Hinário na língua Espanhola completa 25 anos

Translate Page

Palavras Chaves:

  • Mil Voces Para Celebrar, o hinário oficial em espanhol da Igreja Metodista Unida, foi formalmente aprovado na Conferência Geral de 1996.
  • O hinário não foi uma mera tradução do Hinário Metodista Unido, mas introduziu novas melodias, textos e ritmos para a adoração.
  • Um culto de 25º aniversário em homenagem ao hinário será realizado em 5 de Dezembro na Igreja Metodista Unida La Trinidad em San António.

A Igreja Metodista Unida foi formada em 1968, mas ganhou ritmo - muito mais, de qualquer maneira - em 1996. Foi quando o hinário oficial em Espanhol da denominação estreou.

Mil Voces Para Celebrar introduziu novas traduções de hinos em inglês, mas também uma riqueza de textos e melodias da América Latina.

Esses hinos tinham seus próprios pontos teológicos a apresentar. E eles estavam, no geral, balançando de uma maneira que os hinos em inglês não tinham. A selecção incluiu até um tango da Argentina.

Raquel Martinez editou Mil Voces (a abreviatura do hinário) e se lembra de tê-lo apresentado a uma igreja Anglo na zona rural de Nebraska. A pequena congregação incluía um homem idoso famoso nos bancos por nunca cantar.

Ele também não fez isso naquele dia. Mas enquanto Martinez se sentava ao piano e tocava um hino animado do compositor Salvadorenho Guillermo Cuéllar, ela observou um pequeno milagre. 

“Eu vi esse homem marcando o tempo com o pé,” disse ela. “Você não consegue ficar em pé direito com essa música. Você tem que se mover.”

Mil Voces completou 25 anos este ano, um marco que deveria ter sido observado na Conferência Geral. Com a assembleia legislativa em espera por causa da pandemia, um culto de transmissão ao vivo marcando o aniversário do hinário será realizado em 5 de Dezembro na Igreja Metodista Unida La Trinidad em San Antonio.

Incluirá uma procissão com exemplares da edição comemorativa do Mil Voces. O bispo aposentado Joel Martinez - marido de Raquel - conduzirá uma Litania de Acção de Graças pela influência de Mil Voces no testemunho metodista nos EUA, América Latina e Caribe.

Raquel Martinez, mostrada ao piano na Igreja Metodista Unida La Trinidad em San Antonio em 2021 (à esquerda) e na Conferência Geral de 1996 em Denver, onde liderou os delegados no canto do Mil Voces Para Celebrar. Martinez editou o hinário em espanhol e um painel do vitral à esquerda é dedicado a ela por ter desempenhado aquele papel fundamental. Fotos do Rev. John Feagins (à esquerda) e Mike DuBose, Noticias da MU. 
Raquel Martinez, mostrada ao piano na Igreja Metodista Unida La Trinidad em San Antonio em 2021 (à esquerda) e na Conferência Geral de 1996 em Denver, onde liderou os delegados no canto do Mil Voces Para Celebrar. Martinez editou o hinário em espanhol e um painel do vitral à esquerda é dedicado a ela por ter desempenhado aquele papel fundamental. Fotos do Rev. John Feagins (à esquerda) e Mike DuBose, Noticias da MU.

O hinário continua a dar uma contribuição profunda, de acordo com Michael Hawn, professor emérito de música sacra na Escola de Teologia Perkins.

“Este recurso enriquece toda a igreja, dando-nos uma janela para a espiritualidade e as lutas dos cristãos de língua espanhola que são essenciais para a identidade e futuro da Metodista Unida,” disse Hawn por e-mail.

Antes do Mil Voces, havia cancioneiros e hinários metodistas em Espanhol, inclusive da Conferência do Rio Grande, agora integrados à Conferência do Rio Texas.

Mas esses livros não tinham os componentes extensos de liturgia e oração do Hinário Metodista Unido, e eles ofereciam traduções às vezes duvidosas dos hinos em inglês dos missionários, disse Raquel Martinez.

No início da década de 1990, a Editora Metodista Unida e a Junta do Discipulado - instados pela MARCHA, o grupo hispânico / latino da denominação - começaram a colaborar num hinário em Espanhol mais abrangente.

O bispo Elias Galvan presidiu a comissão do hinário de 18 pessoas. 

“Eu era apenas o guarda de trânsito,” lembrou Galvan, agora aposentado. “O trabalho é realmente uma homenagem a Raquel Martinez.”

Igreja Metodista de Torrimar em Guaynabo, Porto Rico, em 2012. Foto de arquivo de Mike DuBose, Noticias da MU. 
Igreja Metodista de Torrimar em Guaynabo, Porto Rico, em 2012. Foto de arquivo de Mike DuBose, Noticias da MU.

