COVID-19 poderia levar a igreja a mudanças

Other Manual Translations: English español
Church leaders say some of the responses to the coronavirus pandemic might help point the way to the future. Virus illustration courtesy of the Centers for Disease Control and Prevention.
Os líderes da Igreja dizem que algumas das respostas à pandemia de coronavírus podem ajudar a apontar o caminho para o futuro. Ilustração de vírus cortesia dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças. 

A Igreja Metodista Unida está se esforçando para enfrentar a ameaça do COVID-19, e alguns líderes da igreja dizem que as mudanças provocadas pela crise podem valer a pena se mantidas depois que a pandemia passar.

"Outro dia, disse a um de meus colegas: 'Essa é uma perspectiva pré-coronavírus'", disse a bispa Sally Dyck, bispo residente da região de Chicago. “Espero que apliquemos uma perspectiva pós-coronavírus de que a vida é frágil e a vida é aleatória.

"Não estamos no controle", disse ela. “Queríamos controlar a igreja. Nós queríamos controlar Deus. Nós queríamos nos controlar. E controlar é uma perspectiva pré-coronavírus.”

Mais de 37.000 pessoas nos EUA morreram de COVID-19 desde 21 de janeiro, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças. Mais de 720.000 casos foram relatados em 19 de abril. A tecnologia desempenhou o papel mais visível para a igreja na abordagem da pandemia.

A Primeira Igreja Metodista Unida de Miami contratou um novo membro da equipe para ajudar no ministério virtual. A Revda. Audrey Warren, pastora sênior, disse que eles manterão essa pessoa na equipe após o coronavírus. 

"Procuramos expandir para esse mundo, principalmente porque em Miami somos uma cidade muito transitória", disse Warren. "As pessoas entram em nossa igreja por três ou quatro anos e depois se mudam, e às vezes têm dificuldade em encontrar uma nova igreja."

A igreja de Miami obteve sucesso ao mover pequenos grupos para o ambiente on-line e também criou um grupo de cadeias de oração que está indo bem. 

Warren visualiza uma igreja virtual com membros em todo o mundo, talvez com um serviço anual de boas-vindas hospedado no santuário de Miami. 

Em uma coincidência oportuna, Warren está publicando um livro em agosto pela Abingdon Press sobre a necessidade de colocar os recursos metodistas unidos mais em pessoas do que em propriedades. Co-escrito com o bispo Kenneth Carter, da Conferência da Flórida, o livro é intitulado “Fresh Expressions of People over Property: Scripture, Stories and Strategies to Help People of Faith Reimagine their Space" (Novas expressões de pessoas sobre propriedades: escrituras, histórias e estratégias para ajudar as pessoas de fé a reimaginar seu espaço).

"O último capítulo do livro concentra-se um pouco nessa pandemia, e além disso enfatiza como é possível que nosso financiamento possa ser mais direcionado às pessoas do que à propriedade", disse Warren. 

“É um momento em nossas vidas pessoais para aprender: 'O que eu preciso deixar ir?' Também nos chama como igreja a fazer a mesma pergunta.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Tais conceitos podem ser difíceis de vender para muitas igrejas. 

A Igreja Metodista Unida Cornerstone, em Nova Orleans, realiza estudos bíblicos usando o Facebook e iniciou uma linha de oração por telefone para membros da igreja que não são tão tecnicamente esclarecidos, disse o Rev. Johnathan Carlton Richardson, pastor sênior. 

"Felizmente, a Cornerstone estava meio preparada para (serviços e reuniões on-line)", disse ele. 

Embora a estrutura para serviços on-line já estivesse em vigor quando a pandemia ocorreu, a cultura da cidade pode não ser favorável a longo prazo a um conceito como igreja virtual.

"Nova Orleans tem uma cultura muito hospitaleira", disse Richardson. "É uma pressão contra a cultura socializadora e muito acolhedora que faz de Nova Orleans a cidade internacional que é".

A bispo Cynthia Fierro Harvey, bispo residente da região da Louisiana, disse que a Páscoa 2020 foi a primeira vez em 60 anos que ela não compareceu fisicamente a um culto na igreja. 

"Mas eu estive em mais cultos do que nunca, com essa tecnologia no domingo de manhã", disse Harvey. "Há algumas pessoas fazendo transmissão ao vivo, há pessoas que gravaram previamente o culto e depois o passaram no Facebook na hora marcada". 

Comparando o COVID-19 com o 11 de setembro e a Segunda Guerra Mundial, Harvey disse que pode não haver um caminho de volta para onde a igreja estava antes da pandemia.

"Talvez o nosso manual que temos agora se torne irrelevante", disse ela. “Acredito que temos um tipo diferente de futuro pela frente. Agora temos que começar a imaginar como isso pode ser".

O mundo on-line está longe de ser perfeito, disse Harvey. 

"Sim, há buffering", disse ela. “A iluminação nem sempre é ótima. Mas eles estão se conectando de maneiras que acho estar fazendo uma enorme diferença para as pessoas. Nós estamos pregando o evangelho. Então, voltamos para muito antes, como quando nos reunimos nas esquinas. Essas são nossas novas esquinas.”

Se mais conexões com a igreja estão se movendo para o mundo virtual, as finanças podem se tornar um problema, disse ela.

"Infelizmente, esse é um grande problema financeiramente para nossas igrejas quando você não está se reunido", disse Harvey. "Embora algumas igrejas digam que as doações continuaram, eu imagino que em algum momento isso não permanecerá assim."

*Patterson é repórter da Notícias MU, com sede em Nashville, Tennessee. Entre em contato com ele pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected] . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

 

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Missão
Bispo Scott Jones visita o aluno da 3ª série, Dondren Wilson, no primeiro dia do programa Santuários de Aprendizagem na Igreja Metodista Unida Trinity em Houston. O programa, iniciado pela Conferência do Texas da Igreja Metodista Unida, oferece um espaço seguro, acesso à Internet e outros recursos nas igrejas da área, permitindo que os pais retornem ao trabalho e seus filhos continuem seus estudos durante a pandemia COVID-19. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

As igrejas de Houston tornam-se santuários de aprendizagem para estudantes

O programa “Santuários da Aprendizagem” da Conferência Anual do Texas foi lançado em 8 de setembro para alunos que não precisavam mais ir à escola após as férias de verão.
Missão
Incêndios florestais queimam durante uma noite de meados de agosto perto de Susanville, Califórnia. Uma série de incêndios florestais destruiu mais de 30.000 acres de terra ao redor de Susanville. Foto de Doug Magill, Exército dos EUA.

Incêndios e coronavírus complicam a ajuda humanitária no Ocidente

Depois de um furacão ou tornado, equipes de ajuda humanitária e voluntários da igreja freqüentemente entram em ação. Tal resposta não foi possível diante do grande número de incêndios florestais.
Missão
O estudante de ensino médio Sylvestre Muthoma se prepara para voltar às aulas em Bukavu, no Congo. As escolas reabriram em Agosto para aqueles que precisam fazer os exames finais para graduar. Foto de Philippe KitukaLolonga, Noticias MU.

Escolas africanas se adaptam aos requisitos de saúde

Com mais de 1 milhão de casos de COVID-19 confirmados em África, as escolas e universidades da Metodista Unida enfrentam desafios sem precedentes. Os comunicadores das Noticias MU compartilham como as escolas e igrejas estão se adaptando.