Erupção de vulcão no Congo atinge igrejas e casas

Other Manual Translations: English français español
Residents of the Buhene neighborhood of Goma, Congo, survey the damage to their homes after the Mount Nyiragongo volcano erupted, killing at least 15 people. Photo by Philippe Kituka Lolonga, UM News.

Moradores do bairro Buhene de Goma, no Congo, examinam os danos em suas casas após a erupção do vulcão Monte Nyiragongo, que matou pelo menos 15 pessoas. Foto de Philippe Kituka Lolonga, Notícias MU.

A erupção do vulcão Monte Nyiragongo em 22 de maio, resultou na morte de pelo menos 15 pessoas e deixou muitas casas e uma Igreja Metodista Unida enterrada sob lava.

Das pessoas que morreram na erupção de 22 de maio, nove morreram em um acidente de trânsito, quatro morreram tentando escapar da prisão central de Munzenze e duas outras foram carbonizadas por lava, de acordo com um relatório de Patrick Muyaya, o ministro da Comunicação e Mídia para a República Democrática do Congo. Muitas pessoas estão desaparecidas, possivelmente incluindo 170 crianças, informou a BBC , citando a UNICEF.

A Igreja Metodista Unida Majengo e as oito quadras ao redor dela foram danificadas, juntamente com mais de 100 casas de membros Metodistas Unidos, de acordo com o Rev. Henry Jean Robert Kasongo Numbize, superintendente do Distrito de Goma. Também houve vários casos de roubo de propriedade Metodista Unida em Goma, porque as autoridades locais ordenaram a evacuação das pessoas, disse ele.

O pastor Valentin Amsini disse que a Igreja Majengo foi destruída. A congregação Metodista Unida tinha mais de 800 membros, mas com a COVID-19, a presença ao culto era em média 350.

Ele disse que estava convencido de que um dia a congregação teria outro edifício onde o povo pudesse orar a Deus.

Depois de enviar um alerta por meio das Comunicações Metodistas Unidas, Dom Gabriel Yemba Unda disse que agradece a todos pelo apoio de oração e pelos apelos de encorajamento que recebeu. O bispo Unda supervisiona a Conferência Anual de Kivu, que inclui Goma.

O bispo disse que está a pedir a todos os Metodistas Unidos fiéis e à população de Goma que estejam vigilantes e sigam as comunicações oficiais e as orientações do plano de resposta definido pelas autoridades. 

Majengo United Methodist Church in Goma, Congo, was destroyed in the eruption of the Mount Nyiragongo volcano. Photo by Philippe Kituka Lolonga, UM News.

A Igreja Metodista Unida Majengo em Goma, Congo, foi destruída na erupção do vulcão Monte Nyiragongo. Foto de Philippe Kituka Lolonga, Notícias MU.

A lava parou perto das áreas mais populosas de Goma, uma cidade de 670.000 habitantes, conforme informou a BBC.

Quando o vulcão entrou em erupção em 22 de maio, as pessoas fugiram de Goma para Sake Village e South Kivu, e para o país vizinho, Ruanda. Muitos deles partiram sem levar nada e voltaram no dia 23 de maio para encontrar suas casas cobertas de lava, disse o pastor Amsini.

Mirindi Shamavu, um membro da Igreja Majengo, agora está sem teto “porque minha casa e todos os meus pertences foram transformados em lava. Agradeço a Deus porque estou vivo”.

Depois de fugir para Ruanda, Bijoux Mwamini voltou a Goma para descobrir que ela não tinha casa.

Mwamini, secretária da Igreja Majengo, disse que não conseguia mais identificar sua trama porque tudo se transformou em lava. 

Children share a meal at the United Methodist orphanage in Goma, Congo, in 2015. Current residents of the orphanage were evacuated following the May 22, 2021, eruption of the Mount Nyiragongo volcano. File photo by Mike DuBose, UM News.

Crianças compartilham uma refeição no orfanato Metodista Unido em Goma, Congo, em 2015. Os atuais residentes do orfanato foram evacuados após a erupção do vulcão Monte Nyiragongo em 22 de maio de 2021. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Charles Monga, o evangelista do Buhene Block da Igreja Majengo, disse que perdeu quatro filhos, mas os encontrou no domingo depois de procurá-los na Sake Village. Ele disse que mesmo que ele não tenha casa ou propriedade, ele está vivo e sabe que Deus o ajudará.