Martinez cresceu no México, filha de um pastor da Igreja Metodista do México. Ela estudou no Lydia Patterson Institute, a escola secundária Metodista Unida em El Paso, bem como na Universidade do Texas em El Paso e Perkins.

Por conta própria, e como esposa do bispo, ela conhecia a teologia e os costumes metodistas, e era uma pianista, arranjadora e compositora talentosa, com fluência em espanhol e inglês.

Diana Sanchez-Bushong concorda com Galvan que em Martinez a igreja não tinha apenas uma editora, mas uma maestrina.

“Ela era uma líder fabulosa,” disse Sanchez-Bushong, um membro da equipe de discipulado designado para a comissão. "Acho que ela deveria ter sido bispo também."

A comissão se reuniu periodicamente por quatro anos, em sessões que os membros lembram cheias de cantos, orações e risos. Os que estavam à mesa incluíam nativos do México, República Dominicana, El Salvador, Porto Rico e sul do Texas e, na escolha dos textos, eles tiveram que trabalhar as diferenças nos dialectos espanhóis entre seus países de origem.

A comissão lutou por um título para o hinário até que Galvan retransmitiu a sugestão do Rev. Ignacio Castuera de Mil Voces Para Celebrar. Isso pode ser traduzido livremente como “O for a Thousand Tongues to Sing,” o hino de Charles Wesley que é proeminente no Mil Voces e no Hinário Metodista Unido.

Quando o título proposto foi votado pela comissão, “todas as mãos se levantaram,” lembrou Martinez.

Jorge Lockward toca piano e dirige o Coral Metodista Unida Hispana de Nova York enquanto os delegados e visitantes da Conferência Geral Metodista Unida de 1996 em Denver cantam do Mil Voces Para Celebrar. Foto de arquivo por Mike DuBose, UM News. 
Jorge Lockward toca piano e dirige o Coral Metodista Unida Hispana de Nova York enquanto os delegados e visitantes da Conferência Geral Metodista Unida de 1996 em Denver cantam do Mil Voces Para Celebrar. Foto de arquivo por Mike DuBose, UM News.

A Conferência Geral de 1996, reunida em Denver, aprovou Mil Voces como o primeiro hinário oficial não inglês da Igreja Metodista Unida. (Agora existe um hinário oficial Coreano-Inglês, Come, Let Us Worship.)

Mais tarde, na reunião de Denver, uma apresentação do Mil Voces também dobrou como um culto de adoração. Na liderança do culto estavam Raquel Martinez e a Rev. Minerva Carcaño, membro da comissão e futuro bispo.

Os delegados e visitantes cantaram uma amostra das selecções Mil Voces, com o membro do comissão Jorge Lockward tocando piano e maestrando um coral celebrante, Coral Metodista Unida Hispana de Nova York.

Para alguns na multidão, como Raúl Alegría, o novo hinário foi um símbolo - uma bandeira erguida bem alto, embora um pouco tardiamente, para os falantes de Espanhol do Metodismo Unido.

“A aprovação do Mil Voces Para Celebrar foi um reconhecimento da minha denominação de que os hispânicos / latinos pertencem à IMU,” disse Alegría, ex-tesoureiro / CFO da Junta de Ministerios e Ensino Superior da Metodista Unida. “Somos la iglesia también! Nós também somos a igreja!”

Celebrando Mil Voces

Um culto em homenagem ao 25º aniversário do Mil Voces Para Celebrar, o hinário oficial em Espanhol da Igreja Metodista Unida, será no dia 5 de Dezembro na Metodista Unida em La Trinidad, São António, com início às 13h30 horário central dos EUA.

O culto incluirá hinos representando várias nações das Américas e uma procissão de abertura com cópias comemorativas do 25º aniversário dos hinos. Alguns dos que ajudaram a compilar o hinário compartilharão reflexões pessoalmente ou por meio de apresentações de vídeo.

O serviço será transmitido ao vivo neste link.

Mil Voces segue a organização do Hinário Metodista Unido e junta-se a ele em oferecer serviços e ritos sacramentais, os credos e uma colecção de salmos e orações.

Mas Mil Voces não é uma imitação. Mary Ellen Clinard, directora de adoração da Primeira Igreja Metodista Unida em Middletown, Ohio, descobriu isso quando ela encomendou uma cópia para usar em seus tempos de adoração bilingue e em Espanhol.

“O que pensei que estava pedindo era uma tradução literal do Hinário Metodista Unido para o espanhol,” disse ela. “Quando o recebi e comecei a folheá-lo, percebi que era um hinário totalmente diferente.”

Essa foi a visão desde o início, disse Neil Alexander, ex-alto executivo da (editora) Publishing House

Mil Voces foi criado desde o início como uma nova compilação de hinos, melodias e recursos litúrgicos, especialmente adequado para um corte transversal de comunidades Latinas,” disse ele.

