Delia Ramírez Hernández: a primeira Latina Metodista Unida a chegar ao Congresso

Translate Page

Delia Ramírez Hernández tornou-se, nas últimas eleições de meio de mandato, a primeira Metodista Unida de origem latina a chegar ao Congresso dos Estados Unidos. Em 8 de novembro de 2022, Delia venceu a eleição do Distrito Eleitoral nº 3 de Illinois, com mais de 67% dos votos.

A mídia refletiu a notícia, destacando que ela é a primeira latina a chegar ao Congresso do estado de Illinois e é a primeira guatemalteca-americana a alcançar uma posição deste nível na história política dos Estados Unidos. Além disso, ela é uma das representantes mais jovens no parlamento. No entanto, o mais significativo é que Delia Ramírez Hernández é uma pessoa que goza de amor e apreço entre seus irmãos e irmãs da Igreja Metodista Unida em todo o país, por sua liderança e seu testemunho de fé e serviço.

Desde 2018, ele representa o Distrito nº 4 no congresso estadual de Illinois até as últimas eleições de meio de mandato. Na ocasião da sua eleição em 2018, Delia concedeu uma entrevista à Notícias MU, da qual partilhamos alguns trechos. 

Nascida na cidade de Chicago, Delia é filha de María Elvira Ramírez Guerra e Luis Antonio Ramírez, ambos de origem guatemalteca, que dedicaram suas vidas a servir sua comunidade e sua igreja, como a própria Delia diz. Em 2021, casou-se com Boris Hernández, que acompanha e apoia Delia em sua carreira política e no serviço que presta às comunidades que representa.

“Meu pai veio no final dos anos 70 e minha mãe veio duas vezes, em 81 e 82, quando ela foi estabelecida. Nasci no Cook County Hospital, (agora chamado John H. Stroger Hospital), onde nasceram todas as crianças sem seguro de saúde. Sou a filha mais velha de 4 irmãos: Luis Cristina e Iris”.

“Desde os três meses de idade, conheci a Igreja Metodista Unida em Humboldt Park - uma área onde tradicionalmente vivia uma grande comunidade porto-riquenha - e cresci lá com minha família. Nesta igreja, meus pais mostraram a mim e a meus irmãos que ser cristão é muito mais do que palavras e, com certeza, muito mais do que participar dos domingos. Ser cristão é uma maneira de viver, uma maneira de tratar as pessoas e a maneira como mostramos a luz de Deus por meio de nossas ações”.

En 2021 se casó con Boris Hernández, quien acompaña y apoya a Delia en su carrera política y en el servicio que presta a las comunidades que representa. Foto cortesia de Delia Ramirez.

Em 2021, casou-se com Boris Hernández, que acompanha e apoia Delia em sua carreira política e no serviço que presta às comunidades que representa. Foto cortesia de Delia Ramirez.

 

A igreja como escola de vocação e inspiração

Delia reconhece em sua igreja, o espaço onde encontrou sua vocação e pôde desenvolver as habilidades e talentos que recebeu de Deus para servir ao próximo. Atualmente como líder na política dos Estados Unidos em nível parlamentar, ela reconhece que as sementes que os ensinamentos da igreja plantaram nela produziram frutos prósperos para o benefício de muitas pessoas pobres e famílias carentes na cidade de Chicago.

Em sua gestão como representante do Distrito nº 4 no congresso estadual, Delia se destacou em seu trabalho parlamentar e na proposição de leis que beneficiaram os setores mais pobres da cidade de Chicago.

“Na igreja fui formado na fé, ali encontrei o chamado para servir a minha comunidade, ali me desenvolvi como líder e aprendi a conduzir minha vida como cristã. Aquela igreja - Humboldt Park - foi para mim um farol, uma fortaleza. Essa igreja fundou um lar para moradores de rua nos anos 80. Lá ouvi mais de uma vez que talvez sejamos dois ou três, mas Deus sempre chama esses dois ou três para fazer a obra de Deus. Talvez pela humildade, talvez pela pobreza, mas Deus chamou aquela pequena congregação para servir a milhares de pessoas".

