Metodistas brasileiros se mobilizam para socorrer vítimas de deslizamentos em Petrópolis, no Rio de Janeiro

Other Manual Translations: Español

Como ajudar

Policiais Militares arrecadam mantimentos para os desabrigados em Petrópolis após enchente. Foto cortesía de Tânia Rêgo, Agência Brasil.Policiais Militares arrecadam mantimentos para os desabrigados em Petrópolis após enchente. Foto cortesía de Tânia Rêgo, Agência Brasil.

A Igreja Metodista Central de Petrópolis, juntamente com a 7º Região Eclesiástica da Igreja Metodista no Brasil e outras dezenas de Igrejas Locais de diferentes cidades que funcionam como ponto de arrecadação, seguem na importante ação social para socorrer as centenas de vítimas na cidade de Petrópolis. Veja como ajudar.

Doações financeiras: 

PIX (CNPJ): 23.416.412/0004-55

Dados da Conta Bancária:
Caixa Econômica Federal
Associação da Igreja Metodista Bomfim
CNPJ: 23.416.412/0004-55
Agência: 0188
Conta: 4717-0
Operação: 003

Divulgue: Você também pode apoiar essa mobilização divulgando as informações nas suas redes sociais e WhatsApp. Confira as imagens disponíveis para divulgar a campanha nas redes sociais da sua Igreja Local. Clique aqui.

Contato: Para obter mais informações sobre a campanha SOS Petrópolis, entre em contato: 

Fale com a Ação Social responsável pela campanha: +55 24 98844-0350
Fale com a equipe pastora da IM Central em Petrópolis: +55 24 98123-5812
Fale com a IM Central em Petrópolis: +55 24 2242-4440 ou [email protected] 
Facebook: facebook.com/catedral.metodistapetropolis 
Site: catedralmetodista.com.br/ 

Na última terça-feira, dia 15, o grande volume de chuvas na cidade de Petrópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro, no Brasil, causou cerca de 189 deslizamentos de terra e deixou mais de 176 mortos e 110 desaparecidos segundo as últimas informações da Polícia Civil. A região recebeu em 6 horas, todo o volume de chuvas previsto para o mês de fevereiro, segundo afirmou Marcelo Seluchi, coordenador-geral de Operações e Modelagem do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), em entrevista ao jornal O Globo, do Rio de Janeiro. “A situação é muito crítica na Região Serrana, principalmente em Petrópolis, pelo volume que já caiu. O solo está tão instável que podem ocorrer deslizamentos mesmo sem chover”, contou Seluchi.

A Catedral Metodista de Petrópolis iniciou uma mobilização imediatamente após o desastre, no dia 16, recolhendo doações físicas e financeiras para atender as vítimas. “Somos muito gratos à Igreja que está se fazendo presente”, contou o pastor titular, Ewander Ferreira de Macedo. “O cenário a nossa volta é muito desafiador, mas sabemos muito bem que a Igreja não é o prédio. A igreja somos eu e você, que somos nesse momento desafiados a somar, a sermos solidários, a acudir as pessoas que estão mais precisadas”. Nas redes sociais da Catedral Metodista de Petrópolis é possível ver as imagens das doações, registradas em vídeos que divulgam as informações bancárias para quem deseja apoiar a missão de socorro.

O pedido inicial de ajuda está focado na arrecadação de itens de primeira necessidade para atender parte da população que perdeu sua moradia em deslizamentos, ou que fazem parte das mais de 300 pessoas que tiveram que abandonar suas casas em locais de risco. A ação arrecada cobertores, colchonetes, água potável, itens de higiene pessoal, roupas e sapatos, além de doações financeiras. As informações para doação estão disponíveis no site da Igreja Metodista do Brasil.

