Conferência Geral adiada para 2024

Other Manual Translations: English Français 한국어 Español

Palavras Chaves:

  • Os organizadores dizem que a Conferência Geral deve ser adiada por causa do tempo de espera de visto de até dois anos.
  • Não está claro se novos delegados precisarão ser eleitos para uma Conferência Geral, adiada para a próxima data.
  • Com o anúncio, os líderes de uma denominação separatista planificada mudaram a data de lançamento da nova igreja.

Citando longos tempos de espera para vistos, os organizadores da Conferência Geral anunciaram que a assembleia principal legislativa da Igreja Metodista Unida – há muito adiada pela pandemia – deve esperar até 2024.

"Nos envolvemos numa discussão justa, completa e íntegra das alternativas," disse Kim Simpson, presidente da Comissão da Conferência Geral, num comunicado à imprensa.

 “A questão do visto é uma realidade que está simplesmente fora do nosso controle, pois buscamos atingir um limite razoável de presença e participação de delegados. Numa última análise, nossa decisão reflecte a esperança de que 2024 oferecerá maiores oportunidades para viagens a nível global e um maior grau de protecção para a saúde e segurança dos delegados e participantes.”

A Conferência Geral estava programada para ser em Minneapolis este ano. No comunicado à imprensa, a comissão disse que um novo local já seguro seria anunciado numa data posterior, assim que a planificação logística estiver completa.

Os bispos não têm voto na comissão. Após o anúncio da comissão, a presidente do Conselho de Bispos, Cynthia Fierro Harvey, disse num comunicado que ela e seus colegas bispos começariam a "explorar vários caminhos para sustentar a missão mundial e o testemunho da Igreja Metodista Unida, dado o anúncio deste e compreensível atraso."

Enquanto isso, os líderes de uma nova denominação teologicamente conservadora planificada anunciaram que estão adiando a data de lançamento sem esperar que a Conferência Geral aja.

Isso marca o terceiro atraso ao que muitos esperavam ser um encontro global crucial. Depois de décadas de intensificação do debate e do desafio às proibições da Igreja sobre casamentos entre pessoas do mesmo sexo e clérigos gays “auto-declarados”, a próxima Conferência Geral enfrenta várias propostas de separação denominacional.

O mais endossado deles é o Protocolo de Reconciliação e Graça Através da Separação, que, se adoptado, permitiria que igrejas e conferências que apoiam proibições de casamentos gays e ordenação saíssem com propriedades da igreja e $25 milhões em fundos Metodistas Unidos para formar uma nova denominação “tradicionalista”. Essa nova denominação, a Igreja Metodista Global, tinha planos de lançar-se conjuntamente com a Conferência Geral ainda este ano. No entanto, a Equipe de Liderança Transitória da nova denominação anunciou planos para adiar a data de lançamento até 1º de Maio.

 “A Igreja Metodista Global acolherá calorosamente as pessoas ansiosas em se juntarem a outras no cumprimento de sua missão,” disse o Rev. Keith Boyette em um e-mail. Ele é o presidente do Conselho de Lideranca Transicional e presidente da Associação da Aliança Wesleyana (ACW) um grupo de defesa teologicamente conservador.

A Boa Nova (Good News), um grupo de advocacia com ideias semelhantes, ofereceu seu apoio à mudança num e-mail acidentalmente divulgado antes do anúncio da comissão da Conferencia Geral

 “Acreditamos que agora é tempo de as conferências anuais e as igrejas locais avançarem para uma nova realidade, livres dos fardos do conflito e liberadas para se concentrarem exclusivamente no ministério do Evangelho de Jesus Cristo para a transformação do mundo através do Espírito Santo Espírito,” escreveu o Rev. Thomas Lambrecht da Boa Nova.

Logo após o anúncio da comissão, o movimento Resist Harm divulgou um comunicado assinada por mais de 1.000 Metodistas Unidos pedindo aos bispos que suspendam as acusações relacionadas às restrições LGBTQ. O movimento Resist Harm incentiva a resistência a essas proibições da igreja.

 “Com base na primeira Regra Geral das sociedades Metodistas de John Wesley, queremos ser claros em nosso apeloo à igreja, para resistir fielmente aos danos contra os membros LGBTQ+ do corpo de Cristo,” disse a Rev. Molly Vetter, delegada da Conferência Geral e pastora titular da Igreja Metodista Unida Westwood em Los Angeles.

 “É também um apelo para toda a igreja, lembrando-nos de nossa responsabilidade de acolher todas as pessoas em plena pertença às nossas igrejas, honrando como elas sempre foram acolhidas pela graça de Jesus Cristo.”

A Igreja Metodista Unida e seus órgãos antecessores tipicamente realizaram uma Conferência Geral pelo menos a cada quatro anos desde 1792. Com a Conferência Geral de 2020 agora adiada para quando a próxima deveria ocorrer, ainda não está claro se novos delegados precisarão de ser eleitos.

