Uma missão de misericórdia e uma vida de serviço

Other Manual Translations: español

Poucos dias antes do Dia de Ação de Graças, uma mensagem ameaçadora saiu na página do Facebook da Igreja Metodista Unida Carlson Memorial, em LaBelle. Ele pediu oração diante de uma potencial catástrofe para os moradores de La Gonave, uma ilha de 266 milhas quadradas a oeste-noroeste da capital do Haiti, Porto Príncipe.

O Pastor Jean-Jacques Agones estava em uma missão de misericórdia para o povo daquela ilha. E ele estava com problemas.

A Carlson Memorial é uma das várias igrejas da Conferência da Flórida que estão em missão com o Pastor Agones. Ele é um ministro haitiano que fundou igrejas e escolas em La Gonave, às vezes conhecida como ilha esquecida do Haiti.

A ilha é acessível apenas por barco e pequenas aeronaves, mas como agora existe uma crise de combustível e política no Haiti, as Nações Unidas fecharam seu escritório e o governo dos EUA declarou moratória nas viagens para lá. 

Pastor Agones e Família. Foto cortesia da Conferência Anual da Flórida.

 

A população da ilha luta para obter serviços básicos como comida, água potável, eletricidade e transporte. Mas, trabalhando com igrejas como Carlson Memorial e Igreja Metodista Unida North Naples, Agones conseguiu garantir sacos de 100 libras de arroz, além de sacos de feijão para manter sua igreja e escola funcionando.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

O pastor Ago, como é conhecido, alugou um veleiro para levar a comida para a ilha, mas os ventos diminuíram e não havia combustível. O pastor e sua equipe ficaram presos na água por dias, enquanto as pessoas em sua igreja e escola estavam literalmente passando fome.

Finalmente, os ventos aumentaram e a tripulação e sua preciosa carga chegaram em segurança em casa em Betoiti (Turtle Bay), no Haiti, local da missão.

O Haiti é a nação mais empobrecida do Hemisfério Ocidental, e a insegurança alimentar é constante. Devido ao desmatamento maciço, o solo da ilha é seco e árido. Embora a pesca e a agricultura sejam os dois principais motores econômicos da ilha, La Gonave não recebe muita chuva e a agricultura é um grande desafio. 

Da mesma forma, a ilha isolada ainda está se recuperando da devastação de desastres naturais como o furacão Matthew em 2016 e o enorme terremoto no Haiti em janeiro de 2010. A falta de infraestrutura dificulta a deslocação de um lugar para outro. A maioria dos residentes viaja de moto, burro ou a pé.

De acordo com Frankie Jeffery da Igreja Metodista Unida de North Naples, um veterano de oito viagens missionárias à ilha, o Pastor Ago tem uma visão para seu rebanho. 

"Ele tem três objetivos que deseja alcançar", disse ela. "Eles são: Espalhar o Evangelho, Educar as crianças, Ajudar os pais a se auto-sustentarem.”

Ele adota uma abordagem sistemática.

“O pastor Ago”, ela disse, “entra em uma comunidade, recruta ministros, inicia uma igreja e depois inicia uma escola. Ele acredita que a educação é a maneira mais eficaz de ajudar as pessoas a aprenderem habilidades que podem ajudá-las a se tornarem auto-suficientes e a quebrar o ciclo da pobreza.

“A visão da Ago é treinar 20 ministros, estabelecer 20 igrejas e iniciar 20 escolas.”

É um plano de longo prazo. Atualmente, existem três igrejas e duas escolas.

"Os parceiros da igreja enviam sacolas de livros e material para professores à escola no início de cada semestre", disse ela. “Entre os termos, as mães dos alunos de Betoiti lavam e consertam as sacolas usadas para que possam ser usadas pelos estudantes na aldeia montanhosa de Nan Le Bron, onde está localizada uma nova escola.”

Sacos de livros de crochê para parceiros. Foto cortesia da Conferência Anual da Flórida.

 

A missão oferece duas aulas de treinamento de professores por ano. Os professores da distante vila de Nan Le Bron caminham para as sessões de treinamento.

Como a ilha está isolada e atualmente está fora dos limites para os cidadãos americanos, Ago encontrou maneiras criativas de usar a tecnologia para ajudar a treinar seu povo.

