Igreja do Alasca alcança a comunidade nativa

Translate Page

Pontos-chave: 

  • A Igreja Metodista Unida de Todas as Nações em Anchorage foi concebida para apoiar e ministrar aos nativos do Alasca.
  • O reverendo Murray Crookes, um dos únicos clérigos nativos do Alasca no estado, organiza semanalmente um jantar comunitário e um estudo bíblico, bem como um culto dominical que incorpora tradições nativas.
  • Crookes também fundou uma organização sem fins lucrativos cujo objectivo é fornecer uma rede de segurança para os nativos em dificuldades que, de outra forma, poderiam cair numa situação desesperada.

Quando o reverendo Murray Crookes regressou ao seu estado natal, o Alasca, em 2018, para começar uma nova igreja, não sabia bem por onde começar. Passou muito tempo na comunidade antes de saber de um encontro regular de nativos do Alasca que se reuniam num hotel local, o Days Inn. 

"Vi pessoas a cantar em Yup'ik e convidei-as para virem comer comigo", disse ele. "Começamos com uma refeição, depois um estudo bíblico e depois cantávamos. Era importante encontrar formas de adorar da forma mais genuína possível."

Nina Gorman, que conheceu Crookes na reunião do hotel, disse que começou a recrutar outros "porque as pessoas precisam de ser alimentadas espiritualmente para terem sucesso".

Church and community members share a weekly fellowship meal at Every Nation United Methodist Church in Anchorage. Photo by Mike DuBose, UM News. 

Miembros de la iglesia y la comunidad comparten una comida de hermandad semanal en la Iglesia Metodista Unida Cada Nación en Anchorage.

A nova congregação, Igreja Metodista Unida de Todas as Nações  (Every Nation United Methodist Church), começou a reunir-se às terças-feiras porque muitas outras igrejas oferecem refeições às quartas-feiras, e Crookes queria que as pessoas pudessem comer numa noite em que, de outra forma, não o poderiam fazer. 

Crookes, que serviu em igrejas da Conferência Missionária Indígena de Oklahoma antes de regressar ao Alasca, disse que este ministério alimentar diferia de qualquer outro em que participou. 

"Antes, o foco estava em alimentar as pessoas e as outras coisas eram extras, mas aqui as pessoas ficam entusiasmadas com o estudo da Bíblia. É o que realmente atrai as pessoas e elas convidam os amigos para participar", disse ele.

Havia também o culto de domingo, que Crookes descreve como sendo "um serviço litúrgico padrão da Metodista Unida". Depressa se apercebeu que, embora considerasse um bom dia se seis ou sete pessoas fossem ao culto de domingo, a igreja alimentava 50 pessoas numa terça-feira à noite.

The Rev. Murray Crookes carries in groceries for the Tuesday evening meal and Bible study at Every Nation United Methodist Church. Photo by Mike DuBose, UM News. 

O Reverendo Murray Crookes entrega mantimentos para a refeição de terça-feira à noite e para o estudo bíblico na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações.

Quando a pandemia do coronavírus chegou, Crookes descobriu o que chama o seu "ministério acidental". Uma vez que as pessoas não podiam ir pessoalmente à refeição, ele preparava refeições para levar e as entregava por toda a cidade. 

"Desde então, tem sido uma coisa regular, apenas aparecer e ser uma ligação ao mundo. Na altura, era de grande importância e continua a ser importante hoje em dia", afirmou.

Gorman disse que Crookes foi "um salva-vidas" durante esse tempo. 

"Muitas vezes, quando eu não estava em casa, Murray deixava comida na minha porta e me trazia comida e remédios quando eu estava doente", disse ela, acrescentando que os cultos online durante os bloqueios manteve a congregação unida e "manteve nossa fé forte".

A Rev. Christina DowlingSoka, superintendente da Conferência do Alasca, disse que a grande força de Crookes é ouvir.

"É ótimo tê-lo num modelo comunitário de visita às pessoas e de as capacitar para fazerem a diferença", disse ela.

Church and community members read Scripture during the weekly Bible study at Every Nation United Methodist Church. Photo by Mike DuBose, UM News. 
Membros da igreja e da comunidade leem as Escrituras durante o estudo bíblico semanal na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações.

Quando a congregação pôde voltar a se reunir pessoalmente, Crookes reformulou completamente o serviço de culto dominical. Os fiéis começaram a se reunir às 14 horas e, em vez da tradicional configuração de altar e bancos, começaram a sentar-se em círculo. 

Tudo tem agora um carácter mais informal, o que, segundo ele, melhorou a experiência de culto.

"Os Encorajo a tomar café, a se sentarem e a estarem confortáveis. As pessoas me interrompem enquanto prego para fazer perguntas, e eu adoro isso", disse.

Gorman elogia Crookes por ser "terra-a-terra e não julgar".

"Esta é uma reunião comunitária saudável no qual as pessoas não têm de vir bem vestidas - basta aparecerem como são", disse.

