Iniciativa do clero metodista oferece funerais a pessoas sem família

Other Manual Translations: Español

Toda pessoa que morre merece dignidade – mesmo que ninguém saiba seu nome.

Uma nova iniciativa liderada pelo clero em Nashville quer enviar essa mensagem e foi lançada recentemente para dar esse tratamento àqueles que morreram e não podem ser identificados ou não tem família para pagar o enterro.

"É importante lembrar que as pessoas não são abandonadas. Elas fazem parte da mesma comunidade amada e são amadas, quer as conheçamos ou não", disse Jeannie Alexander, ministra ordenada e diretora executiva do Coletivo Prisional No Exceptions (Sem Exceções), em entrevista.

Alexander foi uma dos quatro clérigos em um serviço fúnebre em 26 de janeiro para homenagear dois indivíduos sendo enterrados no Hills of Calvary Memorial Park, no noroeste de Nashville. Os serviços fúnebres foram os 33º e 34º desde que a iniciativa Call the Name (Chamar o Nome) começou oficialmente em novembro.

Jay Voorhees, pastor da Igreja Metodista Unida City Road Chapel em Nashville, lançou o Call the Name depois que os Serviços Sociais do Metrô Nashville pediram a Voorhees para presidir um serviço funerário no verão passado para sete pessoas como parte do programa de enterro de indigentes do departamento.

"Foi realmente solitário", disse Voorhees em entrevista. "Pensar sobre essas pessoas que não têm ninguém no final de suas vidas para reivindicá-los ou chamá-los para fora."

El clero presidiendo un funeral el 26 de enero de 2022 para “Call the Name” (Pronuncia el Nombre), una iniciativa en la que ese honra a las personas que no tienen familia que las reclamen al momento de su muerte. De izquierda a derecha: Brian Marcoulier, pastor principal de la Iglesia Metodista Unida (IMU) Bellevue, Greg Bullard, pastor de la Iglesia Covenant of the Cross, Jeannie Alexander, ministra ordenada y directora ejecutiva de “No Exceptions Prison Collective”, y Jay Voohees, pastor de la IMU City Road Chapel. Foto de Liam Adams, The Tennessean.

Clero preside o serviço de funeral em 26 de janeiro de 2022 para o Call the Name, iniciativa para honrar indivíduos considerados abandonados. Da esquerda para direita, Brian Marcoulier, pastor líder da Igreja Metodista Unida de Bellevue, Greg Bullard, pastor da Igreja Covenant of the Cross (Aliança da Cruz), Jeannie Alexander, uma ministra ordenada e diretora executiva do Coletivo Prisional No Exceptions (Sem Exceções), e Jay Voorhees, pastor da Igreja Metodista Unida City Road Chapel. Foto de Liam Adams, cortesia de The Tennessean.

 

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O programa de enterro de indigentes da cidade cobre os custos básicos do enterro para aqueles que morreram sem recursos suficientes para cobrir as despesas. Muitas vezes, os indivíduos não têm família para reivindicar seus corpos ou são considerados “abandonados” pelos socorristas no momento de sua morte.

Após o primeiro funeral, Voorhees perguntou à cidade se poderia fazer a mesma coisa com mais regularidade.

Muitos dos cultos seguem um padrão semelhante ao de 26 de janeiro. A temperatura era de 19 graus fahrenheit (ou -7 graus celsius) e poucos estavam presentes, exceto os clérigos participantes: Voorhees, Alexander, Brian Marcoulier, pastor principal da Igreja Metodista Unida de Bellevue e Greg Bullard , pastor da Igreja Aliança da Cruz.

Os quatro se revezaram lendo a Bíblia e uma bênção enquanto colocavam as mãos nos caixões de Yvette Kahle e Deborah Fleming. O zelador de Fleming na instituição de longa permanência onde Fleming morreu também participou do serviço de Fleming.

