Igrejas da Louisiana são atingidas pelo furacão Laura

Other Manual Translations: English español

A Revda. Angela Cooley Bulhof foi evacuada com sua família para Houston antes do furacão Laura, mas chegou rapidamente a ela a notícia de que sua igreja, Igreja Metodista Unida University em Lake Charles, Louisiana, foi atingida pela poderosa tempestade.

Como ajudar

Doe ao Comitê Metodista Unido de Socorro, Resposta a Desastres e Recuperação dos EUA por meio do Advance # 901670 .

A Conferência de Louisiana está solicitando doações para seu ministério de resposta a desastres.

“Uma parede inteira que fica de frente para a rua desabou”, disse o pastor, que começou seu compromisso na igreja em 1º de julho. “Há pedaços de telhado que foram completamente arrancados em todos os prédios.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Um punhado de outros edifícios da Igreja Metodista Unida no sudoeste da Louisiana, incluindo o campus satélite da Universidade Metodista Unida, foram danificados em graus variados pelo furacão Laura.

A Bispa da Conferência da Louisiana, Cynthia Fierro Harvey, expressou sua gratidão pelo furacão ter registrado menos danos causados pelas enchentes relacionadas à tempestade do que se temia.

“Mas o vento não era nosso amigo”, disse ela em uma videoconferência.

O furacão Laura trouxe ventos de até 150 milhas por hora ao atingir a costa do Golfo do sudoeste da Louisiana e sudeste do Texas no início de 27 de agosto. Laura, que se moveu para o norte e depois para o leste como uma tempestade tropical, é responsabilizada por pelo menos 11 mortes e deixou centenas de milhares de pessoas sem energia.

Fotos aéreas confirmaram a devastação dentro e ao redor do Lago Charles, incluindo casas e empresas destruídas.

O clero Metodista Unido naquela cidade e em outras partes do sudoeste da Louisiana juntou-se a outros residentes na evacuação antes do furacão e estavam lutando de longe para obter relatórios sobre suas igrejas e residências.

Bulhof compartilhou fotos de casas muito danificadas de funcionários e membros da Universidade Metodista Unida. Ela tinha um relatório inicial encorajador sobre sua casa, mas sabia que a Day School of University United Methodist (Escola Diurna da Universidade Metodista Unida) foi destruída, e que os danos ao campus da igreja foram generalizados.

“Afeta nosso santuário, nossas salas de escola dominical, nossos escritórios - tudo”, disse ela.

 

The home of James Hyatt, worship leader at University United Methodist Church in Lake Charles, La., was badly damaged by Hurricane Laura. Photo courtesy of the Rev. Angela Cooley Bulhof, University United Methodist Church.

A casa de James Hyatt, líder de louvor da Igreja Metodista Unida University  em Lake Charles, Louisiana, foi gravemente danificada pelo furacão Laura. Foto cortesia da Revda. Angela Cooley Bulhof, Igreja Metodista Unida University.

 

Bulhof já começou a ouvir outras igrejas Metodistas Unidas locais, oferecendo-se para fornecer espaço temporário para a Universidade ou ajudar de outras maneiras.

“Você sabe como a conexão (Metodista Unida) é tão maravilhosa”, disse ela.

O Rev. Andy Goff lidera a Igreja Metodista Unida Welsh Memorial em Vinton, Louisiana, e a Metodista Unida Maplewood em Sulphur, Louisiana, e ambas foram danificadas pelo furacão.

Dois dos três prédios em Maplewood têm o que parecem ser problemas menores, mas o salão de confraternização, que inclui os escritórios da igreja, se saiu mal.

“As paredes estão derrubadas”, disse Goff, cujo presbitério sobreviveu bem. “Pode ter sido um tornado (relacionado ao furacão) ou apenas os ventos de Laura.”

O Rev. Mel Yorks lidera três igrejas Metodistas Unidas no sudoeste da Louisiana. Ele ficou aliviado ao ver as fotos que mostram que uma delas, a Igreja Metodista Unida Wakefield em Cameron, estava cercada por água, mas ainda estava de pé.

“Quando vi as fotos, quase chorei de alegria”, disse Yorks, observando que a igreja havia perdido santuários para os furacões anteriores.

O pastor relatou que outra de suas igrejas, a Metodista Unida Sweetlake, perto de Bell City, teve danos extensos no telhado de seu ginásio. Yorks, que evacuou para Vicksburg, Mississippi, ainda estava esperando notícias sobre sua terceira igreja, a Metodista Unida Grand Chenier.

 

Squyres United Methodist Church, in Ragley, La., is among the United Methodist structures damaged by Hurricane Laura. Photo courtesy of the Rev. Lindsey Sirman.