As crianças também são envolvidas no serviço. São colocados cobertores no chão, mesmo à saída do círculo, com livros para colorir e outras atividades, e Crookes conduz um pequeno devocional para elas.

"Nós não deixamos as crianças de fora de nenhuma parte da vida da igreja", disse a esposa de Crookes, Maria, sendo uma diaconisa Metodista Unida. "Se as afastarmos dos ensinamentos do Senhor, então para que é que elas estão aqui?"

Lucia Crookes (8) helps her father, the Rev. Murray Crookes, prepare “Bob’s Famous Cranberry Chicken” for the fellowship meal at Every Nation United Methodist Church. Photo by Mike DuBose, UM News. 
Lucia Crookes (8) ajuda o seu pai, o Rev. Murray Crookes, a preparar o " Bob's Famoso Frango com Arando" para a refeição de confraternização na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações.

Crookes introduziu elementos nativos no serviço religioso, alguns dos quais aprendeu em Oklahoma ou em outras partes do Alasca. Ele faz um smudge - um ritual de limpeza que envolve a queima de sálvia - antes do serviço dominical e se oferece para fazer smudge a quem quiser. Há uma concha e uma pena de águia colocadas ao lado da vela de Cristo no altar. Também canta um hino Kiowa após ler as Escrituras e encoraja os outros a cantar uma canção na sua língua nativa. 

"Um dos meus sonhos é que isto se torne uma prática aqui, onde possamos partilhar e cantar as canções uns dos outros e as celebrar regularmente", disse ele. "Adoro quando a adoração é mais do que apenas vir adorar a Deus; é uma celebração da cultura e da língua."

A ênfase da Igreja Metodista Unida de Todas as Nações como uma expressão de fé nativa foi a visão da Equipe de Vitalidade de Inovação da Área Episcopal do Grande Noroeste e do Círculo de Ministérios Indígenas. A igreja foi concebida para apoiar os nativos do Alasca e, ao mesmo tempo, ser um espaço de encontro multicultural. Atualmente, é a segunda maior comunidade de culto dos nativos do Alasca no estado e uma das maiores comunidades de culto indígena na Grande Área Noroeste.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

"Os ministérios indígenas não podem ser tratados como os outros ministérios. É uma coisa muito diferente", disse o Bispo da Área do Grande Noroeste, Cedrick D. Bridgeforth. 

Kristina Gonzalez, diretora executiva da Equipa de Vitalidade da Inovação, disse que a herança nativa do Alasca de Crookes e a sua paixão por reunir os povos nativos o tornaram "o par perfeito para a vocação de desenvolver a comunidade com os tradicionalmente sub-representados".

Crookes disse que a sua herança parece mais visível e significativa para os outros na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações do que em outros lugares onde ele serviu.

"As pessoas me reconhecem como um homem nativo, conhecem minha família e de onde ela vem", disse ele. "Aqui, há muita gente familiarizada com o meu nome de família, por isso as pessoas podem ver este pastor na cidade associado a pessoas que conhecem."

A familiaridade com o seu nome de família vem do fato do bisavô de Crookes ter sido o último curandeiro da sua aldeia. 

"Há pessoas vivas hoje que foram curadas por ele; por isso, há um certo grau de misticismo em torno do seu nome e dos líderes espirituais que levam esse nome."

Crookes foi aprovado para ordenação quando a Conferência Anual do Noroeste do Pacífico reunir em junho, o que fará dele apenas o terceiro clérigo nativo do Alasca a servir atualmente no estado, e um dos poucos em todo o território dos EUA.

The Rev. Murray Crookes and his wife, Deaconess Maria Capezio Crookes, prepare dinner for guests of the weekly fellowship meal and Bible study at Every Nation United Methodist Church. Photo by Mike DuBose, UM News. 

O Rev. Murray Crookes e a sua esposa, a Diácona Maria Capezio Crookes, preparam o jantar para os convidados da refeição semanal de confraternização e estudo bíblico na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações.

O jantar de terça-feira é um assunto de família, com Murray e Maria a cozinharem e as suas duas filhas ajudarem a preparar as mesas. Tal como no culto, o estudo bíblico após a refeição é informal e Crookes convida outras pessoas a se juntarem à discussão.

"Gosto do fato de Murray nos permitir fazer comentários, incluindo todos os que ouvem", disse Annie Kuku Stewart, que vem ao estudo bíblico há cerca de um ano.

Crookes disse que oferece a refeição primeiro para aqueles que não querem ficar para o estudo bíblico, mas poucos acabam por sair após comerem.

"Uma vez, eu disse que iríamos apenas comer, cantar canções e ir para casa, e alguém disse: 'Não vamos fazer o estudo bíblico? Foi por isso que eu vim! 

"Isso me fez cócegas", disse ele.