Recordando o texto da "Grande Comissão", Delia aponta que está igreja alimentou os pobres, deu abrigo aos sem-teto, visitou pessoas na prisão e aumentou a conscientização entre as pessoas do porquê muitos vivem na pobreza.

Segundo Delia, sua igreja tem mostrado que é muito mais que quatro paredes e que seu louvor a Deus vai muito além de fazê-lo de um microfone em um santuário: "O santuário para nós é a comunidade, sem paredes e com muitas necessidades".

Com apenas 11 anos, Delia teve a oportunidade de pregar pela primeira vez, conduzida pelo pastor Francisco Arroyo: "A partir daquele momento comecei a entender que o chamado que recebi de Deus é para servi-lo, levando uma voz profética aos outros."

Delia Ramirez Hernández muestra su nueva credencial como congresista, unas de las mas jóvenes del parlamento y la primera latina en representar a Illinois. Foto cortesía de Delia Ramírez.

Delia Ramirez Hernández mostra sua nova credencial como congressista, uma das mais jovens no Parlamento e a primeira latina a representar Illinois. Foto cortesia de Delia Ramírez.

“Aquele primeiro sermão foi baseado no capítulo 13 da 1ª Carta aos Coríntios, cujo tema central é o amor. Lembro que preguei sobre a importância de amar a Deus, amar ao próximo, amar a nós mesmos e como esse amor flui em nossas ações, em nosso relacionamento com Deus e em como conduzimos nossa própria vida”.

Ela lembra que precisou usar um caixote para conseguir alcançar o microfone e com isso conseguiu sentir e ouvir sua voz com uma força que nunca havia sentido antes.

“Quando minha igreja começou a abrigar e alimentar os mais necessitados da comunidade, meu pai tinha dois empregos para nos sustentar e mesmo assim arranjava tempo para ajudar a manter o prédio da igreja acessível para que as pessoas pudessem chegar e pedir ajuda. Enquanto minha mãe estava atrás da janela, preparando comida para os sem-teto, eu me lembro que sempre gostei de sentar e conversar e comer com eles. Sentei-me para ouvi-los, conhecê-los e descobrir o Deus que pregamos na igreja, através de suas experiências, seus testemunhos e suas necessidades”.

“Eram conversas incomuns para uma menina de oito anos. Lembro-me de ouvir um homem que poderia ser meu avô, me contando sua história e me dizendo que eu o lembrava da neta que ele não via há muito tempo. Foi através dessas experiências que senti a necessidade de fazer mais em favor de tantas pessoas desamparadas, abandonadas. Minha consciência e preocupação cresceram sobre porque neste país de abundância há tantas pessoas necessitadas. Sendo menina, Deus me levou a ouvir aqueles que o mundo já não ouvia. Isso e ver minha igreja na justiça, lutando contra vereadores e políticos, para manter o abrigo aberto, porque eles queriam nos tirar daquela comunidade, já que não queriam gente pobre em um bairro que estava mudando e recebendo famílias de classe média alta e condomínios de luxo. Isso fez meu senso de justiça social crescer constantemente desde a minha infância.”

Como seus pais trabalhavam como assistentes sociais do abrigo, entrevistando famílias para determinar suas necessidades, Delia passou boa parte da infância visitando e conhecendo membros da comunidade Humboldt Park de casa em casa: “Eu vi meu pai, por exemplo, procurando pessoas sem recursos, para levá-las às consultas médicas; ou minha mãe preparando e levando cestas básicas para famílias carentes; Achei que tínhamos que fazer mais do que estavam os fazendo.

