Bispos discernem maneiras de as igrejas optarem por se separar da UMC; busca de orientação do tribunal sobre Conferências Jurisdicionais

Translate Page
A presidente do Conselho dos Bispos, Bispo Cynthia Fierro Harvey, discursando na reunião dos bispos de 15 de março realizada via zoom. 
A presidente do Conselho dos Bispos, Bispo Cynthia Fierro Harvey, discursando na reunião dos bispos de 15 de março realizada via zoom.

Os bispos da Igreja Metodista Unida em 15 de março convocaram a reunião de caminhos discernidos para as igrejas que escolhem a desfiliação e a separação. Os bispos se reuniram duas semanas consecutivas para discernir os caminhos a seguir nestes tempos de mudança.

Os bispos afirmaram por esmagadora maioria que o parágrafo 2553 do Livro da Disciplina seria o parágrafo principal usado para desfiliação e separação. Entende-se que diferentes contextos podem exigir a utilização de parágrafos adicionais no atual Livro de Disciplina, a saber, os parágrafos 2548.2 e 2549: e que eles empregariam os valores e princípios descritos no parágrafo 2553.

Fica também entendido que o parágrafo 2.553 não é operativo nas Conferências Centrais, mas em matéria de desfiliação e separação, seriam utilizados os valores e princípios de 2.553. O parágrafo 2.553 foi adicionado ao Livro de Disciplina na Sessão Especial da Conferência Geral de 2019.

Além disso, o Conselho dos Bispos afirmou por uma forte maioria que manteria um conjunto de valores e princípios em todas as questões de desfiliação e separação:

      1. Reconhecimento mútuo 

  • Declare o reconhecimento mútuo de Cristo no outro como indivíduos, bem como igrejas constituídas, e procure o fruto do Espírito de Deus no ministério e missão.
  • Concordamos em não depreciar ativamente um ao outro com nossas palavras e ações que buscam minar o ministério do outro. 
  • Exercerá fiel e cuidadosamente os requisitos disciplinares dos sacramentos, ministério e missão.  

      2. Cuidando da responsabilidade previdenciária

  • Mesmo que o GMC assuma a responsabilidade de pensão para pastores ativos no futuro, a responsabilidade de pensão não financiada por serviço passado permanece dentro da Igreja Metodista Unida.
  • Cuidar da Responsabilidade da Pensão é essencial para proteger a saúde e o bem-estar da denominação no futuro e para garantir ainda mais a proteção do clero que permanece, bem como dos aposentados que podem partir. 

      3. Limite de votação

  • O parágrafo 2.553 estabeleceu o seguinte limite de votação:  A decisão de desfiliação da Igreja Metodista Unida deve ser aprovada por uma maioria de dois terços (2/3) dos votos dos membros professos da igreja local presentes na conferência da igreja.

Este limite foi afirmado pelo Conselho Judicial na Decisão 1379: “Qualquer legislação da Conferência Geral que permita a “saída graciosa” de uma igreja local deve exigir no mínimo que (1) a resolução de desfiliação seja aprovada por uma maioria de dois terços dos membros professos da igreja local presentes e votando na conferência da igreja, . . .”

      4. Capacidade de adicionar padrões adicionais

  • O parágrafo 2.553 estabeleceu termos padrão para qualquer desfiliação da igreja, incluindo coisas como pagamentos de rateio, propriedade, responsabilidades com pensões e outras responsabilidades.
  • Além disso, o Parágrafo 2.553 declara: “As conferências anuais podem desenvolver termos padrão adicionais que não sejam inconsistentes com a forma padrão deste parágrafo”.

Os bispos deram poder ao Comitê Executivo para formar uma equipe que ajudaria as conferências com as melhores práticas e recursos necessários para o trabalho de separação e desfiliação, com o objetivo principal de avançar a missão da UMC e ajudar aqueles cujos corações e mentes já decidiram pela saída.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Conferências Jurisdicionais

O Conselho dos Bispos também solicitou ao Conselho Judicial uma decisão declaratória sobre as Conferências Jurisdicionais a serem realizadas para eleger e designar bispos. Eles estabeleceram provisoriamente de 2 a 5 de novembro de 2022 para as Conferências Jurisdicionais, caso o Conselho Judicial decida a favor da realização das reuniões regionais. Esta data foi previamente agendada para Conferências Jurisdicionais.
 
Nas perguntas ao Conselho Judicial, os bispos querem saber se têm autoridade constitucional para estabelecer sessões regulares da Conferência Jurisdicional para eleger e designar bispos sem que a Conferência Geral ocorra primeiro. Os bispos também estão pedindo ao tribunal superior da denominação para decidir quando a designação de bispos recém-eleitos ocorreria se tais eleições ocorressem após 1º de setembro. Aqui estão as perguntas dos bispos:

Pergunta 1: O Conselho dos Bispos tem autoridade constitucional para estabelecer sessões regulares da conferência jurisdicional para eleger e designar bispos de acordo com os ¶¶ 26, 27.2 e 45 da Disciplina, não obstante a Conferência Geral não ter ocorrido desde a última eleição de bispos nas conferências jurisdicionais e a Conferência Geral não agiu de acordo com um relatório do Comitê Interjurisdicional do Episcopado conforme contemplado pelo ¶ 512?

