Igreja responde após morte em massa de imigrantes

Translate Page

Pontos chave:

  • Os Metodistas Unidos estão respondendo com lamento e renovados apelos à ação após a morte de pelo menos 51 migrantes encontrados em um trailer abandonado no calor sufocante do Texas.
  • A Igreja Metodista Unida há muito tem o compromisso de cuidar dos imigrantes e trabalhar em prol de políticas de imigração humanas.
  • O Bispo Robert Schnase, cuja área inclui San Antonio, está entre os líderes da igreja que pedem aos Metodistas Unidos que continuem a trabalhar pela justiça.
  • O Bispo Felipe Ruiz, da Igreja Metodista do México, expressou consternação e solidariedade às famílias afetadas por esta tragédia.

Após a morte de pelo menos 51 migrantes em San Antonio, os Metodistas Unidos estão respondendo com lamento, oração e esforços renovados para seguir a ordem de Jesus de acolher o estrangeiro.

“Lamentamos sua perda e continuaremos a trabalhar pela justiça por meio de nossa conexão Metodista Unida”, disse o bispo Robert Schnase, cuja área inclui San Antonio, em comunicado. Ele lidera as conferências, ou regiões, do Rio Texas e do Novo México da denominação.

O bispo disse que a Igreja Metodista Unida como um todo e a Conferência do Rio Texas em particular “têm uma longa história de trabalho com parceiros em toda a conexão e na fronteira para fornecer locais seguros e acolhedores de cuidados e dignidade”.

Ao mesmo tempo, as pessoas desesperadas por um lugar seguro e acolhedor estão cada vez mais dispostas a correr grandes riscos – incluindo entrar em um trailer sem ar-condicionado no verão escaldante – para tentar cruzar a fronteira.

Na noite de 27 de junho, um trabalhador local ouviu um grito de socorro e encontrou um caminhão de 18 rodas abandonado contendo os corpos de migrantes que morreram sem água em um calor que atingiu 103 graus Fahrenheit (quase 40 graus celsius).

Quarenta e oito pessoas morreram no local e duas morreram em hospitais locais, conforme informou a CNN. Dezesseis pessoas, incluindo quatro crianças, foram transportadas vivas e conscientes para instalações médicas próximas. Desde então, o número de mortos subiu para 51. 

A polícia está investigando o que parece ser um dos incidentes mais mortais de contrabando de pessoas ao longo da fronteira EUA-México. Três suspeitos, incluindo o suposto motorista do caminhão, já foram presos. O prefeito de San Antonio, Ron Nirenberg, chamou as mortes de “nada menos que uma terrível tragédia humana”.

Os mortos incluem migrantes do México, Guatemala e Honduras, mas as autoridades ainda estão trabalhando para confirmar as nacionalidades de algumas vítimas. O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, culpou as mortes pela “pobreza e desespero”, segundo reportagens. Ele também culpou o tráfico de pessoas e a falta de controle na fronteira dos EUA.

Os imigrantes estão encontrando “praticamente nenhuma maneira de atravessar para os Estados Unidos em um porto de entrada”, disse Katie Myers. Ela é uma líder leiga na Igreja Metodista Unida Laurel Heights em San Antonio. Ela também trabalha há muito tempo com imigrantes como parte da Interfaith Welcome Coalition (Coalizão de boas-vindas inter-religiosa). O grupo fornece alimentos, mantimentos e orientação básica para refugiados e solicitantes de refúgio que chegam aos pontos de ônibus de San Antonio e ao aeroporto.

Ela disse que as pessoas estão encontrando seus caminhos bloqueados por causa do Title 42 (Título 42) – uma restrição à imigração devido ao COVID-19. O Título 42, que está sendo litigado em um tribunal federal, suspendeu essencialmente a capacidade de pessoas na fronteira sul de buscar asilo nos Estados Unidos. 

“Incidentes como esses pedem a todos nós que reavaliemos as maneiras pelas quais recebemos ou não as pessoas nos Estados Unidos e as maneiras pelas quais criamos processos que colocam as pessoas em perigo por causa de nossas políticas”, disse Myers. “Podemos escolher fazer coisas mais humanas, mais justas, mais misericordiosas.”

O Rev. John Feagins, co-pastor da Igreja Metodista Unida La Trinidad em San Antonio, disse que, à medida que os EUA se aproximam do Dia da Independência, agora seria um bom momento para refletir sobre “os direitos inalienáveis” enunciados na Declaração de Independência.

“Então, como agora, preciosas almas humanas morreram enquanto eram escravizadas, traficadas e transportadas como mercadorias”, disse Feagins. “Os pais, mães e filhos que morreram no caminhão em San Antonio foram explorados em vida, assim como estão sendo explorados politicamente na morte.”

Ele acrescentou que espera saber em breve os nomes dos que morreram e dos que sobreviveram, mas agora enfrentam uma provável deportação “por ter a audácia de buscar a vida, a liberdade e a felicidade nos Estados Unidos da América”.

O bispo Felipe Ruiz Aguilar, da Igreja Metodista do México, disse que as pessoas que trabalharam de perto com "nossos irmãos e irmãs migrantes" entendem um pouco das dificuldades que enfrentam.

“Muitos devem deixar suas terras devido às condições de extrema pobreza ou alto risco em que vivem”, disse Ruiz. "Não sabemos exatamente o motivo ou as razões pelas quais os ocupantes deste caixão rolante viajaram nas piores condições que poderíamos imaginar, sabendo que suas vidas estavam em sério perigo.

