Ministérios Globais, UMCOR aprova US $10 milhões em subsídios

Other Manual Translations: English

Palavras Chaves:

  • A junta dos Ministérios Globais da Metodista Unida e da Comissão Metodista Unida de Socorro reuniram-se virtualmente de 26 a 29 de Outubro.
  • Os subsídios foram aprovados para ajudar migrantes em todo o mundo, sobreviventes de incêndios florestais no noroeste do Pacífico, pessoas que sofrem de malária na África e muito mais.
  • A capacidade de mudar é fundamental, já que as agências enfrentam as mudanças climáticas, a contínua pandemia de COVID-19 e outras condições de rápida evolução, dizem os líderes.

Embora reconhecendo o cansaço dos trabalhadores humanitários após desastres em todo o mundo, a directoria dos Ministérios Globais da Metodista Unida e da Comissão Metodista Unida de Socorro avançou, aprovando mais de $10 milhões em subsídios na sua reunião de Outono.

O apoio à agricultura na África e aos migrantes em todo o mundo, junto com a ajuda para os sobreviventes de vários desastres naturais no Haiti, malária na África e incêndios florestais no noroeste do Pacífico, foi aprovado durante reuniões online de 26 a 29 de Outubro.

Também foram discutidos os planos para rebaptizar a Justiça Nacional para Nossos Vizinhos e um programa piloto que vai para a Geórgia para conectar as igrejas à energia solar.

“Uma nova era implica desafios e mudanças,” disse Roland Fernandes, chefe executivo dos Ministérios Globais e UMCOR. 

“Isso inclui a pandemia da COVID-19, incertezas sobre o futuro da nossa denominação, os perigos da mudança climática e a continuação do racismo sistémico com sua negação da equidade na igreja e na sociedade.”

Os Ministérios Globais precisam “encontrar nova maneira de manter nossa postura agressiva,” disse o Bispo Thomas J. Bickerton da Conferência de Nova York, um membro do conselho dos Ministérios Globais.

Bickerton acrescentou que, “as pessoas em todos os sectores de nosso trabalho estão simplesmente cansadas.” 

“Todo esse tema ‘da grande renúncia’ que está acontecendo em todo o país ... faz parte da nova realidade,” disse ele. “E é uma dura realidade porque o que foi muito eficaz no passado não pode ser isso em que nos apoiamos no futuro.”

Peter Gomah verifica a saúde das mudas no viveiro de dendê na Estação da Missão Metodista Unida Ganta em Ganta, Libéria, em 2017. Em homenagem ao falecido Bispo John K. Yambasu, o conselho dos Ministérios Globais Metodistas Unidos aprovou mais de $ 1,4 milhões em apoio ao desenvolvimento da agricultura no Zimbábue, Congo, Serra Leoa, Libéria e Tanzânia. Yambasu morreu após um acidente de carro em 16 de agosto de 2020, em Serra Leoa. Foto de arquivo por Mike DuBose, UM News. 
Peter Gomah verifica a saúde das mudas no viveiro de dendê na Estação da Missão Metodista Unida Ganta em Ganta, Libéria, em 2017. Em homenagem ao falecido Bispo John K. Yambasu, o conselho dos Ministérios Globais Metodistas Unidos aprovou mais de $ 1,4 milhões em apoio ao desenvolvimento da agricultura no Zimbábue, Congo, Serra Leoa, Libéria e Tanzânia. Yambasu morreu após um acidente de carro em 16 de agosto de 2020, em Serra Leoa. Foto de arquivo por Mike DuBose, UM News.

Em homenagem ao falecido Bispo John K. Yambasu, a junta aprovou mais de US $1,4 milhão em apoio ao desenvolvimento da agricultura no Zimbabué, Congo, Serra Leoa, Libéria e Tanzânia. Yambasu morreu após um acidente de carro em 16 de Agosto de 2020, em Serra Leoa.

