Concílio mundial metodista: um deus, uma fé, um povo, uma missão!

Metodistas do mundo inteiro se reuniram em Houston, Texas (EUA) entre 31 de agosto e 3 de setembro para a 21ª Conferência Mundial Metodista. A comunidade teve a oportunidade de compartilhar questões de diversas culturas. O encontro mundial da família Metodista Wesleyana acontece a cada cinco anos em uma parte diferente do mundo, e essa edição aconteceu sob o tema organizado em torno de quatro subtemas: Um Deus, uma fé, um povo, uma missão. “Os/As participantes sairão de Houston sabendo o que tem unido Wesleyanos/as historicamente e para o que Deus está nos chamando para o futuro”, já informava a organização em seu site oficial antes do começo dos trabalhos.

A abertura do evento aconteceu com a celebração da noite do Deus trino e terminou com um culto noturno, enviando ao mundo o Corpo de Cristo cheio de diversidades, mas unido. Durante a cerimônia, o Bispo brasileiro Paulo Lockmann, presidente do Conselho Mundial Metodista, teve a oportunidade de presidir o evento no cargo que exerceu nos últimos cinco anos. Ele explica a diferença entre o Concílio como evento e a Conferência. “O Concílio abre a Conferência e esta é o espaço onde os/as não delegados/as do Concílio, cerca de 450 pes soas, se reúnem com metodistas membros da Conferência. Nela, acontecem palestras; inclusive, o Bispo João Carlos foi um dos palestrantes.

Houve pessoas do mundo todo trazendo diversas experiências em palestras e também nas oficinas”, disse o Bispo Paulo Lockmann. A Conferência durou mais quatro dias e, após o seu encerramento, o Concílio voltou a se reunir para a posse formal do novo presidente e para a aprovação dos projetos dos comitês para o novo quinquênio. “O Bispo João Carlos Lopes foi eleito membro do Comitê de indicação que irá trabalhar os novos líderes para a liderança do Concílio Mundial de 2021 a 2025”, destacou o Bispo Lockmann. A responsabilidade da presidência foi passada para o Reverendo J.C. Park, da Igreja Metodista Unida Coreana, em uma marcante liturgia onde recebeu oração de representantes da Igreja Metodista na África.

A programação contou ainda com palestrantes de várias partes do mundo, incluindo o Bispo brasileiro João Carlos Lopes, presidente da 6ª Região Eclesiástica e do Conselho de Bispos das Igrejas Evangélicas Metodistas da América Latina e Caribe (CIEMAL), e também da Revda. Jo Anne Lyon, ganhadora do Prêmio Metodista da Paz. Além do Bispo Paulo Lockmann e do Bispo João Carlos Lopes, a delegação brasileira também contou com a presença dos Bispos Adonias Pereira do Lago e Luiz Vergílio, respectivamente o atual e o recém-eleito presidente do Colégio Episcopal da Igreja Metodista no Brasil.

A Bispa Marisa de Freitas também esteve na conferência, assim como a Pastora Andreia Fernandes, que foi convidada para pregar na Primeira Igreja Metodista de Pasadena, no Texas. Representantes da Rede Metodista de Educação e Confederação de Jovens também participaram da comitiva.

Você confere essas e outras informações na íntegra em português no site do Expositor Cristão. Veja também no site oficial do evento em inglês (worldmethodistconference.com) ou no site da Sede Nacional (www. metodista.org.br) orelatório do Bispo Paulo Lockmann apresentado na Conferência.

* Sara de Paula, e repórter do Expositor Cristão. Publicado originalmente no Jornal Expositor Cristão de outubro de 2016. Acesse e faça download gratuito

Último artigo

Área Geral da Igreja
Foto de Jan Snider, Comunicações Metodistas Unidas.

Cláusula de confiança Metodista Unida: crítica em meio à luta?

Houveram tempos nos últimos 100 anos, quando uma congregação decidia não querer mais fazer parte da denominação Metodista Unida, mas deseja manter toda a propriedade da igreja.
Preocupações Sociais
Ramiro Ramírez toca a campainha da Igreja Metodista Unida de Jackson Chapel em San Juan, Texas. A família de Ramírez doou terras para a igreja, que foi estabelecida em 1874. O muro de fronteira proposto pelo presidente Trump está programado para percorrer a propriedade da igreja, incluindo seu cemitério histórico. Foto de Mike DuBose, SMUN.

Muro da fronteira cortaria igreja histórica

A parede fronteiriça proposta pelo presidente Donald Trump poderia destruir um pedaço da história metodista e perturbar cemitérios sagrados nesta pequena área rural a pouco mais de um quilômetro do Rio Grande.
Área Geral da Igreja
The Rev. Forbes Matonga. Photo by Paul Jeffrey.

Planos tradicionais mantêm status quo

Dois planos - o Plano Tradicional e o Plano Tradicional Modificado - apelam aos Metodistas Unidos que desejam manter o status quo na abordagem da igreja à homossexualidade.