"É um dos atos corporais de misericórdia", disse Alexander sobre sua decisão de participar do culto. "Nossas tradições variam, mas enterrar os mortos é essencial. Faz parte do nosso chamado."

El clero local se une en un funeral el 26 de enero de 2022 para honrar a varias personas que fueron enterradas como parte del programa para proveer entierro para personas indigentes de Servicios Sociales del Area Metropolitana de Nashville. La iniciativa que recluta clérigos/as para orar por los/as fallecidos/as se llama Call the Name (Pronuncia el Nombre). Foto de Liam Adams, The Tennessean.

Clero local se junta ao serviço de funeral de 26 de janeiro de 2022 para homenagear vários indivíduos sendo enterrados como parte do programa de enterro de indigentes do Serviço Social Metro Nashville. Foto de Liam Adams, cortesia de The Tennessean.

Al igual que Fleming, algunas de las personas estaban en centros de atención para personas de la tercera edad, y otros/as eran personas sin hogar. Voorhees dijo que en una oportunidad tuvo que dirigir un funeral para una mujer cuya identidad se desconocía: "tuve que pensar un poco en el ritual que íbamos a hacer por ella. Aunque nadie conociera su nombre, nosotros/as íbamos a estar allí con ellos/as haciendo lo mejor posible" dijo Voorhees.

 

Como Fleming, alguns dos indivíduos estavam em instituições de longa permanência. Outros eram indivíduos em situação de rua. Voorhees disse que houve uma Jane Doe ou uma mulher cuja identidade era desconhecida.

Nesse caso, "eu tive que pensar um pouco no ritual que faríamos com isso", disse Voorhees. "Mas alguém sabia seu nome e ainda vamos ficar lá com eles da melhor maneira possível."

Não esquecer é o ponto principal, disse Voorhees. Compartilhando a história por trás do nome da iniciativa, Voorhees citou Davie Tucker, seu amigo e um colega pastor de Nashville, que uma vez disse a Voorhees: "Ninguém morre se você chamar o nome deles".

 

*Liam Adams cobre religião para The Tennessean. Entre em contato com ele em [email protected] ou no Twitter @liamsadams.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

 

Igreja Local
A Revda. Ruth Marsh oferece uma xícara de chá a Angi Rogers, uma hóspede do abrigo diurno da Igreja Metodista Unida Trinity em Idaho Falls, Idaho. Rogers não estava se sentindo bem e Marsh a colocou em uma sala de aula da escola dominical para descansar um pouco. “Todo mundo aqui cuida de mim e uns dos outros”, disse Rogers.

Pequena igreja transforma vidas com abrigo diurno

Uma congregação Metodista Unida trabalha em parceria com outras organizações comunitárias para fornecer serviços aos sem-teto e trabalhadores pobres, desde refeições e banhos até assistência com programas sociais mais amplos.
Preocupações Sociais
A Igreja Metodista Unida de Park Hill usou seu estacionamento como uma comunidade de espaço seguro para os vizinhos em situação de rua. Foto cortesia de Colorado Village Collaborative.

Estacionamentos da Igreja Metodista Unida funcionam como espaços seguros

A Igreja Metodista Unida de Park Hill é uma das várias congregações Metodistas Unidas que oferecem um espaço seguro em seus estacionamentos para moradores de rua dormindo em seus carros.
Missão
A Revda. Ruth Marsh (à direita) conforta Angi Rogers, uma hóspede do abrigo diurno na Igreja Metodista Unida Trinity em Idaho Falls, Idaho. Rogers não estava se sentindo bem e Marsh a acomodou em uma sala de aula da escola dominical para descansar um pouco. “Todos aqui cuidam de mim e uns dos outros”, disse Rogers. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

Igrejas veem muitas necessidades neste Advento

Muitas congregações e organizações sem fins lucrativos nos EUA estão intensificando seus esforços para ajudar as pessoas de baixa renda afetadas pela inflação e pela escassez de moradias populares.