As portas da igreja de Detroit se abrem para Ded

Other Manual Translations: español

Ded y Flora Rranxburgaj expresaron su gratitud por los tres años de hospitalidad brindados por la Revda. Dra. Jill Hardt Zundel y la Iglesia Metodista Unida Central de Detroit. Ahora pueden salir del edificio sin temor a ser deportadas, luego de una decisión de Inmigración y Control de Aduanas (ICE por sus siglas en inglés) el 18 de mayo de 2021. Foto cortesía de Paul Perez.

Ded e Flora Rranxburgaj expressaram gratidão pelos três anos de hospitalidade fornecida pela Revda. Dra. Jill Hardt Zundel e pela Igreja Metodista Unida Central de Detroit. Eles agora podem deixar o prédio sem medo de sua deportação após uma decisão do ICE em 18 de maio de 2021. Foto cortesía de Paul Perez.

“Agora posso respirar ar fresco!”, declara Ded Rranxburgaj com alegria por ser capaz de deixar a Igreja Metodista Unida Central de Detroit após três anos e meio no santuário.

O slogan da denominação, “Corações abertos, mentes abertas, portas abertas”, assumiu um significado especial hoje quando Ded Rranxburgaj saiu da Igreja Metodista Unida Central sem medo da deportação pela primeira vez em três anos e meio. As dificuldades e o estresse que muitos sofreram com o “abrigo no local” durante a pandemia é algo que este marido e pai albanês conhece desde janeiro de 2018. A congregação o abraçou dentro de suas paredes, e apoiou sua esposa Flora e os filhos Lorence e Eric durante seu tempo no santuário.

 

La Revda. la Dra. Jill Hardt Zundel comparte la buena noticia de que un fallo del 18 de mayo de ICE le permite a Ded Rranxburgaj salir del edificio sin temor a ser deportado. Él y su familia han estado en el santuario de la IMU Central desde enero de 2018. De izquierda a derecha: Flora y Ded Rranxburgaj, el abogado George Mann, la abogada Aleksandra Dragovic y el Rev. Paul Perez.  Foto de IMU Michigan.

A Revda. Dra. Jill Hardt Zundel compartilha a boa notícia de que uma decisão de 18 de maio do ICE permite que Ded Rranxburgaj deixe o prédio sem medo de deportação. Ele e sua família estão no santuário da Igreja Metodista Unida Central desde janeiro de 2018. A partir da direita: Flora e Ded Rranxburgaj, advogado George Mann, advogada Aleksandra Dragovic e Rev. Paul Perez. Foto do IMU Michigan.

A Revda. Dra. Jill Hardt Zundel, pastora sênior da UMC Central de Detroit, revisou a história de Ded durante uma coletiva de imprensa esta tarde. “Três anos e meio atrás, eu estava diante de vocês dando as boas-vindas à família Rranxburgaj em um lugar seguro enquanto eles reivindicavam refúgio. O ICE deu a Ded um aviso final de deportação e pediu-lhe que comprasse uma passagem só de ida, de volta para a Albânia. Quando o ICE pediu que ele voltasse para outra reunião, Ded, temendo ser detido, mudou-se para a igreja para manter sua família unida.”

Um momento difícil

Nesse ponto, o ICE considerou Ded um fugitivo. “Por causa disso”, explicou Zundel, “nenhum recurso para seu caso seria analisado”. Embora ele permanecesse seguro dentro dos limites da igreja, a família sofreu. “Como Ded não podia deixar a igreja por medo de ser preso, ele sentiu falta de ver Lorence se formar na faculdade e se casar. Ele sentia falta de assistir Eric se formando no colégio. Tantos eventos da vida que Ded perdeu porque não podia deixar a igreja”, comentou Zundel. “Ele fez tudo isso para proteger sua família e cuidar de Flora, que luta contra a esclerose múltipla.”

O relacionamento da congregação com a família deu início ao pedido da Michigan United de oferecer-lhes abrigo. Michigan United é uma coalizão estadual que trabalha na reforma da imigração. Nem a igreja nem a família haviam experimentado o santuário antes, mas todos aprenderiam que isso envolvia abrigo, transporte, defesa, levantamento de fundos e muito amor. Muitos meses depois que o pedido foi atendido, Zundel disse: “Temos um ditado que diz: 'O santuário é difícil'. O santuário cobra um preço físico e mental também.”

O COVID-19 apenas aprofundou o isolamento para Ded e Flora. “A igreja fechou as portas na manhã de domingo, quando a pandemia nos atingiu”, disse Zundel. “A comunidade com a qual Ded e Flora podiam interagir não estava mais aqui para quebrar a monotonia de cada dia.”

 

El abogado George Mann, él mismo un ex refugiado de la Rumanía comunista, dijo en la reunión: "Este tipo de trabajo no es solo un trabajo para mí, es mi vida, algo en lo que creo". Foto de IMU Michigan.

O advogado George Mann, ele próprio um ex-refugiado da Romênia comunista, disse ao encontro: “Este tipo de trabalho não é apenas um trabalho para mim, é minha vida, algo em que acredito”. Foto do IMU Michigan.

Libre una vez más

El 18 de mayo, la comunidad de Rranxburgajs se hizo grande una vez más cuando Ded regresó de su cita en la oficina regional de inmigración para finalizar un acuerdo que pusiera fin a su tiempo en el santuario. George Mann, uno de los abogados de inmigración de Ded presentes en la conferencia de prensa, dijo: "Me complace anunciar que el gobierno acordó volver a colocar a Ded en una orden de supervisión por motivos humanitarios. La terrible experiencia de la familia Rranxburgaj ha llegado a su fin. Hoy Ded puede salir de la IMU Central, de la protección de la Revda. Zundel y su comunidad extendida de seguidores/as". Si bien no es una suspensión total de la mudanza, el acuerdo permitirá a Ded reanudar su vida en el exterior.

