Família pastoral produz camisas clericais para obter a renda


Pastoras, pastores e outros funcionários da Área Episcopal de Moçambique passam meses sem salários devido à pandemia do COVID-19. Esta situação tem criado mal estar nas famílias em particular, e na sociedade de um modo geral.

Gilda Floriana Pale é esposa de um pastor, e conta a história da família.

“Comecei com as noções de corte e costura em 2008, na casa da dona Palmira Banganamane, quando o meu esposo era superintendente do Distrito Eclesiástico de Gaza,” disse Gilda Floriana Pale, modista actualmente residente em Chicuque, no Municipio da Maxixe, na província de Inhambane.
 
Chicuque é uma zona historicamente rica no que tange a gênesis da missão Metodista Unida em Moçambique.

“Na altura, nunca pensei que fosse produzir camisas clericais e que essa produção um dia serviria de fonte de renda para o sustento da minha família,” explicou Pale.

A senhora Pale é casada com o Rev. Eduardo Filipe Ângelo, e servem juntos no Cargo Pastoral de Chicuque.

“Em 2013 ingressei no INEFP (Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional), delegação de Gaza em Xai-Xai, onde terminei com sucesso o curso de corte e costura na companhia de outras 15 colegas,” continuou Pale.
 
Muitas famílias estão constantemente na busca de meios possíveis para a sua sobrevivência, e a família da senhora Pale e seu esposo Ângelo são um exemplo dessa busca de soluções para garantir o pão para a família dedicando-se a arte de costura.

“Com base nos conhecimentos adquiridos de corte e costura, já monitorei aulas de costura no Centro de Treinamento de Mulheres e Jovens da Igreja Metodista Unida em Tinga-Tinga-Gaza, e agora produzo não só camisas clericais, mas também outro tipo de vestuário,” disse Pale.

O centro de treinamento de Tinga-Tinga tem uma escola secundária, capela e um furo de água, infraestruturas que beneficiam a comunidade estudantil, bem como a local.

“Na província de Gaza confeccionei uniforme para os alunos da escola primária de Tinga-Tinga,” explicou Pale.

Na perspectiva de dar resposta à procura de camisas clericais para pastores da Igreja, a senhora Pale dedica-se também a confecção dessas peças para o corpo clerical, inclusive para o seu próprio marido.

 “Notei que havia uma grande lacuna na indumentária pastoral. Assim, ao invés de esperarmos que a nossa bispa adquira camisas para os nossos clérigos, achei melhor confeccionar, trazendo assim o mercado próximo de pastores, e também ganhar alguma renda para o sustento familiar,” explicou Pale.

O Reverendo Eduardo Filipe Ângelo, esposo da modista e beneficiário da produção de camisas clericais, disse ter se surpreendido com o impacto do trabalho da esposa.

“Quando ela ingressou nesta arte, nunca pensei que seu trabalho havia de ter um impacto tão importante na vida familiar e da igreja, através da provisão de camisas clericais,” contou o reverendo.

“O trabalho que ela faz contribui muito na renda familiar através da venda dos artigos de vestuários, onde incluem-se as camisas clericais, batas, aventais para cozinha, luvas e outros.”

Este casal foi transferido na sessão da Conferência Anual de 2019, de Xai-Xai para Chicuque, e uma coisa que a senhora Pale não se esqueceu de trazer e cuidar, é a sua máquina de costura.

“A arte da mama Gilda Pale é de extrema importância na família, na comunidade onde vive e na sociedade no geral,” afirmou Iliana Lucite Pereira, professora da língua Inglesa na Escola Secundária de Cambine, que se beneficiou da bata feita pela senhora Pale.

“Nunca dei conta que o trabalho de corte e costura, mesmo feito a partir de casa, possa ter um impacto importante na vida da comunidade, e que as camisas clericais também pudessem ser produzidas dentro da comunidade rural,” louvou a iniciativa a pastora Maria João Matsinhe, também beneficiária dos serviços  daquela modista.

Para terminar, Pale lamenta a falta de recursos financeiros para aquisição de mais equipamento para ampliar o seu negocio que incluiria a produção de bordados, tecelagem de camisolas, chapéus  bem como ensinar os jovens esta arte.

Wilson é o comunicador da Conferência de Moçambique Sul das Notícias Metodista Unida. Contacto com a imprensa: Rev. Gustavo Vasquez, editor de notícias, em [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, inscreva-se nos resumos quinzenais gratuitos.
Missão
Bispo Scott Jones visita o aluno da 3ª série, Dondren Wilson, no primeiro dia do programa Santuários de Aprendizagem na Igreja Metodista Unida Trinity em Houston. O programa, iniciado pela Conferência do Texas da Igreja Metodista Unida, oferece um espaço seguro, acesso à Internet e outros recursos nas igrejas da área, permitindo que os pais retornem ao trabalho e seus filhos continuem seus estudos durante a pandemia COVID-19. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

As igrejas de Houston tornam-se santuários de aprendizagem para estudantes

O programa “Santuários da Aprendizagem” da Conferência Anual do Texas foi lançado em 8 de setembro para alunos que não precisavam mais ir à escola após as férias de verão.
Missão
Incêndios florestais queimam durante uma noite de meados de agosto perto de Susanville, Califórnia. Uma série de incêndios florestais destruiu mais de 30.000 acres de terra ao redor de Susanville. Foto de Doug Magill, Exército dos EUA.

Incêndios e coronavírus complicam a ajuda humanitária no Ocidente

Depois de um furacão ou tornado, equipes de ajuda humanitária e voluntários da igreja freqüentemente entram em ação. Tal resposta não foi possível diante do grande número de incêndios florestais.
Missão
Reverendo Micas Munguambe, capelão do Hospital Rural de Chicuque no Maxixe, Moçambique. Foto de António Wilson.

Capelão e enfermeiros juntos na mesma causa

O Hospital Rural de Chicuque Província de Inhambane, continua prestando serviços à comunidade.