Agricultura alimenta e transforma vida das populações na missão da Igreja Metodista Unida

Translate Page

A missão da Igreja Metodista Unida em Cambine, distrito de Morrumbene, um projecto de agricultura tem transformado a vida das populações e servido de fonte de rendimento das populações circunvizinhas.

Depois do contracto com o jovem agrônomo Dieudonne Karihano da República de Burundi, os Ministério Globais (GM) enviaram para Moçambique em 2017, o casal John e Florence Nday, de nacionalidade Congolesa (RDC), ambos formados em agronomia e saúde pública respectivamente pela África University no Zimbabwe.

“Aqui criamos galinhas poedeiras para a produção de ovos e frangos para o abate,” disse John Nday, missionário agrônomo da Conferência de Moçambique Sul.

“Colocamos nas nossas capoeiras um lote de 500 frangos para a produção de ovos e para o consumo,” explicou Nday.

Para galvanizar o projeto de agricultura e pecuária nesta Conferência, o United Methodist Committee on Relief (UMCOR), doou cerca de $ 190.000 com os quais construiu-se duas estufas de 20m/50m onde produz-se uma diversidade de hortícolas tais como: alface, couve, tomate, cenoura, pimenta, cebola e alho.

“Quando cheguei aqui em Moçambique, o projeto tinha algumas cabeças de gado bovino, e compramos mais sete, agora já temos 22, e compramos uma viatura 4X4 que ajuda na compra dos insumos agrícolas e outras atividades,” disse Nday.

A missão de Cambine, desde a muito tempo é conhecida como um centro de aprendizagem técnico-científica. Sempre se ensinou a educação secular, religiosa e, em ambas, a prática de agricultura sempre fez parte da grade curricular.

“A população do distrito de Morrumbene, e particularmente a de Cambine, encontra estes produtos agrícolas aqui a preços acessíveis em qualquer período do ano,” garantiu Nday.

Outra questão mencionada por Nday, é a da criação de peixe em cativeiro e já tem 6 tanques cujo fim da sua construção está para breve de modo que, pelo menos até ao fim de Setembro, estes aquáticos estejam nos seus lugares.

“O primeiro lote estima-se em cerca de 10.000 alvinhos da classe tilápia neolítica, que é uma espécie que cresce bem se comparada à outras espécies,” concluiu Nday.
 
Ainda dentro do projecto, para além de um reservatório de água com capacidade para 126 m³, está ainda em construção uma torre de 10 metros de altura para a colocação de painéis solares para o fornecimento de energia no projecto. A mesma, vai suportar dois tanques de água com capacidade de 10.000 litros cada para eficácia no processo de irrigação de uma extensão de um pouco mais de 4 hectares. Também no local, está em reabilitação e ampliação de um celeiro (silo) construído na década 60 pelos missionários americanos, com a finalidade de armazenar o excedente da produção anual.

“Cambine é uma localidade que está sendo muito bem exaltada dentro do Distrito de Morrumbene, graças ao sucesso e benefício que o projecto de agricultura está trazendo as populações desta localidade e Distrito,” disse a Quitéria Fenias, uma residente de Cambine. 
 
“Muitas pessoas encontram o projeto de agricultura como polo para incrementar as suas rendas e combaterem a pobreza e, chegam a percorrer cerca de 12 km da vila e arredores de Morrumbene para comprarem alface, couve, tomate, frangos, ovos e cebola para sua revenda na vila,” revelou-nos Fenias.

O projeto de agricultura tem servido de escola, e desperta interesse nas comunidades circunvizinhas para aprender as técnicas de trabalhar a terra para o seu sustento. Daí que, na maioria dos agricultores desta localidade de Cambine, experimentam um bom rendimento agrícola nos seus campos agrícolas. 

“Graças aos frutos deste projeto da agricultura da Igreja, a nossa dieta alimentar está mais reforçada e, com o projeto de criação de peixe que está para breve, irá melhorar ainda mais,” disse Ernesto Afonso Mangueze, professor no Centro Educacional de Cambine.

“Temos a benção de sermos os primeiros beneficiários deste financiamento da UMCOR,” acrescentou o professor Mangueze.

“Informações sob nosso poder indicam que só no ano passado, um pouco mais de 200 pessoas que praticam a agricultura familiar em diversas localidades circunvizinhas de Cambine, foram treinadas ali no projeto, trazendo assim muita valia paras as populações,” disse Samuel Mucambe, nativo e residente de Cambine.

Para o cumprimento do ritmo normal das suas actividade, o projecto da Igreja Metodista Unida em Moçambique localizado em Cambine, conta com quatro funcionários permanentes, para além de outros sazonais, cujo número destes depende da natureza e quantidade do trabalho a ser prestado no projecto.

Wilson é o comunicador da Conferência de Moçambique Sul das Notícias Metodista Unida. Contacto com a imprensa: Rev. Gustavo Vasquez, editor de notícias, em [email protected]. Para ler mais notícias da Metodista Unida, inscreva-se nos resumos quinzenais gratuitos.
Teologia
Graduandos em a Universidade Metodista Unida de Moçambique localizada em Cambine, no Distrito de Morrumbene, Província de Inhambane, alegram-se por terem chegado ao seu destino. Foto de Edmilson Banze.

Universidade Metodista em Moçambique gradua primeiros técnicos superiores

Com um número inicial de 106 estudantes no ano de 2017, altura em que abriu as suas portas, a Universidade Metodista Unida de Moçambique graduou em 17 de Junho, 76 técnicos superiores, dos quais 34 mestres e 42 licenciados, depois de um percurso de quatro anos da sua formação.
Preocupações Sociais
Rev Calton Ngale, pastor de Manga, pregando no dia que a Paroquia ofereceu a casa a viuva Victoria Jamisse. Beira, foto de Eurico Gustavo.

Viúva recebe casa construída e doada pela Igreja

A congregação Metodista Unida da Manga, na região de Beira, Moçambique, se uniu para realizar a construção e doação de uma casa segura para acolher a viúva Victória Jamisse de 85 anos de idade, após sua residência precária ter sido destruída pelo ciclone Idai em 2020, e mais recentemente pelos ciclones, Eloise, Ana e Gombe.
Teologia
O Rev. Júlio André Vilanculos (centro), com a bispa Joaquina Nhanala (à sua esquerda) e o Rev Jamisse Taimo (à sua direita) durante a tomada de posse como reitor da Universidade Metodista Unida de Moçambique, Cambine, em 2018. O Rev. Vilanculos formou-se na África University em 2009 com licenciatura em teologia e mestrado em artes e estudos religiosos. Foto de arquivo de Francisco Cumbe.

Graduados da África University compartilham seus dons

Os ex-alunos da AU estão fazendo uma diferença em muitas áreas e compartilham suas bênçãos com a Igreja Metodista Unida em Moçambique.