"Uma noite, ele entrou na internet e encontrou o pastor Steve Jamieson no Tennessee", disse Jeffery. "Agora, Jamieson está se reunindo virtualmente com os futuros ministros haitianos que podem sair e servir às igrejas que há tempos querem que eles comecem."

A história de Ago o ajudou a definir seu chamado.

"Ago era um garoto de rua", disse Jeffrey. "Ele cresceu trabalhando em barcos, o que não é uma habilidade ruim de se ter quando você mora em uma ilha."

Eventualmente, ele conheceu um americano chamado Ralph Tuthill. Tuthill percebeu que aquele jovem era especial e concordou em mandá-lo para a escola. Isso levou à faculdade em Porto Príncipe e, eventualmente, ao seminário, onde Ago sentiu o chamado para La Gonave.

Foi aí que ele fundou uma escola que ele nomeou para Ralph Tuthill.

"A primeira escola foi em uma casa abandonada, sem janelas, sem portas e sem teto", disse Jeffrey. "Hoje, é a única escola em que as crianças recebem comida pelo menos três dias por semana", disse ela. "No entanto, uma refeição pode ser uma fatia de queijo e duas bolachas."

Jeffrey se tornou um porta-voz da Agones em toda a Conferência da Flórida.

"Como os americanos atualmente estão proibidos de viajar para a ilha", disse ela, "estou usando esse tempo para recrutar e reagrupar".

 

Natividade esculpida à mão da coleção "Haitian Boutique" de Jeffery. Foto cortesia da Conferência Anual da Flórida.

 

"Gostaria de criar uma 'aliança de igrejas' e / ou grupos como a UMW, aulas de escola dominical ou indivíduos que possam adotar e apoiar alguns dos jovens por meio de bolsas de estudos ou outros tipos de ajuda".

Jeffery disse que seu objetivo não é apenas fornecer um comunicado, mas também fornecer uma "entrega".

“Temos pessoas que querem trabalhar e, normalmente, quando vou a igrejas, levo minha 'boutique haitiana'”, disse ela. "Ele contém itens feitos à mão que vendemos para beneficiar a missão."

Quando o país se abrir novamente, Jeffery gostaria de levar mais pessoas para a ilha para oferecer seus conhecimentos à missão que o Pastor Agones plantou.

"Vimos que o modelo que ele está usando funciona", disse ela. "A combinação de cristianismo e educação pode mudar esse lugar." 

Enquanto isso, Jeffery está disponível para fazer apresentações em nome da Missão La Gonave às igrejas locais. Ela pode ser contatada em (407) 404-4722 ou [email protected] . 

 

*Suzanne McGovern é uma escritora freelancer sediada em Orlando. Para ler mais notícias da United Methodist, assine os resumos gratuitos quinzenalmente.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

 

Preocupações Sociais
Senhor Alfredo Rafael Chume, um dos funcionários da Igreja que guarnece os Escritórios, adiciona água com produtos químicos a entradas dos Escritórios Centrais. Foto de João Filimone Sambo.

Liderança da IMU em Moçambique se preocupa com a pandemia do COVID-19

Moçambique é um dos países da África Austral vulneráveis a epidemias e pandemias, dada a fraqueza territorial do seu sistema de saúde.
Missão
Jecinta Nairesea, 12 anos, segura sua filha de 2 anos, Dorcus Nchorira, do lado de fora da Igreja Metodista Unida da Trindade, em Gilgil, Quênia. A jovem mãe estava entre os que participaram do acampamento de jovens da igreja em dezembro. Jecinta, que foi forçada a se casar aos 9 anos de idade, agora estuda na Trinity Mission Girls High School. Foto de Faith Wanjiru, Notícias MU.

Igreja no Quênia luta contra mutilação genital feminina

A Igreja Metodista Unida de Trinidad, em Gilgil, criou uma nova maneira de permitir que as meninas cresçam sem trauma desde a infância até a idade adulta sem sofrer mutilação.
Ajuda humanitária
Foto cedida pela Igreja Metodista de Porto Rico.

Metodistas porto-riquenhos levam resposta após terremoto

A igreja está colocando sua experiência no furacão Maria em uso, pois uma série de terremotos causa danos, falta de energia e um constante estado de angústia.