Leonard Shako, um enfermeiro registrado no Centro de Saúde Metodista Unido Majengo em Goma, disse que mais de cinco enfermeiros e 20 pacientes também perderam suas casas e propriedades. Os repetidos terremotos na cidade de Goma causaram rachaduras nas paredes do hospital, aumentando o risco, disse Shako.

Por recomendação das autoridades de saúde de Goma, Shako disse que está transferindo todos os pacientes afetados pela erupção para hospitais gerais da região. Até domingo, ele disse que já havia transferido mais de 60 pacientes com queimaduras e traumas.

Okako Okenge Adolphine, chefe do Orfanato Metodista Unido de Goma, disse que evacuou todos os órfãos para Sake. Ela disse que está passando por vários problemas, principalmente com a obtenção de alimentos, já que mora em outro lugar, disse ela.

 Okako Okenge Adolphine, known as "Maman Olela," stands in the doorway of the United Methodist orphanage in Goma, Congo, in 2015. She was able to safely evacuate the children in her care following the May 22, 2021, eruption of the Mount Nyiragongo volcano. File photo by Mike DuBose, UM News.
Okako Okenge Adolphine, conhecida como "Maman Olela", está na porta do orfanato Metodista Unido em Goma, Congo, em 2015. Ela conseguiu evacuar com segurança as crianças sob seus cuidados após a erupção do Monte em 22 de maio de 2021 Vulcão Nyiragongo. Foto de arquivo por Mike DuBose, UM News.

Jean Tshomba, coordenador do Gabinete de Emergência no Leste do Congo, disse que está a trabalhar com o Comité Metodista Unido de Socorro na obtenção de ajuda de emergência. O UMCOR confirmou que está a trabalhar numa bolsa de solidariedade.

“Durante o último quadriênio, a UMCOR forneceu treinamento e equipamento para um novo escritório de gestão de desastres no Leste do Congo, que respondeu a uma série de situações de emergência em toda a região”, disse Roland Fernandes, executivo de alto escalão da UMCOR e sua agência principal, a Junta Metodista Unida de Ministérios Globais. “Continuaremos a acompanhar os Metodistas Unidos do Leste do Congo enquanto eles buscam fornecer ajuda humanitária para sobreviventes de vulcões e pessoas deslocadas pelas erupções recentes.”

O vulcão Monte Nyiragongo, que fica a cerca de 10 quilômetros de Goma, entrou em erupção pela última vez em 2002, matando 250 pessoas e deixando 120 mil desabrigados, segundo a BBC.

 

*Philippe Kituka Lolonga é comunicador na Conferência de Kivu. Contato com a mídia: Julie Dwyer ou Tim Tanton, [email protected] ou 615-742-5470. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Saúde Global
Membros da Igreja Metodista Unida Sayuni em Fizi, Congo, participam do culto de domingo. Antes da pandemia COVID-19, cerca de 24.000 pessoas compareciam aos serviços religiosos todos os domingos na Conferência de Kivu. Agora, esse número é cerca de 10.000, de acordo com o estatístico da conferência. Foto de Philippe Kituka Lolonga, Notícias MU.

Metodistas Unidos promovem vacinação contra COVID-19 no Congo

A tendência de queda continua na frequência à igreja, nas finanças e nos esforços de evangelismo, pois os adoradores optam por ficar em casa em vez de correr o risco de infecção.
Missão
Parte dos sobreviventes que vem se beneficiar dos kits preparados pela Igreja. No chao, vendo-se alguns vestígios de lodo deixado para fúria das aguas Cambambe-Dondo. Foto de Orlando da Cruz.

Metodistas Unidos em Angola apoiam sobreviventes das enxurradas

Em meio a pandemia do Covid-19, Metodistas Unidos do Oeste de Angola arregaçaram suas mangas em apoio às vítimas das enxurradas que assolaram a zona centro da Conferência.
Área Geral da Igreja
O Bispo Samuel J. Quire Jr. discursa na reunião da Conferência Anual da Libéria em Gbarnga, Libéria, em Março. Quire está entre os bispos africanos da Igreja Metodista Unida que têm discutido uma divisão denominacional e o que isso pode significar para eles e suas conferências. Foto de E Julu Swen, Noticias da MU.

Bispos africanos não estão unidos quanto ao futuro da igreja

Três líderes episcopais de África sinalizam que iriam com uma nova denominação tradicionalista se a Igreja Metodista Unida se dividisse, mas outros não se juntavam a tais declarações.