O Rev. Gary Graves, secretário da Conferência Geral, disse que a comissão procuraria o Conselho Judicial, o principal tribunal da denominação, para esclarecer o que precisa ser feito caso isso seja visto como uma Conferência Geral adiada em vez de uma nova assembleia.

O Livro de Disciplina - actualizado por cada Conferência Geral - diz que as conferências anuais devem eleger delegados "não mais do que duas sessões da conferência anual antes do ano civil anterior à sessão da Conferência Geral". Os delegados a Conferência Geral adiada foram eleitos em 2018 e 2019. No entanto, algumas conferências anuais - órgãos regionais da igreja - reafirmaram essas eleições desde o adiamento da Conferência Geral.

A próxima Conferência Geral deveria ter 862 delegados votantes - 55,9% dos EUA, 32% da África, 6% das Filipinas, 4,6% da Europa e o restante de igrejas concordatas que têm laços estreitos com a Igreja Metodista Unida.

Numa Conferência Geral típica, os presentes incluem bispos, intérpretes, funcionários, voluntários e convidados de todo o mundo. Os bispos presidem às sessões, mas não têm direito a voto.

Outras denominações protestantes nos EUA já passaram por alguma forma de separação por causa da inclusão LGBTQ. No entanto, a pandemia global frustrou por duas vezes os planos para a principal reunião global da Igreja Metodista Unida.

A ameaça do COVID-19 primeiro levou o local de Minneapolis a cancelar eventos em 2020 e depois levou a comissão a adiar novamente até Agosto deste ano

A comissão nomeou uma equipe de estudo de tecnologia para explorar opções virtuais para a assembleia.Todavia, o relatório da equipe identificou vários obstáculos para tal conferência, incluindo uma diferença de 16 horas entre os delegados nas Filipinas e na Costa Oeste, disponibilidade desigual de internet e a dificuldade em garantir a votação. Essas dificuldades levaram o Conselho Metodista Unido de Bispos a cancelar os planos para uma Conferência Geral virtual de um dia no ano passado

Enquanto isso, as variantes de vírus que se espalham rapidamente e as restrições de viagem resultantes continuaram a atormentar a planificacao da Conferência Geral.

A 24 de Fevereiro, a comissão se reuniu online em sessão fechada por 3 horas e meia para deliberar se a reunião internacional poderia prosseguir conforme o programado.

Dois dias antes da reunião, os funcionários da Conferência Geral enviaram um e-mail aos delegados perguntando a cada um se eles receberam pelo menos uma dose da vacina.

A comissão não citou vacinas como um problema, mas vistos. A partir de conversas com funcionários do Departamento de Estado dos EUA, disse o comunicado à imprensa, a equipe da Conferência Geral soube que os tempos de espera para pedidos de visto podem ser de mais de 800 dias devido a atrasos relacionados ao COVID.

O Livro da Disciplina diz que “no espírito de abertura e responsabilidade,” quase todas as reuniões da igreja devem ser abertas.

No parágrafo 722, a Disciplina permite sessões fechadas para “negociações, quando o conhecimento geral pode ser prejudicial ao processo de negociação” e “as negociações envolvendo informações confidenciais de terceiros”. A comissão citou as excepções de negociação quando esteve numa sessão fechada.

O que ainda não se sabe é se o atraso contínuo da Conferência Geral significará para o protocolo proposto, negociado pelo mediador profissional Kenneth Feinberg com um grupo teologicamente diverso de Metodistas Unidos. A Conferência Geral – o único órgão que pode falar pela igreja – tem a palavra final sobre se o protocolo entrará em vigor conforme escrito.

Também não se sabe quantas igrejas partirão antes da reunião da Conferência Geral.

A Igreja Metodista Unida e seus antecessores há muito mantêm uma política de que todas as congregações mantêm propriedades “em confiança” para o benefício de toda a denominação. Porem, o Livro da Disciplina já oferece procedimentos para as igrejas se desfiliarem-se com propriedade sob condições limitadas.

A Boa Nova (Good News) argumenta que o lançamento da Igreja Metodista Global abriria o caminho para as igrejas locais usarem o Parágrafo 2548.2 da Disciplina. Essa medida permite que as igrejas – com aprovação da conferência – se juntem a “outra denominação evangélica”.

A Associacao da Alianca Wesleyana, que tem servido como parteira da planificada Igreja Metodista Global, já havia encorajado as igrejas a esperar a aprovação do protocolo para fazer uma mudança.

Mas isso mudou com a data de lançamento de 1º de Maio. A associação planifica realizar um encontro global em 7 de Maio para discutir seus planos para a nova denominação.

No entanto, algumas igrejas já decidiram sair. As conferências anuais aprovaram a desfiliação de cerca de 130 igrejas dos EUA nos últimos dois anos.

