Grupo de mulheres protesta na porta de delegacia de JP durante ‘Quinta-feira Preta’

Um grupo de mulheres fez um protesto silencioso na tarde desta quinta-feira (10), em frente à Delegacia da Mulher, na Avenida Pedro II, no Centro de João Pessoa. A manifestação é parte de um conjunto de ideias da Igreja Metodista e ocorre em todo o Brasil, de diferentes formas, desde protesto em locais específicos, até ações com uso de roupas pretas ou publicações nas redes sociais. A ação desta quinta pediu o fim da violência contra mulher. Veja fotos abaixo.

Leia mais Notícias no Portal Correio

As ações coordenadas pela Igreja Metodista são organizadas via redes sociais e ocorrem em várias cidades do Brasil, integrando a ‘Quinta-feira Preta’. Em João Pessoa, cerca de 20 mulheres vestidas de preto se concentraram na frente da Delegacia da Mulher, de forma estratégica, para pedir intensificação de ações contra abusos e violência que afetam mulheres. Quem não compareceu ao local, pôde vestir preto em qualquer lugar e usar bottons, por exemplo, para indicar que aderiu ao movimento. Quem explica é a jornalista Patrícia Monteiro, umas das voluntárias dos projetos da Metodista.

“Esse tipo de manifestação é frequente, ocorre todas as quintas. Desta vez, viemos estrategicamente à Delegacia da Mulher como parte das ações da Semana da Mulher. Aqui na frente, estamos todas de preto, com cartazes, mas quem não está aqui participa do protesto em qualquer parte, com ações nas redes sociais ou vestindo preto. Não é possível dizer quantas pessoas participam; o número é incontável porque as ações ocorrem em todo o Brasil”, disse Patrícia.

A Igreja Metodista tem unidades em João Pessoa, no bairro do Bessa e no Centro, e em Cabedelo, na região metropolitana. As informações sobre a ‘Quinta-feira Preta’ podem ser encontradas nas redes sociais:

Grupo Juvenis Remne no Facebook

Igreja Metodista Região Nordeste

Igreja Metodista João Pessoa

Igreja Metodista do Brasil

Saiba mais aqui sobre a 'Quinta-feira Preta'

A equipe da Delegacia da Mulher informou que não houve nenhum tipo de contato com as manifestantes e que elas permaneceram na frente do local de forma pacífica e silenciosa.

http://portalcorreio.uol.com.br/noticias/cidades/cidadania/2016/03/10/NWS,274630,4,96,NOTICIAS,2190-GRUPO-MULHERES-PROTESTA-PORTA-DELEGACIA-DURANTE-QUINTA-FEIRA-PRETA.aspx

Último artigo

Área Geral da Igreja
Foto de Jan Snider, Comunicações Metodistas Unidas.

Cláusula de confiança Metodista Unida: crítica em meio à luta?

Houveram tempos nos últimos 100 anos, quando uma congregação decidia não querer mais fazer parte da denominação Metodista Unida, mas deseja manter toda a propriedade da igreja.
Preocupações Sociais
Ramiro Ramírez toca a campainha da Igreja Metodista Unida de Jackson Chapel em San Juan, Texas. A família de Ramírez doou terras para a igreja, que foi estabelecida em 1874. O muro de fronteira proposto pelo presidente Trump está programado para percorrer a propriedade da igreja, incluindo seu cemitério histórico. Foto de Mike DuBose, SMUN.

Muro da fronteira cortaria igreja histórica

A parede fronteiriça proposta pelo presidente Donald Trump poderia destruir um pedaço da história metodista e perturbar cemitérios sagrados nesta pequena área rural a pouco mais de um quilômetro do Rio Grande.
Área Geral da Igreja
The Rev. Forbes Matonga. Photo by Paul Jeffrey.

Planos tradicionais mantêm status quo

Dois planos - o Plano Tradicional e o Plano Tradicional Modificado - apelam aos Metodistas Unidos que desejam manter o status quo na abordagem da igreja à homossexualidade.