A ideia da 'Igreja Metodista da Libertação' é ouvida

Translate Page

Alguns vieram querendo uma nova denominação. Outros disseram que preferem, por enquanto, continuar trabalhando dentro da Igreja Metodista Unida.

Mas todos os que participaram do evento UM-Forward, realizado entre 6 e 8 de março, expressaram comprometimento com o ativismo baseado no Evangelho em várias frentes, a saber, inclusão LGBTQ, mas também reparações, direitos dos trabalhadores e mudanças climáticas.

“Uma bandeira do arco-íris na frente de um prédio não é suficiente”, disse o reverendo Alex da Silva Souto, um dos organizadores do evento.

Essa conversa ressoou com o Rev. Jon Pohl, que viajou para a reunião de Lansing, Michigan.

"Vim porque estou cansado de entrar na justiça", disse Pohl, pastor da Igreja Metodista Unida de Lansing, em Asbury. "Este parecia um passo ousado."

O encontro de Dallas, intitulado “Trailblazing the Liberation Methodist Church” (Iniciando a Igreja Metodista da Libertação), foi realizado de 6 a 8 de março na Igreja Metodista Unida de Preston Hollow e incluiu trabalho para formar uma nova denominação, além de criar estratégias para a Conferência Geral de 2020.

A reunião atraiu cerca de 120 pessoas, incluindo um punhado de delegados da Conferência Geral de 2020. Alguns cancelamentos aconteceram devido a preocupações com o Coronavírus, disse Silva Souto.

Some of those attending UM-Forward’s March 6-8 event in Dallas had intensive discussions about working as a United Methodist Liberation Collective to build a comprehensive social justice movement within The United Methodist Church. Photo by Sam Hodges, UM News.
Alguns dos participantes do evento de 6 a 8 de março da UM-Forward, em Dallas tiveram discussões intensas sobre como trabalhar como um Coletivo de Libertação Metodista Unida para construir um movimento abrangente de justiça social dentro da Igreja Metodista Unida. Foto de Sam Hodges, Notícias MU. 

Este foi o último evento patrocinado pela UM-Forward, um grupo formado antes da Conferência Geral de 2019, em St. Louis. Aquela sessão especial da assembleia legislativa da igreja foi convocada para discutir décadas de divisão sobre como a Igreja Metodista Unida deveria aceitar a homossexualidade.


Para a Conferência Geral de 2019, a UM-Forward havia introduzido o Plano Simplificado, que eliminaria a proibição de casamentos entre pessoas do mesmo sexo e a ordenação de "homossexuais praticantes declarados". Mas os delegados votaram por 438 a 384 votos para aprovar o Plano Tradicional, reforçando essas restrições. 

A decisão gerou notícias internacionais, levou a resistência contínua por parte de congregações centristas e progressistas nos EUA e levou muitos líderes da igreja a concluir que a denominação não poderia se manter unida. 

A Conferência Geral de 2020, que será realizada de 5 a 15 de maio em Minneapolis, considerará vários planos de mudança estrutural. Entre eles está o Protocolo de Reconciliação e Graça Através da Separação, que permitiria que igrejas e conferências tradicionalistas deixassem suas propriedades e formassem uma denominação separada, usando US $ 25 milhões em fundos Metodistas Unidos.

O protocolo foi alcançado por uma equipe de negociação de 16 membros, incluindo tradicionalistas, centristas e progressistas. À mesa estava Jan Lawrence, diretor executivo da Rede de Ministérios de Reconciliação, que há muito advoga a inclusão total de pessoas do LGTBQ na Igreja Metodista Unida.

Mas o UM-Forward não fazia parte das discussões, e os líderes notaram que os representantes do ministério étnico também não. Uma menção antecipada do protocolo na reunião de Dallas trouxe vaias dispersas.

“Dezesseis pessoas tomando uma decisão por toda a Igreja Metodista Unida? Eu não acho que seja representativo, especialmente de igrejas étnicas”, disse a Rev. Sandra Bonnette-Kim, pastora da Igreja Metodista Grace United, em Lynn, Massachusetts, em entrevista entre as sessões de 8 de março.

Para a Conferência Geral de 2020, UM -Forward introduziu seu próprio plano New Expressions Worldwide (NEW) (Novas Expressões pelo Mundo, ou NOVO), que pede a dissolução da Igreja Metodista Unida e a criação de quatro novas denominações, a partir de perspectivas tradicionalistas, moderadas, progressistas e liberacionistas.

Defensores de longa data de inclusão total de pesssoas LGBTQ, como Sue Laurie e David Braden, disseram que é hora de um grupo metodista liberacionista.

"Se a igreja (Metodista Unida) não quer mudar, preciso de um lugar que me afirme em toda a minha humanidade e quero garantir que outras pessoas LGBTQ saibam que Deus as ama por quem elas são", disse Braden, um leigo na Conferência Northern Illinois.

Aproximadamente metade dos participantes da conferência, muitos deles leigos, se reuniram em 7 de março para longas sessões sobre a criação de uma denominação com o nome de representante Igreja Metodista da Libertação. 

Eles foram guiados por um rascunho de um documento de 8 páginas intitulado Roteiro para a Igreja Metodista de Libertação Autônoma. Ele descreve a denominação como tendo limites de prazo para os bispos, se houver bispos. 

