Conferência da North Georgia faz pausa nas desfiliações

Translate Page

Pontos chave:

  • A maior conferência Metodista Unida nos EUA suspendeu a permissão para que as congregações se desfiliassem da denominação.
  • Em um comunicado, os líderes da conferência disseram que chegaram à decisão porque tanta desinformação estava sendo espalhada que não podiam confiar na validade dos votos congregacionais.
  • Com a lei de desfiliação da denominação prestes a expirar no final do ano, a decisão foi recebida com celebração e consternação.
  • Enquanto isso, pelo menos duas conferências já estão explorando outras maneiras de lidar com as saídas da igreja.

Citando desinformação “difamatória” generalizada, a liderança da Conferência Anual North Georgia suspendeu o processo para que suas congregações saiam da Igreja Metodista Unida.

“Como resultado das declarações e materiais enganosos, difamatórios e falsos compartilhados com os membros da igreja local”, os líderes do corpo regional metodista unido anunciaram em uma declaração de 28 de dezembro que “não têm confiança na validade” dos próximos votos de desfiliação da igreja.

Os líderes disseram, por esse motivo, que a conferência “não aceitará pedidos de desfiliação neste momento, nem o conselho de curadores da conferência negociará acordos de desfiliação”.

Em vez disso, disseram os líderes, a conferência revisitaria o processo de desfiliação após a próxima Conferência Geral, a principal assembleia legislativa da denominação agora agendada para acontecer de 23 de abril a 3 de maio de 2024, em Charlotte, Carolina do Norte. Os líderes disseram que a espera permitiria que as igrejas obtivessem informações reais - em vez de imprecisas ou hipotéticas - sobre o futuro da denominação.

O anúncio foi assinado pela bispa Sue Haupert-Johnson, o gabinete nomeado da conferência e seu conselho de curadores.

A decisão da North Georgia – que pegou muitos na conferência de surpresa – marca uma virada dramática na separação em câmera lenta da denominação após décadas de intensos debates sobre a inclusão LGBTQ.

A conferência, que abrange a maior parte da metade norte do estado, incluindo a crescente área de Atlanta, é o maior órgão regional desse tipo nos EUA, com mais de 320.000 membros e várias megaigrejas. Assim como a Geórgia se tornou um campo de batalha na política dos Estados Unidos, a conferência mais populosa do estado também tem sido um campo de batalha na política da igreja. 

Não surpreendentemente, alguns georgianos reagiram à decisão da liderança da conferência com alívio, enquanto outros reagiram com indignação.

A mudança ocorre após meses do que vários líderes da igreja denunciam como retórica falsa e negativa sobre a futura Igreja Metodista Unida por parte de apoiadores de uma denominação conservadora separatista que foi lançada em maio. Membros da Wesleyan Covenant Association (Associação do Pacto Wesleyano), o grupo de defesa tradicionalista que organizou a nova Igreja Metodista Global, contestam as alegações de desonestidade.

Caminhos alternativos de saída

Enquanto a Conferência da Geórgia do Norte suspendeu as desfiliações da igreja por enquanto, duas outras conferências estão explorando o uso de outra provisão no Livro de Disciplina para retiradas da igreja.

Os líderes da Conferência da Carolina do Sul introduziram um processo em 19 de dezembro através do qual uma igreja local pode discernir se continuará no ministério dentro da Igreja Metodista Unida ou separada da denominação. Esse processo está fundamentado no Parágrafo 2.549 da Disciplina, que normalmente é usado quando uma igreja local é fechada porque não serve mais ao propósito para o qual foi organizada.

O novo processo é diferente do caminho de desfiliação sob o parágrafo 2553, que cita especificamente que permite que as igrejas saiam por motivos de consciência relacionados às políticas da denominação sobre homossexualidade. A Conferência da Carolina do Sul determinou anteriormente que as igrejas-membro que indagam sobre a desfiliação não se qualificam para esse caminho porque não professam discordar das disposições sobre homossexualidade do Livro da Disciplina nem de como a conferência as esta interpretando.

A Associação Alabama-Oeste da Flórida tem usado o parágrafo 2553 para desfiliações, mas também está fazendo planos para usar o parágrafo 2549 para saídas de igrejas depois que a outra disposição expirar no final do ano.

Enquanto isso, o bispo da Conferência Alabama-Oeste da Flórida, David Graves, está pedindo às igrejas que adiem qualquer votação sobre a separação da denominação até depois da Conferência Geral de 2024.

“Nestes tempos de desinformação, suposições e propagação do medo, teremos informações factuais após a Conferência Geral de 2024 para tomar decisões estratégicas e em oração”, escreveu Graves em um e-mail de 3 de janeiro para a conferência.

