2 jurisdições combatem o racismo nas eleições para bispos

Translate Page

Pontos chave:

  • Tanto a Jurisdição Ocidental quanto a Jurisdição Sudeste se viram abordando como o fanatismo prejudicou o processo de eleição da bispa.
  • A Jurisdição Ocidental realizou uma sessão fechada altamente incomum e divulgou uma declaração de arrependimento em sua próxima sessão de atividades.
  • A Jurisdição Sudeste está formando uma força-tarefa para estudar o impacto do preconceito racial no processo de indicação e seleção de candidatos a bispo.

Duas jurisdições Metodistas Unidas em lados opostos dos EUA interromperam seu trabalho para lidar com o racismo enfrentado por alguns de seus candidatos a bispo – um problema que alguns veem embutido na própria estrutura da conferência jurisdicional. 

Em um movimento altamente incomum, os delegados da Jurisdição Ocidental votaram para se reunir em uma sessão fechada por cerca de uma hora em 3 de novembro para discutir o racismo, sexismo e homofobia vivenciados por alguns de seu grupo diversificado de candidatos episcopais.

“Arrependemo-nos do dano que foi causado em nosso meio, em nosso sistema, e do dano que nós mesmos causamos”, disse um comunicado que os delegados aprovaram e divulgaram na próxima sessão de atividades em 4 de novembro.

“Nós nos arrependemos de participar de rumores pecaminosos e nos arrependemos das maneiras pelas quais permitimos que eles habitassem em nosso corpo. Afirmamos agora, e continuaremos a afirmar, nossos candidatos episcopais. …”

Enquanto isso, a Jurisdição do Sudeste adotou uma resolução para que seu comitê de episcopado criasse uma força-tarefa para estudar o impacto do preconceito racial no processo de indicação e seleção de candidatos a bispo. A força-tarefa terá mais de 50% de representação de grupos sub-representados e entrevistará ex-candidatos episcopais para ouvir suas experiências.

A resolução veio em resposta à dor e frustração expressas por vários candidatos de cor em 3 de novembro, depois que a conferência - tendo elegido dois bispos brancos no dia anterior - lutou para eleger seu terceiro e último bispo, o reverendo Robin Dease.

A Revda. Sharon Bowers, uma candidata negra da Conferência de Holston, exortou a conferência a não cair sob “a tirania do olhar branco” ao anunciar sua retirada.

Bowers explicou mais tarde que, particularmente na Jurisdição do Sudeste, tudo é visto através de uma lente específica, “e essa lente é o olhar branco”. Como resultado, as pessoas muitas vezes não conseguem ver os problemas que estão acontecendo ou como os sistemas são opressivos, disse ela. Além disso, as pessoas de cor “estão operando sob o olhar constante de como devem ser vistas ou se devem ser vistas”, disse ela à Notícias MU.

A Revda. Sharon Austin, uma candidata negra da Conferência da Flórida que se retirou, disse que o processo eleitoral “é degradante, é humilhante”. Ela agradeceu aos colegas Metodistas Unidos da Flórida por seu apoio, mas teve esta palavra de advertência.

“Nunca seremos a igreja que dizemos que queremos ser quando tratamos pessoas de cor como se fossem mercadorias que podem ser facilmente descartadas ou usadas quando precisamos de fotos, liderança e vozes de cor”, disse ela.

A Jurisdição do Sudeste abrange nove estados no sul dos EUA, a maioria dos quais lutou com o legado da escravização de negros e as leis de Jim Crow.

No entanto, esse tipo de dor não se limitou aos Metodistas Unidos na antiga Confederação. A Jurisdição Ocidental abrange os 12 estados mais ocidentais dos EUA e os territórios de Guam e Saipan.

A jurisdição, que usa o tema “Onde mora o amor”, há muito se compromete a criar uma Igreja Metodista Unida totalmente inclusiva. Orgulha-se de eleger uma série de pioneiros metodistas unidos - incluindo o primeiro asiático-americano, o primeiro hispânico/latino, a primeira mulher afro-americana e o primeiro bispo abertamente gay nos EUA. Em 4 de novembro, a jurisdição elegeu o primeiro bispo filipino-americano da denominação, o Rev. Carlo A. Rapanut .

“A suposição de que aqui no Ocidente somos homogêneos e não temos incidentes de atrito não é verdade”, disse Kunle Taiwo, um nigeriano-americano e veterano delegado leigo da conferência jurisdicional do que é agora a Conferência Mountain Sky.

