A adoração virtual está aqui para ficar

Other Manual Translations: English español

Seu treinamento em jornalismo na faculdade tornou-se particularmente relevante quando a pandemia de coronavírus atacou, disse a reverenda Amy Wilson Feltz, da Igreja Metodista Unida de St. Paul em El Paso, Texas.

A ascensão do COVID-19 em março passado estimulou muitas igrejas, incluindo a de St. Paul, a melhorar o que ofereciam na internet ou começar do zero.  

“Eu tinha o conhecimento básico de edição de vídeo, design gráfico, fotografia e coisas assim”, disse Feltz. “Eu me formei há muitas luas na Universidade Abilene Christian, mas o conhecimento básico foi útil”.

O Rev. Mark Nakagawa, superintendente do Distrito Oeste na Conferência California-Pacific, disse que o coronavírus ofereceu "um momento Kairos para a igreja".

“Kairos” é uma palavra grega que significa um momento certo, crítico ou oportuno.

“Para a igreja, (COVID-19) trouxe o futuro à nossa porta e obrigou as igrejas a fazerem as mudanças que pretendia fazer por décadas”, disse Nakagawa, que também está servindo como pastor administrativo da Igreja Metodista Unida Centenário em Los Angeles.

“Ao mesmo tempo, deu às igrejas oportunidades de serem criativas de maneiras que nunca pensamos que teríamos que ser.”

O Rev. Matthias Fankhauser, que lidera o Departamento de Desenvolvimento da Igreja da Igreja Metodista Unida na Suíça e na França, disse que é um aspecto importante da crise pandêmica as igrejas terem sido pressionadas a reforçar sua presença online.

“Não é Corações Abertos, Mentes Abertas, Portas Abertas?” Fankhauser disse. “Então, vamos tentar encontrar uma nova maneira de viver o Evangelho.”

Nakagawa disse que apenas um punhado das 80 igrejas que ele supervisiona ofereciam culto virtual antes da pandemia. Algumas fazem produções especialmente preparadas para a internet, enquanto outras apenas transmitem serviços religiosos ao vivo, mesmo que ocorram em um santuário sem adoradores. Alguns fazem ambos.

Videographer Walter Tumba monitors the camera to keep the subject centered in the viewfinder while taping at Cranborne United Methodist Church in Harare, Zimbabwe. Photo courtesy of Rutley Productions, a YouTube Channel offering United Methodist-related videos.

A Revda. Amy Wilson Feltz, pastora da Igreja Metodista Unida de St. Paul em El Paso, Texas, montou um equipamento de computador para transmitir um sermão ao vivo no santuário da igreja em setembro. Embora o púlpito, que pode ser visto pela câmera, tenha a cor litúrgica apropriada, a faixa na parede era da Quaresma, quando a igreja teve que suspender o culto presencial. Foto cedida pela Revda. Amy Wilson Feltz.

“Agora a situação se inverteu”, disse ele. “Eu tenho talvez um punhado de igrejas que não estão fazendo algum tipo de culto virtual. Portanto, a maioria das igrejas, pelo menos neste distrito, deu o salto do culto local para o culto online.”

As responsabilidades online aumentaram a carga de trabalho dos pastores, que ficarão ainda mais ocupados à medida que as igrejas voltem ao normal depois que a pandemia diminuir.

“Tive que aprender a enviar vídeos para o Facebook e agendar postagens”, disse o Rev. Jeff Vanderhoff, da Igreja Metodista Unida Trinity em McMurray, Pensilvânia. “É legal poder encontrar um novo caminho para compartilhar o Evangelho, e é o que isso fez por nós”.

Os serviços online na Trinity atraíram ex-membros que se mudaram e parentes extensos de membros e funcionários da igreja, disse Vanderhoff.

“Recebemos alguns de lugares distantes como a Califórnia e, na verdade, tivemos outra família que se mudou para Okinawa, Japão, por alguns anos, e eles sintonizaram de Okinawa”.

Rutendo Luckmore Kufarimayi of Cranborne United Methodist Church in Harare, Zimbabwe, sets up a professional microphone covered with a windscreen to capture sound for the video camera. Photo courtesy of Rutley Productions, a YouTube Channel offering United Methodist-related videos.

Rutendo Luckmore Kufarimayi da Igreja Metodista Unida Cranborne em Harare, Zimbábue, instalou um microfone profissional coberto com um protetor para capturar o som para a câmera de vídeo. Foto cedida pela Rutley Productions, um canal do YouTube que oferece vídeos relacionados aos Metodistas Unidos.

As igrejas no Zimbábue estão online e a resposta tem sido positiva, disse Kudzai Chingwe, um comunicador da Conferência Leste do Zimbábue da Igreja Metodista Unida na África.

“Os zimbabuanos estão em todo o mundo e participam de serviços virtuais”, disse Chingwe. “Eles estão... reacendendo suas memórias. Eles também veem seus parentes durante a transmissão ao vivo.”

O prédio da Igreja Metodista Unida University em Lake Charles, Louisiana, foi fortemente danificado pelo furacão Laura em 27 de agosto. Depois que a tragédia foi divulgada na página da igreja no Facebook e no site, mais de $ 40.000 em doações foram recebidas online.

