Credenciais de voto da GC2019 sob revisão

Other Manual Translations: English 한국어 español

Os organizadores da Conferência Geral investigam se as pessoas inelegíveis podem ter recebido credenciais para votar durante a sessão especial da assembleia legislativa superior da Igreja Metodista Unida.

Após uma revisão profunda, parece possível que "um número muito limitado" de pessoas inelegíveis, para as quais foram corretamente negadas credenciais de delegados anteriormente, mais tarde foram capazes de obtê-las, segundo o reverendo Gary W. Graves, secretário da Conferência Geral. Ele se recusou a dar um cenário mais preciso.

A revelação de potenciais irregularidades no voto vem depois de uma Conferência Geral altamente controversa, na qual os delegados pretendiam definir a direção da denominação em seu antigo debate sobre a homossexualidade.

Por volta de 438 a 384 votos, os eleitores adotaram o Plano Tradicional, que reforça a proibição da denominação para casamentos entre pessoas do mesmo sexo e clérigos gays “autoproclamados” e adiciona medidas de fiscalização.

Graves disse que o número de possíveis eleitores inelegíveis era muito pequeno para afetar o resultado final do Plano Tradicional ou a derrota do rival Plano Uma Igreja, o que teria deixado as questões de ordenação e casamento mais próximas do nível local.

No entanto, os eleitores mais tarde decidiram por uma margem de dois votos, 402 a 400, para substituir um relatório de minoria da Petição 90066, legislação de desfiliação que permitiria que igrejas, dentro de limites, deixassem a denominação enquanto mantinham propriedades da igreja.

Os organizadores da Conferência Geral estão consultando Leonard Young, o parlamentar profissional que serviu durante a Conferência Geral, sobre o impacto que qualquer eleitor inelegível teria nessa ação legislativa.

Como a votação é secreta, disse Graves, os organizadores da Associação Geral não sabem se os possíveis eleitores inelegíveis apoiaram um resultado específico.

Tanto o Plano Tradicional quanto a legislação de desfiliação enfrentam uma revisão em abril pelo Conselho Judicial, o principal tribunal da denominação. Os pedidos de revisão constitucional vieram antes que a questão dos eleitores inelegíveis se tornasse pública.

O tribunal já havia identificado problemas constitucionais tanto no Plano Tradicional quanto na versão original da Petição 90066 .

As preocupações de inelegibilidade vêm após uma Conferência Geral com segurança especialmente alta, onde foram tomadas medidas extras para garantir que apenas os delegados ou suas reservas tivessem acesso à área de votação. Observadores da assembleia legislativa, realizada em um antigo estádio de futebol, só tiveram acesso ao andar acima do local onde os delegados se reuniram.

Graves disse que tomou conhecimento das preocupações após uma investigação sobre o processo de registro e credenciamento de delegados.

Em consulta com Duncan McMillan, o presidente da Comissão da Conferência Geral, Graves e outros iniciaram uma análise aprofundada para preparar os registros de comparecimento dos delegados, conforme exigido pelas regras da Conferência Geral.

Delegados à Conferência Geral multinacional dividem-se igualmente entre leigos e clérigos. A Conferência Geral de 2019 deveria ter 864 delegados, mas 31 estavam ausentes - principalmente porque não conseguiam vistos.

Cada conferência anual Metodista Unida elege um número designado de delegados e tantas reservas quantas a conferência escolher. Cada secretário da conferência anual submete os nomes e informações de contato dos eleitos para os organizadores da Conferência Geral.

As informações sobre delegados e delegados de reserva são então inseridas em um banco de dados da Conferência Geral, que é usado para criar cartões de credenciais. Os cartões são distribuídos a cada secretário da conferência para assinatura e distribuição aos delegados.

Quando os delegados chegam à Conferência Geral, eles trazem esse cartão de credencial, seu passaporte ou outro documento de identificação com foto para se registrar e retirar as credenciais preparadas para eles.

"Há casos em que os cartões de credenciais foram perdidos ou não conseguiram chegar aos delegados e, nesse caso, eles passam por um processo de substituição", disse Graves.

“Eles preenchem seu nome e são comparados com o documento com foto e dados pelo voluntário ou pela equipe que está trabalhando naquela estação. Contanto que eles estejam no banco de dados e desde que o ID da foto corresponda ao nome que eles colocaram no cartão de credencial, eles receberão as credenciais”, afirmou.

Na revisão, Graves, o gerente de negócios da Associação Geral, outros funcionários e uma empresa de auditoria independente conferiram os cartões de credenciais, identificaram os códigos de barras, formulários de assiduidade, reservaram formulários de assentos e outros recursos.

"Neste momento, vamos enviar tudo o que temos para a Comissão na Conferência Geral e eles vão emitir uma declaração sobre o que eles acreditam ter ocorrido", disse Graves.

A comissão também determinará os próximos passos. Ele acrescentou que a comissão completa seria convocada o quanto antes.

"A integridade de nosso processo de eleição e credenciamento é fundamental, e tomaremos as medidas necessárias para melhorar e garantir isso", disse Graves.

McMillan disse em um comunicado que o comitê executivo da Comissão da Conferência Geral está considerando recomendações para a comissão completa.

"Estamos comprometidos em trabalhar para fortalecer o processo de credenciamento", disse McMillan. 

 

* Hahn é repórter multimídia do Serviço Metodista Unido de Notícias. Entre em contato com ela pelo telefone (615) 742-5470 ou newsdesk@umcom.org . 

**Sara Novaes é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina @umcom.org

Área Geral da Igreja
O Bispo John K. Yambasu, da Serra Leoa, discursa em uma reunião do Colégio de Bispos da África em Mutare, Zimbábue. Os bispos disseram que a igreja continuaria na África após a Conferência Geral de 2020. Foto de Tim Tanton, Notícias MU.

Bispos africanos se opõem a planos de separação

Em uma declaração no final do retiro do Colégio dos Bispos da África, os bispos disseram que a igreja continuaria na África depois da CG2020.
Área Geral da Igreja
O Plano de Indianápolis visualiza a integração de duas outras denominações "metodistas unidos" tradicionalista, centrista / progressista integrada ou separada de acordo com sua perspectiva sobre a inclusão da comunidade LGBTQ+ na igreja. Foto ilustração Rev. Gustavo Vasquez, MU News.

Grupo esboça plano de separação para denominação

Um grupo de líderes de igrejas centristas, progressistas e tradicionalistas elaborou um plano para a Igreja Metodista Unida se separar amigavelmente
Área Geral da Igreja
Os bispos Thomas J. Bickerton (centro) e Gregory V. Palmer (à direita) conversam com colegas sobre procedimentos legislativos durante a Conferência Geral Metodista Unida de 2019 em St. Louis. Bickerton é o representante do Conselho dos Bispos na Comissão da Conferência Geral. A Comissão da Conferência Geral - que se reuniu a portas fechadas - revisou uma investigação que encontrou evidências de quatro pessoas inelegíveis votando com as credenciais dos delegados que não estavam presentes. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Votação indevida no GC2019 anula voto chave

Uma investigação sobre a Conferência Geral determinou que o número de eleitores inelegíveis era suficiente para afetar um voto sobre como as igrejas podem deixar a denominação.