Igrejas pedem uso de máscara e fecham portas devido aos picos de vírus

Other Manual Translations: English 한국어 español

Pontos chave:

As igrejas Metodistas Unidas estão a responder ao aumento da nova variante delta mais contagiosa do COVID-19.

• Em linha com as diretrizes do CDC, muitos encontros deixaram de ser encorajadores e passaram a exigir máscaras. Outros ainda estão voltando às atividades apenas online.

As congregações também estão tomando medidas para alcançar as vacinas remanescentes.


O Rev. Hammett Evans sabia que sua igreja em Arkansas precisava fazer uma mudança depois que cinco adoradores totalmente vacinados testaram positivo para COVID-19.

Os cinco experimentaram sintomas leves ou nenhum, disse Evans, pastor sênior da Igreja Metodista Unida Asbury em Little Rock, Arkansas.

“A mensagem que eles querem passar é que as vacinas funcionam”, frisou.

No entanto, ele e sua congregação não estavam se arriscando. Na semana de 11 de julho, Asbury voltou aos serviços apenas online para garantir que o surto não se espalhasse ainda mais. Quando os serviços presenciais foram retomados em meados de julho, a igreja exigiu que os fiéis usassem máscaras e se mantivessem fisicamente distantes. O grupo de jovens da igreja também começou a se reunir do lado de fora novamente.

“Acho que só queremos ser o mais cautelosos possível, especialmente porque temos filhos conosco”, disse Evans. Os menores de 12 anos da igreja e da pré-escola ainda não são elegíveis para as vacinas. “Queremos cuidar das crianças.”

Asbury acabou por estar à frente da curva.

Com a variante delta mais contagiosa do COVID-19 surgindo nos Estados Unidos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA agora pedem que até mesmo as pessoas vacinadas se mascarem novamente em áreas de alta e substancial transmissão.

Muitas congregações Metodistas Unidas estão seguindo esse conselho, com o incentivo dos seus bispos. Algumas igrejas foram ainda mais longe: optando por retornar às atividades apenas online.

Quaisquer que sejam as precauções extras que estejam tomando, os líderes da igreja também estão trabalhando para conseguir mais vacinados. Os pregadores estão tentando diminuir os medos e corrigir a desinformação. As congregações estão organizando clínicas e oferecendo vales-presentes como incentivos para vacinas remanescentes.

Os actuais esforços Metodistas Unidos fazem parte de uma longa tradição. Pessoas chamadas de metodistas defendem a saúde pública desde John Wesley, que estabeleceu a primeira clínica médica gratuita de Londres.

Asbury está entre as igrejas que planejam sua própria clínica.

“Espero que mais pessoas tomem a vacina”, disse Evans. "Essa é realmente a maneira de lidar com isso."

Por enquanto, a Igreja Metodista Unida Dellrose em Wichita, Kansas, é uma igreja que está voltando a estar principalmente online.

Dellrose havia retomado a adoração presencial no Dia das Mães. Mas em 1º de agosto, a igreja com centenas de membros limitou a frequência ao culto a 50 e o coro não cantou.

O Rev. Kevass J. Harding, o pastor, disse que foi uma decisão difícil, mas os congregantes receberam bem a mudança. “Eles sabem que é real”, disse ele. “Eles viram isso afetar seus amigos e familiares. Eles reconhecem que erramos por excesso de cautela”.

Dellrose também está se candidatando a um subsídio do Centro de Liderança do Kansas para fornecer cartões-presente aos destinatários da vacina.

“Nós, como igreja, temos que ser adaptáveis”, disse Harding. “Vivemos em um mundo em mudança.”

Do outro lado do país, a Revda. Nicole Reilley também está considerando se sua congregação - a Igreja Metodista Unida de Valência na Califórnia - também deve entrar apenas online. Como o resto do condado de Los Angeles, a igreja está sob um mandato de máscara em ambientes internos há semanas.

“Vivemos em uma comunidade muito calorosa, por isso, embora gostemos de pensar em voltar para o culto, precisaríamos considerar como fazer isso acontecer”, disse ela. Neste ponto, a igreja está adotando uma abordagem de esperar para ver.

A Igreja Metodista Unida Crenshaw, também no condado de Los Angeles, agora se reúne online todos os domingos e presencialmente em domingos alternados.

O Rev. Royce Porter, pastor líder da igreja, disse que o calor do verão e a elevação da variante delta levaram muitos dos “santos experientes” da igreja a ficarem em casa.

“Este contratempo afeta nossa frequência aos domingos, mas não afeta nosso ministério como as mãos e pés de Jesus dentro de nossa comunidade”, disse ele. “Há mais de um ano aprendemos a fazer igreja online.”

Mesmo as igrejas que foram reabertas de forma mais completa continuam a ver mais atendimento online do que pessoalmente.

Entre essas congregações está a Igreja Metodista Unida Glenn Memorial em Atlanta. Localizada com fácil visualização do complexo do CDC, a igreja nunca parou de usar máscaras. No entanto, os líderes congregacionais estão vendo agora como os casos progridem para determinar se eles podem retirar os requisitos da máscara em setembro, disse o reverendo Mark Westmoreland, pastor sênior da igreja.

Nesse ínterim, a presença online da igreja permanece forte. Os bloqueios da COVID-19 forçaram a igreja a aumentar seu jogo tecnológico, disse Westmoreland. Mas, como outros pastores, ele se preocupa se a igreja está perdendo a rotina de estar fisicamente juntos nas manhãs de domingo.

“Acredito fortemente que a reunião presencial nunca pode ser totalmente substituída por uma experiência online”, disse ele, “mas também sei que a adoração online veio para ficar”.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

A Primeira Igreja Metodista Unida em Bentonville, Arkansas, como Glenn Memorial, também está se ajustando à demanda por conexão online.