Este ano, a Jurisdição Ocidental começou com 32 candidatos episcopais etnicamente diversos e, em 3 de novembro, a maioria dos candidatos ainda eram pessoas de cor. Mas os bispos ficaram sabendo de rumores perniciosos espalhados sobre alguns dos candidatos.

Isso levou a jurisdição a dar o passo altamente incomum de votar para encerrar a reunião para todos os observadores e desligar a transmissão ao vivo para que os delegados pudessem discutir o que estava acontecendo. Àquela altura, a jurisdição ainda não havia elegido nenhum bispo.

O Livro da Disciplina, o livro de políticas da denominação, diz: “Grande contenção deve ser usada nas reuniões de encerramento; sessões fechadas devem ser usadas o mais raramente possível.”

No entanto, a disposição das reuniões abertas lista alguns assuntos que podem ser considerados em sessões fechadas, incluindo assuntos de pessoal. A sessão fechada foi realizada sob a exceção de pessoal.

Durante a sessão, os delegados se reuniram em pequenos grupos para discutir a situação. Os delegados disseram à Notícias MU que nenhum rumor específico foi discutido.

“Senti que era um espaço mais seguro para conversar, para falar livremente como conferências sobre as lutas que estamos tendo por nos sentirmos quebrados”, disse a Revda. Allison Mark, uma delegada da Conferência Califórnia-Pacífico que é chinesa e Japonesa Americana.

O Rev. Jasper Peters, afro-americano e o primeiro delegado do clero eleito no legado Rocky Mountain, agora Conferência Mountain Sky, disse que a sessão fechada não resolveu as coisas.

“Mas fizemos o importante trabalho de não mais fingir que não há problemas ou fingir que não estamos sendo moldados pelo racismo, sexismo e homofobia que existe entre nós”, disse ele.

“Tivemos que parar, caso contrário, essas coisas continuariam sem nossa capacidade ativa de pelo menos nomear e tentar parar de causar danos.”

 

El Rev. Feliciano Santos Cao, delegado de la Conferencia Anual California-Nevada, se dirige a la Jurisdicción Oeste durante su primer día de sesión plenaria el 2 de noviembre en Salt Lake City. Es el presidente del Comité Coordinador Interétnico de la jurisdicción que trabaja con sus comités étnicos. Elogió una sesión a puerta cerrada entre los/as delegados/as por despejar el aire entre ellos/as y abordar los pecados del racismo, el colonialismo, el sexismo y la homofobia. Al día siguiente, dirigió una oración durante la plenaria en respuesta a la sesión. Foto de Miya Kim, Conferencia Anual California-Pacífico.

O Rev. Feliciano Santos Cao, um delegado da Conferência Califórnia-Nevada, dirige-se à Jurisdição Ocidental durante seu primeiro dia de plenária em 2 de novembro em Salt Lake City. Ele é o presidente do Comitê de Coordenação Interétnica da jurisdição que trabalha com as bancadas étnicas da jurisdição. Ele elogiou uma sessão a portas fechadas entre os delegados por esclarecer as coisas e abordar os pecados do racismo, colonialismo, sexismo e homofobia. No dia seguinte, ele liderou uma oração para o plenário em resposta à sessão. Foto de Miya Kim, Conferência California-Pacific.

O Rev. Felicisimo Santos Cao, delegado filipino-americano da Conferência California-Nevada, preside o Comitê de Coordenação Interétnica da jurisdição que trabalha com as bancadas étnicas da jurisdição. Ele liderou uma oração depois que a declaração de arrependimento da jurisdição foi divulgada.

Cao disse que a sessão fechada inspirou oração. “Precisamos fazer um ato de exorcismo”, disse ele à Notícias MU. “Exorcismo é o ato de Jesus de repreender o mal, certo? Porque a colonização é uma obra do mal, e fomos demonizados”.

Várias pessoas na Jurisdição do Sudeste notaram que o racismo foi incorporado ao sistema jurisdicional, que se formou em 1939 como parte da reunião que criou a então Igreja Metodista após uma divisão sobre a escravidão antes da Guerra Civil dos EUA. A ideia das jurisdições regionais era impedir que os bispos do Norte liderassem as igrejas do Sul e vice-versa. O sistema jurisdicional original também incluía a Jurisdição Central, que segregava o clero e os membros negros e significava seu tratamento de segunda classe na vida da igreja.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O Rev. Byron Thomas, um candidato a bispo negro endossado pela Conferência da Geórgia do Norte que se retirou, chamou a atenção para a necessidade de “nos libertarmos do jurisdicionalismo” e descreveu o sistema jurisdicional como um vestígio de racismo.