“Foi quando ainda não tínhamos a capacidade de receber nossa correspondência”, disse a Revda. Angela Cooley Bulhof, pastora da Universidade. “Nós (nos remexemos) para possibilitar os pagamentos no site.”

A melhor forma de medir a eficácia dos serviços online é olhar os compromissos em vez das visualizações, disse Vanderhoff.

“Achamos que as opiniões podem enganar”, disse ele. “Você pode ter centenas de visualizações, mas basicamente é porque alguém passou por lá. Se você conseguir um engajamento, isso significa que alguém gostou ou compartilhou ou comentou ou algo parecido.”

A próxima etapa é chegar às pessoas que se envolveram com o site, “e talvez fazer uma conexão pessoal além da online com algumas dessas pessoas”, disse Vanderhoff.

“Isso tem sido uma verdadeira bênção, estender o alcance.”

Feltz descobriu que as atividades interativas com visualizadores online são úteis.

“Na semana passada, falamos sobre o batismo em geral e convidamos as pessoas a terem uma vasilha de água com elas”, disse ela. “Tentamos deixar bem claro que não estávamos batizando ninguém na internet, mas estávamos usando a água como uma lembrança da fidelidade de Deus.”

Os funcionários da igreja também fizeram cartões que podiam ser impressos em casa ou enviados para os frequentadores da igreja online.

“Isso os lembrava de se lembrar da graça de Deus dessa forma toda vez que lavavam as mãos”, disse Feltz. “Isso gerou algum feedback.”

A small group of dinosaurs guard a laptop used by the Rev. Amy Wilson Feltz, pastor of St. Paul’s United Methodist Church in El Paso, Texas, to stream virtual services. The Rev. Feltz’s 5-year-old son, Auggie (Augustus), sent the toys with his mother as she left for church that morning. Photo courtesy of the Rev. Amy Wilson Feltz.

Um pequeno grupo de dinossauros montam guarda em um laptop usado pela Revda. Amy Wilson Feltz, pastora da Igreja Metodista Unida de St. Paul em El Paso, Texas, para transmitir serviços virtuais. O filho de 5 anos da Revda. Feltz, Auggie (Augustus), enviou os brinquedos com sua mãe quando ela saiu para a igreja naquela manhã. Foto cedida pela Revda. Amy Wilson Feltz.

 

Os frequentadores de igrejas online começaram a contribuir para as igrejas que seguem. Na França e na Suíça, as doações se mantiveram estáveis durante a pandemia.

“Há doações de pessoas que nunca compareceram aos cultos antes”, disse Fankhauser. “Eles ficaram emocionados com o serviço que viram na internet e decidiram doar.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Vanderhoff disse que as doações eletrônicas na Trinity United aumentaram.

“Isso veio de nossos membros atuais que já estavam doando, mas na pandemia eles decidiram tentar a doação eletrônica como uma opção, já que não estavam participando”, disse ele. “Também vimos algumas das pessoas que alcançamos por meio do serviço online que não faziam parte de nossa igreja antes. Alguns deles começaram a doar online, o que, claro, é uma coisa boa.”

A questão de saber se a igreja online por si só pode constituir uma experiência de adoração Metodista Unida não foi resolvida ainda.

“Não acho que haja um 'tamanho único' ali”, disse Feltz. “Se eles estão crescendo em sua fé, eles estão crescendo em seu desenvolvimento espiritual e sua capacidade de se abrir e servir à comunidade... Não vejo por que isso seria um problema.”

Está “fora de questão” parar os esforços online depois que a pandemia passar, disse Fankhauser. 

“Mas também está claro que precisamos dos dois formatos, online e presencial”, disse ele. “É por isso que estamos expandindo os formatos online e adicionamos novos empregos para colocar mais recursos em formatos digitais. Também investimos em tecnologia. Estamos ansiosos para promover o que chamamos de igreja híbrida, com formatos presencial e digital.”

Feltz concorda. 

“Mesmo quando as restrições forem suspensas, continuaremos a trabalhar duro em nossa presença online também, porque é uma forma válida de as pessoas se conectarem”, disse ela. 

“Não são os fortes que sobrevivem”, disse Feltz, citando um axioma que ouviu pela primeira vez da Revda. Donita Lea da Igreja Metodista Unida de St. James em Abilene, Texas.

“São realmente aqueles que se adaptam”.

 

*Patterson é repórter da Notícias MU em Nashville, Tennessee. Contate-o em 615-742-5470 ou [email protected] . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]


Área Geral da Igreja
Captura de tela de uma das reuniões virtuais do Conselho dos Bispos durante a pandemia de Covid19. Foto UMCOM.

Bispos da Igreja Metodista Unida se reunirão em fevereiro

Nesta reunião de 18 de fevereiro, eles discutirão a situação atual da denominação mundial e refletirão sobre a missão e o ministério da igreja após a pandemia.
Igreja Local
Membros da comunidade se reuniram naquele dia em Fort Smith para agradecer aos trabalhadores da linha de frente pelo trabalho que realizam nos hospitais da região. Gráfico Rev. Gustavo Vasquez, Notícias MU.

Walmart e a Primeira Igreja Metodista Unida se unem para agradecer aos trabalhadores da saúde de Fort Smith

O Walmart e a Primeira Igreja Metodista Unida de Fort Smith se reuniram para reconhecer publicamente o esforço conjunto de toda a comunidade contra o vírus.