Em 2022, a Igreja Metodista brasileira tem como tema “Discípulas e Discípulos nos caminhos da missão anunciam a solidariedade e esperança do evangelho de Cristo”, e mesmo estando ainda no início do ano, essa não é a primeira vez que vemos uma mobilização semelhante. Os metodistas brasileiros começaram o ano engajados na campanha SOS Bahia, para o estado da região nordeste do país que registrou 27 mortes, 523 pessoas feridas e 30.306 desabrigadas, segundo a Defesa Civil do estado, também por desastres em decorrência do excesso de chuvas. Diante do cenário se torna impossível não pontuar como as mudanças climáticas impactam a vida de milhares de pessoas no país, especialmente das comunidades mais vulneráveis. O Colégio Episcopal da Igreja Metodista expressou essa preocupação no pronunciamento “Solidariedade por Petrópolis – ore e doe”.

“A tragédia que impacta as mais de 300 pessoas que moram hoje em área de risco na cidade de Petrópolis e tiveram que deixar suas casas, é de responsabilidade coletiva, e não apenas individual”, defende o documento. “Como igreja, intercedemos e clamamos por políticas públicas que priorizem moradia digna e segura para todas as pessoas, assim como clamamos por uma urgente mudança de comportamento diante das mudanças climáticas. É cada vez mais frequente e impactante o clamor na natureza pela manifestação dos filhos e filhas de Deus, e por isso conclamamos a Igreja a se lembrar que Discípulas e Discípulos nos caminhos da missão cuidam do meio ambiente, como anunciamos em 2019 através da nossa carta pastoral.”

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Os bispos e bispa que compõe o colegiado, além de reforçar o pedido de mobilizações solidárias pelas vítimas da tragédia em Petrópolis, incentivam que se tenha um olhar crítico para a tragédia. “Hoje choramos com quem chora, mas também nos unimos a quem age por justiça social e climática”, conclui o documento.

O World Council of Churches (Conselho Mundial de Igrejas), divulgou o pronunciamento da Igreja Metodista, juntamente de manifestações de outras organizações religiosas. “Em meio à morte e ao trauma causado por este terrível evento, juntemos nossas intercessões, orando para que o Deus da Vida conforte aqueles que perderam seus entes queridos e dê força aos envolvidos nas ações de solidariedade com as vítimas”, disse o Rev. Prof. Dr. Ioan Sauca, secretário geral interino do Conselho Mundial de Igreja.

 

* Sara de Paula é jornalista do Departamento de Comunicação da Igreja Metodista do Brasil. Para contatá-la: [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine o resumo quinzenal gratuito.

Ajuda humanitária
 Durante visitas de monitoria nas zonas afectadas em Nampula, alguns lideres tiverem que entrar dentro da agua e debaixo da chuva. Imagem de Arquivo, Norte do Save.

Moçambique Norte é fustigada pelo ciclone tropical Gombe

As depressões tropicais tem sido recorrentes em Moçambique, particularmente nas zonas centro e norte. Este cenário é resultado das acentuadas mudanças climáticas que o mundo enfrenta. Este cenário deixa milhares de famílias social e economicamente desestabilizadas, e com o psicológico e emocional perturbados.
Agências gerais
Membros da comunidade passam por um local de distribuição de alimentos para o Comitê Metodista Unido de Alívio após o tufão Haiyan em Dagami, Filipinas. Foto por Mike DuBose, Notícias MU.

A Questão Metodista: Como posso ajudar quando ocorre um desastre?

Você pode se tornar um voluntário, ser treinado como atendente de emergência, contribuir com dinheiro ou suprimentos através da UMCOR (Comitê Metodista Unido de Ajuda).
Missão
Os bairros circunvizinhos da cidade Tete completamente inundados. Foto de Eurico Gustavo.

Ana semeia luto e dor no Centro e Norte de Moçambique

Em quase todas as províncias do Norte do Save, ouvem-se gritos de socorro, mais de 30 pessoas são reportadas como mortas e dezenas de outras dadas como desaparecidas por causa da tempestade Ana.