"Hoje elevamos nossas orações a Deus pela vida dos sobreviventes, que são relatados em estado muito grave, e também intercedemos pelas famílias que tiveram a infelicidade de perder seus entes queridos. Deus os encha de força e seja o provedor em tudo suas necessidades."

A Igreja Metodista Unida há muito se compromete a buscar maior acolhimento para imigrantes nos EUA.

Os Princípios Sociais no Livro de Disciplina da denominação exortam a igreja e a sociedade a reconhecer os dons, contribuições e lutas daqueles que são imigrantes e defender a justiça para todos.

A Conferência Geral, a principal assembleia legislativa da denominação e o único órgão que pode falar pela igreja, aprova o conteúdo dos Princípios Sociais.

Os Princípios Sociais continuam afirmando que a igreja se opõe a “políticas de imigração que separam os membros da família uns dos outros ou que incluem a detenção de famílias com crianças, e pedimos às igrejas locais que estejam no ministério com famílias imigrantes”.

Entre esses esforços da igreja local está o Ministério Corazon (Coração) na Igreja Metodista Unida Travis Park em San Antonio.

“Neste momento trágico, apoiamos nossos irmãos migrantes que buscam uma vida melhor”, disse o reverendo Gavin Rogers, diretor executivo do ministério, em um comunicado.

“As vidas perdidas em um trailer em San Antonio são devastadoras e nossos corações sofrem com todas as famílias afetadas. Que todos possamos encontrar a compaixão e a graça de continuar a cuidar dos migrantes de maneira que todos sejam honrados e respeitados”.

Suscríbase a nuestro nuevo boletín electrónico en español y portugués UMCOMtigo

¿Le gusta lo que está leyendo y quiere ver más? Regístrese para recibir nuestro nuevo boletín electrónico UMCOMtigo, un resumen semanal en español y portugués, con noticias, recursos y eventos importantes en la vida de La Iglesia Metodista Unida. 

¡Manténgase informado/a!

Os Metodistas Unidos estão trabalhando com a Igreja Metodista no México para ajudar os migrantes naquele país.

A Igreja Metodista Unida também trabalha há muito tempo para fornecer vias legais para imigrantes nos Estados Unidos por meio da Justiça Nacional para Nossos Vizinhos, que é apoiada por doações designadas para seu trabalho. 

“Precisamos continuar a mostrar compaixão aos imigrantes que fazem a jornada e aos familiares e entes queridos daqueles perdidos em San Antonio”, disse Joy Green, diretora jurídica da Justiça para Todos os Imigrantes em Houston. A organização faz parte da rede Justiça para Nossos Vizinhos e um ministério Metodista Unido.

Schnase em sua declaração citou a orientação de Hebreus 13:2: “Não se esqueça de mostrar hospitalidade a estranhos, pois ao fazer isso algumas pessoas mostraram hospitalidade a anjos sem saber.”

Ele também acrescentou que está orando pelas famílias, socorristas e todos que sofreram perdas e dores com esta tragédia.

“Rezo para que continuemos trabalhando pela justiça para que esse tipo de ocorrência não aconteça novamente”, disse o bispo. “Senhor, em sua misericórdia, ouça nossas dores e orações.”

 

*Hahn é editora assistente de notícias da Notícias MU. Sam Hodges, um repórter da Notícias MU em Dallas, contribuiu para esta história. Entre em contato com eles em (615) 742-5470 ou [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos quinzenais gratuitos.

** Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]. Para ler mais notícias dos Metodistas Unidos, assine os resumos quinzenais gratuitos.

Conferência Anual
O Rev. Andrew C. Kjorlaug, um ancião da Conferência do Arkansas e capelão do Exército dos EUA, apresenta uma resolução na Conferência Anual do Arkansas que convida a delegação do Congresso do estado a agir sobre a “legislação responsável sobre armas de fogo”. Em um ano que viu vários tiroteios em massa, o Arkansas estava entre várias conferências Metodistas Unidas pedindo aos líderes eleitos que fizessem mais para regular as armas. Captura de tela cortesia da Conferência do Arkansas via YouTube pela Notícias MU.

Conferências agem a respeito da violência armada

Mesmo que as conferências anuais se encontrem no meio de discussões sobre desfiliações da igreja local e desacordos sobre a inclusão LGBTQ, elas estão pedindo ação e aprovando resoluções, além da retórica e dos chamados necessários à oração, sobre o grave problema da violência armada na sociedade americana.
Preocupações Sociais
Kendra Weddle. Photo courtesy of the author.

As Bíblias devem ser proibidas?

Enquanto os conselhos escolares consideram a proibição dos livros, um membro da igreja aponta que a justificativa que está sendo usada também pode se aplicar à Bíblia.
Preocupações Sociais
Robin Rue Simmons fala à congregação da Primeira Igreja Metodista Unida de Evanston, Illinois, sobre o impacto da iniciativa da cidade de fazer reparações pela escravidão e discriminação racial. Simmons é diretor executivo da FirstRepair, uma organização sem fins lucrativos local, e é considerado o arquiteto do programa de reparações da cidade. A igreja apresentou um cheque de $ 50.000 para a Evanston Community Foundation (Fundação Comunitária Evanston) em apoio ao grupo Reparations Stakeholders Authority of Evanston (Autoridade das Partes Interessadas de Reparações de Evanston). Foto de SE Brick.

Igreja de maioria branca doa para fundo de reparações

Membros de uma igreja Metodista Unida em Evanston, Illinois, doaram US$ 50.000 para um fundo que será usado para compensar cidadãos negros descendentes de ex-escravos.