Garantir os direitos universais e receber bem os migrantes globais

Other Manual Translations: español

A realidade da migração global e os desafios levantados pelo movimento de massas de milhões de pessoas em todo o mundo, apresenta aos Metodistas Unidos oportunidades de serviço, ministério e advocacia. Segundo as Nações Unidas, as populações migrantes em todo o mundo incluem 68 milhões de pessoas deslocadas à força, 25 milhões de refugiados, 3 milhões de requerentes de asilo e mais de 40 milhões de pessoas deslocadas internamente.

Através dos ministérios conexionais, os Metodistas Unidos participam em questões de migração com o auxílio do Comité de Ajuda Metodista Unido (UMCOR), um ministério da Junta Geral de Ministérios Globais. Atualmente, a UMCOR possui 22 concessões ativas de Migração Global totalizando US $ 2,7 milhões, servindo 218.539 beneficiários projetados, com uma estimativa de US $ 3 milhões a serem aprovados no restante do ano. A UMCOR implementa subvenções de Migração Global na Bósnia, Brasil, Colômbia, El Salvador, México, Sudão e Estados Unidos através de um novo escritório de Migração Global dirigido pelo Rev. Jack Amick. Os Ministérios Globais também participam do Conselho da Força-Tarefa da Imigração Metodista Unida do Bispo, que trabalha com questões de imigração através da conexão e inclui representantes de sete grupos gerais de igrejas da Igreja Metodista Unida (UMC).

A UMCOR usa uma abordagem baseada em justiça e misericórdia para a migração global, que enfatiza os direitos humanos, alivia o sofrimento humano e aborda as causas profundas da migração. Procura alcançar os migrantes mais vulneráveis em todas as categorias - refugiados, deslocados internos, pessoas traficadas, asilados e pessoas que fogem de desastres econômicos ou ambientais - para garantir o acesso à assistência humanitária (comida, água, abrigo, vestuário e saúde) e servir a todos sem discriminação. Com base na teologia da mutualidade na missão, esse trabalho com migração opera em parceria com conferências anuais, congregações, outras agências e instituições da Igreja e parceiros ecumênicos, como o Serviço Mundial da Igreja. A UMCOR procura desenvolver a capacidade dos parceiros que trabalham diretamente com as populações migrantes.

O ministério das migrações globais apóia os migrantes com justiça e compaixão à medida que buscam garantir seus direitos universais de permanecer, usufruir de uma passagem segura, ser bem recebido em um novo lugar e, se necessário, retornar com segurança ao seu local de origem para recomeçar suas vidas.

Direito de ficar

Trabalhar em conjunto com as comunidades para facilitar o seu direito de permanecer nos seus países de origem significa trabalhar para criar um ambiente em áreas problemáticas, para melhorar situações que provocam emigração em grande escala. Esse trabalho difícil e de longo prazo fortalece as capacidades dos parceiros dentro de suas comunidades para abordar o que precisa ser mudado de maneira prática e consistente, transformando suas sociedades a partir de dentro.

Grande parte do trabalho dos Ministérios Globais e da UMCOR se concentra em fornecer vida abundante às comunidades de todas as formas possíveis. Ajudar as congregações a engajar suas comunidades na busca de alternativas à violência, facilitando conversas de paz entre grupos afetados após o conflito, reintegrando ex-combatentes em suas comunidades ou trabalhando com igrejas e parceiros no desenvolvimento de longo prazo, como acesso à água potável e saneamento ou melhorias nos meios de subsistência. A maioria das áreas de trabalho na UMCOR e nos Ministérios Globais ajudam as pessoas a permanecerem em suas casas e comunidades.

Um exemplo de um parceiro de Migração Global que trata do direito de ficar seria a Cristosal, uma organização de direitos humanos em San Salvador, El Salvador. El Salvador é um dos três países da América Central que contribuem para a atual onda de migrantes em direção ao norte. Um subsídio ajuda a fornecer proteção para as famílias que fogem da violência de gangues em suas comunidades. O apoio logístico e econômico para pessoas dentro do país, desalojadas pela violência, atende a necessidades de curto prazo, como moradia, alimentos e suprimentos médicos. Sessões de aconselhamento, oficinas e assistência técnica ajudam as pessoas a se adaptarem a novos locais, sejam eles deslocados dentro de El Salvador ou retornando após a deportação de outros países.

Direito a passagem segura

Nos casos em que as pessoas não têm escolha a não ser deixar suas comunidades e países porque temem por suas vidas e suas famílias, os Ministérios Globais buscam apoiar sua capacidade de viajar com segurança pelos corredores de migração.