A comissão do hinário procurou melodias que se prestassem a instrumentos amplamente usados nas culturas de língua espanhola, incluindo violões e maracas. O hino de tango “Tenemos Esperanza” do Bispo Metodista Argentino Federico José Pagura foi o primeiro desse estilo musical a ser incluído num hinário denominacional Norte-Americano, disse Hawn.

Pagura é representada em Mil Voces também com traduções, incluindo “O for a Thousand Tongues”(similar a Mil Vozes para Celebrar)

“Os Ecos da Teologia da Libertação foram dominantes na tradução de Pagura, como o‘ grande Redentor ’na estrofe um se torna o‘ Libertador ’ou libertador”, escreveu Hawn em sua série online de Historia de Hinos.

Raquel Martinez compôs um punhado de melodias para o hinário, bem como providenciar arranjos. Seus textos favoritos incluem “Cuán Firme Cimiento”, do compositor Mexicano Vicente Mendoza, uma tradução de “How Firm a Foundation”.

“Foi tão poderoso,” disse ela. “Decidi que queria aquele hino cantado no meu funeral”.

O Bispo Elias Galvan apresenta o novo hinário em espanhol na Conferência Geral de 1996 em Denver. Galvan presidiu a comissao do hinário de 18 pessoas. Foto de arquivo por Mike DuBose. Notícias da UM. 
O Bispo Elias Galvan apresenta o novo hinário em espanhol na Conferência Geral de 1996 em Denver. Galvan presidiu a comissao do hinário de 18 pessoas. Foto de arquivo por Mike DuBose. Notícias da UM.

Clinard disse que rapidamente passou a valorizar os diferentes ritmos oferecidos pelo Mil Voces, bem como a forma como os textos eram apoiados por uma música mais emocional do que é típico em hinologia inglesas.

Para Lockward, a inclusão de coritos (refrães curtos) no hinário é uma indicação da riqueza e diversidade dos conteúdos.

“(Mil Voces) coloca em pé de igualdade todos os veículos musicais e estilos onde o espírito fala às pessoas,” disse ele.

Lockward observou que Mil Voces abriu caminho para hinários em espanhol, favorecendo a linguagem inclusiva de género. Mil Voces também teve impacto ecuménico, com a denominação Discípulos de Cristo adaptando o conteúdo de seu hinário em espanhol.

Cerca de 30.000 cópias do Mil Voces estão sendo impressas. Embora isso seja uma fracção das vendas do Hinário Metodista Unido, Mil Voces pode ser encontrado em muitas igrejas com adoração em espanhol ou bilingue. É usado no programa de Curso de Estudos de espanhol para pastores locais licenciados.

Raquel Martinez está trabalhando num suplemento para Mil Voces e espera que o hinário seja publicado no próximo ano.

Mas, por enquanto, o próprio Mil Voces é objecto de celebração, e com razão, disse Dom Joel Martinez.

“A publicação do Mil Voces Para Celebrar foi uma mensagem aos Hispânicos / Metodismo Latino de que a sua língua, cultura e dons foram bem-vindos e essenciais para a missão e ministérios da Igreja Metodista Unida.”

*Hodges é redactor das Noticias da Metodista Unida em Dallas. Contate-o através do 615-742-5470 ou [email protected]Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os Resumos Diários ou Semanais gratuitos.

**Sambo é correspondente lusófono em África para Noticias da Metodista Unida.

Igreja Local
Rev. Luis Velasquez durante seu discurso na reunião plenária da Caucus Hispânico-Latino da Igreja Metodista Unida, MARCHA, em 2019. Foto de arquivo Michelle Maldonado, UMCOM.

DACA destinatário novo pastor da IMU Crossroad em Wisconsin

O reverendo Velasquez, 31, tornou-se oficialmente pastor da igreja em Hogan Road em 1 º de julho, quando seu antecessor, o reverendo Scott Walters, se aposentou após 42 anos de ministério.
Missão
Kelly Price. Foto por Portrait Innovations, cortesia do autora.

O Metaverso e o Metodismo

De acordo com a professora Kelly Pirce, especialista em marketing digital e ministra leiga, os cultos online são um ótimo começo, mas é hora de mudar para espaços digitais como o Metaverse se a igreja quiser ser relevante no futuro.
Faith Sharing
Kayla Alexander (à esquerda), que frequentou a Primeira Igreja Metodista Unida de Baton Rouge quando criança, frequentou a igreja virtualmente enquanto sua família estava trancada por causa do COVID-19 na Austrália, onde agora moram. Alexander e Jamie (à direita dela) trouxeram seu terceiro filho Brady Alexander para Louisiana para ser batizado pelo Rev. Brady Whitton na Primeira Igreja Metodista Unida. Foto cortesia de Kayla Alexander.

Igreja virtual continuará após o COVID-19

Realizar a igreja na internet não vai desaparecer mesmo que o COVID-19 desapareça, de acordo com um pastor Metodista Unido em Louisiana.