“No santuário, do microfone do púlpito, à mesa ou na casa das pessoas, é onde tenho me sentido mais satisfeita, porque ali tenho visto a graça de Deus, manifestada em poder estar em comunhão com os outros, especialmente com aqueles que são invisíveis para muitas pessoas.”

Uma carreira ao serviço de Deus e ao serviço dos outros

“Quando fiz 15 anos e estava no ensino médio, lembro-me de uma vereadora que recebia muito dinheiro de campanha de construtoras que atuavam na cidade para facilitar a compra de imóveis a preços baixos, principalmente casas de pessoas carentes, em sua maioria famílias latinas, para construir novos condomínios de luxo e multiplicar seus lucros. Nossa igreja estava no caminho deles e eles queriam aquele terreno para fazer um estacionamento. A vereadora não hesitou em tomar medidas contra a igreja e o abrigo que ela mantinha. Ele constantemente enviava inspetores para sobrecarregar a igreja com multas e mandados para que tivéssemos que fechar”. 

“Um dia decidi não ir à escola e pedir à minha mãe que me levasse ao tribunal com ela, para estar com as pessoas da minha igreja e ter a oportunidade de dizer na cara daquela vereadora o que ela estava fazendo era imoral, que estava vendendo para a comunidade que a elegeu. Cheguei lá e tive a oportunidade de fazer uma entrevista e pude sentir que se concretizou o que meu pastor sempre dizia, que as crianças não são só o futuro, mas também o presente da humanidade”.

Depois dessa experiência no tribunal, ela decidiu dedicar sua vida ao que a igreja faz, quando ela cumpre a comissão que recebeu de Deus. Aos 17 anos, ela foi contratada pela igreja para trabalhar como organizadora de um centro comunitário que estava sendo criado: “Eu era responsável por organizar as correspondências de pessoas que não tinham casa, para receberem suas correspondências. Quando eles iam buscar a correspondência, eu tinha a oportunidade de conversar com eles (porque eram em sua maioria homens) e conhecer parte de suas histórias, seus desejos e suas necessidades”.

Delia estava convencida de que precisava fazer mais e que eles poderiam fazer mais por eles como igreja, ajudando-os a conseguir um emprego e a se reconectar com suas famílias. Aos 18 anos ela já era assistente social cuidando de casos. Aos 19 anos, tornou-se diretora de programas naquele centro e aos 21 já era Diretora Executiva.

“Essas experiências da missão da igreja em meio às realidades sociais, promovidas por pessoas que me deram a oportunidade de me desenvolver como líder, é o que me trouxe até aqui. A igreja confiou em mim, me apoiou e me deu a oportunidade de me desenvolver como líder, quando parecia que eu estava em uma luta de Davi contra Golias." 

Foto de archivo de Delia Ramirez liderando uno de los talleres de la reunión del caucus hispano-latino de La Iglesia Metodista Unida, MARCHA, en 2019. Foto Michelle Maldonado, UMCOM.

Foto de arquivo de Delia Ramirez liderando uma das oficinas na reunião do caucus hispano-latino da Igreja Metodista Unida, MARCHA, em 2019. Foto Michelle Maldonado, UMCOM.

Líder nacional da igreja

Delia Ramírez não foi apenas membro de uma igreja local, participante de atividades ou pregadora ocasional, mas é amplamente reconhecida pela comunidade metodista hispano-latina e outros setores da igreja por seu excelente trabalho como líder no nível nacional.

“Por muito tempo minha igreja decidiu ser uma congregação que desenvolve seu ministério, além das paredes de um templo e das convenções dos cultos dominicais. A igreja tem apostado no desenvolvimento de um ministério profético, profundamente enraizado na comunidade e com um amplo espectro de relações com várias organizações religiosas e sociais.

“Participei de várias comissões paroquiais da minha igreja: na evangelização, nas relações pastorais; aos 15 anos, presidente da comissão de louvor, diretora do centro comunitário, enfim, em vários espaços de atendimento, o que me levou a entender a importância do relacionamento e da interligação no ministério. Sou daquelas que acreditam que o corpo de Cristo se move e tem um impacto real na vida das pessoas quando os olhos, mãos, boca e pés trabalham juntos/as.”