Os organizadores enfatizaram que a maioria das especificidades para o novo grupo proposto continuará sendo elaborada e refinada, com uma atualização que será compartilhada na Páscoa, e os artigos de incorporação provavelmente arquivados antes da Conferência Geral 2020.

Embora o protocolo não seja popular no UM-Forward, a proposta exige que US $ 2 milhões adicionais estejam disponíveis para grupos de igrejas que desejam se desassociar se o protocolo for aprovado, disse Silva Souto. Ele acrescentou que uma Igreja Metodista de Libertação pode querer se posicionar para tirar proveito de tais fundos.

Worship services, including communion, were a part of the March 6-8 “Trailblazing the Liberation Methodist Church” event, held at Preston Hollow United Methodist Church in Dallas, and sponsored by UM-Forward. Photo by Sam Hodges, UM News.
Os cultos de adoração, incluindo a comunhão, fizeram parte do evento de 6 a 8 de março “Trailblazing the Liberation Methodist Church”, realizado na Preston Hollow United Methodist Church em Dallas, e patrocinado pela UM-Forward. Foto de Sam Hodges, Notícias MU.

Outras pessoas no encontro de Dallas se reuniram sob o título de trabalho United Methodist Liberation Collective (Coletivo Metodista Unida da Libertação), para elaborar estratégias para a Conferência Geral 2020 e considerar como eles podem avançar uma agenda liberacionista a partir de dentro.

A Revda. Alka Lyall, pastora da Igreja Metodista Unida da Broadway, em Chicago e presidente da delegação do Northern Illinois na Conferência Geral de 2020, juntou-se ao que os organizadores chamavam de faixa "semi-autônoma" da reunião.

"Eu continuo trabalhando no fim legislativo e vendo se podemos libertar a Igreja Metodista (Unida)", disse ela. “Eu estou agarrando essa possibilidade. Eu acredito no Deus da esperança.”

Para Lyall, ter duas faixas no encontro de Dallas não era um problema.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

"Não precisamos nos separar para fazer algo novo", disse ela. "Nós podemos fazer isso juntos."

Alguns participantes da conferência vieram principalmente para coletar informações sobre opções, pois a igreja local pondera sobre o seu futuro.

O Rev. Darryl Stephens, professor do Seminário Teológico Lancaster, planejava dar um relatório de retorno para a sua igreja, Metodista Unida Grandview, em Lancaster, Pensilvânia. A congregação lá votou recentemente para iniciar o processo de desfiliação, embora uma segunda votação esteja planejada para depois da Conferência Geral de 2020. 

Stephens disse que tem "ceticismo saudável" sobre a viabilidade de uma nova denominação metodista liberacionista.

Mas ele está disposto a esperar por mais detalhes.

"Não vamos inventar uma igreja em um fim de semana", disse Stephens.

O Rev. Jay Williams, pastor da Igreja Union (Metodista Unida) em Boston, disse que em um momento incerto, o UM-Forward já havia feito a diferença no Metodismo.

"A linguagem da libertação agora faz parte do nosso vernáculo", disse Williams, líder da UM-Forward. "O ponteiro se moveu."

 

*Hodges é um escritor de Dallas para o Notícias Metodista Unida. Entre em contato com ele pelo telefone 615-742-5470 ou [email protected] . Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Conselho Judicial
Os bispos metodistas unidos processam o culto de abertura da Conferência Geral especial de 2019 em St. Louis. O Conselho Judicial, o principal tribunal da Igreja Metodista Unida, divulgou um memorando que esclarece uma decisão anterior sobre as eleições de bispos. Foto de arquivo por Mike DuBose, Notícias MU.

Tribunal da Igreja modifica decisão sobre eleições de bispos

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida estabeleceu o dia 1º de janeiro de 2023 como a data em que os bispos dos EUA que enfrentam a aposentadoria compulsória devem deixar o cargo, e seus sucessores recém-eleitos tomarem posse.
Conselho Judicial
A Bispa Mary Virginia Taylor da Conferência de Holston abraça o Rev. David Graves após sua eleição como bispo Metodista Unido na Conferência Jurisdicional do Sudeste de 2016. Taylor está entre os 11 bispos norte-americanos que se aposentaram no ano passado, e Graves está entre os bispos que agora assumem trabalho extra por causa das aposentadorias. O Conselho Judicial emitiu uma decisão em 20 de maio, abordando a questão de saber se a conferência jurisdicional pode se reunir para eleger novos bispos. Foto de arquivo de Annette Spence, Conferência de Holston.

Decisão abre portas para eleições de bispos em 2022

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida decidiu que o Conselho dos Bispos tem autoridade para convocar conferências jurisdicionais para eleger e designar novos líderes episcopais nos EUA, mas não tem autoridade para alterar a data em que esses novos bispos assumem o cargo.
Conselho Judicial
Participantes da Conferência Anual de Kentucky de 2017 em Bowling Green, Kentucky, levantam os braços em oração durante uma "Plenaria com Culto de Adoracao". Em 10 de Maio, o Conselho Judicial divulgou uma decisão que diz que as conferências anuais dos EUA não podem se desfiliar da denominação sob a lei actual da igreja. Foto de arquivo de Kathleen Barry, Noticias da UM.

Tribunal da Igreja: Conferências não podem sair unilateralmente

O tribunal superior da Igreja Metodista Unida decidiu que a lei actual da igreja não permite que as conferências anuais nos EUA se retirem da denominação.