de Staff Sgt. Eddie Siguenza, Guarda Nacional do Exército dos EUA.

Como ajudar

Monte e doe baldes para incêndios florestais.

Doe ao Comitê Metodista Unido de Socorro, Resposta a Desastres e Recuperação dos EUA por meio do Advance # 901670.

Treinamento de resposta a desastres UMCOR.

Para doar diretamente para um fundo de ajuda em desastres da conferência:

Conferência California-Nevada
Conferência 
California-Pacific
Conferência
 Oregon-Idaho
Conferência
 Pacific Northwest

Edd-Bennett disse que a necessidade mais urgente são doações em dinheiro e baldes para incêndios florestais, uma variação dos baldes de limpeza promovidos pela United Methodist Committee on Relief (Comissão Metodista Unida de Socorro). 

“Temos 500 baldes chegando e estou esperando por mais 500”, disse ela. “As pessoas que podem voltar para suas casas precisarão de um quando voltarem.”

Além de ajudar a limpar, as equipes de resposta precoce treinadas pela UMCOR atuam como uma presença atenciosa quando os sobreviventes vão para casa, especialmente se sua casa foi perdida.

“Estamos ao lado deles como suporte enquanto eles recuperam quaisquer objetos de valor que possam ter sobrevivido”, disse Edd-Bennett. “É importante para a maioria das pessoas voltar, embora eu tenha trabalhado com alguns que estavam tão traumatizados que não querem voltar nunca”.

A Igreja Metodista Unida de Boulder Creek está localizada na área afetada pelo incêndio CZU, e a cidade de Boulder Creek foi forçada a evacuar. O pastor Clyde Vaughn relatou que as casas de vários membros exigirão uma limpeza completa dos danos causados pela fumaça antes de serem habitáveis novamente e uma família na igreja perdeu totalmente a casa.

“É uma família jovem com dois filhos. A tragédia é ampliada porque eles não têm seguro de locação, então nossos membros estão fazendo o que podem para ajudá-los a se recuperar”, disse ele.

Part of a chimney (center) is all that remains of the home of a church family from Boulder Creek United Methodist Church in Boulder Creek, Calif. The family, a young couple with two children, are safe, sheltering in Santa Cruz, Calif., but their possessions are a total loss. Photo courtesy of the Rev. Clyde Vaughn, Boulder Creek United Methodist Church.
 

Parte de uma chaminé (centro) é tudo o que resta da casa de uma família da Igreja Metodista Unida de Boulder Creek em Boulder Creek, Califórnia. A família, um jovem casal com dois filhos, está seguro, abrigado em Santa Cruz, Califórnia, mas suas posses são uma perda total. Foto cortesia do Rev. Clyde Vaughn, Igreja Metodista Unida de Boulder Creek.

A igreja já estava cultuando online devido ao COVID-19, então agora os membros sintonizam de onde quer que estejam - alguns tão distantes quanto Colorado.

Em seu primeiro culto após a evacuação, o orador leigo Ted Bond pregou sobre os salmos, que ele disse serem frequentemente canções de lamento onde pessoas fiéis clamam em angústia. Ele disse que é compreensível ficar triste, com medo e até com raiva de Deus após uma tragédia dessas.

“Tudo bem ter esses sentimentos, mas também o incentivo a procurar as bênçãos surpresa. Deus esteve presente a você neste momento de angústia?" ele perguntou.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O coronavírus é outra complicação para a resposta padrão da igreja ao desastre.

“Não podemos fazer muito agora por causa do COVID-19 e dos mandatos estaduais aos quais estamos atualmente subordinados”, disse Lewis. “Normalmente, teríamos grupos coordenados para ajudar a distribuir as necessidades, mas as pessoas não podem vir buscá-las devido ao bloqueio.”

Lewis também descreveu a dificuldade em alojar os desabrigados. Os centros de convenções de área que normalmente servem como abrigos precisam operar com capacidade limitada, o que também limita o apoio que suas equipes podem oferecer.

“Normalmente trabalhávamos com as crianças, trazíamos coisas para mantê-las ocupadas, encorajá-las a continuar com os trabalhos escolares”, disse ela. “Eles veem a mamãe e o papai chorando e não sabem o que fazer. Tentamos dar uma experiência positiva em uma situação negativa e me sinto mal por não podermos fazer nada.”

Edd-Bennett disse que, mesmo quando o esforço de recuperação do incêndio está começando, ela também está encorajando os residentes a preparar suas terras para possíveis deslizamentos. A área normalmente recebe muita chuva e agora que os incêndios removeram a vegetação, é provável que haja deslizamentos de terra, o que ela considera “desastre após desastre”.

A Bispa da Área Greater Northwest, Elaine JW Stanovsky, compartilhou a preocupação de Edd-Bennett com o que pode estar à espreita no que já foi um ano cheio de tensão e trauma.

Em uma carta para sua área episcopal, ela escreveu: “Clamamos a Deus, buscando misericórdia. Procurando alívio. Buscando apenas um dia quando não sentiremos perigo próximo e não sentiremos que o peso do mundo está em cada um de nossos ombros.”

Embora a recuperação seja longa e difícil, Lewis disse que trazer esperança em uma situação aparentemente desesperadora é exatamente o que a igreja foi chamada a fazer.

“As pessoas precisam ver a face da igreja; queremos trazer esperança... mesmo que seja apenas dando a eles um cartão de combustível ou comida”, disse ela.

 

*Butler é produtor / editor de multimídia da Notícias MU. Contate-o em (615) 742-5470 ou [email protected] Kathy L. Gilbert, redatora de notícias da Notícias MU, contribuiu para este relatório. Para ler mais notícias da Metodista Unida, inscreva-se nos resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
Mais de sete meses após o início da pandemia COVID-19, as perspectivas financeiras para conferências são decididamente místicas. Além da redução de doações, os tesouros da conferência afirmam que a situação não é terrível como parecia na primavera. Foto de Kathryn Price, Comunicações Metodistas Unidas. Gráfico de Laurens Glass, versão em português Rev. Gustavo Vasquez. Notícias MU.

Conferências perseveram sob pressão financeira

As conferências Metodistas Unidas estão oferecendo alívio às igrejas e encontrando maneiras de continuar a ministrar em meio às dificuldades causadas pela pandemia.
Área Geral da Igreja
Com o prazo final para o registro de eleitores se aproximando rapidamente em muitos estados, os Metodistas Unidos estão ajudando a registrar os eleitores para o dia da eleição em 3 de novembro nos EUA. Foto: Kathleen Barry; gráfico por Laurens Glass, Notícias MU.

Quer dar sua opinião? Igrejas incentivam votação

As igrejas Metodistas Unidas estão registrando eleitores nos EUA. “Podemos postar memes nas redes sociais. Mas se não comparecermos no dia da eleição, não teremos dito nada ", disse um pastor.
Missão
Rev. Boaventura Alfredo Mazive (o primeiro à esquerda), superintendente da Área de Maputo Cidade, na Liberdade, Província do Maputo. Mais de 15 igrejas reabriram em Maputo desde o fim do estado de emergência em Agosto, no entanto as medidas de segurança para protecção contra COVID-19 ainda devem ser observadas. Foto do arquivo, por João Sambo, UM News.

Métodos de biossegurança dão esperança para a reabertura de igrejas

No início de Agosto de 2020, quando o chefe de estado moçambicano anunciou a reabertura das escolas do ensino superior e os locais de cultos, muitos moçambicanos agradeceram a medida, porém conscientes de que os métodos de biossegurança são a esperança e o que garante a protecção do povo de Moçambique.