Metodistas no combate ao mosquito Aedes aegypti

Os dados são alarmantes. O Ministério da Saúde investiga 3.448 casos suspeitos de microcefalia no Brasil até o fechamento desta edição. O último boletim foi divulgado no final de janeiro e aponta que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 estão ligados ao vírus zika. A Organização Mundial da Saúde (OMS)apoia o Brasil no combate ao vírus zika, que já ultrapassou fronteiras. Está em 20 países das Américas e 10 da Ásia, África e Pacífico – no entanto, o Brasil é o que mais preocupa os/as especialistas.

A Igreja está mobilizada. O Colégio Episcopal já se pronunciou ao orientar os membros para combater o mosquito Aedes aegypit. No passado, o missionário metodista Hugh Clarence Tucker, que introduziu ao médico dr. Oswaldo Cruz a pesquisa que faria diferença na sociedade para combater a febre amarela, teve um papel fundamental nesse processo. Em 1958, a Organização Mundial da Saúde declarou total erradicação do mosquito no Brasil; mas ele volta décadas mais tarde preocupando, principalmente, as mulheres em período de gestação. 

O Expositor Cristão foi atrás, ouviu especialistas, médicos/as, além da própria bispa Marisa de Freitas Ferreira, que, na função de médica, passou informações importantes sobre o cuidado que devemos ter. O bispo Roberto alertou para as diversas possibilidades de desenvolver a missão neste cenário que assusta todos/as nós. 

Durante a apuração, encontrei várias ações, por exemplo, os membros da Igreja Metodista em Além Paraíba/MG, que mandaram fazer camisas personalizadas para sair em mutirão no combate ao mosquito. A Igreja vive um cenário em que ela precisa fazer a diferença. Afinal, essa tarefa de eliminar novamente o mosquito Aedes aegypti do país compete não somente ao poder público, mas a cada um/a de nós.

Que Deus nos conscientize!

José Geraldo Magalhães

Editor-chefe

Para mais informações, visite: http://www.metodista.org.br/expositor-cristao-de-marco-tras-na-capa-a-mobilizacao-dos-metodistas-no-combate-ao-mosquito-aedes-aegypti

Área Geral da Igreja
O Plano de Indianápolis visualiza a integração de duas outras denominações "metodistas unidos" tradicionalista, centrista / progressista integrada ou separada de acordo com sua perspectiva sobre a inclusão da comunidade LGBTQ+ na igreja. Foto ilustração Rev. Gustavo Vasquez, MU News.

Grupo esboça plano de separação para denominação

Um grupo de líderes de igrejas centristas, progressistas e tradicionalistas elaborou um plano para a Igreja Metodista Unida se separar amigavelmente
Church Leadership
Oferecidos em quantias de até 10 mil dólares, os subsídios do EIST ajudam as instituições Metodistas Unidas e suas comunidades vizinhas a recrutar, treinar e apoiar pessoas étnicas para papéis de liderança em toda a igreja e no mundo. Foto cortesia do GBHEM.

Premiação GBHEM entrega nove subsídios para expandir a liderança entre minorias

Oferecidos em quantias de até 10 mil dólares, os subsídios do EIST ajudam as instituições Metodistas Unidas e suas comunidades vizinhas
Preocupações Sociais
A Rev. Anna Blaedel (no microfone) fala durante a Conferência Anual de Iowa em junho de 2016. Blaedel está enfrentando um julgamento da igreja depois de ser acusado sob a proibição contra a ordenação de um "homossexual praticante auto declarado". Foto de arquivo por Arthur McClanahan, Iowa Conferência.

Clériga de Iowa enfrenta julgamento

A Rev. Anna Blaedel enfrentará um julgamento da igreja após uma acusação certificada do Comitê da Conferência de Iowa contra a Blaedel.