Pergunta 2: Se a resposta à pergunta 1 for sim e a eleição e consagração do(s) novo(s) bispo(s) ocorrerem após 1º de setembro, quando começa a designação do(s) bispo(s) recém-eleito(s)?

Questão 3: A data de atribuição de “1 de setembro após a conferência jurisdicional” estabelecida no ¶ 406 é alterada se a eleição e a consagração ocorrerem antes das eleições habituais de julho que resultem em atribuições em vigor em aproximadamente um a dois meses após a eleição e consagração?

O pedido de decisão veio após o segundo adiamento da Conferência Geral de 2022 para 2024, aumentando o fardo dos bispos que tentam fornecer supervisão e liderança episcopal eficazes. Devido às vagas criadas por aposentadorias após o adiamento da Conferência Geral em 2020, atribuições especiais para cobrir áreas episcopais vagas nos Estados Unidos foram atendidas fielmente pelos bispos que continuam servindo em suas áreas residenciais.

“A ameaça à continuidade do episcopado e à sustentabilidade da liderança episcopal efetiva aumentará à medida que mais aposentadorias forem esperadas, seja devido à aposentadoria compulsória, aposentadoria profissional ou aposentadoria voluntária. Portanto, a justificativa para este pedido de decisão declaratória é prontamente aparente, e a necessidade de uma decisão rápida sobre o pedido é compelida, dada a carga atual e crescente”, disseram os bispos no processo ao tribunal.

O COB está pedindo uma decisão expedita.

A Presidente do Conselho dos Bispos, Bispa Cynthia Fierro Harvey, afirmou o trabalho dos bispos e sua disposição de cuidar da missão e do testemunho da UMC.

“O trabalho de um bispo tornou-se mais complexo e, no entanto, os bispos continuam a lidar com decisões difíceis em um mundo de valores concorrentes. Eles o fazem com graça e sem medo; sabendo que Deus está conosco”, disse a bispa Harvey.

*Notícias dos Bispos, Contato de mídia: Rev. Dr. Maidstone Mulenga, Diretor de Comunicações - Conselho dos Bispos Clique para enviar e-mail (202) 748-5172

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos gratuitos.

Área Geral da Igreja
Greater Nhiwatiwa (de vestido roxo), esposa do bispo Eben K. Nhiwatiwa (à esquerda), explica a história e o significado da montanha de oração Chin'ando aos bispos que participam do retiro do Colégio dos Bispos da África, realizado de 5 a 8 de setembro na Universidade da África em Mutare, Zimbábue. Os bispos divulgaram uma declaração no final do retiro pedindo unidade na Igreja Metodista Unida enquanto condenavam os grupos de defesa tradicionalistas que procuram separar a denominação. Foto por Eveline Chikwanah, Notícias MU.

Bispos africanos pedem unidade e condenam grupos de defesa

Os bispos emitiram uma declaração em 8 de setembro denunciando o grupo "Iniciativa África" e a "Associação Pasto Wesleyano" por estarem "influenciando erroneamente o povo de Deus em nossas áreas".
Conselho de Bispos
A bispa Sharma Lewis compartilha um momento com o bispo Lindsey Davis, seu ex-bispo na Conferência da Geórgia do Norte, durante a consagração de Lewis em 2016 na Lake Junaluska Conference and Retreat Center em Lake Junaluska, NC. O Conselho dos Bispos concluiu sua reunião de verão de 2022 preparando-se para o eleição de novos líderes episcopais este ano. Os novos bispos terão a tarefa de liderar a denominação em um momento de fragmentação invisível em suas vidas. Foto de Burt Williams, Conferência Oeste da Carolina do Norte.

Bispos planejam eleição de novos colegas

O Conselho de Bispos da Igreja Metodista Unida está se preparando para receber novos líderes episcopais que se juntarão às suas posições em meio a desafios nunca antes experimentados na denominação.
Preocupações Sociais
Durante sua reunião on-line em 26 de agosto, os bispos afirmaram unanimemente uma declaração abordando a violência armada. Para parar a epidemia de violência armada nos EUA e em todo o mundo, os bispos estão pedindo aos Metodistas Unidos que elevem suas orações a Deus e entrem em contato com seus líderes eleitos. Captura de tela cortesia do Conselho de Bispos via Zoom pela Notícias MU.

Bispos pedem rejeição da 'idolatria de armas'

Para superar a crise da violência armada nos EUA e em todo o mundo, os bispos exortam o povo Metodista Unido a orar e alcançar seus líderes eleitos.