Exemplos atuais do foco da UMCOR no direito à passagem segura são subsídios que apóiam abrigos transitórios nos Estados Unidos ao longo da fronteira com o México. Os migrantes que entram nesses abrigos têm documentação legal que lhes permite viajar para que possam tratar dos pedidos de refúgio em locais próximos aos parentes que moram nos EUA. A UMCOR atualmente apóia 15 abrigos transitórios de Brownsville, no Texas, a San Diego, na Califórnia, que fornecem alimentos, roupas, abrigo e cuidado amoroso por algumas noites, além de assistência com planos de viagem para alcançar parentes em outras partes do país.

Tal como acontece com a maior parte do trabalho da UMCOR, este apoio procura locais de maior necessidade e lacunas no serviço. Uma doação para a Igreja Metodista Unida El Calvario, que opera um abrigo transitório em Las Cruces, no Novo México, por exemplo, aliviará a pressão sobre abrigos nas proximidades de El Paso, onde grandes volumes de pessoas estão sendo liberados pela Alfândega e Proteção de Fronteiras e Agentes de imigração e alfândega.

Outros subsídios auxiliam parceiros na tentativa de atender às necessidades humanas básicas dos migrantes em trânsito. Em Tijuana, México, a UMCOR faz parceria com a Igreja Metodista do México para fornecer duas refeições diárias aos migrantes - aqueles que buscam asilo nos EUA e aqueles que foram deportados dos EUA. Outro subsídio ajuda uma congregação metodista local na Apaxco, ao longo das linhas de trem, para oferecer descanso, comida e água aos viajantes.

Como resultado da guerra, conflitos civis e desastres naturais, algumas populações refugiadas e deslocadas recebem ajuda através dos ministérios internacionais ou norte-americanos de resposta a desastres da UMCOR. Subsídios recentes para essas populações têm apoiado ministérios na Argentina, Armênia, Bangladesh, República Democrática do Congo, Iraque, Nigéria, Síria, Porto Rico, Tanzânia e Ucrânia, entre outros lugares.

Un par de migrantes atendidos por la Cocina Tijuana de la Iglesia Metodista de México, que está aumentando el servicio gracias a la subvención de UMCOR. Foto por Rubén Velarde Navarro, IMMAR.

Dois migrantes atendidos pela Cozinha Tijuana da Igreja Metodista do México, que está aumentando o serviço graças a uma doação UMCOR. Foto: Ruben Velarde Navarro, IMMAR.

 

O direito de ser recebido e pertencer

Quando a migração chega ao ponto de imigração e colonização em um novo país, é importante apoiar um processo em que os migrantes e suas comunidades receptoras trabalhem em conjunto para receber novas pessoas. A assistência jurídica e representação de imigrantes através da Justiça Nacional para os Nossos Vizinhos (NJFON) tem sido útil nesta área. Desde que a UMCOR estabeleceu a JFON em 1999, ela cresceu e se tornou uma rede de 18 sites com 50 escritórios que atendem milhares de migrantes com assistência legal gratuita ou de baixo custo. Embora a NJFON seja uma subsidiária integral da UMCOR, e a UMCOR forneça apoio orçamentário e operacional, bem como subvenções ocasionais para projetos especiais no nível da afiliada, cada site da JFON levanta seu próprio apoio e gerencia suas operações localmente.


Em outras áreas do mundo, uma doação no Sudão ajudará a construir uma escola para refugiados e crianças da comunidade anfitriã no Campo de Refugiados de Al Nimir, no leste do Estado de Darfur. Esta escola substituirá as estruturas temporárias atuais que não podem resistir a intempéries ou fornecer espaço adequado para que as crianças recebam uma educação básica. Na Bósnia, uma parceria com o Serviço Mundial da Igreja procura melhorar a proteção para menores desacompanhados, fornecendo aconselhamento, gerenciamento de casos e defesa de direitos.

Vários missionários dos Ministérios Globais estão envolvidos no acolhimento e assistência às populações migrantes em outros países. Alguns são pastores que lideram congregações multiculturais como locais de adoração e são bem-vindos em ambientes desconhecidos. Alguns membros da Igreja e Trabalhadores Comunitários trabalham como advogados nos escritórios da JFON. Ministérios de planos étnicos nacionais e raciais fornecem lugares e comunidades de acolhida nos EUA. Alguns missionários abordam especificamente as necessidades dos migrantes como trabalhadores temporários estrangeiros em lugares como Hong Kong, Taiwan e Japão, fornecendo cuidados pastorais ou outros tipos de aconselhamento.