Leia a história do advogado da Carolina do Sul.

Leia o processo da Carolina do Sul.

Leia o e-mail do Bispo David Graves.

A interrupção da conferência também ocorre no momento em que o tempo está passando para uma lei da igreja que permite que as congregações dos EUA saiam com propriedades se atenderem a certas condições.

Entre esses requisitos está um voto de pelo menos dois terços para a desfiliação pela congregação e a aprovação da maioria por sua conferência anual, que consiste em membros votantes de várias congregações. A lei da igreja, parágrafo 2553 no Livro de Disciplina da denominação, está prevista para expirar no final do ano - meses antes da próxima Conferência Geral.

As conferências anuais dos EUA já aprovaram as desfiliações de mais de 2.000 congregações desde que a lei da igreja entrou em vigor em 2019. Esse total, representando menos de 7% das igrejas metodistas unidas dos EUA, inclui 71 desfiliações de igrejas que a Conferência Anual da North Georgia aprovou no em junho passado.

A Conferência Anual da North Georgia inicialmente esperava adotar mais resoluções de desfiliação novamente em junho. A conferência pediu que as igrejas que consideram a retirada tenham um processo de discernimento de meses e esperem até janeiro ou fevereiro para começar a agendar quaisquer votos congregacionais.

Agora, tais votos de desfiliação estão suspensos por tempo indeterminado.

Nos últimos meses, várias igrejas em discernimento receberam apresentações de palestrantes argumentando o porquê as congregações deveriam ir ou ficar.

Jeff Jernigan, um leigo metodista unido e delegado da Conferência Geral há muito ativo no movimento tradicionalista da denominação, está entre os que falam em igrejas defendendo a desfiliação. Ele disse ao Notícias Metodista Unida que até agora duas igrejas onde ele deveria falar cancelaram seus eventos.

Jernigan disse que vê esse movimento como um impedimento de conferências sagradas e como uma privação de direitos das igrejas tradicionalistas.

“O impacto será exatamente o que tentamos evitar durante todo esse tempo... esse horrível testemunho de cristãos processando uns aos outros em tribunais seculares”, previu.

Devin Gordon, um leigo metodista unido que tem feito apresentações sobre o porquê as igrejas devem permanecer no redil, tem uma opinião diferente.

“Estou entusiasmado por finalmente podermos nos concentrar na missão e no ministério em nossa igreja e parar de prejudicar nosso testemunho para os outros”, disse ele.

Ao mesmo tempo ele disse ter ficado triste porque a conferência sentiu que precisava tomar essa atitude. “Mas a propagação do medo ficou tão ruim que a conferência sentiu que eles tinham que tomar uma decisão”, afirmou.

Tanto Gordon quanto Jernigan e suas famílias são membros da Igreja Metodista Unida McEachern Memorial em Powder Springs, Geórgia, que se envolveu no processo de discernimento de desfiliação e ainda está considerando os próximos passos.

Jernigan disse que espera que as cabeças mais frias prevaleçam e que a liderança da conferência em breve revisite seu controle sobre as saídas da igreja, agora que a North Georgia tem um novo bispo.

A liderança da conferência divulgou seu anúncio na última semana do mandato de Haupert-Johnson na conferência. Em 1º de janeiro, ela começou a liderar a Conferência da Virgínia, e o recém-eleito bispo Robin Dease agora lidera a North Georgia. Em seu anúncio, a liderança da Conferência da North Georgia disse que Dease foi mantido informado sobre a decisão.

O anúncio da Conferência North Georgia inclui uma longa seção de perguntas e respostas sobre o raciocínio por trás do bloqueio da desfiliação. Uma resposta lista 11 exemplos do que a conferência identifica como algumas das “desinformações mais difundidas” espalhadas por meio de mídias sociais, vídeos e apresentações em PowerPoint que defendem a desfiliação.

Ninguém contesta que por décadas a denominação tem debatido o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a ordenação de clérigos gays “autodeclarados praticantes”. O Livro de Disciplina da denominação atualmente proíbe ambos, embora essas proibições tenham enfrentado crescente desafio em partes dos Estados Unidos e da Europa. Uma Conferência Geral subsequente poderia mudar as proibições.

A Conferência da Geórgia do Norte tem um problema particular com declarações que vão além do debate sobre homossexualidade para dizer que a Igreja Metodista Unida está abandonando os princípios básicos da fé cristã, como a ressurreição e a divindade de Cristo. Essas doutrinas são encontradas nos Artigos de Religião e Confissão de Fé da denominação e não estão em debate.