Lucia Crookes (8) helps her father, the Rev. Murray Crookes, set up tables for dinner at Every Nation United Methodist Church. Photo by Mike DuBose, UM News. 

Lucia Crookes (8) ajuda o seu pai, o Rev. Murray Crookes, a arrumar as mesas para o jantar na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações.

No último ano, Crookes vem desenvolvendo uma organização sem fins lucrativos chamada Rede HOPE dos Nativos do Alasca, com HOPE significando History of Oppression, Project of Empowerment (História de Opressão, Projeto de Empoderamento). O objetivo é fazer parcerias com outras organizações comunitárias para criar uma rede de segurança de recursos para os nativos que estejam em dificuldades.

O estado é povoado por pequenas aldeias rurais, na sua maioria com residentes nativos, que normalmente têm de se deslocar a Anchorage para trabalhar, fazer tratamentos médicos ou ir à escola. 

"A vida na cidade grande é muito diferente da vida nas aldeias - especialmente para os nativos do Alasca", disse Crookes, e aqueles que não têm meios para regressar à sua aldeia acabam por ficar retidos em Anchorage sem qualquer sistema de apoio.

"Queremos criar confiança com as pessoas que vêm das aldeias", disse ele. "Quando não sabem a quem recorrer, podem ser encaminhadas para nós, para não terem de ir para a rua, cair numa situação desesperada ou se automutilar."

The Rev. Murray Crookes leads the weekly Bible study at Every Nation United Methodist Church. Photo by Mike DuBose, UM News. 

O Rev. Murray Crookes dirige o estudo bíblico semanal na Igreja Metodista Unida de Todas as Nações.

Crookes quer não só ajudar a comunidade, mas também desafiar os estereótipos que outros possam ter sobre os nativos do Alasca. 

"Somos mais do que as estatísticas nos pintam e podemos mudar essa narrativa. Só que isso leva tempo", disse ele. "Se houver mais homens nativos do Alasca que aprendam que a sua herança e cultura são valiosas e significativas, talvez não caiam em narrativas de desespero." 

Reconhecendo que é "um pastor formado no seminário", Crookes disse que os aspetos administrativos do trabalho sem fins lucrativos e de justiça social podem não ser a sua especialidade, mas é aí que está o seu coração.

"É como quando obtive o meu mestrado em Divindade. Eu disse que aquilo que estudo, aquilo que me apaixona, não é praticamente trabalho nenhum."

 

* Butler é um produtor/editor multimédia da Notícias Metodista Unida. Entre em contato através do número (615) 742-5470 ou [email protected]. DuBose é um fotógrafo freelance em Nashville, Tennessee. Para ler mais notícias da Metodista Unida, subscreva os resumos diários ou semanais gratuitos.

** Amanda Santos é tradutora independente. Para entrar em contato, escreva para Rev. Gustavo Vasquez, editor de notícias, gvasquez@umcom.org.

 

Missão
As mulheres que fazem parte da cooperativa agrícola, da Iniciativa Yambasu, mostram hortícolas por si produzidas. Foto de Joao Goncalves Nhanga.

Angola Leste lança programa de segurança alimentar

A Igreja Metodista Unida na Conferência do Leste de Angola tem, na sua agenda eclesiástica, o programa de segurança alimentar como um dos pilares da sua missão. Dai que nove aldeias ao redor da Missão do Quéssua foram recentemente capacitadas sobre técnicas agrícolas para a produção de hortícolas a médio prazo, como garante da segurança alimentar.
Igreja Local
Niurka Meléndez, fundadora da Venezuelans and Immigrants Aid (Ajuda a Venezuelanos e Imigrantes), oferece informações práticas e conselhos aos recém-chegados que tentam se locomover pela cidade de Nova York. O grupo de ajuda é um parceiro da Igreja Metodista Unida de St. Paul e St. Andrew em ajudar o recente afluxo de requerentes de asilo lá. Foto de K Karpen.

Aprendendo a 'viver as boas-vindas' em resposta à necessidade humana

A igreja de Nova York visa preencher uma necessidade por meio de um ministério de imigrantes que conta com parcerias para fornecer apoio prático aos recém-chegados.
Igreja Local
A Revda. Ruth Marsh oferece uma xícara de chá a Angi Rogers, uma hóspede do abrigo diurno da Igreja Metodista Unida Trinity em Idaho Falls, Idaho. Rogers não estava se sentindo bem e Marsh a colocou em uma sala de aula da escola dominical para descansar um pouco. “Todo mundo aqui cuida de mim e uns dos outros”, disse Rogers.

Pequena igreja transforma vidas com abrigo diurno

Uma congregação Metodista Unida trabalha em parceria com outras organizações comunitárias para fornecer serviços aos sem-teto e trabalhadores pobres, desde refeições e banhos até assistência com programas sociais mais amplos.

 

United Methodist Communications is an agency of The United Methodist Church

©2023 United Methodist Communications. All Rights Reserved