Suscríbase a nuestro nuevo boletín electrónico en español y portugués UMCOMtigo

¿Le gusta lo que está leyendo y quiere ver más? Regístrese para recibir nuestro nuevo boletín electrónico UMCOMtigo, un resumen semanal en español y portugués, con noticias, recursos y eventos importantes en la vida de La Iglesia Metodista Unida. 

¡Manténgase informado/a!

Esas experiencias locales le permitieron ir conociendo gente, organizaciones e iglesias y preparándola para ir más allá de su ámbito local. Essas experiências locais permitiram que ela conhecesse pessoas, organizações e igrejas e a preparou para ir além de seu ambiente local.

"Foi quando participei de uma reunião da MARCHA pela primeira vez, que aprendi como a comunidade latina está organizada dentro da Igreja Metodista Unida em nível nacional. Lá pude ver as eleições e como as pessoas se tornaram líderes e presidiram a organização. Lá pude ver como os jovens se organizavam e exigiam voz dentro da igreja, não só para ocupar pequenas responsabilidades, mas também para serem líderes integrais da igreja. Assim pude ver como Deus se movia dentro e fora da igreja. 

MARCHA é o caucus hispano-latino da Igreja Metodista Unida. É uma organização dentro da igreja encarregada de defender os direitos da comunidade hispano-latina dentro da igreja e tem sido historicamente um espaço de encontro em favor do princípio doutrinário metodista de "santidade social".

Com apenas 27 anos, Delia tornou-se membro do Comitê Executivo do Plano Nacional de Desenvolvimento do Ministério Hispano-Latino (NPHLM por sua sigla em inglês), graças ao esforço e trabalho organizado da juventude de MARCHA: " quando os/as Jovens na igreja se organizam e trabalham juntos, alcançam demandas importantes. Essas experiências foram uma escola para mim sobre como se relacionar, como encontrar um terreno comum, como construir coalizões, que permitem que a igreja seja uma força que defende todos os necessitados, com base no amor ao próximo, sem diferenças".

“Essas raízes fizeram com que as pessoas me reconhecessem como alguém confiável em minhas ações nas comunidades. Quando me sento à mesa com outros líderes políticos que me conhecem, eles sabem e comentam que sou diferente porque não me movo com interesses, mas pelos meus princípios de fé".

Delia faz parte do Conselho de Administração da MARCHA há vários anos e foi uma jovem líder nesta organização. A carreira política é mais uma etapa daquilo que vem fazendo a vida toda, que é servir ao povo. Movida por suas convicções de fé, pela formação que recebeu de sua família e de sua igreja, sua vocação de servir a levou a aceitar entrar na arena política, convencida de que é uma forma real de fazer mais pelas pessoas e de gerar mudanças que ajudam a transformar o mundo conforme declarado nos princípios de missão da igreja. 

Uma mensagem para o povo Metodista Unido

“Nasci na Igreja Metodista Unida, amo e tenho criticado a igreja, porque falamos muito sobre sermos cristãos, sobre sermos Metodistas Unidos; como ser uma igreja servindo as pessoas; como ser uma igreja amando uns aos outros e não atacando uns aos outros. Uma mensagem que quero passar para a minha igreja é que somos uma igreja ajudando a união e o companheirismo das pessoas e não a exclusão e marginalização de ninguém”.

“Já bati em milhares de portas e conversei com milhares de pessoas e uma das perguntas mais frequentes que recebo é 'como sabemos que você não é apenas mais um político'; A mesma pergunta surge quando nos damos a conhecer como igreja, como sabemos que não somos apenas mais um pregador, que fala do púlpito e faz coisas diferentes em suas vidas? Temos que fazer na vida o que pregamos”.