Ded expresó su gratitud por los abogados, la pastora y la iglesia. “Gracias a todos/as soy un hombre libre. No puedo explicar lo feliz que estoy ... ¡Gracias a Dios, ahora puedo respirar aire fresco! Dios los/as bendiga a todos/as". Ded compartió que su primer objetivo es encontrar un "lugar para poner juntos a mi familia y nuestras cosas" en un apartamento del primer piso para satisfacer las necesidades de Flora.

Trabalho ainda pela frente

O advogado George Mann observou: “O trabalho não acabou. A ordem de deportação ainda é válida. O governo está agindo com discrição favorável. Ainda há trabalho a ser feito”. Ele expressou sua esperança de que eventualmente vencerá a luta pela cidadania americana para Ded e Flora. “A família Rranxburgaj representa algo sobre este país de imigrantes e seus descendentes que deve nos dar uma pausa”, disse Mann. “O motivo pelo qual não foram abandonados pela comunidade ao seu redor é o exemplo que deram. Um exemplo básico e muito simples de devoção e de honrar seu dever para com a família e defender uns aos outros. Isso é algo que está muito perto de nossos corações. É disso que se trata a vida.” 

El abogado George Mann, él mismo un ex refugiado de la Rumanía comunista, dijo en la reunión: "Este tipo de trabajo no es solo un trabajo para mí, es mi vida, algo en lo que creo". Foto de IMU Michigan.

O Rev. Paul Perez parabenizou Ded e Flora Rranxburgaj em nome dos Metodistas Unidos de Michigan. Ele também agradeceu à Igreja Metodista Unida Central por fornecer santuário e apelou a um caminho mais humano para a cidadania dos EUA. Foto do IMU Michigan.

A pastora Zundel encerrou suas observações dizendo: “O santuário é difícil. Mas a injustiça é pior. A reforma da imigração ainda precisa acontecer”. Ela relatou que continua recebendo telefonemas de pastores perguntando como providenciar um santuário e de pessoas “com medo de serem deportadas”. Ela acrescentou: “Ded e Flora estão se mudando em breve para começar uma nova vida, mas, infelizmente, ainda temos outros que procuram um santuário para ficarem seguros”.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O Rev. Paul Perez, Diretor do Ministério Conexional da Conferência de Michigan, participou da coletiva de imprensa para expressar os parabéns à família Rranxburgaj em nome dos Metodistas Unidos de Michigan. “Você suportou e sacrificou muito nos últimos três anos para manter sua família unida e resistir a um sistema de imigração injusto e desumano”, disse Perez. “Sua coragem, persistência e amor são um testemunho de sua força e determinação de tantos migrantes aqui e ao redor do mundo”. Ele também agradeceu à pastora Zundel e à UMC Central por abrir a igreja e ficar ao lado da família Rranxburgaj em sua luta. “Você permaneceu fiel ao longo e histórico legado da Central de ser a consciência da cidade e uma congregação que incorpora o melhor dos ensinamentos e convicções de justiça social do Metodismo Unido”, disse Perez.

Perez também pediu a reforma do "sistema de imigração destruído e cruel desta nação". Ele refletiu: “Ded é como tantas pessoas que conheci e conheço, que são imigrantes documentados e sem documentos. Eles são membros de suas comunidades... eles pertencem a este lugar. Esta é a casa deles”. Ele declarou a necessidade de um caminho claro e humano para a cidadania. “É hora de aqueles de nós que desfrutamos do privilégio da cidadania dos EUA nos unirmos para exigir o melhor de nossa nação”, concluiu Perez. “É hora de responsabilizar o presidente Biden e o governador Whitmer pelas promessas eleitorais que ambos fizeram às comunidades de migrantes e seus aliados.”

 

* Demoss é Editor de Conteúdo Sênior da Conferência Anual de Michigan. Clique aqui para ver a coletiva de imprensa completa. Michigan United produziu esta gravação de vídeo. O uso irrestrito é concedido.

** Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

 

 

 

 

Preocupações Sociais
Refugiados que fugiram do conflito na região de Tigray, na Etiópia, viajaram em dezembro para um abrigo temporário perto da fronteira entre o Sudão e a Etiópia. Os campos de refugiados no vizinho Sudão agora abrigam mais de 45.000 refugiados etíopes. Foto cortesia da Associated Press.

Bispa Carcaño: Recupere a voz moral da América dando as boas-vindas aos refugiados em nossas costas

Por 4 anos profundamente dolorosos e divisivos, o presidente Trump fez tudo o que pôde para desmantelar um programa federal de 40 anos de acolhimento de refugiados nos Estados Unidos.
Histórias de Fé
Cam Belk vê a cidade de Nova York. Foto cortesia da Conferência Anual Holston.

Homem de Sweetwater experimenta como é parecer e falar diferente

"Ser afro-americano ou ter pele escura nos Estados Unidos é como ter uma ferida constante do lado."
Preocupações Sociais
Cindy Andrade Johnson (centro), uma diaconisa Metodista Unida, ajuda migrantes que vivem em um campo improvisado em Matamoros, México, a escrever cartas para o presidente eleito dos EUA, Joe Biden. Biden prometeu reforma da imigração durante sua campanha presidencial. Foto cedida por Cindy Andrade Johnson.

Migrantes procuram Biden para reforma da imigração

O presidente eleito Biden prometeu reforma da imigração durante sua campanha presidencial, e agora os migrantes estão escrevendo para ele pedindo que cumpra essas promessas.