A Igreja Metodista Unida Squyres, em Ragley, Louisiana, está entre as estruturas Metodistas Unidas danificadas pelo furacão Laura. Foto cortesia do Rev. Lindsey Sirman.

 

 

A Revda. Lindsey Sirman é pastora da Igreja Metodista Unida Squyres em Ragley, ao norte de Lake Charles, e de seu local de evacuação em Austin, Texas, ela soube de danos significativos à igreja.

“Uma de nossas portas laterais foi aberta por causa da tempestade. A maioria de nossas janelas estão quebradas”, disse ela. “Tivemos muitos danos ao telhado e muita chuva e vento em todo o edifício.”

Ela prometeu que a igreja, apesar de seus problemas de propriedade, estaria lá para a comunidade.

“Todos nós temos muita esperança e sabemos que Deus está conosco, e vamos superar isso juntos como passamos por outras tempestades”, disse Sirman.

A Conferência do Texas havia se preparado para danos generalizados a leste de Houston, mas embora muitos estivessem sem energia lá, a situação não parecia terrível.

“Nossa área não foi atingida com a força esperada”, disse a Revda. Romonica Malone-Wardley, superintendente do Distrito Sudeste, em um artigo publicado no site da Conferência do Texas.

A avaliação continua em grande parte da Conferência da Louisiana, especialmente no sudoeste da Louisiana, onde árvores caídas e linhas de energia dificultaram o acesso a alguns vizinhos, disse o reverendo Todd Rossnagel, diretor de comunicações da conferência.

A limpeza de entulhos e outros esforços de socorro pelos Metodistas Unidos precisam ser adiados por agora, disse a Revda. Elaine Burleigh, que dirige o escritório da conferência de envolvimento missionário e divulgação.

“Nós só precisamos aguardar. Não é seguro”, disse ela, mas ressaltou que logo serão necessárias equipes de resposta antecipada.

Bulhof prometeu que os danos à propriedade do furacão Laura não alterariam a missão da Igreja Metodista Unida University de amar seus vizinhos, incluindo cuidados especiais para os vulneráveis.

O furacão apresentará novas oportunidades para estender essa missão, disse ela.

“É incrível como Deus se baseia em suas experiências para aumentar seu potencial para o ministério onde quer que você se encontre.”

 

The home of Janice and Joey Redlich in Big Lake, La., was devastated when Hurricane Laura hit the Gulf Coast on Aug. 27. The Redlichs are the parents of the director of the University United Methodist Church Day School, Katie Stewart. Photo courtesy of the Rev. Angela Cooley Bulhof, University United Methodist Church.

A casa de Janice e Joey Redlich em Big Lake, Louisiana, foi devastada quando o furacão Laura atingiu a costa do Golfo em 27 de agosto. Os Redlichs são pais da diretora da University United Methodist Church Day School, Katie Stewart. Foto cortesia da Revda. Angela Cooley Bulhof, Igreja Metodista Unida University.

 

 

*Hodges é redator do Notícias Metodista Unida em Dallas. Contate-o em 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Missão
Incêndios florestais queimam durante uma noite de meados de agosto perto de Susanville, Califórnia. Uma série de incêndios florestais destruiu mais de 30.000 acres de terra ao redor de Susanville. Foto de Doug Magill, Exército dos EUA.

Incêndios e coronavírus complicam a ajuda humanitária no Ocidente

Depois de um furacão ou tornado, equipes de ajuda humanitária e voluntários da igreja freqüentemente entram em ação. Tal resposta não foi possível diante do grande número de incêndios florestais.
Missão
O reverendo Mark Becker (centro) apresenta um cheque de US $ 50.000 ao bispo Hector F. Ortiz, líder episcopal da Igreja Metodista de Porto Rico, e Glorymar Rivera-Báez, diretor do programa de recuperação de desastres do Rebuilding Communities with Hope (REHACE). Os fundos ajudarão a REHACE a fornecer gerenciamento de casos e terapia de cuidados emocionais aos porto-riquenhos afetados pelos terremotos. Foto por Tita Parham, FUMF.

Fundação se une à agência para ajudar porto-riquenhos

Mas com US $ 21,2 milhões em subsídios da UMCOR e ajuda de 2.565 voluntários, o REHACE ajudou pessoas e igrejas a fazer progressos significativos.
Ajuda humanitária
Um balanço de pneu balança ao vento do furacão Rita sobre os restos de uma casa à beira-mar destruída pelo furacão Katrina em Ocean Springs, Mississipi. O Rita chegou ao leste do Texas em 24 de setembro de 2005, quase quatro semanas após o Katrina atingir Louisiana e Mississippi. Foto de Mike DuBose, Serviço Metodista Unido de Notícias.

A Questão Metodista: Como entendemos o sofrimento vindo do desastre

O momento dos eventos da Semana Santa tem sido entendido pelos cristãos desde pelo menos o século III.