“Quando penso em tudo o que me disseram na minha carreira política e nas campanhas eleitorais, lembro das expressões, principalmente aquelas que se referem a mim como uma pessoa gentil, calorosa, acessível, carismática, mas não me lembro de ninguém que tenha dito que votaria em mim por minha religião. Acredito que não devemos nos assumir como pregadores para levar a mensagem de Cristo ao povo. Devemos fazê-lo com nossa vida, nossas ações, nosso testemunho. Em vez de nos concentrarmos em falar sobre o amor de Deus, devemos nos concentrar em viver esse amor e compartilhá-lo com nossas ações.”

“Um recado que quero deixar para minha amada igreja é que paremos de falar de igreja, vamos focar mais em ser igreja. Muitas pessoas se afastaram, porque se sentiram decepcionadas, refletimos muitas outras coisas além do amor. É por isso que quero convidar o povo metodista unido, a sair das quatro paredes dos santuários, a não se distanciar das pessoas ou afastá-las. Temos que ter cuidado para não fazer da igreja um espaço desagradável, cheio de desprezo, de acusações, que enche as pessoas de mágoa e culpa. Sejamos uma igreja apoiando as pessoas vítimas de injustiças, exijamos que os representantes políticos cumpram suas responsabilidades, participemos de nossas comunidades ajudando-os a se organizar, vamos fazer com que as pessoas reconheçam nossa presença pelo testemunho e não apenas convidando-as para um culto de domingo ou um estudo bíblico”.

"Convido você a não desmaiar na missão de transformar o mundo não só com palavras, mas com nossas ações."   

 

* Rev. Gustavo Vasquez é o diretor hispânico/latino do Notícias Metodista Unida. Você pode contatá-lo em (615)742-5155 ou por e-mail:  [email protected] Para ler mais notícias Metodistas Unidas, assine os resumos quinzenais gratuitos.

** Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para [email protected]

Church Leadership
A Revda. Grandon-Mayer, que é a primeira clériga de origem chilena a servir como superintendente distrital na Conferência Anual do Norte de Illinois, foi nomeada como a nova diretora dos Ministérios Conexionais pelo Bispo Dan Schewerin. Foto gentilmente cedida pelo Rev. Fabíola Grandon-Mayer.

Bispo anuncia duas novas nomeações de liderança da Conferência

O bispo Dan Schwerin anunciou duas nomeações, a partir de 1º de julho de 2023: o Revd. Fabiola Grandon-Mayer para o cargo de Diretora dos Ministérios Conexionais e o Revd. Arlene Christopherson como Assistente do Bispo.
Missão
Dulce, 10 anos, vive com uma doença grave chamada anemia de fanconi. Foto cortesia da Conferência Anual da Carolina do Sul.

Healing Guatemala espera trazer 'Uma nova vida para Dulce'

Sanando Guatemala conseguiu encontrar um hospital na Coréia do Sul, onde os custos são um terço em comparação com os Estados Unidos, onde Dulce poderia ser operada, e está ajudando a arrecadar fundos para ajudar a família a cobrir o procedimento.
Discipulado
El Rev. Héctor A. Burgos-Núñez se dirige a la Conferencia Jurisdiccional Noreste después de ser elegido obispo el 2 de noviembre. Burgos quien se ha desempeñado como superintendente de distrito en la Conferencia Anual Ampliada de Nueva Jersey, fue elegido en la tercera votación. A su lado está su esposa Jazelis Burgos. La conferencia se llevó a cabo del 2 al 4 de noviembre en College Park, Maryland. Foto del Rev. Thomas Kim, Noticias MU.

Bispo Héctor A. Burgos Núñez é nomeado Presidente da Diretoria dos Ministérios de Discipulado

O bispo Hector Burgos é o primeiro bispo hispano-latino na Jurisdição do Nordeste, eleito em novembro de 2022, e o primeiro bispo porto-riquenho na Igreja Metodista Unida.