“Fazemos isso em reconhecimento total ao grande legado do Bispo John Yambasu, de quem sentimos falta todos os dias,” disse Bickerton. “Lembramos suas palavras inspiradoras de motivação e esperança e damos graças a Deus pela maneira como Deus trabalhou por meio daquele maravilhoso servo e colega nosso.”

Em homenagem a outro ex-líder Metodista Unido, US $110.000 foram destinados para fornecer ajuda aos terramotos, deslizamentos de terra e inundações no Haiti. Os fundos para esta subvenção vieram do Fundo Memorial Rev. Sam Dixon, combinado pela UMCOR.

Dixon, presidente-executivo da UMCOR, morreu em janeiro de 2010, quando ficou preso por destroços em um hotel após um terramoto no Haiti. O Rev. Clint Rabb, que liderou o escritório de Voluntários em Missão dos Ministérios Globais, também morreu no desastre.

“O Haiti nunca é um lugar fácil de se trabalhar devido às realidades políticas, económicas e geográficas. O recente sequestro de 17 missionários e o pedido de resgate são mais um indicador da complexidade do Haiti,´´ disse Fernandes.

Ele salientou que o terramoto de 14 de agosto que devastou o sul e o oeste do Haiti, causando mais de 2.000 mortes e ferindo mais de 13.000 pessoas.

O dinheiro da resposta ao terramoto será usado para aumentar o acesso aos serviços de saúde no Haiti por meio de duas redes de clínicas móveis e acesso à água potável por meio do estabelecimento de seis sistemas de tratamento de água.

A iniciativa Imagine No Malária também foi aprovada para um financiamento de US $1,6 milhão. 

“Embora tenha havido um progresso significativo nos últimos 10 anos, mais de 200 milhões de pessoas são infectadas com malária a cada ano e 400.000 pessoas morrem da doença,” disse Tatenda Mujeni, que coordena o programa Imagine No Malária.

“O programa do INM visa contribuir para a luta global contra a malária, particularmente na África, com uma meta de atingir 20% de redução na morbilidade e mortalidade por malária por meio das instalações e das comunidades em que trabalhamos.”

Para apoiar os migrantes em todo o mundo, US $2,2 milhões foram aprovados. 

“O principal objectivo do programa de migração global é apoiar a igreja nos seus esforços em dar boas-vindas aos refugiados e migrantes de todos os tipos, independentemente de onde eles estão na jornada de migração,” disse o Rev. Jack Amick, que dirige o Programa Global da migração da UMCOR.

Espera-se que pelo menos 65.000 refugiados do Afeganistão busquem refúgio nos EUA depois que o presidente Biden retirou os EUA daquele país no início deste ano.

“A igreja servirá como uma das agências oficiais de reassentamento (e) ajudará os recém-chegados com habitação, assistência jurídica, cuidados médicos e outros itens essenciais,” disse Fernandes.

O comité de emergência UMCOR aprovou $100.000 para um programa de reembolso que irá compensar as igrejas Metodistas Unidas que patrocinam afegãos que desejam viver nos EUA. Até $1.000 por igreja estarão disponíveis para o programa.

“Esperamos que isso incentive as igrejas locais a se engajarem neste ministério importante e transformador,” disse Fernandes.

Mais de $6 milhões foram orçados para a resposta aos desastres nos EUA, com um adicional de $1,5 milhão aprovado para desastres internacionais.

Um subsídio de recuperação de US $250.000 também foi aprovado para ajudar os esforços de reconstrução na Conferência do Noroeste do Pacífico após os danos do incêndio florestal. Será usado para ajudar a reparar casas, anexos e cercas e para suporte de infra-estrutura

Lara S. Martin, directora de resposta aos desastres e relações com parceiros nos EUA, relatou que no ano passado 50% dos coordenadores de resposta a desastres renunciaram ou se aposentaram.