A maioria das congregações que partem se identificam como tradicionalistas. No entanto, essas partidas representam uma fracção das cerca de 31.000 congregações da denominação nos EUA

Com tanto em jogo, a comissão recebeu chamadas conflituantes sobre se a Conferência Geral deveria seguir em frente.

Um grupo de 170 delegados de todo o mundo pediu que a Conferência Geral fosse adiada até 2024, apontando para preocupações contínuas em torno do COVID e da disponibilidade de vistos. Ao mesmo tempo, grupos teologicamente conservadores como a Associacao da Alianca Wesleyana, Boa Nova e a Africa Initiative instaram a comissão a não adiar mais a Conferência Geral. Eles também argumentaram que os problemas de visto poderiam ser superados.

O atraso adicional da Conferência Geral traz complicações adicionais.

Em Fevereiro, o Conselho Judicial decidiu que qualquer adiamento da Conferência Geral redefine os prazos de apresentação de propostas de legislação.

Isso pode levar a muitas outras propostas antes da próxima Conferência Geral. O Livro de Disciplina exige que todas as petições recebam um voto.

Graves, secretário da Conferência Geral, disse à comissão que o grupo discutirá a decisão do Conselho Judicial em sua próxima reunião a 28 de Março.

Também não está claro o que o atraso da Conferência Geral significa para as eleições dos bispos. A assembleia legislativa define o orçamento da denominação e, portanto, o número de bispos.

No entanto, após o atraso da Conferência Geral do ano passado, os bispos agendaram as cinco conferências jurisdicionais dos EUA para 2 a 4 de Novembro deste ano, com eleições da conferência central na Europa, África e Filipinas.

Enquanto isso, 11 bispos dos EUA renunciaram ou assumiram novos cargos ao colidirem com os requisitos de idade da denominação para que os bispos se aposentem. Isso deixou outros bispos para assumir atribuições extensas. O bispo aposentado Warner Brown Jr. também está servindo como bispo interino em Serra Leoa após o falecimento do bispo John Yambasu em 2020 em um acidente de carro.

A decisão de adiar novamente não foi fácil, disse Simpson, presidente da comissão.

 “A comissão aprecia que muitas pessoas estão desapontadas com as circunstâncias da Conferência Geral de 2020 e compartilha a decepção por não poder ser realizada,” disse ela no comunicado à imprensa.

 “O COVID-19 testou a paciência colectiva, compreensão, compaixão, determinação e até mesmo a fé do mundo. Os membros da comissão permanecem esperançosos e rezam para que as circunstâncias do mundo melhorem para ajudar a tornar a próxima Conferência Geral não apenas possível, mas um lembrete do testemunho da Igreja Metodista Unida como uma representação global do corpo de Cristo.”

*Hahn é editora assistente de notícias da MU. Entre em contacto com ela através do (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, inscreva-se nos resumos Diários gratuitos ou Sextas Feira.

Conselho Judicial
Os bispos metodistas unidos processam o culto de abertura da Conferência Geral especial de 2019 em St. Louis. O Conselho Judicial, o principal tribunal da Igreja Metodista Unida, divulgou um memorando que esclarece uma decisão anterior sobre as eleições de bispos. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Tribunal da Igreja modifica decisão sobre eleições de bispos

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida estabeleceu o dia 1º de janeiro de 2023 como a data em que os bispos dos EUA que enfrentam a aposentadoria compulsória devem deixar o cargo, e seus sucessores recém-eleitos tomarem posse.
Conselho Judicial
A Bispa Mary Virginia Taylor da Conferência de Holston abraça o Rev. David Graves após sua eleição como bispo Metodista Unido na Conferência Jurisdicional do Sudeste de 2016. Taylor está entre os 11 bispos norte-americanos que se aposentaram no ano passado, e Graves está entre os bispos que agora assumem trabalho extra por causa das aposentadorias. O Conselho Judicial emitiu uma decisão em 20 de maio, abordando a questão de saber se a conferência jurisdicional pode se reunir para eleger novos bispos. Foto de arquivo de Annette Spence, Conferência de Holston.

Decisão abre portas para eleições de bispos em 2022

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida decidiu que o Conselho dos Bispos tem autoridade para convocar conferências jurisdicionais para eleger e designar novos líderes episcopais nos EUA, mas não tem autoridade para alterar a data em que esses novos bispos assumem o cargo.
Conselho Judicial
Participantes da Conferência Anual de Kentucky de 2017 em Bowling Green, Kentucky, levantam os braços em oração durante uma "Plenaria com Culto de Adoracao". Em 10 de Maio, o Conselho Judicial divulgou uma decisão que diz que as conferências anuais dos EUA não podem se desfiliar da denominação sob a lei actual da igreja. Foto de arquivo de Kathleen Barry, Noticias da UM.

Tribunal da Igreja: Conferências não podem sair unilateralmente

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida decidiu que a lei actual da igreja não permite que as conferências anuais nos EUA se retirem da denominação.