Igreja alemã não imporá proibições do Plano Tradicional

Other Manual Translations: English 한국어 español

As estipulações do Plano Tradicional, aprovadas pela Conferência Geral de 2019 são inaceitáveis, disse o comité executivo da Igreja Metodista Unida na Alemanha, e a igreja na Alemanha não imporá as penas mais estritas previstas no plano.

O comitê também está formando uma mesa redonda para procurar maneiras de preservar a união.

No último dia da sessão especial da Conferência Geral em St. Louis, os delegados votaram para adotar o Plano Tradicional, que reforça a proibição da Igreja a união de pessoas do mesmo sexo e ao clero homossexual praticante auto-declarado. Também aumenta as penalidades e a responsabilização pelas transgressões dessas proibições.

“Independentemente das nossas convicções relacionadas ao conteúdo, chegamos à opinião unânime de que as estipulações do Plano Tradicional não são aceitáveis para a nossa igreja na Alemanha”, disse o grupo numa declaração divulgada a 9 de março. “A Alemanha (Igreja Metodista Unida), portanto, não seguirá a maneira escolhida de controlar as pessoas à sua disposição e impor penalidades mais rigorosas”.

Os membros do comitê executivo da igreja alemã enfatizaram que, embora as decisões democráticas devam ser respeitadas, as conseqüências de longo alcance neste caso não permitiriam a adoção e execução da decisão pelos órgãos Metodistas Unidos na Alemanha.

O grupo tomou a decisão unânime durante a sua sessão regular de primavera, de 8 a 9 de março, onde as ações da Associação Geral dominaram a discussão.

"Não há praticamente nenhuma região (Metodista Unida) no mapa do mundo onde, de acordo com a decisão da Conferência Geral, fragmentos, rachaduras e trincheiras profundas não surgiram", disse o bispo da área da Alemanha, Harald Rückert, na abertura da sessão do comitê executivo.

Ele compartilhou informações de numerosos colegas episcopais do norte, centro e sul da Europa, Estados Unidos, África e Filipinas, observando que, em todas as regiões, havia muita tristeza em torno da unidade da igreja.

Citando cartas que recebeu, o bispo retransmitiu ao comitê executivo o tumulto e desalento emocional desencadeadas pela decisão, de pessoas com atitudes muito diferentes em várias igrejas Metodistas Unidas alemãs.

O comitê executivo teve que agir de acordo com a legislação aprovada pela Conferência Geral, porque a própria legislação exige que os bispos e as conferências anuais certifiquem que defenderão, aplicarão e manterão os padrões disciplinares sobre casamento e ordenação LGBTQ.

O comitê executivo observou em sua declaração que existem grandes grupos de opiniões opostas sobre a questão da homossexualidade, mas convidou todos eles a trabalhar juntos para preservar a unidade.

Leia a declaração

“Queremos ficar juntos como uma igreja onde pessoas de diferentes opiniões podem viver umas com as outras. Não queremos nos separar e não queremos nos separar um do outro, mas queremos nos agarrar uns aos outros e estar presente um para o outro. Porque estamos convencidos de que Jesus quer usar a nós e nossos dons em conjunto e juntos”, disse o comunicado.

“Mas só podemos ficar juntos como igreja se conseguirmos viver em proximidade e reconhecimento mesmo sem concordar com questões importantes. Por isso, queremos ser uma igreja onde as pessoas com emoções homossexuais possam ser ordenadas e abençoadas em uma cerimônia de casamento, e também onde as pessoas com mentalidade tradicional possam defender suas idéias e estilos de vida”.

A mesa redonda aprovada pelo comitê será formada em abril e deverá ser realizada em maio, antes das conferências anuais da Alemanha se reunirem. Incluirá “pessoas de diferentes grupos e direções” e Rückert conduzirá o grupo espiritualmente.

Enquanto as conferências centrais - regiões de igrejas fora dos EUA - podem adaptar partes do Livro de Disciplina para o contexto de sua missão, a declaração do comitê executivo não abordou nenhum plano para adaptar a legislação do Plano Tradicional, que não entra em vigor na África, Europa e as Filipinas até 12 meses após a próxima Conferência Geral em maio de 2020. Em vez disso, o comitê queria liderar a igreja em direção à unidade.

Os membros do comitê executivo apontaram que sua decisão surgiu após deliberações intensivas. Os superintendentes distritais responsáveis pelos nove distritos da Igreja Metodista Unida na Alemanha, uma mulher e oito homens, bem como os outros 21 membros votantes e consultores da comissão executiva, passaram vários dias “lutando intensamente, emocionalmente e honestamente com esta resolução e todas as suas consequências”.

A declaração observou que, se esse caminho for bem-sucedido, pode ser "um sinal importante em uma sociedade cada vez mais rasgada e dividida".

 

* Ruof é o comunicador da Igreja Metodista Unida na Alemanha. Contato com a imprensa: Vicki Brown em (615) 742-5470 ou [email protected].

**Sara Novaes é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina @umcom.org

Área Geral da Igreja
Os Bispos Metodistas Unidos Tracy S. Malone (à esquerda) LaTrelle Easterling (centro) e Gregory V. Palmer participam de um painel de discussão sobre as principais mudanças estruturais propostas à Conferência Geral e as opiniões dos líderes metodistas unidos negros durante o Black Methodists for Church Renewal (Metodistas Negros para Renovação da Igreja), reunião em Kansas City, Missouri. Foto de John W. Coleman.

Caucus afro-americano foca em planos de separação, e visões de liderança

Caucus afro-americano da Igreja Metodista Unida determinou o plano de protocolo para a separação amigável da denominação.
Área Geral da Igreja
Um delegado lida com contas de oração durante a oração na Conferência Geral Metodista Unida de 2016 em Portland, Oregon. Com o Coronavírus adiando a Conferência Geral de 2020, os líderes da igreja esperam que os Metodistas Unidos possam ter mais tempo para orar e ser a igreja. Foto de arquivo de Paul Jeffrey, Notícias MU.

No adiamento do GC2020, os líderes veem a pausa necessária

Delegados e bispos da Conferência Geral consideram necessário adiamento. Agora, a prioridade é responder à pandemia do COVID-19.
Área Geral da Igreja
As pessoas que apresentaram resumos ao Conselho Judiciário Metodista Unido oram antes da audiência oral de maio de 2018 em Evanston, Illinois. A partir da  esquerda, estão o Rev. Keith Boyette, Stephanie Henry, o bispo Scott Jones, John Lomperis e Thomas E. Starnes. Boyette, Jones e Lomperis estavam entre os 28 metodistas unidos que assinaram uma declaração de uma reunião em Atlanta sobre a formação de uma nova denominação tradicionalista. Foto de arquivo de Kathleen Barry, Notícias MU.

8 bispos participam do planejamento de nova denominação

Uma reunião recente reuniu vários líderes tradicionalistas para prever o quão séria seria a separação da igreja e a organização de uma nova denominação.