Em uma entrevista posterior, ele disse que a Jurisdição do Sudeste foi fundamental na criação do sistema jurisdicional para proteger a cultura do Sul e impedir os bispos de outras regiões que possam entrar e perturbar o Sul segregado. Essas estruturas, disse ele, retêm a igreja.

“Esta igreja tem demonstrado repetidamente em nossos sistemas e nossas estruturas que todos os irmãos e irmãs... não são valorizados da mesma forma e, portanto, não são tratados da mesma forma”, disse ele.

Falando do plenário, Thomas pediu informações sobre os esforços em andamento para mudar as estruturas regionais da igreja.

O bispo da Conferência do Mississippi, James Swanson, disse que duas peças de legislação enviadas à Conferência Geral de 2024, a principal assembleia legislativa da denominação, lidariam com o sistema jurisdicional. Eles são o Pacto de Natal, que organizaria a igreja em quatro regiões globais, e a legislação da Mesa Conexional criando uma Conferência Regional dos EUA. Essas peças de legislação dariam aos Metodistas Unidos nos EUA sua própria conferência regional, onde eles podem abordar desafios comuns da mesma forma que os Metodistas Unidos nas Filipinas, África e Europa já fazem.

Swanson também deu um conselho.

“Espero que, mesmo considerando essa legislação, consideremos também nossa história que nos trouxe até aqui, porque apenas acabar com o sistema jurisdicional não vai acabar com os vestígios de superioridade que faz parte de nós. — disse ele, arrancando aplausos. “Nem vai acabar com a minha necessidade ou a necessidade de outra pessoa de dominar tudo”.

“A parte fácil é a legislação; a parte difícil será a conversão”, disse Swanson. “E isso é muito insidioso porque não importa o que você diga, eu ainda quero ser o rei da colina, e como você tira isso de mim além da conversão?”

 

* Hahn é editor assistente de notícias da Notícias MU e Tanton é diretor de notícias da Comunicações Metodista Unida e diretor da Notícias MU. Entre em contato com eles em (615) 742-5470 ou [email protected].Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos quinzenais gratuitos.

** Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected].

Sexualidade humana
Os bispos Cedrick D. Bridgeforth (à esquerda), Carlo A. Rapanut e Dottie Escobedo-Frank são consagrados durante um culto realizado em 5 de novembro na Igreja Metodista Unida de Cristo em Salt Lake City. O Rev. W. Timothy McClendon apresentou uma queixa contra todos os bispos da Jurisdição Ocidental pela consagração de Bridgeforth, que é o primeiro homem abertamente gay da denominação a ser eleito bispo. Foto de Miya Kim para a Conferência Western Jurisdicional.

Queixa contra consagração de bispo gay

De maneira incomum, uma denúncia contra os bispos da Jurisdição Ocidental está circulando online para coletar assinaturas em diferentes partes do mundo. A reclamação vem depois que cada uma das cinco jurisdições dos EUA aprovou uma resolução instando a Igreja Metodista Unida a afirmar as pessoas LGBTQ.
Conselho de Bispos
Os recém-eleitos bispos metodistas unidos David Wilson (terceiro da esquerda, vestindo jaqueta azul), Laura Merrill (vestindo jaqueta verde) e Delores “Dee” Williamston (segunda da direita) são acompanhados por outros bispos e líderes da igreja enquanto oram após serem eleitos durante a Conferência Jurisdicional South Central em Houston. Em 3 de novembro, a jurisdição anunciou suas designações episcopais, a partir de 1º de janeiro. Foto cedida pela Conferência das Great Plains.

Bispos dos EUA recebem designações

Depois de eleger bispos para preencher as vagas existentes, a denominação dos EUA anunciou novas nomeações episcopais a partir de 1º de janeiro de 2023 nas Conferências Jurisdicionais.
Área Geral da Igreja
O Rev. Stan Copeland fala em 3 de novembro na Conferência Jurisdicional South Central em Houston. Copeland criticou em um discurso três bispos Metodistas Unidos por serem pró-Igreja Metodista Global.

Três bispos acusados de contribuir para desfiliação

Um delegado da Conferência Jurisdicional Centro-Sul pediu ao colégio de bispos da jurisdição que abordasse a conduta e o status de três líderes episcopais que, segundo ele, forneceram "promoção e apoio" à nova denominação separatista Igreja Metodista Global.