Ela observou que a denominação, que está encolhendo nos EUA, não atraiu substitutos mais jovens para a geração de coordenadores em idade de aposentadoria. Ela também disse que a pandemia reduziu o financiamento, com a transição de alguns cargos de pagos para voluntários.

Dois palestrantes anteciparam novas iniciativas: um movimento para reformular a Justiça Nacional para nossos Vizinhos e um programa piloto na Geórgia para levar energia solar às igrejas.

Este último esforço faz parte do objectivo de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa da Metodista Unida para Zero Líquido até 2050, em que participam 10 agências.

“Nosso projecto de teste será o de fornecer a oportunidade para as igrejas Metodistas Unidas no estado da Geórgia instalarem energia solar em seus edifícios ... sem nenhum custo inicial,” disse Jenny Phillips, consultora técnica sénior para sustentabilidade ambiental.

A Cherry Street Energy, uma empresa de Atlanta, instalará painéis solares nas igrejas Metodistas Unidas, fará a manutenção do equipamento e venderá a energia produzida para a igreja. A empresa normalmente financia construção, instalação, operação e manutenção. 

“É aí que gostaríamos que a Wespath (Benefícios e Investimentos) viesse, fornecer financiamento para equipamentos solares instalados nas igrejas Metodistas Unidas,” disse Phillips. “A Wespath e a Cherry Street Energy ainda estão trabalhando nos detalhes de como reunir esse pacote de financiamento para desenvolver um acordo que seja mutuamente benéfico.”

Espera-se que o projecto de energia solar seja lançado no início de 2022, disse Phillips.

A Justiça Nacional para Nossos Vizinhos contratou um consultor para sugerir um nome menos prolixo que descreva melhor sua missão, disse Rob Rutland-Brown, director executivo da JFON

“Estamos dando um passo para trás e dar uma nova olhada em nosso nome e nosso logo tipo, a forma como nos marcamos,” disse ele. “Esperançosamente, na reunião de primavera, teremos algumas boas actualizações sobre onde chegamos nessa mudança de marca.”

Patterson é repórter da UM News em Nashville, Tennessee. Contate-o em 615-742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos diários ou semanais gratuitos.

*Sambo é o correspondente lusófono em Africa para UMNews.

Agências gerais
Desafios financeiros em curso, agravados pela pandemia, levaram a grandes mudanças para a Editora Metodista Unida. A agência autossustentável vendeu seu campus em Nashville, Tennessee, (na foto) para uma imobiliária de Chicago e transferiu os ativos e a gestão de um fundo de pensão para a Wespath Benefícios e Investimentos. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Editora muda plano de previdência e vende campus

A Editora Metodista Unida foi duramente atingida pela pandemia, por isso fez algumas mudanças, incluindo a venda de sua propriedade em Nashville e a transferência de seu plano de pensão para Wespath
Evangelismo
O Rev. Taurai Emmanuel Maforo. Foto de Mutsa Roy Maforo.

A igreja virtual é o novo paradigma do ministério

A mudança de reuniões cara a cara para uma “igreja sem paredes” era considerada impensável apenas alguns anos atrás, mas os fechamentos desencadeados pela pandemia COVID-19 aceleraram a prática do ministério online.
Área Geral da Igreja
O Rev. Adam Hamilton, pastor sênior da Igreja Metodista Unida da Ressurreição, fala sobre a pandemia e a divisão denominacional proposta durante uma entrevista na Notícias Metodista Unida em Nashville, Tennessee. A igreja sediará o 2021 Leadership Institute (Instituto de Liderança 2021) de 29 de setembro até 1 de outubro, com foco em ajudar pastores e leigos a lidar com as divisões em suas comunidades. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

Adam Hamilton: Liderando em tempos polarizados

Antes das sessões de 2021 do Instituto de Liderança da Igreja Metodista Unida da Ressurreição, o Notícias MU falou com o Rev. Adam Hamilton sobre a pandemia e a divisão proposta da denominação.