Atualmente, 19 Companheiros da Missão Global são designados para organizações envolvidas em várias formas de ministério de migração em 10 países diferentes.

Esta foto de instructores y estudiantes de la actual escuela temporal del campamento de refugiados de Al Nimir, en el estado de Darfur Oriental, demuestra por qué se necesitan más aulas permanentes. Foto por Elrayah, GBGM.

Legenda: Esta foto de instrutores e alunos da atual escola temporária do Campo de Refugiados de Al Nimir, no leste do Estado de Darfur, demonstra por que são necessárias salas de aula mais permanentes. Foto: Elrayah Omer Balla / UMCOR Leste do Sudão de Darfur

 

O direito de apoiar o retorno

O ministério focado no direito ao retorno apóia um processo digno para as pessoas que buscam a reintegração em suas comunidades, quer estejam voltando para casa voluntariamente ou por causa da deportação.

A situação atual na Venezuela fez com que cerca de 3 milhões de pessoas fugissem do país até agora; eles buscam segurança e meios para sustentar suas famílias. A UMCOR forneceu subsídios para a Igreja Metodista do Brasil por meio de seu programa Sombra e Água Fresca para apoiar os refugiados venezuelanos, principalmente mulheres e crianças, enquanto aguardam uma situação melhor para voltar para casa.

Los niños venezolanos son bienvenidos en la iglesia antes de que se dividan los grupos para las actividades del programa en Boa Vista, a norte de Brasil. Este ministerio es parte del programa “Sombra y Agua Fresca” para recibir a los/as inmigrantes venezolanos/as en territorio brasileño. Foto por Emily Everett, GBGM.

Crianças venezuelanas são bem-vindas à igreja antes de se dividirem em grupos para atividades do programa em Boa Vista, Roraima, um ministério do Projeto Sombra e Água Fresca para receber imigrantes venezuelanos residentes no Brasil. Foto: Emily Everett, GBGM.

 

Em Tijuana México, uma concessão em parceria com a Igreja Metodista da Conferência A.R. Noroeste do México para instalar uma cozinha totalmente equipada e dar suporte para o pessoal, vai ajudar a fornecer 219.000 refeições, principalmente para os migrantes em trânsito, muitos dos quais foram deportados dos EUA.

Estes são apenas alguns exemplos das maneiras pelas quais a UMCOR desenvolve missão e ministério para migração global. As doações estão atualmente sendo exploradas ou desenvolvidas para fornecer educação aos refugiados no Quênia, equipar comunidades na Sérvia com habilidades de transformação e reconciliação de conflitos, e prevenir o tráfico de pessoas nas Filipinas. Nos Estados Unidos, à medida que a interpretação de leis e procedimentos para imigração e asilo freqüentemente mudam, a UMCOR considerará novas formas de apoiar e receber migrantes exaustos.

Como diretor de Migração Global dos Ministérios Globais, Amick destaca que “o trabalho de migração é existencial para a igreja. Ao longo da história, a igreja mundial cresceu porque as pessoas que migram carregavam sua fé em seus corações para novas terras - pelo menos tanto quanto porque a igreja enviou missionários oficialmente treinados e comissionados. Se abrirmos nossos corações e comunidades e igrejas e estivermos verdadeiramente dispostos a nos deixar mudar, podemos ser transformados em algo que represente mais completamente a natureza diversa e dinâmica do corpo de Cristo”.

*House é o escritora /editora sênior da Global Ministérios

 

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina @umcom.org

 

Preocupações Sociais

Dignidad e jantares

Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; - Mateus 25:35
Preocupações Sociais

Cruzando barreiras linguísticas para o santuário em Charlottesville, Virginia

Maria Chavalan Sut, do grupo étnico Kaqchikel, foi recebida pela IMU Memoril Wesley em Charlottesville, no Santuário, antes da intenção da ICE de deportar-lhe violando seu direito ao processo legal.
Preocupações Sociais
Ativistas locais, líderes religiosos e membros da família se reúnem nas etapas do Circuito da Corte de Apelações em St. Paul, Minn., em apoio a Nelson Pinos, que vive no santuário da Primeira Igreja Metodista de Summerfield, em New Haven, Conn. Foto de Mary Elizabeth Smith.

Igreja aguarda decisão sobre apelo de hóspede no santuário

Nelson Pinos, de 45 anos, pai de três filhos, cidadão norte-americano, buscou refúgio na Primeira Igreja Metodista Unida de Summerfield em New Haven, Connecticut, em vez de deixar sua família e retornar ao Equador.