A Revda. Michelle Morris, a pastora principal da congregação Northwest Arkansas, enfatizou que o ministério continua em meio aos protocolos de segurança.

“Continuamos com uma despensa de alimentos ativa e estamos recolhendo suprimentos como desinfetante para as mãos e lenços umedecidos para os professores das duas escolas com as quais nos relacionamos”, disse ela. “Também estamos trabalhando para converter muitos de nossos espaços de reuniões e salas de aula para acomodar nossa realidade híbrida.”

Ainda assim, os pastores reconhecem que muitas pessoas vacinadas se sentem frustradas por terem que vestir suas máscaras novamente.

Culpa de um vírus muito complicado que pode sofrer mutação à medida que se espalha. Embora as pessoas vacinadas infectadas provavelmente não transmitissem variantes anteriores da doença, as altas cargas virais da variante delta aumentam substancialmente o risco. As máscaras reduzem a transmissão.

O Revda. Michael Roberts, pastora sênior da Primeira Igreja Metodista Unida em Conway, Arkansas, disse que sua mensagem é: “Queremos amar uns aos outros também, e se o pedido é que todos nós usemos máscaras, então queremos fazer parte disso como cristãos.”

Sua igreja já está adaptando um de seus cultos mais concorridos do ano - a bênção das mochilas. No culto agendado para 15 de agosto, a igreja planeja ter jovens, professores e funcionários da escola que defendam a bênção em vez de se apresentar, e todos precisarão usar máscaras.

As inoculações são, em última análise, a melhor forma de combater o vírus, proporcionando-lhe menos lugares para se alastrar e infectar outras pessoas.

O Bispo da Conferência do Arkansas, Gary Mueller, estima que cerca de 90% dos Metodistas Unidos elegíveis no estado estão totalmente vacinados. No entanto, o Arkansas em geral tem uma das taxas de vacinação COVID-19 mais baixas dos EUA, com apenas cerca de 37% da população totalmente vacinada.

A conferência mantém um painel que rastreia o número de casos de COVID-19 e vacinações por condado. Os Metodistas Unidos no estado monitoram o painel de perto.

Mueller disse que espera que os Metodistas Unidos também possam encontrar uma forma de alcançar pessoas fora da igreja que estão relutantes em receber a vacina.

“Terei muita dificuldade em alcançar um jovem de 18 anos na área rural ou um jovem de 20 anos na cidade que se sente à prova de balas”, disse o bispo. “O que precisamos são influenciadores em diferentes comunidades.”

O reverendo Maxine Allen, pastor da Igreja Metodista Unida de Saint Paul em Maumelle, Arkansas, espera ser um desses influenciadores. Sua igreja no subúrbio de Little Rock está hospedando clínicas de volta às aulas voltadas especificamente para adolescentes de 12 a 17 anos.

“Esperamos que, ao atingir essa faixa etária, também consigamos alguns adultos”, disse ela. “Estamos mais preocupados com o fato de nossos filhos voltarem para a escola.”

Evans, o pastor de Little Rock, vê Deus trabalhando no desenvolvimento e distribuição de vacinas.

Alguma relutância com a vacina o lembra de uma história que os pregadores gostam de contar sobre um homem pego na enchente. À medida que as águas sobem, o homem continua recusando as ofertas de ajuda das pessoas e, em vez disso, diz: “Tenho fé que Deus me salvará”. No final das contas, o homem se afoga. Ele pergunta a Deus: "Onde você estava?"

Deus responde apontando todas as maneiras pelas quais Deus tentou salvar o homem, enviando-lhe pessoas com uma canoa, uma lancha e até um helicóptero.

“Acho que a vacina é assim”, disse Evans. “Deus está dizendo que eu te enviei isso. Tire vantagem disso.”

*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU. Contate-a em (615) 742-5470 ou [email protected]Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected].

 

 

Área Geral da Igreja
A Mesa Conexional, um corpo de liderança Metodista Unido, identifica a distribuição da vacina contra COVID-19 como uma prioridade missional para a denominação. A mudança visa fortalecer os esforços em andamento para obter doses nos braços. Foto de Arek Socha, cortesia de Pixabay; gráfico por Laurens Glass, Notícias MU.

Vacinação contra COVID-19 é denominada prioridade missional

A Mesa Conexional, servindo como um conselho da igreja para a denominação, avança os esforços Metodistas Unidos para vacinar as pessoas em todo o mundo contra o COVID-19.
Área Geral da Igreja
A Mesa Conexional, um corpo de liderança Metodista Unido, identifica a distribuição da vacina contra COVID-19 como uma prioridade missional para a denominação. A mudança visa fortalecer os esforços em andamento para obter doses nos braços. Foto de Arek Socha, cortesia de Pixabay; gráfico por Laurens Glass, Notícias MU.

Vacinação contra COVID-19 é denominada prioridade missional

A Mesa Conexional, servindo como um conselho da igreja para a denominação, avança os esforços Metodistas Unidos para vacinar as pessoas em todo o mundo contra o COVID-19.
Missão
Agostinho Ferreira, um dos metodistas no momento em que fazia a testagem e antes da toma da vacina em Luanda, Angola. Foto de Augusto Bento.

Metodistas Unidos em Angola Oeste buscam imunização contra a COVID-19

Em Angola, assim como em muitos outros países africanos, a luta para imunizar o maior número de cidadãos contra a COVID-19 continua. Os Metodistas Unidos e suas comunidades em Angola fazem fileiras nos postos de vacinação para tomar as doses da vacina que são colocadas em poucas quantidades.