Um dos exemplos mais difundidos de desinformação que a conferência identifica é a declaração que apareceu em vários sites da igreja: “O impasse teológico da IMU está enraizado em nossas crenças divergentes sobre a autoridade da Bíblia, a interpretação da Bíblia, seu impacto sobre como vivemos nossa fé e o senhorio de Jesus”.

Dan Parr, presidente do período da Associação do Pacto Wesleyano em North Georgia, disse que a declaração é verdadeira e reflete um desacordo teológico sincero. Dizer isso, disse ele, não deve ser considerado difamatório.  

“Nossa posição é e tem sido que as crenças e práticas na UMC mudaram sem alterar o Livro de Disciplina”, disse ele por e-mail. “Nunca dissemos que 'todos os Metodistas Unidos' ou 'todos os bispos' acreditam em x, y ou z.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Randy Hardy, que tem encorajado as pessoas a permanecerem Metodistas Unidos, disse que não acha que haja tanto “impasse teológico” como alguns dos defensores da “deixar a UMC” descreveram. Hardy, que também é membro da Igreja Metodista Unida McEachern, é o autor de The Matter at Hand — A United Methodist's Laity Perspective About What's Really Going On” (O assunto em questão — a perspectiva leiga de um metodista unido sobre o que realmente está acontecendo”).

“Certamente é verdade que todos os seguidores de Cristo nem sempre concordam com todas as interpretações teológicas dos outros”, disse ele, “mas tudo bem porque também é verdade que a Escritura fala em cada uma de nossas vidas de maneira diferente de propósito, pelo próprio desígnio de Deus.”

O Rev. Dalton Rushing, pastor sênior da Primeira Igreja Metodista Unida de Decatur e delegado da Conferência Geral, disse que por causa da desinformação, a conferência não teve muita escolha a não ser parar.

“Minha esperança é que esta decisão dê a todos a chance de fazer uma pausa e refletir sobre aonde Deus está nos levando”, disse ele. “Também espero que a pausa dê às igrejas da North Georgia a chance de se concentrar menos na política denominacional e mais no evangelismo”.

A Conferência da North Georgia não tinha um número firme de quantas igrejas estavam considerando a desfiliação quando o anúncio foi feito.

A Primeira Igreja Metodista Unida em LaGrange estava entre as igrejas no processo de discernimento.

Page Estes, diretor de mordomia e desenvolvimento da congregação, disse que a igreja ainda está digerindo as notícias e espera que mais informações sejam divulgadas.

“Vamos continuar seguindo nossa missão de fazer e cultivar discípulos de Jesus Cristo para a transformação do mundo na esquina das ruas Broad e Trinity em LaGrange, Geórgia, agora, assim como temos feito por quase 200 anos,” ela disse. “Estamos comprometidos com essa missão.”

 

*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU. Entre em contato com ela em (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias Metodistas Unidas, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Área Geral da Igreja
Membros da Conferência da Carolina do Norte da Igreja Metodista Unida oram durante uma sessão especial de 19 de novembro. A conferência aprovou as desfiliações de 249 igrejas locais, representando 32% das congregações e cerca de 22% dos membros. Foto de Amanda Packer, cortesia da Conferência da Carolina do Norte.

Fazendo um balanço após uma temporada de desfiliações

A Igreja Metodista Unida está completando sua primeira grande onda de saídas de igrejas sob uma lei da igreja que permite que as igrejas saiam com propriedade se atenderem a certas condições. Mas em meio a essas perdas, os membros da igreja veem sinais de esperança, incluindo esforços liderados por leigos para “Permanecer UMC”.
Conferência Geral
A próxima Conferência Geral está programada para acontecer de 23 de abril a 3 de maio de 2024, em Charlotte, Carolina do Norte. O Conselho Judicial, o tribunal superior da Igreja Metodista Unida, enfrentou questões sobre se a próxima assembleia legislativa deve ser considerada como a sessão adiada de 2020 ou a próxima sessão regular.

Tribunal da Igreja: Não são necessárias novas eleições para GC2024

O Conselho Judicial da Igreja Metodista Unida concluiu que a próxima reunião da Conferência Geral agendada para 2024 será designada como a sessão adiada de 2020.
Área Geral da Igreja
O Rev. David Kassos, pastor da Igreja Metodista Unida Amity em Amity, Ark., fala na sessão especial de 19 de novembro da Conferência de Arkansas. Foto de Rodney Steele, cortesia da Conferência de Arkansas.

3 desfiliações de igrejas bloqueadas

A Conferência Anual de Arkansas aprovou a saída de 35 igrejas, mas não três outras que pretendiam deixar a Igreja Metodista Unida.